Daily Archives: 2008/05/14

Acordo Ortográfico: Petição a favor de reforma mais rápida

Eis mais um destaque à nossa petição referente a uma mais rápida aplicação do Acordo Ortográfico, desta feita dada pela RTP:

Lisboa, 06 Mai (Lusa) – Uma petição em prol de uma mais rápida implementação do Acordo Ortográfico, iniciada pelo Movimento Internacional Lusófono a 15 de Março, reuniu até agora 375 assinaturas, podendo ser subscrita no endereço electrónico www.gopetition.com/online/17740.html.

“O Movimento Internacional Lusófono apresenta-se como um “movimento cultural e cívico recentemente criado” cuja comissão coordenadora é presidida por Paulo Borges, professor da Universidade de Lisboa e presidente da Associação Agostinho da Silva.

Para os promotores da petição, a proposta de resolução do Protocolo Modificativo do Acordo Ortográfico, aprovada em Conselho de Ministros em Março, “pretende consagrar um período demasiado longo para a entrada em vigor do Acordo – seis anos”.

“Recordamos que a grande reforma ortográfica de 1911 teve um período legal de adaptação de três anos, numa época em que não havia a tecnologia que há hoje”, sublinha o texto da petição.

“A recente iniciativa de uma editora, com o lançamento de Dicionários de Língua Portuguesa já obedecendo às regras do Acordo Ortográfico, bem como a posição de várias entidades, entre as quais a Universidade Lusófona – que pretende editar as suas 14 revistas com a nova ortografia até final de 2008 – demonstram que podemos ambicionar um período de transição mais curto”, lê-se no documento.

Assim – e dado que a proposta de resolução ainda será apreciada em sede parlamentar – os proponentes exortam a Assembleia da República a “aprovar um período legal de adaptação de três anos, no máximo”.

“A nosso ver, o Acordo Ortográfico é um instrumento fundamental para uma mais forte e fraterna relação entre todos os países lusófonos – desde logo, para todos os projectos de intercâmbio de professores, que doravante terão a segurança de haver apenas uma ortografia para todo o espaço lusófono”, argumentam os subscritores.

A petição defende igualmente a importância do Acordo Ortográfico “para uma mais clara relação dos países lusófonos com o resto do mundo” e salienta que “nos foros internacionais, como na ONU, os documentos oficiais não mais terão que ser traduzidos para as duas variantes da língua lusa, como acontece até agora”.”

Fonte:

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=344279&visual=26

Categories: Movimento Internacional Lusófono, Nova Águia, Política Nacional, Portugal | Etiquetas: | 28 comentários

Quids S12-7: De que país eram estes soldados?

Dificuldade:2

Regras:

1. Cada Quids valerá entre 1 a 3 pontos.
2. Cada pista fornecida deduzirá um ponto aos pontos correntes ao Quid, parando esta descida em 1 ponto.
3. Não serão dadas pistas no próprio dia do lançamento do mesmo, mas apenas no período seguinte (12:30-14:30 do dia seguinte, juntamente com o lançamento do Quid seguinte). Contudo, nesse período do dia seguinte podem ser dadas várias pistas, se pedidas.
4. Os Quids terminam quando um concorrente chegar aos 50 pontos.

Categories: Quids S12 | 14 comentários

A Rússia está furiosa com a China devido à quebra do contrato de fabricação local do Su-27

(Sukhoi Su-27SK chineses em acção no Sul da China)

A Rússia informou a China que a produção local dos caças J-11, uma cópia local dos Sukhoi Su-27SK é fabricada na China desde 1998, sob licença, cujos termos a Rússia acredita agora estarem a ser violados. Aparentemente, os russos tentaram negociar o cumprimento dos termos do contrato de licenciamento com a China discretamente, mas a atitude chinesa acabou por levar a Rússia a expôr publicamente este incumprimento.

O que está a irritar os russos são as movimentações chinesas para procurarem exportar para países do terceiro mundo, a sua versão do Su-27, violando a licença de fabricação e retirando mercado à Sukhoi russa, por causa do seu preço unitário muito inferior ao russo, já que um Su-27 russo custa 35 milhões de dólares e um J-11 chinês apenas 28 milhões de dólares.

Esta atitude de pirataria descarada e de desrespeito pelos tratados e acordos é infelizmente comum na governação chinesa e a Rússia devia retirar daqui ensinamentos e parar – por exemplo – com as exportações do seu excelente míssil anti-aéreo S-300 PMU2… A China já constrói, também sob licença S-300 PMU1, sob o nome “HQ-10/15”, mas se fizer o mesmo que fez com os Su-27 poderá deixar-se de pruridos e cortar também aqui os laços contratuais com a Rússia, assim que receber os PMU2.

Os J-11s (Su-27SK) chineses eram construídos inicialmente a partir de kits enviados da Rússia, mas a partir de finais da década de 90, começaram a receber uma participação industrial chinesa crescente, sendo os últimos aparelhos fabricados integralmente na China. Em 2001, a Sukhoi assinou um compromisso para atualizar os radares e aviónica dos J-11 em inventário, mas em 2004 a produção do J-11 pararia sem que tivesse havido qualquer atualização e, pouco depois, aparece o J-11C/J-11BJ (em 2002) que seria uma versão navalizada do caça, mas construída integralmente na China e seria este que estaria agora a ser comercializado a países do Terceiro Mundo pela China.

Ainda que o J-11 não seja já hoje um aparelho à altura dos mais modernos aparelhos ocidentais, como o Typhoon, o F-22 ou o F-35, ainda pode exibir uma confortável paridade com outros aparelhos comercializados atualmente, como o Rafale, o Mirage 2000-5, e toda a comum panóplia de F-18, F-15 e F-16 que formam o grosso das forças aéreas do Ocidente, por isso, se o seu preço (na versão chinesa) fôr de apenas 28 milhões de dólares, isso pode colocar muitos países aliados da China com grandes números desses caças… É certo que a China tem uma necessidade urgente de atualizar a sua força aérea ainda têm perto de 600 caças de 2ª geração J-6 e J-7 e 250 J-8II de 2,5 geração (ver AQUI) e que o ritmo de fabricação local dos J-11 é de apenas 20 aparelhos por ano… Por isso não haverá muitos aparelhos para exportar, que sobrem das necessidades internas… mas cada um que fôr vendido… é menos um que a Rússia vende.

Fontes:

http://www.1913intel.com/2008/04/22/russia-infuriated-with-chinese-export-copies-of-su-27-jet-fighters/

http://www.uwmc.uwc.edu/political_science/MIIIE/catalogPLAAF.htm

http://en.wikipedia.org/wiki/Shenyang_J-11

Categories: China, DefenseNewsPt, Política Internacional | Etiquetas: | 16 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy