Daily Archives: 2007/10/27

Quer comprar a sua força aérea?

Quer comprar um bombardeiro soviético Tupolev Tu-95 “Bear” (ver AQUI)?

Ou prefere antes um C-130A Hercules usado na força aérea do Sri Lanka (ver AQUI)?

Um Antonov An-2 (ver AQUI)?

ou ainda um…

Transporte Illyushin Il-76TD (ver AQUI )?

É simples, basta clicar nos AQUI e… formar a nossa própria força aérea… Aparentemente, aqui tudo, mas tudo mesmo está à venda…

Fontes: Alibaba

Anúncios
Categories: DefenseNewsPt | 7 comentários

A Sociedade Cónia

As localidades que os trabalhos arqueológicos nos permitiram conhecer são formadas por pequenos agrupamentos de habitações rectangulares, apresentando vários núcleos habitacionais contíguos. Em comum, para além da sua pequena dimensão, têm também o facto de não terem sido construídas em locais elevados, que seriam mais adequados a posições defensivas. Esta quebra de tradição com os povoados calcolíticos que os precederam na região, indicia uma época sem ameaças militares significativas e mas acabaria por se tornar na causa mais determinante para o rápido e fulminante sucesso dos invasores indo-europeus vindos do centro da Península Ibérica e que submeteriam estas populações pacíficas sem grandes dificuldades.

O sucesso dos invasores célticos resulta em primeiro lugar da falta de preparação militar dos cónios, habituadas a séculos de paz e à ausência de fortificações nas suas povoações, mas, sobretudo, ao carácter descentralizado da sua civilização, muito semelhante a uma federação de cidades como a da Etrúria e destituída de um centro político. Mas tudo seria diferente se estes invasores tivessem encontrado uma civilização no seu apogeu. Não foi efectivamente esse o caso. Temos testemunha disso mesmo nos túmulos. Se inicialmente chegavam a apresentar estruturas envolventes, com círculos de pedras ou muros em ser redor, na fase mais tardia esta monumentalidade decresce e a riqueza das oferendes funerárias diminui.

Categories: A Escrita Cónia, História | Deixe um comentário

A Fonética da Língua Cónia

É por demais evidente a imensa dificuldade de discernir a fonética de uma língua desaparecida e com uma escrita que surge como intraduzível. Não é contudo completamente impossível o exame das tendências fonéticas, exame que terá que ser limitado aos nomes de divindades conhecidos e às raras palavras que podem ser isolados por entre os densos – e desprovidos de separação de palavras – textos cónios.

Sequências de Consoantes

Observamos com alguma frequência a existência de cadeias de consoantes, algumas bastante longas, nas inscrições cónias. Uma interpretação precipitada poderia colocar em causa a valoração consonantal desses signos, mas existe um fenómeno conhecido em diversas escritas e que serve de fundamento ao alfabeto fenício[1] que é o da presunção, por parte do escriba, de que o leitor poderia compreender o significado da palavra, mesmo com a omissão das vogais. Esta omissão pode resultar de uma economia de espaço devida às limitações físicas da pedra epigrafada. Este mesmo mecanismo era também usado escrita hieroglífica egípcia e no cunciforme acadiano.

Um Silabário Simples?

Designam-se de “silabários simples” os sistema de escrita silábicos que apenas têm representações para vogais puras e para consoantes acompanhadas de vogais. Daqui resulta que os signos para as vogais só aparecem no meio de palavras se forem imediatamente precedidas por outra vogal, mas que todas as palavras que tenham uma vogal como primeiro som têm que começar com um signo dessa classe. Torna-se então patente a existência de um padrão que pode ser encontrado nas escritas deste sistema: as vogais simples aparecem raramente a meio das palavras, mas mais frequentemente no seu começo, uma vez que as palavras que tenham vogais no seu início têm que começar com signos vocálicos. A meio das palavras, a maior parte das vogais são antecedidas por consoantes, ou seja, pelo signo que reúne consoante com vogal. Através do mesmo processo, se encontrarmos aquilo que parece ser uma lista e se, no final de cada palavra, surgir sempre um mesmo carácter estaremos muito provavelmente perante a conjunção “e” ou de outra com idêntico valor.


[1] Que serviu de matriz ao Cónio, não o esqueçamos.

Categories: A Escrita Cónia, História | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade