Lost S04E13 e E14: “There’s no place like home” [Spoilers]

O episódio “There’s no place like home”, é o final da 4ªa temporada de Lost e vai inaugurar uma fórmula que de acordo com os produtores será repetida nas duas próximas (e últimas) temporadas da série: grupos de 17 episódios, cada um dos quais com finais duplas de duas horas cada, em que cada final é antecida por uma primeira parte, de uma hora, mas com o mesmo título e tema do final.

1. Pouco antes do ataque dos Outros ao grupo de Keamy, junto ao helicóptero, ouve-se um dos fenómenos que na Ilha estão associados à morte e ao Monstro: os múrmurios… E de facto, pouco depois, vários mercenários perdem a vida. Estes murmúrios serão daqueles que já faleceram na Ilha, nomeadamente dos antigos membros da Dharma Initiative? A presença e as capacidades reveladas por Miles indicam que a vida depois da morte tem um papel no enredo de Lost (maior do que eu gostaria, talvez…) e aqui encontramos mais uma prova da correção desta interpretação.

2. Durante o ataque aos mercenários, um é posto fora de combate com um Taser… Ora sendo esta uma arma não-letal e não surgindo indicações posteriores da morte deste soldado profissional, isso quer dizer que ele vai regressar no começo da 5ª temporada?

3. Charlotte diz a Daniel que não vai deixar a Ilha porque passou “toda a sua vida a tentar regressar” e diz que “foi aqui que nasceu”. Tendo em conta a sua idade, terá assim nascido aqui, de uma família que trabalhava na Dharma, como o pai de Ben, e partido antes do massacre dos Outros? Assim parece, e assim se explica como apareceu no primeiro episódio desta temporada escavando (é antropóloga) ursos polares com o logotipo da Dharma, no deserto da Tunísia…

4. No vídeo de “orientação” da Estação Orquídea, o Dr. Edgar Hallifax, ou seja, o mesmo oriental que já surgira noutros vídeos de orienteção de outra estações, mas sob outros nomes, aparece e esclarece que a Orquídea foi construída para estudar as “propriedades únicas” da Ilha, as quais criavam um certo “Efeito Casimir“. Este não é uma invenção, mas uma força física conhecida que surge num campo quântico e observado quando duas placas metálicas não carregadas no vácuo, a algums micrometros de distância uma da outra, geram, por efeito quântico, um campo de atração ou de repulsão, consoante a inclinação das placas. A experiência que detectou esta força foi da autoria dos físicos Dirk Polder e Hendrik… Casimir, daí o nome deste campo. Em “Lost”, este Efeito está relacionado diretamente com as capacidades para alterar a estrutura do Espaço-Tempo, enviando coelhos ou outros seres vivos para o Futuro e será gerado por um gerador “Casimir” situado perto da câmara temporal, um efeito secundário de “uma bolsa de matéria exótica negativamente carregada” situada no subsolo, a alguma distância. Ou seja… De dois dois buracos negros eletricamente carregados, girando em órbita um em torno do outro, de forma a criar este Efeito Casimir, mais as perturbações e deslocações espácio-temporais que alguns físicos acreditam ocorrer nas proximidades destes objectos em órbita múltipla? (ver AQUI).

5. Ben avisa Locke que a pessoa que mover a Ilha, não pode regressar a ela… Pouco depois atravessa o buraco que abriu no “Cofre” e penetra num túnel grosseiramente escavado na rocha. Compreende-se pouco depois porque vestira uma parka quando desce a uma sala gelada e cuja entrada é antececidade por duas estelas verticais com hieroglifos idênticos ao do contador da Estação Cisne e dos hieroglifos da porta da sala de controlo do Monstro. A sala onde se encontra a roda de oito hastes (que parece ser de madeira, o que contrasta com os outros testemunho arqueológicos da Ilha, sempre de pedra, mas que se explica pela baixa temperatura da sala). Esta roda está ligada a um mecanismo que é acionado por esta e que emie luz e tem no seu seio a dita “matéria exótica” que interpretamos como sendo dois buracos negros orbitando um em torno de outros, tendo a Roda a missão de alterar esta órbita e, logo, de mover a Ilha. É impossível reconhecer sinais claros nos hierpglifos das duas colunas desta sala, embora signo egípcio para “água” seja evidente. Porque está uma sala subterrânea numa Ilha tropical congelada? Ou o mecanismo dos “Antigos” só funciona em condições de um frio extremo ou… Ben ao percorrer o túnel atravessou uma túnel de wormhole gerado pelos buracos negros (muito ao estilo de “Stargate” (outra série cheia de alusões a civilizações perdidas, pseudo-egípcias) e em poucos metros, percorreu quilómetros e chegou a uma sala que de facto, se encontra… no Pólo Sul, o que explicaria o frio… Recordemo-nos que a Antárdita nem sempre foi o continente gelado que é hoje e que poderia bem ser ao centro desse império perdido que deixou as ruínas na Ilha (ver AQUI), mais exactamente há 250 mil anos atrás… a época desta civilização? Ao girar a roda, Ben faz com que a Ilha e o mar e o ar que a circundam sejam transferidos para outro local (mas na mesma timeframe, aparentemente), quebrando assim o túnel pelo wormhole até ao Pólo Sul e deixando-o numa das extremidades deste em pleno Saara e em Outubro de 2005 (no futuro, para o tempo da Ilha), como sucedia aos coelhos da Dharma. E se Daniel Faraday estava num zodiac a alguns metros da praia… aposto como vai regressar na Temporada 5, já que viajou juntamente com a Ilha. O que é uma boa notícia, já que é um dos personagens mais interessantes introduzidos por esta temporada.

6. No cargueiro e antes, na Orquidea descobre-se que o meu anterior palpite que Keamy levava uma câmara ligada a Widmore não era correcto… Na verdade, trata-se de um monitor cardíaco e o detonador dos C4s que ficaram no cargueiro e que ultimamente levarão à sua destruição… Aqui falhei no palpite…

7. Quando Sun aborda Charles Widmore em Londres, diz que Widmore os Seis não foram os únicos a deixar a Ilha, aludindo implicitamente a Ben e reconhecendo também que o próprio Widmore já esteve na Ilha e que a quer guardar para si, regressando… Assim, seria Widmore um dos fundadores da Dharma Initiative, tendo abandonado esta antes do massacre dos Outros? Assim se explicaria a animosidade entre Ben (o líder dos Outros) e Widmore.

8. O personagem desconhecido “Jeremy Bentham” é exposto na cena final como sendo… Locke. Bentham é um dos primeiros filósofos Utilitaristas, uma corrente de pensamento muito próxima do Budismo e logo… da Dharma (ver AQUI), uma “coincidência” muito curiosa… Não fazendo ele parte do grupo dos Seis, como chegou ao mundo exterior? E sendo o líder atual dos Outros e tão devotado à Ilha, como a deixou? Perguntas que a temporada 5 irá certamente esclarecer… Juntamente com o regresso do grupo à Ilha, como vivamente apela Ben.

E pronto! Espero que o M4jor leia estes comentários (que procurou ontem…), assim como todos aqueles que se vão deliciando com esta tão original, inteligente e fascinante série que é “Lost” (Perdidos) e… até à Temporada 5!

(no entretanto ainda vou publicar mais um ou dois comentários aos primeiros episódios desta temporada)

Anúncios
Categories: LOST (Perdidos) | Etiquetas: | 20 comentários

Navegação de artigos

20 thoughts on “Lost S04E13 e E14: “There’s no place like home” [Spoilers]

  1. M4Jor

    3 – Não poderá ser a charlote aquela rapariga de pequena com o ben na ilha? charlote e ben chegaram a cruzar-se nesta temporada?

    7- Faltou o meu outro palpite, pelo menos referência, ao q disse no post anterior sobre o pai de sun, e a questão das colecções. Agora até vou mais longe e indicar q pai de sun possa tb ter sido um dos fundadores, ou fornecedores.

    8- Sim p.f. publique! n fique por aqui!!!

    E prontos, temos a lenda da Atlântida em série 😉 Cheguei de facto a pensar que teria sido a construção de uma ” arca de nóe” em caso de catástrofe nuclear, mas aonde é q isso já vai..

    Sr Clavis, mais um post de latissímo calibre!

  2. 3. acho que me lembro da cena em que Ben vê essa miúda pelo ataque de gás… posso estar enganado, mas assim sendo, não pode ser Charlotte… ainda que seria uma boa ligação!

    7. Sim… tem a idade certa. E já li algures (o jogo Lost? ou o flyocean?) que que havia de facto uma ligação entre as Paik e a Ilha

    8. Sim! Um está pronto e sairá brevemente!

    9. E sim… a ligação “Atlantis-Mu” está para ficar… de facto suspeitei dela desde a estátua de 4 dedos, na final da 1… mas agora… é mais do que certo que essa civilização perdida é a explicação para a maioria dos mistérios da Ilha.

    E obrigado! Estive a escrevê-lo noite dentro, com a família toda a dormir na sala!

  3. Possas andas sempre a minha frente, assim não consigo acompanhar e comentar os teus relatos e discutir isto, li alguras a tua referência a Mu, sempre apostei mais nisso, por causa de estar no pacifico. Afinal, segundo lendas Mu e Atlântida eram rivais, poderá ter sido uma guerra nuclear que levou a destruição dos continentes, segundo relatos que li num livro que tenho. É claro é só teorias, provar….

  4. andei, mas acabou… a temporada 4!
    sim, estando a Ilha no Pacífico, sempre apostei por Mu, como tu.
    Uma guerra entre os dois?… mas não há indícios disso no enredo de Lost, pois não?

  5. Ainda não fui tão longe como tu para dizer que teria havido uma guerra, é que eu só vejo a série acompanhado, tenho que andar a conciliar mais horários, daí que atraso o visionamento, dps com outras que se metem pelo meio, não vejo um episódio assim que está disponível, creio que vou no 11.
    Provavelmente se disserem que seja um antigo continente, ou civilização, terão que avançar com uma teoria para a sua destruição.

    Creio que com outro nome, na bíblia, Atlântida e Mu são chamadas de Sodoma e Gomorra, ou pelo menos há descendência restante de ambas. Já que os relatos da destruição de ambas assemelha-se largamente a um ataque nuclear. O Desfazer em Sal, pode perfeitamente querer dizer, pulverizar em pó.

  6. Se tivermos em conta as várias referências a este tipo de situação em vários escritos antigos. Tudo indica ter havido uma guerra similar do passado, história de sodoma e gomorra é similar o que leva a crêr que possa não ter sido na Palestina, mas sim num sitio comum, que depois espalhou com a fuga dos sobreviventes, dando origem a várias culturas… Só assim se explica o mm conto entre indios americanos, culturas antigas da bretanha, India… etc

  7. Odysseus:
    Sim, ver a dois sempre tem mais piada… Eu faço o mesmo, mas… na segunda vez. Assim que tenho o episódio, vou logo vê-lo…
    Sim há algumas semelhanças intrigantes entre as descrições do fim de Sodoma e Gomorra e um ataque nuclear (p.ex. o não poder ver a explosão)
    a história dos “pais fundadores” de quetzocatl a outros que deram, o fogo, a civilização, etc aos homens. Sim, estou familiarizado com essas teses.

  8. M4Jor

    eu não!! Sou eu e o ecrãn, luzes apagadas sem ninguém a incomodar!
    Todos os ep´s vi assim e n perdi nenhum..
    lol

  9. bem, visto a dois dá mais piada… esta série dá azo a muitas interpretações e comentários, e como interpretar e comentar a sós?
    mas sim… compreendo-te bem! como resistir um dia, depois de ter tudo pronto para ver?!

  10. Genelício

    3 – Não poderá ser a charlote aquela rapariga de pequena com o ben na ilha? charlote e ben chegaram a cruzar-se nesta temporada?<—- Ben atirou no peito dela, e nessa mesma cena deu sua descrição completa, só faltou dizer se ela gostava de açucar no café.

    Locke no caixão! Fiquei estático. Obviamente eles irão ressuscitá-lo… pelo menos é o que eu anseio.

    Uma cena que considerei marcante foi a que Ben estendeu a mão para Locke, dizendo: “sinto muito por tornar sua vida tão miserável”. Locke, espantado, olhando para a mão de Ben alongada, incrédulo, dá-o a mão, sim, ele aperta a mesma mão que o deu um tiro e o deixou para morrer. Achei uma cena maravilhosa.

    Voilà, finalmente o encontro de Penny Widmore e Desmond, encontro que eu esperava ver apenas na quinta temporada e com um capítulo dedicado a esse encontro. Não sei, mas esperava algo mais dessa união dos dois; não estou falando de sexo! Não me entendam mal =).

    Enfim, o telefonema de Desmond no cargueiro foi mais emocionante que isso. “How did you find me?”. Que pergunta mais… mais… sem sal, a típica conversa de elevador. Note que isso foi mais para fazer um elo entro os fatos do que qualquer outra coisa, estavam mais preocupados com a história do que com o encontro do casal anos afastados. Não gostei desse “tapa buraco” em cima do casal mais admirado da série, pelo menos por mim.

    Sun disse: “duas pessoas foram culpadas pela morte de meu marido, você é uma delas”. Num trecho a seguir Sun vê Sr. Widmore e diz que pode ajudá-lo, ou pelo menos dá a entender. Qual seria essa segunda pessoa que Sun considera culpada? Jack? Ben? Widmore?
    Ben por ter matado Kaemy, logo ativando o detonador; Widmore por ter contrato Keamy e feito tudo que fez; Jack por contatar o cargueiro, mesmo sendo avisado, e não ter esperado Jin. Considerar Ben culpado seria um incoerência, mas como aqui falamos de personagens, e personagens podem ser incoerentes, tudo é possível. Alguma opinião? até…

  11. Vinicius

    Bom galera!

    Com o fim de mais uma temporada de lost, como sempre tem aquelas duvidas inacreditáveis no ar.!
    Lembro de uma cena que John conversa com Jack e escrica como ele ficaria se ele saisse da ilha. E com tudo que John fala acontece mais uma vez ele acerta.
    O que foi mais estranho e inacreditável foram 2 coisas:
    A primeira com o barco prestes a esplodir supostamente JACOB(pai do Jack) aparece na sala da bomba e fala para Michel. ” Agora você pode ir ”
    E a segunda foi o John no caixão!.
    O John é o espirto do Lost como o seriado em completo. Confesso que fiquei um pouco decepcionado, só volterei a me animar se a ilha fizer um outro ” milagre ” com John trazendo ele a vida novamente..

    abraço forte galera
    Vinicius

  12. Jacob é uma forma do monstro, e logo, da Ilha, ou da entidade que vela por ela… E Michael, foi sim… mas para o escambal. duvido que volte.
    sim… sem sawyer (que vai morrer) e locke… não vejo outros personagens fortes para lhe tomar o lugar…

  13. O que saliento é que não há certezas a 100% que o Jin-Soo Kwon tenha morrido, há indicação que tal possa ter acontecido, mas não certezas.
    Vê-se a explosão do barco ao longe, mas não sabemos se ele já não estaria na água.

    Se o Ben atravessou um portal, esse portal não é mostrado como tal. Vê-se ele a entrar no túnel, é mostrado num plano a redoma azul, ele parte e está lá a escadas geladas com a câmara, portal estranho.
    Mas tudo indica haver uma civilização superior por detrás do mistério da ilha.

    O conceito de vida e morte pode ser apenas uma distorção espaçio-temporal, o corpo morre, ficando a a alma num espaço e tempo fora de sincronia da nossa realidade. De alguma forma pode haver algo na ilha, que possa levar a que a alma se materialize contactando e interagindo com o mundo dos vivos.

  14. bem, Jin, dá-o como morto na conferência de imprensa…
    tem que ser um portal! como surje ele na Tunísia, se fôr de outra forma?

  15. Não digo que não seja um portal, pode se ré estranho, a não ser qeu seja algum dispositivo de teletransporte, que projecte a matéria dele noutro lugar, apesar de ser parecido, o conceito é diferente.

    Queres dizer a Sun, certo? Eles dão todos como mortos, aliás e para ela ele morreu mesmo na explosão, mas….

  16. sim, bem diferente…
    mas aposto no portal, ou melhor, dois… isso explicaria a constância das saídas e da entrada (os ursos da dharma, no mesmo local, o portal sempre naquele sítio da Ilha) e até o tal rumo que se deve sempre seguir para entrar na Ilha.
    Sun, claro.
    Se Jin aparecer, perdem parte da motivação que a personagem tem agora e que será central nos próximos episódios.

  17. Odysseus

    Não concordo com a tua teoria para os ursos.
    Os ursos foram levados para a ilha, para isso é que havia as tais jaulas para urso.

    E segundo a tua teoria se o Ben foi para Antártida, não existem lá ursos polares, apenas pinguins, o contrário se passa no Àrtico. S eé um portal, creio que seja só um. 🙂

  18. sim, mas lembra-te daquela cena em que Charlotte descobre ursos com coleiras dharma no saara. Como lá apareceram eles, são a outra ponta do wormhole não estivesse na Ilha?
    As jaulas eram para os guardar e avaliar a sua inteligência sob o efeito da Ilha, não como veículo de transporte.
    Sim, mas a minha tese é que a roda que ben rodou, faz com que a ponta do túnel que sai da ilha se conecte com outras pontas de túneis wormhole diferentes. A rotação que Ben lhe imprimiu agora, fez o contato com o túnel do Saara, mas há outros… como um que aponta ao Golfo da Guiné (onde desapareceu o avião do irmão de Eko) e outros ainda…
    ou seja, um portal (na Ilha), e vários túneis… sendo a roda o eixo que faz o contato entre eles.

  19. Compreendo a tua teoria, tem lógica, devo confessar. O tal navio no meio da ilha, por exemplo, como foi lá parar? A ver as explicações que irão dar.

  20. a ilha moveu-se… e ele estava por debaixo, quando ela se materializou nesse novo local.
    nada a ver com a rede de túneis, portanto, apenas com o “movimento” da Ilha, desencadeado pelo mesmo mecanismo, aliás.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: