Daily Archives: 2007/10/04

Sobre o afastamento de Gonçalo Amaral do caso Madeleine McCann


(http://news.bbc.co.uk)

O afastamento de Gonçalo Amaral do cargo de Cordenador do Departamento de Investigação Criminal de Portimão e do caso Madeleine McCann é um novo episódio desta já longa novela de submissão portuguesa à “pérfida Albion“. Logo nos primeiros momentos desta investigação, a presença insinuante mas opressiva do embaixador britânico no Algarve, junto dos investigadores e um sem número de telefonemas originários dos gabinetes ministeriais britânicos para os ministérios e para o gabinete do Primeiro Ministro procuraram afastar a investigação das primeiras suspeitas dos inspectores (que falavam então de um caso de “desaparecimento” e não de “rapto”) do casal McCann… Em consequência destas pressões governamentais, podem ter-se perdido provas periciais fundamentais para o apuramento da verdade nos primeiros dias e somente quando cães pisteiros ingleses e laboratórios britânicos começaram a revelar um conjunto de indícios sobre o comportamente suspeito do casal McCann é que a PJ pode novamente regressar à sua orientação original: a tese da morte acidental.

Agora, que é evidente a atitude colaborante da polícia britânica na condução do processo e esta é particularmente gritante após a fuga dos McCann para Inglaterra em busca de poiso mais tolerante e colaborativo o processo emperra e atola-se na incapacidade da nossa PJ para poder continuar a investigação sem a colaboração britânica, os responsáveis portugueses perdem a paciência, falam demais e… são demitidos.

As acusações do antigo coordenador são imensamente graves. Quando em declarações ao Diário de Notícias admitiu que a polícia britânica “tem vindo a investigar dicas e informações criadas e trabalhadas pelos McCann, esquecendo-se que o casal é suspeito da morte da sua filha Madeleine”. É verdade que as declarações de Gonçalo Amaral foram excessivas e nada diplomáticas, mas o seu trabalho não é o de ser diplomático e sim ser investigador e coordenador de investigadores. Para além do desabafo, o que é efectivamente importante e devia ser determinado é se esta atitude de boicote da investigação existe ou não, e aqui, não existe nenhuma tentativa de apuramento da verdade quanto a estas pressões e quanto a esta atitude colaborativa, e isto é que é realmente grave!

E não nos esqueçamos de que Kate e Gerry McCann são suspeitos de homicídio involuntário e de ocultação de cadáver.

Fonte: Público

O que acha que aconteceu a Madeleine McCann?

1) Foi raptada por uma rede de pedofilia
2) Foi raptada por uma rede de adopção ilegal
3) Foi morta acidentalmente por um dos pais
4) Foi morta intencionalmente por um dos pais
5) Fugiu sozinha e sofreu um acidente

View Results

Categories: Madeleine McCann, Portugal, Sociedade, Sociedade Portuguesa | 9 comentários

QuidSZ S3-10: Onde foi tirada esta fotografia?

asass.jpg

Dificuldade: 3

Categories: QuidSZ S3 | 8 comentários

Sputnik: a queda de alguns mitos…

(Documentário americano sobre o lançamento do Sputnik que mostra bem o quando desconheciam da tecnologia espacial russa…)

Documentos vindos a público recentemente revelaram que o lançamento do primeiro satélite, o Sputnik soviético pode ter tido menos a ver com planeamento e com um “sucesso soviético” e mais com… uma iniciativa individual… E ainda mais espantoso… O Sputnik de facto não era aquele globo com quatro antenas mas… o segundo andar do foguete de lançamento… Pelo menos segundo Boris Chertok, um dos fundadores do programa espacial soviético.


(O Sputnik, com o seu foguete lançador R-7 in http://www.zarya.info)

Chertok (hoje com 95 anos) reconheceu que o primeiro satélite artificial foi o produto directo do desenvolvimento de um foguetão capaz de atingir os EUA com uma bomba de hidrogénio e não de um projecto meramente civil, como a propaganda soviética sempre fez querer passar… Quando o foguetão balístico para lançar a bomba sobre os EUA foi concebido, os cientistas desconheciam o peso da bomba que teriam que transportar e criaram o R-7 com potencia a mais, tornando-o assim ideal para lançar um satélite. Contudo, os militares fizeram tudo para bloquear a utilização do R-7 como lançador de satélites e apenas porque os EUA tinham planos para lançar o seu “Vanguard” em 1958.

O satélite devia ter transportado vários equipamentos científicos, mas Korolyov resistiu a todas as pressões e o satélite com nome oficial PS-1 “Prosteishiy Sputnik” (“Satélite Simples”) mereceria bem o seu nome… Com efeito, o Sputnik acabaria por ser apenas uma esfera de alumínio com dois emissores de rádio e quatro antenas, nada mais. Mas esta simplicidade permitiria a construção do satélite em apenas 3 meses e assim, bater o lançamento do Vanguard americano…

Outra revelação é de que aquele objecto que foi seguido por telescópios por todo o mundo não era de facto o… Sputnik, mas o segundo andar do foguetão de lançamento, quer percorria exactamente a mesma órbita do satélite, já que o pequeno satélite não podia ser visto pela maioria dos telescópios.

Fonte: Space.com

Categories: História, SpaceNewsPt | 3 comentários

Listas de Frequência

O segundo passo será o de elaborar listas de frequência dos signos indicando a sua frequência total, como fizemos no Anexo 1 e a sua ocorrência posicional, isto é, quantas vezes surgem no início, meio e fim das palavras. Deparasse-nos aqui de imediato uma pesada dificuldade, ausente na maioria das antigas escritas: ausência de separação entre as palavras. Isto é: se não sabemos onde começa e termina uma palavra como podemos classificar os signos por iniciais, médios e finais? Só a partir do momento em que conheçamos a valoração para uma maioria de signos e palavras, o que nos coloca em circuito fechado: não conhecemos mais palavras porque não podemos identificar os signos, não conhecemos todos os signos porque não conseguimos identificar mais palavras.

Categories: A Escrita Cónia | Deixe um comentário

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade