Quids S11-48: Que navio é este?

Dificuldade:3

Categories: DefenseNewsPt, Quids S11 | 44 comentários

Navegação de artigos

44 thoughts on “Quids S11-48: Que navio é este?

  1. Nito

    Destroyer inglês WW2 ?

  2. Northampton Class Heavy Cruiser

  3. Sim,Nito e não Viriato…

    É um destroyer, sim…
    mas não é inglês…
    ainda que seja…
    anglófono!

  4. uma adenda: chegou a servir por algum tempo na Royal Navy

  5. Nito

    Australiano ? Tribal Class ?

  6. Tribal class australia

  7. Nito

    River class ?

  8. Desculpe Nito!

  9. Canadian Trival class

  10. isto com a pressa!! tribal class Canadiano

  11. Nito

    HMCS SKEENA

  12. Ora. Ora…
    nope.

    e não é nenhuma dessas classes.

    pista:
    australiano…

  13. HMAS Stuart

  14. O HMAS está certo… o nome não…
    o seu fim tem a ver com um certo país lusófono…

  15. Nito

    Arunta ?

  16. Fred

    é um q class da royal australian navy?

  17. Fred

    hms Quickmatch

  18. Fred

    HMAS Quickmatch

  19. Nito

    HMAS WARREGO ?

  20. Nito: ver a pista…
    Fred: Sim, terminou como australiano. Mas não é esse.

  21. Fred

    Quiberon

  22. Fred

    HMAS Voyeger

  23. Fred

    HMAS Voyager

  24. Fred

    deve ser essa, ela foi abandonada no Timor em 42

  25. Nito

    Kuru ? Armidale… não parecem..
    Batalha de timor

  26. Nito

    É fred é HMAS Voyager (D31)…
    almoçar…atrasado

  27. é do Fred!
    (ainda que tivesse dados 2 respostas seguidas… ai as regras… se eu não fosse tão tolerante 😉 )
    http://en.wikipedia.org/wiki/HMAS_Voyager_(D31)

  28. Fred

    uns bons pontinhos a mais
    no terceiro colocado
    pontos nunca são demais
    e um muito obrigado.

  29. olha, um poeta!
    desconhecia essa veia, Fred!

  30. isto é divertido!

  31. Fred

    kkk, longe muito longe, tentei uma redondilha menor mais o que saiu foi essa porcaria ai!!

    🙂

  32. Fred

    Estava lendo Pessoa ontem a noite, na hora do terremoto, deve ter sido isto! 🙂
    hehehehe

  33. Fred

    sim foi sim, moro do décimo terceiro andar e estava sozinho lendo na cama e ela começou a tremer, hehehehhe! agora acho engraçado!

    Na hora pensei que estivesse com labirintite, mas o celular caiu da escrivaninha, a persiana balançava e a luz também. Percebi que tinha de ir embora, peguei a carteira, os celulares e quando cheguei na porta parou!

    ai liguei a tevê no canal de segurança do prédio, só vi o povo descendo as escadas e chegando na portaria, zappiei atrás de noticias e descobri que não estava louco não. Foi um de 5.2 graus na Richter com epicentro a 215 km de são vicente no litoral de SP.

    http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u394713.shtml

  34. ainda por cima no Brasil, que devia ser praticamente imune a terremotos!
    http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060830153515AAtdCoi

    eu cá lembro-me de uns quantos nos últimos anos… menores que esse e sempre em Lisboa.
    Lisboa aliás pode ter um problemão desses daqui a muitos poucos anos…

    sabes que estranhei hoje quando vi que o meu post mais acedido hoje tinha sido este:
    http://movv.org/2007/02/12/do-abalo-sismico-de-hoje-e-do-colapso-do-site-do-instituto-de-meteorologia/

    não percebi porquê até ler o teu comentário…

  35. Fred

    Mas não é imune não. O primeiro relato de terremoto no Brasil é de 1530 e poucos anos, justamente em são vicente!

    Essa área tem muita ocorrência de tremores, mas não há registros com essa intensidade. Em Minas Gerais ocorreu um com 6 graus na escala Richter acho que no ano passado. Houve um também em sobral no Ceará no começo do ano, salve engano.

    E o maior creio ter sido no pantanal, na decada de 50 ou 60, realmente não estou certo.

  36. Fred

    Lembrei, foi em 55 no mato grosso, foi de 6 e alguma coisa Richter.

  37. Então isto:
    “terremoto ocorrre somente entre as palcas tectonicas e o Brasil esta todo ele em cima de uma unica placa!
    Portanto nao há “emendas” entre uma placa e outra!
    mas os termores sim, estes existem, porem fracos!
    para que ocorresssem tremores muito fortes no Brasil, seria necessario um terremoto na escala 9.9 (de0a10) em um local de junção destas placas, ahi sim o tremor seria grande aki!”
    http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060830153515AAtdCoi

    não corresponde à verdade? Li aqui tb que tremos de 5-6 podem ocorrer, mas não mais do que isso, além dos extraordinários 9,9 da citação, claro…

  38. Fred

    Não Rui, sendo sucinto e não sendo, hehehe.
    Terremotos ocorrem por alivio de tensões nas camadas de rocha, notadamente no encontro das placas tectônicas existem muito mais formações de tensões, daí a maior ocorrência e maior tensões acumuladas.
    Quando as tensões acumuladas nas rochas ultrapassam o estado último de ruptura da rocha a camada fratura liberando as tensões e a energia acumulada. Os tremores subseqüentes são os ajustes das camadas de rocha a falta de tensão. Então as camadas voltam a acumular as tensões e quando novamente esse acumulo atingir o nível correto, terremoto, tudo de novo!
    E assim sucessivamente, ad eternum!
    Um vulcão por exemplo, pode causar um grande terremoto causada pela enorme quantidade de tensões geradas na erupção.
    Outra possibilidade é o desabamento de cavernas, elas produzem terremotos de menor intensidade.
    As escalas normalmente usadas são a californiana Richter e a de Mercalli.
    A diferença entre as duas é que a de mercalli depende da observação e dos danos causados e a de Richter mede a intensidade registrada nos sensores, mas as das vão de 0 a 9.
    Por exemplo, um terremoto numa área remota sem residências ou construções pode ter grau 1 na mercalli e 7 na Richter.
    Um grau 7 na Richter vai ter sempre grau 7 mesmo no mar ou no deserto. Desde que seja registrado, claro.
    🙂

  39. Fred

    E sobre o maior terremoto registrado foi no chile na decada de 60, registraram 9,5 na richter. Um pancadão!

  40. Sim, estou a ver!
    http://earthquake.usgs.gov/regional/world/10_largest_world.php

    Mas o de Lisboa (esta aqui, de onde escrevo estas linhas…) não deve ter andado longe:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Terramoto_de_1755

    gulp!

  41. Fred

    é, é de assustar sim! O problema são os terremotos em áreas habitadas, como Lisboa, por exemplo!
    salvo engano esse de 1755 matou umas 70 mil pessoas e foi quase um grau menor que o do chile de 1960.

  42. meio grau menos, apenas…
    e hoje mataria muito mais… em 1855 Lisboa tinha apenas 275 mil habs! E destes terão morrido entre 95 a 70 mil habitantes (esta é a estimativa mais baixa).
    Imagina hoje, com 556 mil habitantes (2001)… os prédios serão mais resistentes, certo (o prédio em que habito é o primeiro prédio anti-sismíco construído em Lisboa, em 1947), mas a população mais do que dobrou!

  43. Fred

    é complicado, deveras complicado!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: