Das festas do “Espírito Santo”


(Festa do Espírito Santo, nos Açores in http://www.orfeao.up.pt)

A Ordem do Templo, situada tão de perto do projector fundador da Nacionalidade e da primeira gesta conquistadora afonsina tinha entre os seus projectos, o de fundar uma ordem universal – necessariamente transversa às realidades estatais ou monárquicas – que assente no corpo de pensamento e profecia de Joaquim de Fiore pretenderia fazer estender a todo o mundo uma nova forma de governação, de estado supra-nacional, onde as confrarias templárias assumiriam o papel irradiador e unificador… Esta era a verdadeira e mais plena ambição templária e aquela que tão bem frutificou em Portugal, no reinado de Dom Dinis, ou melhor dizendo, no duplo-reinado de Dom Dinis e de Isabel de Aragão, no século XIV português. É neste reinado brilhante que estas ideias templárias assentam arraias e encontrando terreno fértil em diversas práticas populares encontramos a aparição das primeira “festas do Espírito Santo”, às quais os monarcas dedicavam uma muito especial atenção, como descrevia Rui de Pina: “(…) a graça do Espírito Santo de que era acesa de todo causava (…) um louvado sossego e grande devoção (…)”

Seriam estas “festas” que depois se espalhariam por aquele que era então e que viria a ser (sobretudo), o “mundo português”, desde o interior de Portugal até aos Açores e ao Brasil, onde ainda hoje se mantêm bem vivo…

Uma das principais cerimónias daquele a que se chamava então de “Auto do Império” era a coroação tripla de um menino enquanto “imperador do Espírito Santo” assim como de dois outros homens, o mais velho enquanto “Pai” o mais novo, enquanto “Filho”, assumindo assim o papel da Santíssima Trindade do dogma católico. Seria este “menino-imperador” que recebia as homenagens do Povo e ordenaria a libertação dos presos, uma das três cerimónias essenciais a estas festas e rituais plenos de significado e que culminariam na “Boda dos Pobres” ainda hoje presente na língua comum portuguesa (ver AQUI) e onde todos, independentemente do seu estado social ou importância tinha lugar e partilhavam da mesma refeição, numa espécie de antevisão de um Futuro “quinto imperial” onde todos teriam o mesmo lugar na mesa simbólica da partilha das dádivas do Mundo e numa Fraternidade Universal que, ao fim ao cabo, estava no próprio cerne da visão templária…

Anúncios
Categories: Brasil, História, Movimento Internacional Lusófono, Portugal | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: