Sobre a manutenção das Taxas de Juro na Europa, pelo BCE

“O presidente do BCE justificou a opção da sua instituição de manter as taxas de juro da eurolândia inalteradas ao nível de quatro por cento desde o início da crise dos mercados de crédito imobiliário de alto risco (subprime), quando a Reserva Federal americana (FED) baixou as suas seis vezes no mesmo período, situando-as em 2,25 por cento este mês.”

“Se mantivermos as nossas taxas de juro nos níveis actuais é porque acreditamos que correspondem ao que é necessário para manter a estabilidade dos preços a médio prazo”, afirmou, definindo este período de tempo “entre 18 e 24 meses”, “Acreditamos que a política monetária actual contribuirá para atingir este objectivo”.

“Ao invés, frisou, “se tivéssemos reduzido as taxas de juro sem razão do ponto de vista da inflação, estaríamos a pedir aos nossos cidadãos para financiar os bancos

Isabel Arriaga e Cunha; Público; 27 de Março de 2008

Não é difícil de perceber que nos Media existe uma pressão mais ou menos sistemática, mais ou menos subliminar para levar o BCE a baixar as taxas de juro. A Banca está claramente a conter do público e a optar por não expôr o impacto que as suas especulações no Subprime americano desmioladas tiveram nos seus balancetes, isso mesmo foi declarado recentemente pelo G-7… E como o impacto do Subprime dos EUA está a afectar não somente a banca americana, mas a de todo o mundo, e este problema está agora a somar-se o pré-colapso do mercado imobiliário espanhol, mesmo aqui ao lado, e precisamente o nosso maior investidor externo e também o nosso maior parceiro comercial, não é difícil de estabelecer a certeza de que banca lusa cedo estará a clamar por uma descida das taxas, ainda antes que qualquer outra banca europeia (excepto, talvez a espanhola).

É preciso ter cuidado com a descida das taxas de juro. A inflação não é um bem absoluto e sacrossanto, mas em contexto de aumentos explosivos dos preços dos combustíveis e dos alimentos (relacionados entre si, como por aqui já escrevemos) e num contexto de uma inflação já acima dos patamares recomendados não deve ser pressionada ainda mais por um aumento das taxas de juro. Isso poderia facilitar a vida à Banca e limitar algumas das suas perdas por causa dos seus erros dos últimos anos, mas não seria do interesse do resto da sociedade que pagaria assim pelos seus erros. E teríamos uma das situação economicamente mais perigosas que podem ser concebidas: Estagflação: Inflação com Recessão. É isso que queremos? Sim, porque parece ser isso que quer a Banca.

Categories: Economia, Sociedade, Sociedade Portuguesa | Etiquetas: | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: