“A boa saúde do sistema político norte-americano consiste em ter tornado realidade aquilo a que Karl Popper defendia ser o ideal de uma democracia: uma institucionalidade que impedisse que os governos pudessem fazer muito mal.”


(http://www.edugraphics.net)

“A boa saúde do sistema político norte-americano consiste em ter tornado realidade aquilo a que Karl Popper defendia ser o ideal de uma democracia: uma institucionalidade que impedisse que os governos pudessem fazer muito mal. Os Estados Unidos tiveram alguns maus presidentes, cujos erros deixaram sequelas dramáticas nos campos sociais, económicos e morais. Mas esta consequências podiam ter sido infinitamente piores sem o sistema de contrapesos, e sobretudo, sem a descentralização do poder, das suas instituições não poderia ter servido de travão e correcção para esses erros.”

Fonte:Mario Vargas Llosa; El Pais; 15 de Julho de 2007

É por esta razão, por esta essência descentralizada viva ainda na democracia dos EUA que presidentes imbecis como George Bush, pouco mais do que indivíduos com um grande carisma pessoal e totalmente manietados pelos grandes lobbies industriais e financeiros não conseguiram até hoje abalar a estrutura dos EUA. É certo que nunca como hoje estiveram tão ameaçadas as liberdades cívicas americanas, já que existem hoje leis e uma conduta do Estado que interfere, invade e coloca como nunca em questão as liberdades cívicas dos cidadãos dos EUA (um plano que estava já em marcha antes do 11 de Setembro, e ao qual este veio apenas dar justificação externa). As reduções de Liberdades, Direitos e da expressão cívica têm como maior objectivo transformar os EUA numa democracia descentralizada (nos Estados federados e, mais abaixo, nos seus municípios) numa plutocracia dominada pelas grandes multinacionais que elegem, entre si, os presidentes e que transferem os centros de Poder dos órgãos eleitos para os seus Conselhos de Administração.

Contra este movimento centralizador e autoritário do “Governo das Multinacionais”, avançando sob o pretexto da “Guerra ao Terrorismo” debatem-se os “liberais” norte-americanos (conceito distinto do europeu) e sobretudo, as muito dinâmicas e activas forças autonómicas locais… Com efeito, em mais nenhum lugar do mundo, os poderes dos Estados federados são mais extensos e amplos (compare-se p.ex. com a Federação brasileira ou com a Federação russa), e em poucos outros lugares temos municípios com tão ampla autonomia e capacidade de auto-gestão… Embora tenham dos maiores estados federais do mundo, nem por isso os EUA são das federações mais centralizadas, bem pelo contrário…

E deste sistema de governo norte-americano muitos ensinamentos poderíamos tirar… A descentralização é um dos seus maiores ensinamentos e a capacidade que demonstra para absorver líderes imbecis e marionetas de grandes interesses assemelha-se à capacidade que o império romano tinha para absorver líderes de igual qualidade… Sendo que no caso romano, esta capacidade assentava numa máquina administrativa e legal sólida, e que no caso americano, a solidez e flexibilidade do sistema assenta na descentralização estrutural e na partilha de poderes… Isto apesar de todos os ímpetos centralistas e autoritários (limitações da liberdade de expressão e escutas aos cidadãos) executados pela actual administração Bush.

Anúncios
Categories: Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Sociedade | 12 comentários

Navegação de artigos

12 thoughts on ““A boa saúde do sistema político norte-americano consiste em ter tornado realidade aquilo a que Karl Popper defendia ser o ideal de uma democracia: uma institucionalidade que impedisse que os governos pudessem fazer muito mal.”

  1. Golani

    É certo que nunca como hoje estiveram tão ameaçadas as liberdades cívicas americanas, já que existem hoje leis e uma conduta do Estado que interfere, invade e coloca como nunca em questão as liberdades cívicas dos cidadãos dos EUA

    recordar que aqui na Europa, as coisas não são assim tão distintas

    os “liberais” norte-americanos (conceito distinto do europeu)

    os “liberais americanos” é a Esquerda

    penso que não é onde queres chegar

    existe um candidato libertário/liberal clássico nestas eleições Presidenciais 2008:

    Ron Paul ( Partido Republicano)

  2. Tem tantas hipóteses de ser eleito como as de uma batata ganhar asas e voar… Isto é: Zero…
    E é verdade, tb pela Europa as liberdades cívicas estão a ser pressionadas devido à Guerra ao Terrorismo. O fenómeno é universal e representa em última instância uma vitória por parte dos extremistas islâmicos já que implica um recuo do Estado de Direito a caminho de um Autoritarismo velado muito ao estilo dos “Estados Islâmicos” sonhados pelos radicais…
    Não, era mesmo a “Esquerda” dos EUA a que me queria referir. São eles que mais acérrimamente têm combatido o Patriot Act e os sucessivos escândalos com Escutas…

  3. Golani

    Não, era mesmo a “Esquerda” dos EUA a que me queria referir. São eles que mais acérrimamente têm combatido o Patriot Act e os sucessivos escândalos com Escutas…

    isso é luta politico-partidária

    os que “combatem” por principio são os liberais clássicos, os libertários…os apoiantes do Ron Paul

    (em certa medida os “verdadeiros republicanos” tb deveriam estar nesta luta )

  4. Golani

    de todos os candidatos as Presidenciais 2008, o Ron Paul é indubitavelmente o que mais se identifica com as ideias do post

  5. Deviam, sim, se fossem efectivamente fiéis aos seus principios e se não tivessem deixado enredar tanto nos apoios dos Lobbies e na defesa das grandes corporações, como têm…

  6. Golani

    prefiro os “lobbies” americanos aos europeus

    estão identificados e transparentes

  7. Esse é o argumento dos seus defensores nos EUA.
    Mas não deixa de ser imoral ver os gabinetes do Lobistas mesmo ao lado dos gabinetes dos congressistas, de ver estes a rondar os outros, de saber que há pressões a favor de interesses particulares, e cedências aos mesmos…
    Penso que é um erro, será mais transparente, mas não deixa de ser uma forma de defesa de interesses particulares contra interesses públicos e a transparência não retira ao sistema essa sua mácula.

  8. Golani

    não existem sistemas perfeitos

    toda a gente tem interesses, tudo assenta num jogo de interesses até se atingir um consenso

    o sistema “americano” garante um enquadramento legal que permite identificar os lobbies (suas motivações, seus objectivos, seus financiamentos, suas acções..)

    é um sistema muito mais transparente que o nosso….aqui passa-se o mesmo, mas sem escrutínio público e controle….é pior

    no seio da União Europeia, Portugal tem falhado em criar lobbies que defendam o interesse nacional (interesse público ?) em Bruxelas, ao contrário dos Espanhóis por ex …. continuamos a ter uma visão romântica da realidade

  9. Admito que seja vantajoso identificar claramente quem defende o quê, e quem está efectivametne por detrás de certas políticas.
    Mas o Legislador deve (por imposição Moral e Legal) estar alheio a estas pressões, devendo considerar apenas o Bem Público (a “República” como diziam os romanos) e não os interesses privados ou particulares.
    Formalizar na forma de Lobby a representação destes interesses não anula a pressão que estes exercem sobre o Legislador, pelo contrário ao formalizá-la dá-lhe uma força que não têm na Europa (instituicionalizando-a) e que não deviam ter, a preço da produção de “más leis”, particulares, conjunturais e tendenciosas…

    Prefiro o “sistema europeu”, sem Lobbies institucionalizados, fazê-lo corresponde a legalizar pelo menos um aspecto dos fenómenos de Pressão que tantas vezes (nos EUA e no resto do mundo) descambam em… Corrupção.

  10. pmsap

    É engraçado como as pessoas têm relutância em chamar “imbecil” a tantos presidentes execráveis e ditadores… No entanto, toda a gente parece que tem o direito de cuspir no presidente dos Estados Unidos. Não me venham com tretas, sempre muita gente chamou aos Presidentes dos Estados Unidos imbecis, desde Lyncon… Sempre insinuam que é só o do momento, mas isso se repete de cada vez…
    Só para lembrar. Bush, da última vez, depois de bem conhecido pelos eleitores, teve a maior votação da história dos Estados Unidos em valores absolutos. Será que tantos americanos são imbecis?
    Só para refletir…

  11. A grande votação dos EUA a favor de Bush foi recolhida nos meios rurais onde o absentencionismo é tradicionalmente mais baixo do que nos meios urbanos e no litoral, onde se concentram o grosso da população dos EUA. Este, urbana e “liberal” (no sentido americano do termo) votou maioritariamente Kerry. E Bush foi eleito nesta base rural por causa das suas ligações aos ultracristãos particularmente influentes nestas regiões, mas mesmo assim, teve uma vitória mais ou menos tangencial, não absoluta…
    A maioria dos americanos não são imbecis. A maioria dos que votarem parece que se portaram como se fossem, o que é diferente… E Bush tem características de um grande carisma pessoal e de simpatia que explicam boa parte do seu sucesso junto do eleitorado, mas repito que é sem dúvida o presidente americano mais ignorante de que há memória e um dos mais manipuláveis pelos interesses escuros que hoje governam a Casa Branca… E logo é um presidente “imbecil” na boa tradição do Império Romano.

  12. João

    Mario Vargas Llosa já a muito tempo que está completamente senil.

    Os lobbis são um poder antidemocrático (um homem um voto) e como tal iligitimo, a corrução não é melhor por ser mais transparente.
    A institucionalização dos lobbis na america afastou o cidadão da politica para alêm de afastar o cidadão do poder.

    A America não é uma sociadade aberta. Karl Popper era um Utópico.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: