Daily Archives: 2008/01/02

“Lost” (Perdidos) regressa já em Janeiro!


Eis um trailer da próxima temporada (a quarta) de Lost (“Perdidos”)!

Recordemo-nos que a série recomeçara a ser emitida na ABC, nos EUA, a 31 de Janeiro de 2008… A daqui menos de um mês, portanto! Arf! Arf! Mas… A greve dos argumentistas continua nos EUA, e a série, como outras nos EUA, pode ver as suas emissões interrompidas a meio, adicionando ainda mais expectativa aqueles que a têm seguido fielmente desde a primeira emissão, já no longínquo dia 22 de Setembro de 2004. É que até agora existem apenas oito episódios produzidos e esta temporada deverá ter dezasseis…

Recordemo-nos que esta série é completamente única, no enredo e na qualidade do dito, e até na garantia de que todos os mistérios que encerra a sua narrativa serão esclarecidos, conforme decorre da garantia contratual entre os seus produtores e a emissora ABC que garante a continuidade das emissões até 2010, ou seja, que garante a existência de mais três temporadas de “Lost”, cada uma com dezasseis episódios. “Lost” também é única na medida em que a maioria das séries televisivas inclui 22 episódios por temporada, com excepção de “Lost”, com 16, e emitidos sem repetições, de forma a não prejudicar a consistência da história.

Fonte: Lost-Media

Anúncios
Categories: LOST (Perdidos) | 9 comentários

Quids S10-10: Onde foi tirada esta fotografia? (país)

dddd1.jpg

Dificuldade: 2

Categories: Quids S10 | 6 comentários

Um antigo militar da base de Roswell (Milton Sprouse) fala dos estranhos acontecimentos de Roswell em 1947


(O capitão Jesse Marcel exibindo alguns dos achados do crash de Roswell in http://www.abduct.com)

Quando em Julho de 1947, um agricultor encontrava estranhos destroços na sua quinta situada nos arredores da pequena cidade rural de Roswell, estava, sem o saber, a criar a maior história de OVNIs de sempre… O agricultor chamou o xerife local, que por sua vez, telefonou para a base áerea de “Roswell Army Field”, a qual enviou dois militares. No dia seguinte, a 9 de Julho de 1947, um artigo publicado no “Roswell Daily Record” afirmava “A Força Aérea captura um disco voador num rancho da região de Roswell”. Estava posta em andamento a “Grande Roda”, que daria origem am milhares de livros, documentários, séries e filmes de ficção, e que se haveria de tornar numa verdadeira indústria que ainda hoje constitui uma das principais fontes de rendimento da região.

Oficialmente, o incidente até já mereceu a (rara) atenção governamental, com uma multiplicação contraditória de explicações “oficiais”, deste balões meteorológicos, ao “Projecto Mogul”, a manequins dentro de cápsulas de testes, etc. Longe de esclarecerem o mito, estas tentativas desajeitadas mais não fizeram do que adensar o mito…

E eis que agora, surje um novo testemunho… Um residente da cidade americana de “Escondido“, na Califórnia de nome Milton Sprouse:

afirma ter estado no centro dos acontecimentos de Roswell… Um elemento comprovado do 393º esquadrão de bombardeiros B-29, transferido para Roswell no final da Guerra, Sprouse afirma que “estava lá quando anunciaram a queda de um OVNI. No dia seguinte, apareceu publicado no Roswell Daily Record, e nessa noite, todos os generais desmentiam a notícia”. Ora, a novidade deste testemunho está em que Milton Sprouse afirma ter feito parte do grupo de militares da Força Aérea que foi enviado para o rancho de William Brazel recolher os materiais que estavam espalhados pelo campo e que, segundo ele, incluiam “paus” (sticks), bandas de borracha (rubber strips), tela metálica (metallic foil) e um tipo de papel resistente (sturdy paperI), transportando-os ao xerife George Wilcox, que tinha pedido ajuda à base aérea. Respondendo à chamada, o oficial da Inteligiência Militar Jesse Marcel teria sido enviado às instalações do xerife, passando depois a noite a encher com o material recolhido por Sprouse e outros militares um camião que depois foi enviado para a Base. Pouco depois, o coronel Blanchard, o superior de Jesse Marcel, emitiria um comunicado declarando que a Força Aérea tinha capturado um “disco voador”. O material é embarcado num B-29 e recambiado para uma base da Força Aérea no Texas e nunca mais se ouve falar dele… E a partir daqui começa a campanha de desinformação com a publicação de uma declaração negando todas as afirmações anteriores e afirmando que o “disco voador” era, afinal, um balão meteorológico… Sprouse diz que na mesma altura ele e outros militares receberam ordens para recolher todos os jonais desse dia e que centenas de militares, sem ele, mas com 5 homens do seu pelotão, eram enviados para o local do acidente para baterem cada cm2 de solo em busca de mais restos. “Eles diziam que algo que não era deste mundo”, disse Sprouse. Entre os objectos recolhidos, os militares diziam ter encontrado uma “tela metálica” que quando era amalgamada, retornava à forma original, numa descrição quase idêntica à Jesse Marcel.

A explicação oficial para os acontecimentos de Roswell, pelo menos a de 1995, consiste na declaração de que se tratava de um “balão meteorológico” fabricado para o “Projecto Mogul” que consistia numa série de balões de alta altitude com sensores capazes de detectar a detonação de bombas atómicas sobre o território da União Soviética. O estranho material descrito seria o do balão. Mas o “Projecto Mogul” não explicava porque houve relatos de “cadávares” recolhidos no local… Para o explicar, a USAF lançaria mão, mais tarde, em 1997, de nova “explicação oficial” alegando que se tratariam de manequins usados para testar paraquedas de alta altitude (ver AQUI)

(Manequim usado para testes de paraquedas de altas altitudes in CNN)

O problema desta explicação oficial de 1997 estava em que… estes manequins só começaram a ser usados na década de 50… três anos depois de Roswell, portanto… (ver AQUI) a explicação não é propriamente das mais convincentes que jamas se fizeram… Sprouse também se recorda de ter ouvido camaradas seus a referirem ter colaborado na recolha de “corpos alienígenas” que teriam levado para um hangar da base, guardado por dois guardas com metralhadoras até serem transferidos para fora da base aérea. O ex-militar afirma ainda ter ouvido de um colega de caserna que trabalhava numa sala de emergência médica onde teria visto um “humanóide” a ser transportado para o hospital da base, onde teria sido observado por dois médicos e duas enfermeiras que assim que fizeram o seu trabalho, foram “transferidos”.

O oficial Jesse Marcel continua a manter até hoje a sua história inicial. Em 1978, numa entrevista televisiva reafirmou a natureza alienígena dos achados desse dia de 1947 e tornou a fazê-lo mais tarde, em 1980 relatando as características de um “pedaço de madeira que não ardia” e de “um segmento de metal que não podia ser dobrado”, recolhidos no local da queda. Hoje já falecido, o seu legado continua a viver pelo seu filho, Jesse Marcel Jr, que publicou um livro “The Roswell Legacy” onde toma a defesa do seu pai.
Fonte Principal:
NC Times

Categories: Mitos e Mistérios, OVNIs | 6 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade