Da Somalilândia (sim, existe!) e da desadequação das fronteiras africanas à realidade local

Somaliland

“Militares da Somalilândia, território que em 1991 se declarou independente da Somália, ocuparam nos últimos dias Las Anod, capital da zona de Sood e burgo de 100 mil habitantes que desde 2003 se encontrava sob controlo da região autónoma de Puntlândia”
(…)
“A província de Sood é disputada por dois territórios que não respeitam o frágil regime somali. A Somalilândia avisou que, se as tropas da Puntlândia tentarem reconquistar a praça perdida, avançarão ainda mais para o interior da região vizinha.”
Fonte: Público de 17 de Outubro de 2007

Ok. Devo ser só eu, ou então passei por algum Portal desapercebido e estou agora dentro de um daqueles albuns do Tintin com nomes de países fíctícios, tipo Sildávia ou Barataria (para uma lista completa, clicar AQUI) mas é impressão minha ou antes (tipo a semana passada) não havia nenhum país no mapa-mundi com estes nomes? Em primeiro lugar, não é possível encontrar em mapa nenhum algo chamado como “Somalilândia” (pelo menos desde a época da colónia italiana de que se fala AQUI) e tem site oficial e tudo (ver AQUI). De uma forma ou de outra, o certo é que há muito tempo que não existe nenhuma entidade única designada como “Somália” além dos mapas e globos que temos nas nossas casas. O país fragmentou-se pouco depois da morte do ditador Siad Barre em 1991, mas a sua própria existência também não é propriamente muito antiga, já que resulta da união dos dois protectorados britânico e italiano em 1960. A Somalilândia ainda não é reconhecida por nenhum país no mundo, apesar de ser uma das regiões africanas mais estáveis – desde 1991 – e relativamente isenta das características de corrupção, crime e desgoverno que caracterizam tão expressivamente aquilo que ainda é reconhecido por todos como “Somália”. A questão que aqui se coloca é a de saber se devemos continuar a alimentar o dogmático e cego princípio da inalteridade de fronteiras quando este colide com a estabilidade, prosperidade e a própria sustentabilidade de um país. Acreditamos que não, e que aqui, na Somalilândia temos um bom exemplo disto mesmo, tanto mais porque não existe hoje nenhuma entidade capaz de se reclamar como “governo da Somália” que possa conceder a uma parte do seu território, a sua independência! E, aliás, sejamos claros há muito tempo que a comunidade internacional devia ter percebido que uma parte essencial do problema africano está precisamente nas fronteiras artificiais herdadas do colonialismo europeu e – sobretudo – na sua desadequação às realidades sociais, linguísticas e tribais dos países que tentam enclausurar dentro das fronteiras actuais…

Categories: DefenseNewsPt, Política Nacional | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: