Silva Lopes: “os reduzidos spreads que estamos a aplicar nos empréstimos e que temos na obtenção de financiamento vão acabar”


(Fila de pessoas à porta de um balcão do banco Northern Rock in http://www.telegraph.co.uk)

“…nem as intervenções do BCE, com uma injecção de liquidez no mercado superior a 200 mil milhões de euros, impediram que este indicador (a Euribor a 6 meses) subissse ontem para os 4,613%, o valor mais alto desde Maio de 2001.”
Para o BCE, existe ainda a possibilidade de baixar as taxas de referência. mas, por enquanto, o máximo que se pode esperar (e sem confirmação) é que a subida prevista para Setembro possa ser adiada. Uma opção que o BCE receia, devido ao risco de poder vir a alimentar pressões inflacionistas e novos excessos no futuro.”
(…)
“Ontem em entrevista ao Diário Económico, Silva Lopes, economista e presidente do Montepio Geral, afirmava que “os reduzidos spreads que estamos a aplicar nos empréstimos e que temos na obtenção de financiamento vão acabar”.
(…)
“A banca portuguesa não está, à partida, muito exposta ao crédito imobiliário de alto risco norte-americano e os níveis de malparado são considerados baixos. Todavia, dado o nível de endividamento das famílias, a recente subida das taxas de juro a estagnação dos salários nos últimos cinco anos, as campaínhas do risco de crédito começam a soar.”

Sérgio Aníbal
Público, 17 de Agosto de 2007

Se as taxas de juro praticadas pela banca portuguesa estão a subir é porque esta está a depender excessivamente da requisição de empréstimos interbancários para sustentar a concessão de novos empréstimos… O quase-colapso e a corrida aos balcões recentemente verificada no Reino Unido naquele que era o 5º maior banco de retalho britânico, o Northern Rock (vale a pena dar um salto até este link…) e que resultou também de uma excessiva dependência dessa forma de obtenção de capitais (e de uma exposição excessiva aos subprimes americanos) indicou que a chamada “Economia Real” está a ser finalmente infectada por esta turbulência dos Mercados de Capitais… E esta ameaça de redução dos Spreads – feita por aquele que é hoje um dos mais prestigiados economistas portugueses – certamente que será concretizada… Sendo este aumento de margem usado para compensar o maior risco e o aumento das próprias taxas têm que pagar neste empréstimos entre bancos, crescentes em virtude do aumento do risco.

Na verdade, o que está efectivamente mal é uma Economia que depende excessivamente do Consumo, e sobretudo, do Consumo sob Empréstimo bancário, sendo aqui especialmente perigosos os empréstimos para “Consumo”, como para a aquisição de equipamentos domésticos electrónicos, viagens, automóveis, computadores, etc. É aqui – e reforçados agora com estes “empréstimos para estudantes” que criticámos já noutro lado – que assistimos ao crescimento dos níveis de endividamento dos portugueses até patamares perigosos, não somente para si, mas para a própria Banca e para todo o tecido económico… É que a dita “Crise dos Subprime” é precisamente a crise daqueles milhões de americanos que por razões várias se vêm impedidos de continuar a pagar os seus empréstimos e estas subidas das taxas de juro, dos níveis de endividamento, assim como a contenção salarial dos últimos tempos verificados em Portugal se arriscam a replicar…

Anúncios
Categories: Economia, Portugal | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: