O Brasil vai comprar 24 novos helicópteros em 2008

O governo brasileiro encetou um concurso internacional para a aquisição de dois esquadrões de helicópteros: um para aparelhos de ataque e outro para aparelhos de transporte. Actualmente, já foram entregues três propostas diferentes por parte das empresas Eurocopter, AgustaWestland e Rosoboronexport sendo os modelos apresentados para o esquadrão de transporte:

pela AgustaWestland o EH101 Merlin

pela Eurocopter o EC-725


e pela Rosoboronexport o Mi-171V

e para o de ataque:

pela AgustaWestland, o AW109LUH e Mangusta

pela Eurocopter, o Tigre

pela Rosoboronexport, o Mi-35M

Em termos de custos unitários, os russos batem de longe toda a concorrência… Dos três, o melhor poderá ser o EC-725, da Eurocopter, que aliás, é uma evolução directa do Cougar que opera actualmente já no Brasil, é inferior a outra proposta da Eurocopter, o EH101, mas é menos dispendioso que este e provavelmente mais adequado às necessidades locais… E se o factor preço fôr decisivo, tem mais possibilidades de vencer o Mi-171V.

No concurso para aparelhos de ataque, a proposta da AgustaWestland é interrante, já que consiste num pacote com aparelhos AW109LUH, muito ligeiros, e provavelmente inadequados como aparelhos de primeira linha mas mais baratos e alguns hélis de ataque mais ao estilo do Tigre, o Mangusta (AW129), que está ao serviço apenas em Itália e que é um dos melhores helicópteros de ataque do mundo, juntamente com o Tigre. O Mi-35M russo é bem conhecido e tem provas dadas… Mas é uma evolução de um aparelho já com alguma idade… Barato, comparado com todos os antecessores e tendo em conta as suas capacidades é provávelmente o favorito neste concurso, assim o EC-725 o é no esquadrão de helicópteros de transporte…

Mas talvez mais do que o puro preço unitário, seja a garantia de que parte dos aparelhos será construída no Brasil… E nesse domínio a Eurocopter franco-alemã leva vantagem já que no Brasil já uma fábrica, a Helibrás… Isso mesmo já foi dizendo o ministro da Defesa brasileira quando sublinhou que qualquer proposta teria que incluir uma transferência de tecnologia apreciável…

De qualquer forma, a decisão final deverá ser tomada até Setembro de 2008 e levará à compra de 12 aparelhos de cada tipo, um número que pode ser ainda mais reduzido se o custo unitário fôr elevado.

P.S.: E a propósito… Onde está o helicóptero de ataque da FAP?…

Fonte: DefesaNet

Qual será o melhor helicóptero de transporte?

1) EH101 Merlin
2) EC-725
3) Mi-171V

View Results

Qual será o melhor helicóptero de ataque?

1) AW109LUH e Mangusta
2) Tigre
3) Mi-35M

View Results

Categories: Brasil, DefenseNewsPt | 40 comentários

Navegação de artigos

40 thoughts on “O Brasil vai comprar 24 novos helicópteros em 2008

  1. Golani

    a foto tá errada: não é o AW109, mas sim o AW139

  2. Golani

    Em termos de custos unitários, os russos batem de longe toda a concorrência… Dos três, o melhor poderá ser o EC-725, da Eurocopter, que aliás, é uma evolução directa do Cougar que opera actualmente já no Brasil, é inferior a outra proposta da Eurocopter, o NH90,

    bebeste uns copos ao almoço ?

    o NH90 não está a concurso

    o EH 101 “Merlin” é que o melhor helicóptero deles todos, mas a um preço bem alto ( Portugal tem 12 )

  3. Golani

    o Mangusta (AW129), que está ao serviço apenas em Itália e que é um dos melhores helicópteros de ataque do mundo, juntamente com o Tigre

    ganhou uma grande encomenda na Turquia, a transferência de know how foi um dos aspectos valorizados pelos Turcos.

    é mais ligeiro que o Tigre (este está ao nível do Apache)

    um dos defeitos do Tigre era que não tinha metralhadora articulada no nariz

  4. Golani

    P.S.: E a propósito… Onde está o helicóptero de ataque da FAP?…

    não há dinheiro para um helicóptero de ataque dedicado

    será um versão armada do heli ligeiro que se vier a adquirir

    actualmente fala-se do AW109 ( que pode ser armado)

  5. Golani

    em termos custo/beneficio este deve ser a melhor opção ( creio mesmo q até já existe uma versão mais recente, V7)

    Background — Medium-Lift Helicopter — Mil Mi-17 (V5)
    http://www.sfu.ca/casr/bg-helo-mil-mi17.htm

    para ataque uma combinação de Mangusta com AW109 ( que servirá ainda para transporte ligeiro)

  6. Golani:

    “a foto tá errada: não é o AW109, mas sim o AW139″
    -> Ok.

    ” Em termos de custos unitários, os russos batem de longe toda a concorrência… Dos três, o melhor poderá ser o EC-725, da Eurocopter, que aliás, é uma evolução directa do Cougar que opera actualmente já no Brasil, é inferior a outra proposta da Eurocopter, o NH90,
    bebeste uns copos ao almoço ?”
    -> Não bebo.

    “o NH90 não está a concurso
    o EH 101 “Merlin” é que o melhor helicóptero deles todos, mas a um preço bem alto ( Portugal tem 12 )”
    -> Enganei-me. O erro foi corrigido. Ao fim, ao cabo, bebi, não é?

  7. Nito

    eu bebi 3 cafés…estava com uma soneira de manhã… enfim mais rotor menos rotor eu comprava um Kamov Ka-52 para levar as minhas Svetlanas às compras..

  8. Golani

    Mangusta na Turquia:

    Sept 7/07: The Turkish SSM procurement agency announces the signing of industrial arrangements contracts with AugustaWestland:

    “Within the framework of ATAK Program as per Defence Industry Executive Committee Decree dated 30th of March 2007, Contracts between SSM, TUSAS (TAI), AGUSTAWESTLAND and ASELSAN have been signed on 7th of September, 2007. Official signature ceremony will be held soon.”

    Some unresolved questions remained, but both were cleared up by the Sept 17/07 TAI release. Defense-Aerospace reports that Turkey will take over the entire A129 Mangusta program, and transfer the production line to Turkish Aerospace Industries’ facility outside Ankara. This was confirmed.

    The second question concerns the number of helicopters, which has now been resolved. Previous reports in the Turkish press gave figures of 30 helicopters+20 optional, a far cry from the 91 originally desired. Finmeccanica’s Sept 11/07 announcement [PDF format], set the number at 51 A129 helicopters, with an estimated value for AgustaWestland of around EUR 1.2 billion, and no mention of options. TAI’s Sept 17/07 release, however, clearly notes the deal’s structure of 51 helicopters + 41 options, for 91.

  9. sa morais

    Para transporte, com um dos europeus vai bem servido, especialmente com o “nosso” Merlin.

    E onde andam coisas como o UH-60L Black Hawk? também há versões COIN.

    NHI NH90?

    E que tAL um investimento maluco nuns V-22? 🙂

    E ataque?

    O produto europeu, claro! O Mi já saiu de moda no tempo das odisseias do Rambo… Eheheh! E o Mangusta matou o coitadinho do Rooivalk.

    E que tal uma opção económica e com provas dadas: AH-1W – 1o milhões. bem longe dos 40 e tais de tiger e apache.
    Ou seguir logo para o AH-1Z Viper?

  10. Golani: Hic! Qual será o teclado verdadeiro entre estes três que aqui vejo? 😉
    Sá: Os V-22 têm sido um verdadeiro pesadelo de desenvolvimento… E de facto tem até sido classificado por alguns como “The V-22 Osprey program has become the largest scandal in US military history”
    http://www.g2mil.com/V-22costs.htm

  11. Golani

    11-Nov-2007 18:22

    In October 2006, the Indo-Asian News Service reported that the Indian Air Force will buy 80 medium lift multi-role Mi-17 1V helicopters from Russia. India’s Chief of Air Staff Marshal S.P. Tyagi reportedly told the news agency that the contractual detail would be finalized within a few months, that Russia will start delivering the helicopters in 2007, and that deliveries would finish within a year. MosNews estimates the deal’s value at approximately $662 million, with the exact value depending on ancillary equipment like avionics.

    (…)

    The Mi-17 isn’t just popular with India, however, and recent wins indicate that Russia may have a strong commercial winner on its hands. The American UH-60 is more expensive than the Mi-17, and lacks the tactical flexibility of its rear ramp option. The European NH90 is more expensive still, and offers greater capabilities – but suffers from serious delivery and availability problems. The Mi-17, in contrast, offers comparable performance for less, no political restrictions on their use, greater integrated armament capabilities than its competitors, optional versions that include western engines and avionics, and availability that has remained good thus far. While strong competition can also be expected from Eurocopter’s Puma family, the Mi-17 looks set to remain a strong export success.

  12. Esta notícia deve dar uma vantagem decisiva à opção Mi-17V no concurso brasileiro… Veremos. De qualquer forma, será uma opção, se para lá forem, embora eu contine a defender o EH101(neste caso, a opção era o NH90)

  13. marcelo

    outra piada do governo Lula. As 3 forças armadas já haviam iniciado substiuição de helicópteros antigos pelos da família Black Hawk, com excelente desempenho já demonstrado na região amazônica. Agora estão criando esta concorrência de cartas marcadas em troca “sei lá do que”(?)…talvez exportação de…carne de porco.

  14. Mas o Black Hawk não serão demasiado caros? São excelente, é certo, mas a sua relação qualidade-preço é desfavorável, especialmente quanto aos aparelhos Mi agora sobre a mesa…

  15. o brasil nao deve olhar para custos perante á nossa defesa… seria o certo de termos uns 50 Mi-35M.
    só assim poderiamos respirar tranquilos.

  16. Talvez fossem demais… importa haver um número significativo para ser disuasor e eficaz em futuras operações de paz no exterior… mas 50 acho francamente demais, especialmente quando comparando com os países vizinhos:
    “the government of Venezuela has also announced its intention to obtain about 3 dozen more Russian helicopters, including Mi-17 “Hip”, Mi-26 “Halo” and Mi-35 “Hind” http://en.wikipedia.org/wiki/Military_of_Venezuela
    Sendo esta força aquela a que o Brasil deve pelo menos equivaler… Na minha opinião.

  17. marcelo

    o brasil não tem “condições” de se comparar aos seus vizinhos, apenas à india, china, e forçando um pouquinho…russia e EUA.

  18. digo condições, na medida em que deve manter pelo menos a paridade com os seus mais fortes vizinhos, e refiro-me à Venezuela, ao Chile a à Argentina. Mas acredito também que o Brasil deve assumir a frente na lusofonia e enquadrar uma capacidade global de projecção de forças e ter um papel interventivo no mundo, concordante com a sua actual importância demográfica, cultural e económica, e é este papel que tem faltado… Portugal – muito menor nestes 3 aspectos – tem sido mais participativo, estando presente em praticamente todos os conflitos dos últimos 10 anos, na sua escala… E muito gostríamos de ver os nossos camaradas lusófonos ao nosso lado, onde eles são precisos, como no Afeganistão (a principal frente de batalha contra o radicalismo) e em África… Mas agora o Brasil está no Haiti, e a fazer um bom trabalho! Espero que continue e que aprenda com esse exemplo e assuma esse tal papel!

  19. marcelo

    liderança? de maneira alguma, somos grande hoje porque pela providência divina nossa pátria mãe é Portugal. A mesma que antes até de existir como estado, já marcava a história dos povos pela heróica resistência ao escravismo romano, a reconquista cristã frente ao radicalismo islâmico e a maior saga de todas: as navegações e descobrimentos que dilataram a civilização ocidental e a fé em Nosso Senhor mundo afora. Brasil e Portugal, lado a lado, ainda têm páginas a escrever. Não digo em conflitos, mas no modo de agir e pensar, pelo entendimento e o respeito às diferenças, contruindo o futuro.

  20. Marcelo: é essa a minha convicção. Portugal e o Brasil estão inevitavelmente fadados a tornarem a caminhar juntos e a oferecerem ao mundo uma nova Luz de desenvolvimento fraterno e de paz. E a maior missão que Portugal alguma vez já cumpriu no mundo foi o milagre de criar esse país-continente que é o vosso, um milagre particularmente gritante quando se compara com a multiplicação de pequenos e inviáveis Estados que pululam hoje a dita “América Espanhola”…

  21. Ed

    Pena que com o dinheiro que portugal conseguiu na exploraçao do ouro e da madeira e da cana e do diamante etc….. os portugueses conseguiram torrar tudo com sei lah oque. enquanto os EUA que descobriram suas riquesas depois de se tornar independentes estao ai no ponto mais alto do mundo.

  22. Ed

    os 2 modelos eurocopter estao quase q certos para a aquisiçao, com relaçao aos black halks, eles forao comprados, na quantidade de 6 somando com os 4 que o barsil jah possui somente para amazonia, plano de defeza da amazonia e nao para reaparelhamento, esses 12 helicopteros de transporte substituiriam 30 H-1H Iroquois, e se somariam com os 10 AS-532 cougar da fab, e com os 34 AS-365K Panterae 8 AS-532 cougar do exercito, para o transporte. e helicopteros de ataque podem ser 10-12, que faram parceria com o ataque leve esquilo.

  23. marcelo

    Ed vc está enganado. Os 4 BH do exército serviram primeiro aos observadores brasileiros no conflito Equador x Peru, depois sim, empregados no Cmdo Militar da Amazônia. Os 6 adquiridos pela FAB serão empregados em missão CSAR, não necessariamente apenas na selva. outros 6, na versão naval, já estavam autorizados para a marinha do Brasil e dada como certa sua aquisição. Se isto não é reaparelhamento, por sinal inteligente já que utiliza mesma família de helicópteros para 3 FFAA, então o que é?

  24. Ed

    Oficialmente, a FAB (Força Aérea Brasileira) nega a negociação. Contudo, representantes das empresas russas Mil e Ulan Ude estiveram em Brasília e no Rio na semana passada.
    Menor ainda será a surpresa se o anúncio compreender o fim do embargo da Rússia à carne bovina brasileira e um novo programa de exportação de frango. Segundo envolvidos no negócio, o Ministério do Desenvolvimento está particularmente empenhado no pacote.

    A FAB quer comprar cerca de 30 helicópteros, lote composto por aparelhos de ataque Mi-35 Hind e Mi-171, de transporte.

    Os oficiais entusiastas da idéia são os mesmos que negociaram a compra de helicópteros Blackhawk dos EUA, que começaram a ser entregues neste ano para uso na Amazônia. A região também é o destino dos aparelhos russos, se comprados. Mas a novidade seria a atuação dos Mi-35.

  25. Ed

    repetindo a 2 parrte ^^
    Os oficiais entusiastas da idéia são os mesmos que negociaram a compra de helicópteros Blackhawk dos EUA, que começaram a ser entregues neste ano para uso na Amazônia.

  26. Ed

    o exercito nao comprou os black halks para uzalos e sim para trabnsportar os inspetores, correto e agora serao uzados na amazonia mas nao foi um reaparelhamento rapaz. a marinah nem iniciou essa tal negociaçao.

    e a marinah planeja blindar seus AS-532 cougar e comprar um lote de 4 a 6 unidades de super linx para se somar aos seus 12 hje em atuaçao

  27. gerrero

    para complementar oque nosso colega falou vou por alguns dados que eu possuo aqui sobre os preços:

    O valor da compra é uma estimativa com base em contratos semelhantes, e depende do pacote de armamentos e compensações comerciais. Um Mi-35 sai por cerca de US$ 15 milhões, mas “pelado”.

    De todo modo, ainda que o Brasil tenha investido pouco ou incorretamente em segurança aérea, os valores não são comparáveis: é muito mais caro comprar e manter voando aviões e helicópteros.

    ou seja nao basta investir tem que investir em algo util.
    Por issoq ue eu sou contra comprar aparelhos russos que sao muito complexos e caros de manter.

  28. é o problema de sempre com os aparelhos russos… Excelentes, mas sempre uma incógnita no que concerne a peças e pós-venda…

  29. Marcelo Cunha

    rapaz (??) acho que você não entende português: OBSERVADORES=INSPETORES. Linx e Cougar? nenhum deles, na marinha do Brasil, cumpririam a missão do Sea hawk anti-submarino em substituição aos velhos Sea King. Novamente, acho que você deve falar espanhol… o que quer dizer com reaparelhamento? Oficiais da FAB entusiastas de material russo, só os que tem a carteirinha do PT ou muito novos para ainda acreditar que EUA são os “garotos maus” do mundo.

  30. João

    Pedindo desde já desculpa por alguma má interpretação da minha parte, o texto em questão não me parece correcto. Segundo julgo entender, o EH-101 é fabricado pela AgustaWestland (Grupo Finmeccanica) e o EC-725 é fabricado pela Eurocopter (EADS), logo são duas propostas distintas provenientes de dois grupos que competem entre si. Estarei errado?

    Quanto ao facto do EH-101 ser melhor do que o EC-725, essa é uma questão para a qual não estou habilitado para responder. No entanto, julgo que existe um problema no rotor de cauda do EH-101 por resolver e que tem provocado alguns acidentes.

  31. João: Se te referes à sondagem (e penso que sim) ela não distingue fabricantes, mas modelos e pretende “sondar” apenas sobre aquele(s) aparelhos(s) que reunem mais consenso entre os leitores deste espaço. E quando ao EH101… Nem eu, não passo de um diletante, mas de tudo o que tenho lido por aí concluo que o EH101 é, na sua classe, provavelmente o melhor aparelho do mundo. Terá problemas de desenvolvimento (como o F-35…), mas é uma questão de maturidade e até agora não houve nenhum acidente sério com o rotor.

  32. gaitero

    A fab opera 11 cougar a marinha 7 o exercito 8, todos já dominam manutenção, além do que a helibrás que é uma das construtoras da eurocopter tem sede no Brasil, e que se aceitar a proposta de compra dos 50 cougar, receberá novas linhas de produção de helis, ou seja, para o Brasil existe muito mais vantagem em comprar da eurocopter do que da angusta.

    Todos sabemos que os cougar são exclusivamente de transporte, más e essa a idéia dos novos helis.

    Os seahawks foram comprados da mesma forma que os blackhawks, não fazem parte deste programa de compra, foi mais uma compra de oportunas, afinal estes 4 sea comprados eram destinados a outro país, o qual desistiu dos helis, e de oportunidade foram comprados pelo Brasil.
    ainda não esta discartada a compra de mais 2.

    Eu torço para que os de ataque sejam mangusta, mas acho que serão Russos, e virão com um pacote juntamente com mais 20 aviões.

  33. certamente que haverá economias se todos forem comprados num pacote único. e ter os Mi-35 como helis de ataque e os Mi17V como transporte poderia ser um bom negócio…
    especialmente no contexto do programa fx2…

  34. Fred

    Não esqueça a fabrica da eurocopter no brasil, fabrica não montadora como a helibras, uma senhora diferença

  35. sim, é verdade…
    uma grande diferença em termos de emprego e de know-how importado…

  36. Fred

    Ouvi esses dias que a Eurocopter está propondo a transferência completa da fábrica de cougars da França para o Brasil, completa, até a pia da cozinha.

    Isso liberaria a área na França para novos projetos.
    E o Brasil passaria a exportar essas aeronaves para os demais países.

    E possivelmente não seria com a Helibrás ou em sua área. A Helibrás tem uma composição acionária meio complicada inclusive o governo de Minas Gerais é sócio.

    Bem, novamente, voltamos a aguardar o famigerado pacote da defesa de 7 de setembro para resolvermos mais esse impasse.

  37. Fred

    Segundo fontes extra-oficiais, quem vai levar os heli de ataque é a …….. Russia! E deve ser oficializado ainda este mês!!!!

    Consequentemente, acho que o SU35 rodou!!!!

    O Brasil tem essa pendência da Balança comercial com a Russia para resolver, num chute (para o lado do gol) digo que esse é um cala boca na reclamação russa da balança liberando a compra de um vetor não russo para o FX2 (tomara que dê Gripen) 🙂

  38. sim, a questão da balança comercial…
    outro factor, será a quebra de prestígio internacional que a rússia está a pagar pela sua ação no cáucaso…

  39. cara o sesto helicopitero è demas

  40. Uma noticia de interessante ignorada pela mídia tradicional obrigado por manter quem fala português informado, bom trabalho Clavis.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: