Sobre a condenação de cinco estudantes a penas de prisão de 3 anos por terem recolhido informação sobre fabricação de bombas e terrorismo


(http://www.tucsoncitizen.com)

Um tribunal britânico condenou cinco estudantes a penas de prisão de 3 anos por terem recolhido informação sobre fabricação de bombas e terrorismo. Depois de ter recebido uma denúncia de um dos pais de um dos jovens muçulmanos, a polícia fez uma rusga e encontrou num computador pertencente a um dos jovens um manual do Exército dos EUA com instruções sobre como fabricar bombas artesanais e um manual para bombistas suicidas, ambos carregados da Internet. O caso foi reforçado pelo registo de conversações trocadas na Internet onde se encorajavam actos terroristas e acções de “martírio”. Os jovens negaram as acusações declarando que estavam apenas a investigar temas em torno do Islão.

Uma responsável da polícia britânica declarou que “não se trata de um caso de fantasias adolescentes ou de jovens exibindo-se para impressionar os seus amigos. Os estudantes coleccionaram uma grande quantidade de informação extremista nos seus computadores, informação para se encorajarem a si próprios e a outros para tomarem o caminho do martírio e da violência contra pessoas inocentes.”

Este caso ilustra bem os dilemas morais que enfrentam as sociedades actuais e a facilidade com que a imposição das leis aprovadas após os ataques terroristas pode fazer perigar a delicada fronteira entre Segurança Pública e Liberdade de Expressão… Neste caso, houve uma condenação efectiva por que os condenados tinham material que “poderia” ser usado na fabricação de bombas. Mas este material não está também disponível em qualquer faculdade de Ciências do mundo? E não existem milhões de sites na Internet com as mesmas informações? Então foram as mensagens de apoio a operações de “martírio” que levaram à cadeia? E basta exprimir uma opinião para levar a uma pena de prisão efectiva? É claro que cruzando estes dois factos: O apoio expresso e o conhecimento estão reunidas duas pré-condições para que surja um bombista… Mas este não chegou ainda a surgir e houve uma condenação a cinco jovens com base na sua opinião sobre a Ocupação no Iraque e quanto à posse de manuais… É certo que é melhor prevenir do que remediar, mas não sem colocar em risco as nossas Liberdades individuais. Intenção não é Acção, e se os fanáticos islâmicos conseguiram tornar uma das sociedades mais democráticas do Ocidente numa Sociedade onde a Lei legitima a detenção de alguém por causa da sua Opinião então já venceram a Guerra ao Terrorismo.

Fonte: CBS

Anúncios
Categories: DefenseNewsPt, Política Internacional, Sociedade | 3 comentários

Navegação de artigos

3 thoughts on “Sobre a condenação de cinco estudantes a penas de prisão de 3 anos por terem recolhido informação sobre fabricação de bombas e terrorismo

  1. Estranho mundo em que vivemos…Concordo contigo. É isso mesmo. São ténues a fronteiras entre uam e outra e conturbados os objectivos e os fins a atingir.
    Abraço

  2. Tb: Sim… a fronteira aqui entre o Certo e o Errado é ténue… Estes jovens poderiam fácilmente “dar o salto” e cometer um atentado que vitimasse centenas de inocentes. Por isso acho que a Polícia deveria segui-los e monitorizá-los, sabendo o que sabia… Mas se houvesse um atentato e ela não o conseguisse impedir? Não seria assim co-responsável?
    Por outro lado, eles foram presos porque pensaram e exprimiram publicamente o seu pensamento, e esta prisão nestas condições repugna-me… E penso que este aspecto prevalece sobre o primeiro… Quem foi que num dado momento exprimiu algo que sabia que nunca chegaria a fazer? Todos nós?

  3. Estamos a tornar as nossas sociedades esquisofrénicas… mas eu também acho que esses estudantes andavam a preparar alguma!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: