Manuel Vicente, presidente da Sonangol: “Galp hoje tem de obedecer as nossas instruções em Cabo Verde. Nós somos os patrões, vamos ditar as regras do jogo.”

Manuel Vicente
(Manuel Vicente in http://www.worldreport-ind.com)

“Sonangol e Galp disputam a Enacol, empresa distribuidora de combustíveis em Cabo Verde. Disputam não, disputavam. Porque Manuel Vicente, presidente da petrolífera angolana, esclareceu: “A Galp hoje tem de obedecer as nossas instruções em Cabo Verde. Nós somos os patrões, vamos ditar as regras do jogo. Ponto final”. Logo vieram os sócios portugueses da Galp dizer que as relações são excelentes, que foi um «lapsus linguae». Não foi, não. Querem o dinheiro angolano, não querem? Então, habituem-se, porque a Sonangol vai mesmo exercer o seu poder.”

Expresso, 01 de Março de 2008

Infelizmente são atitudes como esta por parte de certas élites angolanas – e infelizmente não tão raras como isso – que servem de barreira a uma maior aproximação entre os povos lusófonos… “Nós somos os patrões“? Mas que tipo de estatuto moral e de educação pública tem este gestor para merecer ocupar o cargo que ocupa na petrolífera angolana? Tamanha barbaridade não devia ter merecido uma severa repreensão pública, não só da Sonangol (já que falamos do presidente da própria empresa), mas por parte dos visados que neste discurso demagógico e populista são tratados como “moços de recados”?

São este tipo de complexos (de culpabilidade por parte dos portugueses e de revanchismo por parte deste angolano) que cavam fossos entre os dois países que têm muito mais a uni-los do que certa élite altamente corrupta que governa Luanda e que as élites ineptas e lassas que se vão alternando no Poder, em Portugal gostariam de crer…

Portugal e Angola têm muito mais a uni-los do que declarações imbecis proferidas por presidentes acéfalos e todos os dias temos testemunhos pessoais disso mesmo…. Por exemplo: No recente desastre de uma derrocada da prisão da judiciária angolana, as mulheres interrogadas na televisão exprimiam-se todas elas em bom e fluente português? E não pertenciam certamente a nenhuma élite cultural ou social angolana… Eram mulheres das chamadas “classes baixas” presentes naquele local porque tinham familiares detidos e soterrados por debaixo dos escombros de um edifício público que o governo angolano não soube manter de pé.

É esta fala comum que nos une. Não são idiotas imerecedores de cargos públicos ou privados como o idiota que dá pelo nome de Manuel Vicente, por acaso e por “compadrio necessário” conhecido como “presidente da Sonangol”.

Anúncios
Categories: Economia, Política Internacional | Etiquetas: , , | 26 comentários

Navegação de artigos

26 thoughts on “Manuel Vicente, presidente da Sonangol: “Galp hoje tem de obedecer as nossas instruções em Cabo Verde. Nós somos os patrões, vamos ditar as regras do jogo.”

  1. M4Jor

    Só há duas coisas nos mundo capaz de mudar Angola: os angolanos q sentem-se sempre muito ofendidos e toda a gente está contra eles, e portugal. Nem EUA nem ninguém conseguirá mudar. Acontece q a elite angolana, uma do top 5 das mais corruptas, efectuou o factor da multiplicação e hoje nem portugal é capaz de intervir à maneira antiga; Assim sendo, só resta os próprios angolanos, e como para bom entendedor meia palavra basta, mais 50 anos e o assunto estará na mesma.

  2. Nito

    assino por baixo…

  3. A Corrupção é problema número UM em Angola.
    É o grande travão ao Desenvolvimento e à geração de uma classe média capaz de em eleições varrer essa classe corrupta do Poder.
    Mas como ela ainda não há e como há um domínio quase total dos Media… essa mudança não vai acontecer tão cedo… ainda!

  4. Nito:
    Então e os quids? O Mascarilha está a aproximar-se…
    Nos próximos dias talvez não possa replicar… Amanhã, é certo que não.
    Depois… veremos!
    Mas os quids até dia 9, deverão ir gotejando, um a um!

  5. venho por este meio pedir a voça excelençia senhor manuel viçente sou angolana nao trabalho tenho 3 filhos os mesmos nao trabalhao esto a recorrer a voça ajuda ja recorri a todas as outoridades do pais mas nao tive a graça de ser respondida pesso que uma alma de boa fe me ajude 924892554

  6. helia dos santo

    Bom dia senhor manuel vicente so uma joven de 22 ano estou a frequentar a faculdade de gestao e markting estou no 2 ano e gostaria muito de trabahlar nas tuas dependencia sei que sou capaz de enfrentar qualquer tipo de ambiente de trabalho.

    Goodmornig mr Manuel vicente i am helia dos santos and i m 22 years old and i m doing my 2 year of marketing managment and i would like to be part of your organization and i am ready for any challenge.

    Thank you
    here is my conctant 925276153

  7. balaca

    gostaria de candidatar ha uma vaga de bolsa de estudo.

  8. Yari

    Atitudes desnecessárias, confundir força com poder de decisão.
    Falar em nome de um povo ou Empresa não deve esquecer as boas maneiras representativas.
    Atitudes pessoais não vão ao encontro do bom funcionamento da Empresa.

  9. Jorge Perdigão

    Sr. Manuel Vicente gostaria de falar com o sr.de negócios, estou em Portugal e tentei por diversas vezes entrar em contacto com o sr.mas nunca me foi possível.
    Tem o meu site e também dou o meu telemóvel, caso queira entrar em contacto comigo, 919679942.
    Sr. Manuel Vicente gostaria que o sr. visse o nosso site, é
    europescas.blogspor.com, se realmente interessar me diga algo,já temos países interessados no negócio, temos também o registo da patente em nosso nome e gostaria de entrar em negociações com Angola neste grande empreendimento, assim como também nas Pescas, gostaria se possível uma resposta do sr. para o meu telemóvel.
    Jorge Perdigão

  10. DANIEL

    ANTENS DE MAIS NADA FELICITO,OS VOSSOS BONS PRESTIOMOS.

    DR,ENG,MANUEL VICENTE,É TRISTE DU-QUE TEMOS VINDO A CONSTATAR,MUITOS JOVÉNS FORMADOS NA ESPECIALIDADE DE GEOLOGIA E TANTOS OUTROS CURSOS,QUE ATE JA FIZERAO TEXTES E ENTREVISTAS E NÃO FORÃO ATE CA CHAMADOS,DIZENDO ASSIM OS TERCEIROS QUE A SONANGOL SOMENTE CHAMA DAQUI A 3 ANOS.
    SINCERAMENTE DRA,MANUEL VICENTE, POR ONDE SAIU ESTA PULITICA.SINCERAMENTE NA QUALIDADE DE UM SIDADÃO ANGOLANO TENHO E GOZO OS MEUS DIREITOS, DE DIZER SEM OFENÇAS CURPURAIS QUE ESTA SITUAÇÃO É TOTALMENE SENTIMENTAL,TEM O CASO DO EMU IRMAÕ FORMADO EM GEOLOGIA DE PETROLÉO E GAS,FORMADO NA RUSSIA,ESTA CA EM ANGOLA AH 4 ANOS,JA TIVERA FEITO O TEXTE NA SONANGOL,SO LHE DIZEM ESPERA ESPERA ATE QUANDO?POR FAVOR O PAIS ESTA EM PAIS, VEJA ESTE CASO DR VICENTE.A MUITOS JOVES FORMADOS SEM EMPREGO DR,ENG VICENTE.

    VAMOS LUTAR POR UMA CAUSA JUSTA,PARA AMANHA NAO APONTAREM DEDO AOS OUTROS QUE SAO INOCENTES.DIZEM QUE MUITS JOVENS ESTAO SEM EMPREGO,E MUITOS BEM FORMADOS ESTÃO A SER ABANDALHADOS.

    MAS PORQUE MEU CARO DR, ENG-MANUEL VICENTE.

    PELO AMOR DE DEUS VEJA ESTE CASO, QUE JA NAO AGUENTO VER O MEU IRMÃO E MUITOS JOVENS A SOFRER.

  11. josemar ramos

    antes de mais as minhas saudações ao senhor Manuel Vicente
    A sonangol e uma das maiores empresa de angola na área petrolífera e tem contribuído muito para o desenvolvimento do pais e de reconhecer que os seus fundos são as fontes principais de sustentação deste pais.
    eu sendo um jovem acabado de concluir o ensino médio gostaria de poder usufruir a uma bolsa de estudo para poder concluir os meus estudo na área de electrónica industrial e automação o um curso relacionado no ramo da electrónica sendo a bolsa externa de preferencial porque não possuímos universidades nacionais a leccionar electrónica industrias ou mesma interna.
    por meios de condições financeira no seio familiar não consigo sustentar os meus estudo agradecia que me concedessem o requisito necessário para poder a concorrer a bolsa

  12. elisandro marcio gourgel da silveira

    E de louvar a iniciativa da Sonangol na formacao de novos trabalhadores deste modo entao venho atraves desta solicitar de Vossa Excelência a oportunidade de uma candidatura a favor de marcio gourgel de 22anos que e filho de mae solteria o mesmo frequenta o primrieo ano da faculdade de engenharia de informatica por meio de ajudas paga as propina uma vez que devido as enumeras dificuldades que este passa com a familia eu gostaria muito de solicitar o intermedio da voca ajuda para que deste modo entao poder ter uma formcao deste modo espero deferimento

    • otusscops

      que coisa é esta???
      estes comentários são totalmente ridículos, CP.
      alguns meus de vez em quando censuras por irem contra a doutrinação lusófona à moda do MIL e isto deixas passar???

      desde o comentário do “branca jose miguel” (incluído) que não devia estar aqui nenhum.
      até envergonha os angolanos com inteligência, chiça…
      👿

      • Nunca censuro… mas apago quando me insultam a mim ou a outros comentadores. Nao estando nesta categoria: nao vejo porque os deva apagar. ..

        • otusscops

          CP

          sabes o quê mais??? tens razão (sobre não censurar).

          • Hehehe vou tomar nota deste (raro!) Momento de concordancia!

          • não é raro.
            a tua lusofonite é que nos coloca a ver muita coisa sobre o nosso país de ângulos diferentes.
            sei que queres o melhor e és bem-intencionado.
            e depois aqui toda a gente concorda contigo, não achas estranho???
            é preciso alguém que faça agitar as águas… (mesmo dizendo algumas asneiras)
            😈

            • A minha “lusofonite” (inflamação da lusofonia? 🙂 ) é apenas a expressão do desejo de ver renascer este nosso Portugal.

            • renascer???
              uiiii!!!
              pois, mas discordo da abrasileirização que advogas para o nosso Portugal.
              ou germanização, anglosaxozinação, espanholização, ameriacanizção, chinezização, e outras acabadas em ão que não sejam lusitanização…

              • Abrasileirazação?!… Tudo isso por causa do Acordo?!
                Defendo Portugal e a sua regeneração ou Renascença, não defendo a troca bruta e pura de uma “união europeia” por uma “união lusófona”. Ha tempo e não creio que um Portugal diminuído como o de hoje (gastador, improdutivo e viciado na divida) pudesse ter um papel minimamente relevante em qualquer futura união politica.

              • e não é suficiente???
                além demais não é nenhum acordo e os alemães nunca me obrigaram a mudar nada na minha cultura.
                esta genuflexão às elites cariocas da língua por motivos vingativos, de afirmação nacionalista revela o ponto onde a nossa governação chegou, muito baixo.
                para não falar ao lambebotismo perante as elites angolanas, isso então é de bradar aos céus!

                o abrasileiramento da escrita é inadmíssivel, é incompatível com os nossos valores, usos e costumes, não nos representa, não nos identifica, nivela a língua por baixo…
                estou contra a deslatinização do português ainda para mais por troca da tupiguaranização-bantização-italianização-astrangeirazção fonética que a generalidade dos média e dos linguístas fazem do português nesse país-continente.
                só quem ama a sua cultura é que sofre por ela, é o meu caso.

                chegamos ao ponto de desrespeito e de desprezo de escrever os meses e os dias da semana em letras minúsculas… é pavoroso. devias de deixar de apoiar esta imundíce.

                • Ah! O Acordo… Que dizer?… Sabes bem que o acho um tema encerrado (e em vigor), mas a precisar de ajustamentos em data futura.

                • otusscops

                  continuas a assobiar para o lado com essas respostas.
                  andaram desde 1990 até 2004 a negociar e deu nisto. NÃO VAI HAVER NENHUMA NEGOCIAÇÃO, só se for para piorar, sabes muito bem.

                  sabes bem que é um acto vingativo dessa gente (não é o povo brasileiro na sua generalidade que fique bem explícito), que nos abastarda a escrita e consequentemente a língua.
                  andas com a demagogia racista e xenófoba dos europeus (que nos tem recebido aos milhões nos últimos 50-60 anos) e insiste neste voluntarismo lusofono abrasileirante.
                  se não te conhecesse diria que não gostavas de Portugal…

                  mas os portugueses NÃO PRECISAM de nenhum acordo para escrever a sua língua!!!
                  temos prémios Nobel, temos produção literária do mais elevado quilate, para quê???

                  não entendo a tua posição (e de muitos outros) que adoptaram uma coisa que consideram errada “a priori”. para pessoas inteligentes como tu deixa-me intrigado.
                  isto é varrer o lixo para debaixo do tapate.

                  sobre o (des)AO90 estar ou não implementado, ser irreversível ou não, veremos…

                  curioso não comentares o belo editorial do Jornal de Angola (nunca pensei alguma vez dizer isto) sobre o (des)AO90. porque será, cobardia, vergonha, proselitismo lusofonico versão brasileira???

                  “Os falantes da Língua Portuguesa que sabem menos, têm de ser ajudados a saber mais. E quando souberem o suficiente vão escrever correctamente em português. Falar é outra coisa. O português falado em Angola tem características específicas e varia de província para província. Tem uma beleza única e uma riqueza inestimável para os angolanos mas também para todos os falantes. Tal como o português que é falado no Alentejo, em Salvador da Baía ou em Inhambane tem características únicas. Todos devemos preservar essas diferenças e dá-las a conhecer no espaço da CPLP. A escrita é “contaminada” pela linguagem coloquial, mas as regras gramaticais, não. Se o étimo latino impõe uma grafia, não é aceitável que através de um qualquer acordo ela seja simplesmente ignorada. Nada o justifica. Se queremos que o português seja uma língua de trabalho na ONU, devemos, antes do mais, respeitar a sua matriz e não pô-la a reboque do difícil comércio das palavras.”

                  http://jornaldeangola.sapo.ao/19/42/patrimonio_em_risco

                  (duvido que queiras sair do teu registo e admitir que é um erro crasso, este (des)AO90, o teu silêncio cúmplice é sempre ensurdecedor para mim…)
                  😈

                • Tu queres que eu concorde so por concordar… E isso não vou fazer, nem tu, de resto. Alguém ja escreveu algures que os homens adultos raramente mudam de opinião depois de a formarem. Assim, o facto de nos manternos no mesmo sitio, neste debate é sinal da nossa maturidade, penso eu de que! 🙂

  13. resposta mas “alargada” ao comentário de Clavis Prophetarum de 2012/04/01 às 10:07
    (REPETIÇÃO)

    continuas a assobiar para o lado com essas respostas.
    andaram desde 1990 até 2004 a negociar e deu nisto. NÃO VAI HAVER NENHUMA NEGOCIAÇÃO, só se for para piorar, sabes muito bem.

    sabes bem que é um acto vingativo dessa gente (não é o povo brasileiro na sua generalidade que fique bem explícito), que nos abastarda a escrita e consequentemente a língua.
    andas com a demagogia racista e xenófoba dos europeus (que nos tem recebido aos milhões nos últimos 50-60 anos) e insiste neste voluntarismo lusofono abrasileirante.
    se não te conhecesse diria que não gostavas de Portugal…

    mas os portugueses NÃO PRECISAM de nenhum acordo para escrever a sua língua!!!
    temos prémios Nobel, temos produção literária do mais elevado quilate, para quê???

    não entendo a tua posição (e de muitos outros) que adoptaram uma coisa que consideram errada “a priori”. para pessoas inteligentes como tu deixa-me intrigado.
    isto é varrer o lixo para debaixo do tapate.

    sobre o (des)AO90 estar ou não implementado, ser irreversível ou não, veremos…

    curioso não comentares o belo editorial do Jornal de Angola (nunca pensei alguma vez dizer isto) sobre o (des)AO90. porque será, cobardia, vergonha, proselitismo lusofonico versão brasileira???

    “Os falantes da Língua Portuguesa que sabem menos, têm de ser ajudados a saber mais. E quando souberem o suficiente vão escrever correctamente em português. Falar é outra coisa. O português falado em Angola tem características específicas e varia de província para província. Tem uma beleza única e uma riqueza inestimável para os angolanos mas também para todos os falantes. Tal como o português que é falado no Alentejo, em Salvador da Baía ou em Inhambane tem características únicas. Todos devemos preservar essas diferenças e dá-las a conhecer no espaço da CPLP. A escrita é “contaminada” pela linguagem coloquial, mas as regras gramaticais, não. Se o étimo latino impõe uma grafia, não é aceitável que através de um qualquer acordo ela seja simplesmente ignorada. Nada o justifica. Se queremos que o português seja uma língua de trabalho na ONU, devemos, antes do mais, respeitar a sua matriz e não pô-la a reboque do difícil comércio das palavras.”

    http://jornaldeangola.sapo.ao/19/42/patrimonio_em_risco

    (duvido que queiras sair do teu registo e admitir que é um erro crasso, este (des)AO90, o teu silêncio cúmplice é sempre ensurdecedor para mim…) 😈

Deixe uma Resposta para M4Jor Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: