Daily Archives: 2007/08/28

O Governo Chinês aperta o cerco aos críticos internos e aumenta a censura nos Media… E o princípio do fim de um Regime?


(Congresso do PCC de 2002)

(http://www.rte.ie)

O governo chinês deu ordens aos órgãos de comunicação do seu país para “reportarem apenas notícas positivas” e deu ordem de prisão a um dissidente na preparação do 17º Congresso do Partido Comunista Chinês. Assim prossegue a política de reforço de controlo na Censura dos Media, de detenção de activistas anti-SIDA e do encerramento de várias ONGs à medida que o Politburo prepara uma nova fornada de líderes comunistas. O dissidente detido era Chen Shuqing, membro do banido “Partido Democrático Chinês” e foi condenado por “incitar a população a derrubar o Governo”.

Eis os métodos que o Governo ditatorial chinês utiliza para perpetuar a sua Oligarquia no Poder e resistir a qualquer ímpeto democratizar que possa tentar afirmar-se no Império do Meio… A Imprensa e a Televisão são ferozmente controladas, assim como a Internet onde os casos de Censura com a colaboração activa de multinacionais como a Google e a Yahoo tem sido particularmente flagrante nos últimos tempos… Durante quanto mais tempo este regime monolítico e autoritário vai conseguir sobreviver? Provavelmente enquanto conseguir manter índices de crescimento superiores aos 10% anuais… Mas este ritmo não pode continuar durante muito mais tempo… O êxodo rural que durante 25 anos alimentou as cidades de mão-de-obra barata está a estancar; as reinvividações de direitos e melhores salários começam a tornar-se frequentes na China… A própria Censura – especialmente na Internet – apresenta cada vez brechas maiores e mais numerosas… E sabe-se hoje que muitas fábricas chinesas estão perigosamente perto do “lucro zero”, na sua ânsia de continuarem a Exportar e a vender os seus produtos… Tudo isto mais o colapso do Mercado Subprime nos EUA (o maior consumidor mundial de produtos chineses), podem indicar que este período de crescimento que fez subir o rendimento médio dos chineses a 10% ao ano se aproxima do seu ocaso… Isto embora sem o equivalente melhoria nas liberdades cívicas, nos direitos laborais e humanos…

Depois é que veremos como é que o Partido Comunista Chinês se aguenta no Poder…

Fonte: The Guardian

Anúncios
Categories: China, Economia, Política Internacional, Sociedade, Websites | Deixe um comentário

QuidSZ S2-12: Como se chama esta porta?

aaasn.jpg

Dificuldade: 5

Categories: QuidSZ S2 | 5 comentários

Algumas ideias criativas para… Encontrar emprego!

Encontrei no podcast “Secrets of the Job Hunt” de Greg Farley uma emissão designada “23 Creative Ideas to find Job” realizada a partir de um artigo do blog de Chris Russell. Dado que o Desemprego em Portugal é aquilo que sabemos, ascendendo já a 8,1% de toda a população activa, um valor muito mais alto que a média europeia de 7%… pareceu-me importante apresentar aqui a lista, à qual irei também somar mais algumas entradas.

Eis a dita, sendo os comentários da minha própria lavra:

1. Cartões de Visita:
Mesmo quando está sem trabalho deve ter sempre um cartão de visita, em papel e no formato habitual que possa entregar em qualquer circunstância que seja oportuna… É que esta pode surgir a qualquer momento, em qualquer lugar e deve carregar consigo – sempre – estes cartões… Pode mandar fazê-los numa gráfica ou imprimi-los você mesmo, como preferir, mas coloque aqui todos os seus contactos pessoais, desde o telefone ao e-mail e ao… Blog (ver ponto 2) e inclua aqui uma pequena frase, ou lema, sobre si mesmo, que transmita ao potencial empregador uma ideia positiva sobre si mesmo… Aliás, esta mesma frase deve acompanhar cada mensagem de e-mail que enviar dentro deste contexto.

2. Criar um Blog de “Procura de Emprego”:
Pondere a criação de um Blog especial dedicado exclusivamente à sua campanha de “Procura de Emprego”. Não colocar aqui um Currículo, mas responder aqui às três perguntas:
a. Quem sou
b. O que me motiva
c. Porque deveria contratá-lo?

AQUI podemos ver um exemplo concreto da aplicação deste modelo…

3. Apareça!
Não perca nenhum evento social ou de negócios para onde seja convidado… Conferências, seminários, apresentações, etc. Vá a tudo. E uma vez aqui converse, entabule conversas, troque experiências, enfim, faça-se visto e troque contactos com todos os que puder!

4. Jornais
Leia os jornais, tendo especialmente cuidado com as secções locais, procurando notícias sobre desenvolvimentos de negócios na sua região ou cidade, expansão da actividade de negócios existentes com possíveis novos recrutamentos. Adicionalmente pode conhecer também melhor alguma empresa a que vai responder mais tarde, dando-lhe uma vantagem competitiva quando fôr entrevistado.

5. Publique Anúncios na Imprensa
Coloque um pequeno anúncio nos jornais da sua região de interesse com uma descrição sumária da sua área profissional… É pouco provável que seja recrutado desta forma, mas sempre é mais uma maneira que pode seduzir um empregador pela sua originalidade e espírito de iniciativa.

6. Testando e Ensaindo Entrevistas
Contacte com os seus amigos e procure que estes simulem consigo uma entrevista de emprego. Procure que estes sejam realistas e assumam a mesma posição de um potencial empregador na área que lhe interessa. Antecipe as perguntas e escreva as potenciais respostas de forma a ir bem preparado para responder às perguntas que certamente irão acabar por aparecer.

7. Marque uma Entrevista
Telefone e contacte a empresa, pedindo a marcação de uma entrevista para melhor conhecer a empresa e a sua área de actividade. A entrevista – se a conseguir, o que é pouco provável – poderá dar-lhe uma alavanca para dentro da empresa ao contactar um insider e dar-lhe-á também a oportunidade de recolher dados sobre a empresa e a sua actividade. Aproveite para recolher brochuras, revistas, etc, enfim, tudo o que a empresa dispõe para oferecer aos seus clientes e que é de distribuição pública.

8. Ofereça ideias!
Tenha ideias criativas sobre como pode ajudar uma empresa e oferece-as à dita. Marque uma reunião e faça aqui uma apresentação profissional e cuidadosamente ensaiada. Se está desempregado tem tempo para ser criativo… Consulte o site corporativo da empresa, recolha aqui informação sobre a mesma e com esta informação e outra recolhida na imprensa (ver pontos anteriores) seja criativo e identifique novas soluções e proponha-as – de graça – à empresa.

9. Pague para ser ouvido
Seja agressivo e… Contacte a empresa-alvo e ofereça dinheiro para ser ouvido! Ofereça 100 euros por 10 minutos de uma entrevista com o recrutador. O problema desta abordagem é que temos que chegar à pessoa certa, e essa identificação nem sempre é fácil. Precisamos de ter também algo concreto para oferecer (ver ponto 8). Quanto ao dinheiro… Não se preocupe, geralmente acabam por esquecer ou perdoar os 100 euros e conceder mais do que dez minutos…

10. Acredite em si próprio
Acredite em si próprio… Se não acreditar nas suas próprias capacidades de encontrar trabalho, nas suas competencias e se não fôr capaz de o mostrar a um potencial empregador, ninguém acreditará…

11. Dez contactos por dia, no mínimo!
Faça 10 contactos de procura de trabalho por dia… Contacte quem quer que o possa ajudar, amigos, familiares, antigos colegas, empresas, etc. Estabeleça como patamar mínimo de contactos o número 10. Procure todos aqueles que o podem contratar ou ajudá-lo a ser contratado.

12. Vá lá pessoalmente e sem marcação
Apareça pessoalmente no escritório da empresa visada e pergunte na recepção se há alguém disponível com quem possa falar. Diga que tem uma ideia que quer oferecer (ver ponto 8). Se não o receberem, recolha toda a informação possível… Brochuras, revistas, tudo o que lhe puder dar informações sobre a empresa… Procure deixar um cartão de visita (ponto 1) para ser entregue à área de recrutamento. Este método parece ser particularmente eficaz em empresas em que existe um contacto directo com o público, seja como vendedor ou em cafés, restaurantes ou em lojas comerciais, mas pode também ser usado em empresas de escritório, mas apenas para funções muito específicas de frontoffice.

13. Investigue
Investigue e compile tudo o que puder sobre a empresa-alvo. Recolha dados na Internet, no site da empresa e em jornais e revistas. Procure informação de tipo financeira e sobre os proprietários da empresa…. Use o http://www.google.com. Fotocopie, recorte e anote tudo com comentários seus. E arrume os danos recolhidos em dossiers com ordenação alfabética.

14. Escreva uma carta à mão
Escreva à mão uma “carta de motivação” e envie-e como um prefácio ao seu Currículo. As cartas manuscritas são provávelmente dos meios de recrutamento mais poderosos simplesmente porque já quase ninguém… escreve cartas! Na carta resuma de forma muito sucinta, sempre em menos do que 10 linhas, o seu currículo, a motivação que o leva a responder ao anúncio ou a propôr o seu anúncio e deixe o seu contacto de e-mail e a morada logo no cabeçalho da carta.

15. Treine-se!
Obtenha treinamento na área que lhe interessa… Se as empresas onde pensa apresentar o seu CV são multinacionais, frequente cursos de línguas… Sobretudo se forem línguas menos conhecidas em Portugal, como o italiano ou o espanhol. Se é informático, procure uma certificação MCSE ou ITIL, frequentemente mais procuradas que uma licenciatura e Engenharia Informática, e possíveis de obter em poucos meses.

16. Actualize a sua literatura de negócios
Leia toda a literatura essencial e mais actual para o ramo profissional em que procura emprego. Esteja a par do que se passa do meio, municiando-se de argumentos para a entrevista de recrutamento. Conheça a terminologia e o jargão de negócios que mais estiver na moda… Enfim, compre e leia revistas de negócios, tipo “Exame”.

17. Monte o seu Negócio!
Começe um negócio próprio! Seja audaz, determine quais são as suas melhores perícias, reúna as suas ideias e… arranque com a sua própria empresa! Usufrua dos programas do IEFP que o ajudam e lhe dão consultoria nessa abordagem, tendo sempre em mente que em 5 anos, apenas 1/3 dos negócios se mantêm de pé… Concentre-se nas suas características, pense como as pode comercializar ou usar para comercializar um dado produto e… vá para o Mercado!

18. Anuncie
Anuncie em sites de Busca de Trabalho como o Net-empregos.com ou em jornais e revistas da sua área profissional. Publicite a sua disponibilidade e as suas características sumárias.

19. Venda!
Veja o que tem em casa e não usa ou já não precisa… Procure um fornecedor que lhe possa vender um conjunto de artigos a um preço de desconto e… Registe-se no miau.pt ou no ebay.pt e venda o que tem! Pode não conseguir viver do negócio ou ficar rico, mas pelo menos manterá algum dinheiro a entrar se não fôr demasiado ganancioso e se mantiver um bom e credível perfil como vendedor online. Pode também tentar vender Herbalife ou Amway, mas isto implicará “chatear” a sua rede de contactos pessoais e implica também um perfil de vendedor que nem todos têm…

20. Seja um fabricante!
Faça uma coisa a partir de outra, construa, molde, pinte, monte algo. Pinte pratos, pinte palhaços de cerâmica, faça conjuntos de flores secas, bolos, rissóis ou sandes e comercialize-as nos cafés, lojas e restaurantes das redondezas. Michael Dell, o fundador da Dell começou por montar PCs para os seus colegas da faculdade e acabou CEO de uma das maiores empresas de informática do mundo…

21. Registe a sua Campanha
Mantenha um registo cuidado e detalhado de toda a sua campanha… Use o docs.google.com para manter uma folha de cálculo sempre online, onde quer que esteja e mantenha-a sempre actualizada com cada passo e contacto da sua campanha. Assim, pode verificar e analisar onde está a falhar e onde pode aperfeiçoar o rumo da sua campanha de procura de emprego. Como disse Lord Kelvin: “Aquilo que não é medido, não é melhorado.” Se estabeleceu 8 contactos por dia durante a última semana e ainda não arranjou trabalho, então aumente para 10, por exemplo.

22. Seja criativo!
Seja criativo e anexe a esta lista as suas próprias ideias… Escreva-as aqui – em comentário – e publicite-as aqui para ajudar outros empenhados na mesma árdua caminhada…

Nota Final:

Repare como se pode conduzir esta Operação de “Procura Activa de Emprego” como se se tratasse de um… Emprego!

Categories: Job Searching | 8 comentários

As comunidades “naturais”, o “regresso à Natureza” e a crítica agostiniana


(http://www.ifch.unicamp.br)

Agostinho da Silva, na sua fase de vida “brasileira” refere a descoberta de várias pequenas comunidades índias durante o século XIX e XX que viveriam ainda em plena “Idade de Ouro”, com uma economia recolectora perfeitamente integrada no meio natural, sem desigualdades sexuais ou económicas, sem a propriedade individual nem punições infantis. Nestas sociedades, Agostinho reconhece a inexistência de estruturas administrativas, nem de religiões organizadas. Nestas sociedades, os Homens seriam mais felizes, realizados e viveriam numa maior harmonia com a Natureza do que nas ditas “avançadas” sociedades ocidentais.

A partir de um dado momento na sua História, o Homem caiu deste “paraíso terreal” de equilíbrio psicológico e harmonia para um estado desarmónico com a Natureza e consigo próprio que deu origem às psicoses e neurores que hoje infectam as mentalides colectivas (Estados e Nações) e individuais. Para Agostinho o factor que potenciou essa “Queda” foi a Fome. A necessidade do estabelecimento da agricultura no neolítico, mais as decorrentes e necessárias formas de organização política e social que daqui decorreram, assim como uma crescentes especialização do Trabalho levou o Homem a constituir estruturas urbanas cada vez mais desumanas e mais produtivas. Destes aglomerados urbanos nasceu o Estado e com ele a Guerra. Desta centralização da vida humana nasceram os problemas que hoje contagiam todas as sociedades humanas e o crescente, criminoso e suicidário afastamento da Natureza que descambou no actual fenómeno do Aquecimento Global que ameaça destruir toda a vida no globo.

A Natureza é transformada em meio produtivo e a escravização da fauna e da flora produzem um número crescente de disfunções, de problemas sanitários de que a Scrappie, a Gripe das Aves e a crise das “Vacas Loucas” são apenas exemplos… A pedagogia do sistema organiza-se para formar legiões de operários e cidadãos dóceis e obedientes que perpetuem o estado acéfalo e repetitivo das coisas… Grandes estruturas organizativas são gisadas pelos vários autoritarismos, comunista e nazi e emulados nas ditas democracias ocidentais servindo o interesse de grupos económicos e financeiros cada vez maiores, mais poderosos e ricos e exercendo um poder cada vez mais omnipotente e subterrâneo…

Contra esta involução ergue Agostinho a bandeira de uma renovada sociedade humana, mas humana e menos mecanizada, mais espiritual do que as materializadas e obcecadas com o ciclo Produção-Consumo e incentivando a Espontaneidade e a Criatividade que caracterizam as crianças e permitindo a manutenção e o florescimento destas características no adulto. Agostinho assume assim a sua crítica a todas as formas de Trabalho, Disciplina e de ciência e esforço organizados.

Mas esta nova forma de sociedade não pode ser imposta exteriormente e de forma forçada nas sociedades modernas sem que ocorra uma crise generalizada… A transformação deve partir do interior – como sublinhava Agostinho – e deve estabelecer-se primeiro no indivíduo e em grupos de indivíduos que se consigam coligar e estabelecer comunidades livres e autonómas seguindo estes princípios… Os Estados não se devem transformar a partir do exterior, por via eleitoral ou ditatorial, mas a partir do seu interior, de dentro de cada cidadão, de cada pequena comunidade local, de cada cidade rural ou do interior e só depois crescer e desenvolver as suas potencialidades e – pelo exemplo – seduzir os renitentes e desconfiados.

Categories: Movimento Internacional Lusófono | 2 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade