Rejeitar o “O que Quero” e aderir ao princípio “O que Preciso”


(http://www.mtholyoke.edu)

Devemos mudar o paradigma das nossas vidas enquanto consumidores do “O que Queremos” para “O que Precisamos”. E rejeitar este furor consumista que os Media as Corporações nos pretendem incutir e ensinar as virtudes da redução de Consumo, na qualidade de vida, na redução do Desejo e das lutas psicológicas que daí advêm, às nossas crianças… A manutenção do Ambiente, a instauração de níveis de industrialização razoáveis e a própria limitação e não-renovação das riquezas naturais devia fazer assentar o primado das Economias sobre os crescimentos moderados ou estáticos (nos países mais desenvolvidos) e favorecer melhores padrões de vida, de pensamento e de Cultura mais saudáveis para o Homem e para o meio natural.

Anúncios
Categories: CodeFarmPt, Ecologia, Economia, Sociedade, Websites, Wikipedia | 7 comentários

Navegação de artigos

7 thoughts on “Rejeitar o “O que Quero” e aderir ao princípio “O que Preciso”

  1. João

    Apoiado!

    A luta é por aí!!

    Só a quantidade de papel que é desperdiçado por esta sociedade de consumo exacerbado e o consequente abate de arvores.. Vai-nos matar.
    São panfletos por todo o lado, são caixinhas e caixotes… e agora com a moda da recilagem até parece que se pode consumir ainda mais e desperdiçar à vontade do produtor…

    A via não é reciclar… (tb é)… A via é reutilizar.

    Reutilizar.
    Criar.
    Reformular.
    Criar.

  2. João

    Apoiado!

    A luta é por aí!!

    Só a quantidade de papel que é desperdiçado por esta sociedade de consumo exacerbado e o consequente abate de arvores.. Vai-nos matar.
    São panfletos por todo o lado, são caixinhas e caixotes… e agora com a moda da recilagem até parece que se pode consumir ainda mais e desperdiçar à vontade do produtor…

    A via não é reciclar… (tb é)… A via é reutilizar.

    Reutilizar.
    Criar.
    Reformular.
    Criar.

  3. E agora nos cada vez mais numerosos jornais gratuitos!
    Como citei aqui:
    “Após separar a parte informativa do jornal Expresso do lixo publicitário de golfes, de telemóveis, de imobiliárias e de electrodomésticos, deparei com uma montanha absolutamente obscena de papel que ia direitinho para o lixo. Não resisti a pesá-la. 1,5 kg! Leram bem, 1,5 kg de lixo que acompanha o jornal! 1,5 kg multiplicado pela tiragem média do jornal (225 000 exemplares) dá 337,5 toneladas de lixo publicitário semanal que acompanham o Expresso!!! “

    http://movv.org/2006/12/10/ecogestos3-jornais/

    Sendo que agora ao Expresso temos que somar todos aqueles jornais que se distribuem hoje diária e gratuitamente e que vão quase sempre para o lixo sem serem lidos!

  4. Mudar do «o que queremos» para «o que precisamos» :
    • E porque a inteligência é muito esperta, para quem QUER e PODE tem exactamente o mesmo significado, isto é quem quer e tem, é porque precisa do que quer. É esse o pensar justificativo das economias, dos economias e dos políticos que nos regem! E porque os que querem estão (aparentemente) muito bem sucedidos e apreciados para largarem esse conceito porque é o que é ensinado e aprendido ao longo desta nova civilização e é isso que tido como exemplo a ser seguido…
    • E o mesmo está similarmente a acontecer, para os que habituados a não terem porque não podem e têm o pouco ou o muito pouco do muito que precisam, mas continuam numa expectante e progressiva forma de estar sempre no sentido de cumprirem com as regras de fazerem igualitária e mimeticamente o que a sociedade dos que QUEREM e PODEM lhes vão impondo. E porque sabem se não cumprirem, mal estão, ou seja, ficarão à margem! E a margem tem grandes perigos, (como todos muito bem sabemos) se não forem bem geridos por quem sabe verdadeiramente Pensar …
    E é nesse Saber e Pensar reflexivo que será para já, a única forma de passar mensagens, mas agora através de exemplos em exemplares atitudes de escolhas possíveis a serem postos em prática urgentemente. Assim o que há a fazer é ser-se exemplar quando se fazem essas escolhas, senão depois entramos aqui numa qualquer forma de estar de «olha para o que eu digo, mas não olhes para o que eu faço». Vai doer e quanto mais cedo se fazem essas escolhas, mais dói! Mas depois, elas serão a longo prazo, muito muito gratificantes e benéficas para tudo e todos que nos rodeiam…
    E tudo isto é assim, porque passa exactamente por ser: um problema cultural. Ora experimente dizer aos seus filhos, que no futuro, não comprem, nem andem de carro, só de transportes, o que é que lhe acontece a si, quando afirma uma coisa dessas? Olham-no de lado com muita estranheza e ficará de imediato sozinho e à margem. Pois, é que se não tiver carro é logo olhado como um pelintra. Há muito medo de ser-se pobre, e não ter carro é sinónimo de pobreza!
    O que fazer??? Ora, ora, é fácil, facílimo! É continuar a criar novas formas de estar e a ser-se coerente, rigoroso e compatível com essas mesmas novas formas e escolhas de estar. E sobretudo ser-se exemplar e «envergonhá-los» a mostrar que seus estares são errados, erradíssimos, e envergonhá-los sempre sempre o mais possível, é que não se deve de ter para além do que é necessário senão LUXO=LIXO, e porque a demasia de uns (o luxo) será sempre a escassez (a pobreza) dos outros… E aí sim, será possível fazer-se algo, nas Escolas, no Ensino, na Cultura…

  5. Golani

    algum de vocês já pensou em comprar um monte no Alentejo e viver como apregoa ?

    ou vc limitam-se a dizer aos outros como devem viver a sua vida ?

  6. Um de “nós” faz precisamente isso, o JG que está agora de férias.
    E “nós” (quem somos “nós”, mesmo?) não dizemos a ninguém o que fazer.
    Se quiseres podes tomar banho em gasolina, que tanto se me dá.
    Digo apenas que devemos Reduzir se queremos conseguir continuar a viver neste planeta, ou agora também alinhas ao lado dos ultra do Blasfémias que negam ainda a antropogenia do Aquecimento Global ou o Evolucionismo?

  7. Golani

    Um de “nós” faz precisamente isso, o JG que está agora de férias.

    óptimo, fixe para ele…é um tipo coerente com os seus ideais

    mas pq q é apenas o JG ? o resto vocês é mais do tipo “faz o que eu digo, não faças o que eu faço” ?

    penso que já escreveste uns post críticos sobre o Google e Al Gore por causa disso..

    o Blasfémias tem lá um dos mais doido da blogsfera lusitana: o João Miranda ….mais maluco do que ele só o Pedro Arroja … eheheh

Deixe uma Resposta para Clavis Prophetarum Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: