Caramel: Um filme de Nadine Labaki

Está ainda em exibição, em Lisboa, um dos filmes mais doces e interessantes que pude ver nos últimos tempos… Trata-se de “Caramel” da realizadora libanesa Nadine Labaki, que interpreta também o papel principal, o filme pode ser classificado sob a classe de “comédia”, mas é um retrato extremamente sensível, suave mas muito interessante de uma das sociedades mais liberais e ocidentalizadas do Médio Oriente. Curiosamente, este filme que está hoje nas nossas salas (mas terão que se apressar porque não deve ali permanecer por muito mais tempo…) foi concluído apenas nove dias antes de Israel desencadear a sua sua mal sucedidade guerra de 33 dias contra o Líbano, em 2006.

A realizadora, Nadine Labaki, declarou que “Num certo sentido, gostaria que o povo israelita visse o filme e compreendesse que tipo de pessoas nós somos”. E de facto, embora a influência do partido islamita radical Hezbollah seja crescente, o Líbano é juntamente com a Tunísia dos países árabes mais liberais no que concerne a direitos cívicos e ao respeito pelos direitos das mulheres. Com efeito, o filme parece ter sido filmado e produzido em relativa liberdade e as mulheres de várias gerações cujas vidas se vão cruzando num salão de beleza em Beirute (“caramel” é o produto de depilação usado no salão) parecem viver em relativa liberdade, numa sociedade que não tem o tom repressivo que encontramos por vezes noutros filmes oriundos da mesma região do globo.

A história desenvolve-se a partir da narrativa cruzada de cinco mulheres: Layal, representada pela própria Nadine Labaki e que tem um caso passional com um homem casado, Nisrine, uma outra cristã que vai casar com um muçulmano, Rima, uma lésbica e Jamal, que enfrenta o desafio do tempo com crescente dificuldade e com… um consumo galopante de fita adesiva.

O filme expõe uma sociedade muito sofisticada, onde as mulheres que pertencem ao grupo cristão maronita se movimentam com relativa liberdade e podem utilizar o mesmo tipo de vestuário de qualquer mulher ocidental. É contudo uma sociedade onde a hipocrisia típica dos regime fanáticos se deixa introduzir aqui e acolá, algo que a realizadora consegue introduzir no argumento com manifestada inteligência e uma subtileza muito feminina… Desde os hotéis que só aceitam reservas em nomes de mulheres casadas e dos seus maridos, até à cristã que tem que realizar uma cirurgia de reconstrução do hímen para que a famíla do noivo (e este…) acreditem que ela vai virgem para o casamento, e uma das outras empregadas do salão que é lésbica, mas que em todo o filme só o deixa transparecer muito subtimelmente, sem que tal tema seja abordado directamente entre as cinco mulheres em algum momento. O filme tem momentos de claro e cristalino humor, mas também outros de drama – sem cair no exagero – e vive muito do brilhantismo da Labaki e da candura das outras actrizes, todas elas participando aqui no seu primeiro filme e produzindo um dos filmes mais curiosos e suaves que vi nos últimos tempos.

A ver, bem depressa, enquanto não esgota, em suma!

P.S.: E muita atenção à banda sonora…

Fonte:
Site Oficial do Filme “Caramel”

Categories: Cinema | 9 comentários

Navegação de artigos

9 thoughts on “Caramel: Um filme de Nadine Labaki

  1. M4Jor

    Vou ver! Obg pela sugestão, preciso sempre muito de sugestões..Depois debatemos

  2. Mas despacha-te…
    não deve ficar muito tempo em exibição…

  3. anocas

    Ontem vi este filme!
    Achei-o bastante interessante e bem feito. Fez-me lembrar a Tunisia a maneira como misturam o frances, árabe e ingles. De facto nao tinha ideia que de um pais como o Libano podiam sair filmes tao envolventes como este. Parabéns a Labaki pela sua criatividade e pelas ideias simples mas bem construidas.

  4. ´´E parece um bom filme , bem humano, tratando de coisas do dia-dia nosso, apesar da cultura ser árabe -ocidentalizado. ^n está passando ainda no BRASIL, vou tentar assisti-lo.valeu.

  5. Ricardo S. Alfano

    Assisti ao filme hoje, em São Paulo e o achei fascinante, belo e muito interessante, por desmistificar um pouco a visão que nós, ocidentais,temos do mundo árabe como um todo. Mesmo dentro da unidade, há uma diversidade da cultura árabe que muitos de nós desconhecemos. Gostei demais da atuação das atrizes e Nadine Labaki é belíssima e muito talentosa. Espero que continue a nos presentear com suas produções. E desejo toda a sorte ao mundo árabe e ao povo libanês.

  6. Camila Medeiros

    Assisti ao filme em Curitiba e amei,realmente apaixonante,com uma fotografia impar!Alguém sabe o nome do diretor de fotografia?Vale a pena conferir Caramel!

  7. Rocsil

    Trata-se de um filme muito bom de NADINE LABAKI.
    Um filme com estórias do dia a dia, algumas delas muito comoventes.
    Vi este filme numa sala de cinema e posteriormente adquiri o DVD que tenho em casa.
    ” E agora, onde vamos?” outro grande filme desta realizadora Libanesa.

  8. Boa Noite!

    Como posso obter o filme?
    Celeste.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: