Daily Archives: 2007/11/23

Da Somalilândia (sim, existe!) e da desadequação das fronteiras africanas à realidade local

Somaliland

“Militares da Somalilândia, território que em 1991 se declarou independente da Somália, ocuparam nos últimos dias Las Anod, capital da zona de Sood e burgo de 100 mil habitantes que desde 2003 se encontrava sob controlo da região autónoma de Puntlândia”
(…)
“A província de Sood é disputada por dois territórios que não respeitam o frágil regime somali. A Somalilândia avisou que, se as tropas da Puntlândia tentarem reconquistar a praça perdida, avançarão ainda mais para o interior da região vizinha.”
Fonte: Público de 17 de Outubro de 2007

Ok. Devo ser só eu, ou então passei por algum Portal desapercebido e estou agora dentro de um daqueles albuns do Tintin com nomes de países fíctícios, tipo Sildávia ou Barataria (para uma lista completa, clicar AQUI) mas é impressão minha ou antes (tipo a semana passada) não havia nenhum país no mapa-mundi com estes nomes? Em primeiro lugar, não é possível encontrar em mapa nenhum algo chamado como “Somalilândia” (pelo menos desde a época da colónia italiana de que se fala AQUI) e tem site oficial e tudo (ver AQUI). De uma forma ou de outra, o certo é que há muito tempo que não existe nenhuma entidade única designada como “Somália” além dos mapas e globos que temos nas nossas casas. O país fragmentou-se pouco depois da morte do ditador Siad Barre em 1991, mas a sua própria existência também não é propriamente muito antiga, já que resulta da união dos dois protectorados britânico e italiano em 1960. A Somalilândia ainda não é reconhecida por nenhum país no mundo, apesar de ser uma das regiões africanas mais estáveis – desde 1991 – e relativamente isenta das características de corrupção, crime e desgoverno que caracterizam tão expressivamente aquilo que ainda é reconhecido por todos como “Somália”. A questão que aqui se coloca é a de saber se devemos continuar a alimentar o dogmático e cego princípio da inalteridade de fronteiras quando este colide com a estabilidade, prosperidade e a própria sustentabilidade de um país. Acreditamos que não, e que aqui, na Somalilândia temos um bom exemplo disto mesmo, tanto mais porque não existe hoje nenhuma entidade capaz de se reclamar como “governo da Somália” que possa conceder a uma parte do seu território, a sua independência! E, aliás, sejamos claros há muito tempo que a comunidade internacional devia ter percebido que uma parte essencial do problema africano está precisamente nas fronteiras artificiais herdadas do colonialismo europeu e – sobretudo – na sua desadequação às realidades sociais, linguísticas e tribais dos países que tentam enclausurar dentro das fronteiras actuais…

Categories: DefenseNewsPt, Política Nacional | Deixe um comentário

QuidSZ S3-17: Que moai é este?

ddd6666666666a.jpg

Dificuldade: 3

NOTA:
Para a semana, a saída dos QuidSZ será muito irregular…

Categories: QuidSZ S3 | 4 comentários

O Japão retoma a actividade de Pesca à Baleia no Pacífico

O Japão vai retomar as suas actividades criminosas e bárbaras de caça à baleia no Pacífico Sul, planeando a morte de mais de mil baleias. Supostamente, estas actividades de caça têm “objectivos científicos”, numa imensa hipocrisia que deveria envergonhar uma das civilizações mais antigas e admiráveis do mundo. A decisão de retomar a actividade baleeira é particularmente grave no caso das baleias corcundas que estavam cobertas por uma moratória já com 44 anos e das quais o Japão pretende agora caçar 50 baleias. De facto, as baleias corcundas estiveram quase extintas, e só esta moratória é que as salvou in extremis, sendo a sua população de vários milhares (segundo fontes japonesas) actualmente, razão pela dizem os japoneses que abater cinquenta baleias não terá impacto na sobrevivência da espécie. Mas a caça destes animais não servirá para estudar os seus “órgãos internos”, como afirmam as autoridades japonesas, mas para alimentar uma indústria alimentar que ainda que esteja em declínio (graças sobretudo a uma atitude mais ecológica por parte das gerações mais novas) ainda pagam 17 euros por meio quilograma e é a matéria-prima de vários pratos de cozinha tradicional e de luxo japoneses.


(carne de baleia à venda num supermercado japonês in Washington Post)

O Japão deixou de caçar baleias com fins comerciais em 1986, mas manteve algum tipo de actividade baleeira sempre sob pretextos “científicos” tendo agora uma frota de quatro navios baleeiros em actividade no Pacífico Sul, sendo esta seguida de perto pelo navio Esperanza da Greenpeace (o blog do navio pode ser acedido clicando AQUI). Se esta declaração o chocou tanto como a mim, envie um mail para a Embaixada Japonesa endereçada a Yuichi Miyagawa o responsável pela área de “Informação e Assuntos Culturais” (clicando AQUI) exprimindo de forma veemente, mas polida o seu estado de alma quanto a este regresso massivo do Japão a uma das actividades humanas mais cruéis jamais registadas contra uma das criaturas mais inteligentes da Natureza: a Baleia.

Fontes principais:
BBC
Greenpeace

Categories: Ecologia, Política Internacional, Sociedade | 11 comentários

Tabela de Variações da palavra “Conii” e estelas onde surgem

110.jpg

24.jpg

33.jpg

Categories: A Escrita Cónia, História | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade