Rejeitar o “O que Quero” e aderir ao princípio “O que Preciso”


(http://www.mtholyoke.edu)

Devemos mudar o paradigma das nossas vidas enquanto consumidores do “O que Queremos” para “O que Precisamos”. E rejeitar este furor consumista que os Media as Corporações nos pretendem incutir e ensinar as virtudes da redução de Consumo, na qualidade de vida, na redução do Desejo e das lutas psicológicas que daí advêm, às nossas crianças… A manutenção do Ambiente, a instauração de níveis de industrialização razoáveis e a própria limitação e não-renovação das riquezas naturais devia fazer assentar o primado das Economias sobre os crescimentos moderados ou estáticos (nos países mais desenvolvidos) e favorecer melhores padrões de vida, de pensamento e de Cultura mais saudáveis para o Homem e para o meio natural.

Categories: CodeFarmPt, Ecologia, Economia, Sociedade, Websites, Wikipedia | 7 comentários

Navegação de artigos

7 thoughts on “Rejeitar o “O que Quero” e aderir ao princípio “O que Preciso”

  1. João

    Apoiado!

    A luta é por aí!!

    Só a quantidade de papel que é desperdiçado por esta sociedade de consumo exacerbado e o consequente abate de arvores.. Vai-nos matar.
    São panfletos por todo o lado, são caixinhas e caixotes… e agora com a moda da recilagem até parece que se pode consumir ainda mais e desperdiçar à vontade do produtor…

    A via não é reciclar… (tb é)… A via é reutilizar.

    Reutilizar.
    Criar.
    Reformular.
    Criar.

  2. João

    Apoiado!

    A luta é por aí!!

    Só a quantidade de papel que é desperdiçado por esta sociedade de consumo exacerbado e o consequente abate de arvores.. Vai-nos matar.
    São panfletos por todo o lado, são caixinhas e caixotes… e agora com a moda da recilagem até parece que se pode consumir ainda mais e desperdiçar à vontade do produtor…

    A via não é reciclar… (tb é)… A via é reutilizar.

    Reutilizar.
    Criar.
    Reformular.
    Criar.

  3. E agora nos cada vez mais numerosos jornais gratuitos!
    Como citei aqui:
    “Após separar a parte informativa do jornal Expresso do lixo publicitário de golfes, de telemóveis, de imobiliárias e de electrodomésticos, deparei com uma montanha absolutamente obscena de papel que ia direitinho para o lixo. Não resisti a pesá-la. 1,5 kg! Leram bem, 1,5 kg de lixo que acompanha o jornal! 1,5 kg multiplicado pela tiragem média do jornal (225 000 exemplares) dá 337,5 toneladas de lixo publicitário semanal que acompanham o Expresso!!! “

    http://movv.org/2006/12/10/ecogestos3-jornais/

    Sendo que agora ao Expresso temos que somar todos aqueles jornais que se distribuem hoje diária e gratuitamente e que vão quase sempre para o lixo sem serem lidos!

  4. Mudar do «o que queremos» para «o que precisamos» :
    • E porque a inteligência é muito esperta, para quem QUER e PODE tem exactamente o mesmo significado, isto é quem quer e tem, é porque precisa do que quer. É esse o pensar justificativo das economias, dos economias e dos políticos que nos regem! E porque os que querem estão (aparentemente) muito bem sucedidos e apreciados para largarem esse conceito porque é o que é ensinado e aprendido ao longo desta nova civilização e é isso que tido como exemplo a ser seguido…
    • E o mesmo está similarmente a acontecer, para os que habituados a não terem porque não podem e têm o pouco ou o muito pouco do muito que precisam, mas continuam numa expectante e progressiva forma de estar sempre no sentido de cumprirem com as regras de fazerem igualitária e mimeticamente o que a sociedade dos que QUEREM e PODEM lhes vão impondo. E porque sabem se não cumprirem, mal estão, ou seja, ficarão à margem! E a margem tem grandes perigos, (como todos muito bem sabemos) se não forem bem geridos por quem sabe verdadeiramente Pensar …
    E é nesse Saber e Pensar reflexivo que será para já, a única forma de passar mensagens, mas agora através de exemplos em exemplares atitudes de escolhas possíveis a serem postos em prática urgentemente. Assim o que há a fazer é ser-se exemplar quando se fazem essas escolhas, senão depois entramos aqui numa qualquer forma de estar de «olha para o que eu digo, mas não olhes para o que eu faço». Vai doer e quanto mais cedo se fazem essas escolhas, mais dói! Mas depois, elas serão a longo prazo, muito muito gratificantes e benéficas para tudo e todos que nos rodeiam…
    E tudo isto é assim, porque passa exactamente por ser: um problema cultural. Ora experimente dizer aos seus filhos, que no futuro, não comprem, nem andem de carro, só de transportes, o que é que lhe acontece a si, quando afirma uma coisa dessas? Olham-no de lado com muita estranheza e ficará de imediato sozinho e à margem. Pois, é que se não tiver carro é logo olhado como um pelintra. Há muito medo de ser-se pobre, e não ter carro é sinónimo de pobreza!
    O que fazer??? Ora, ora, é fácil, facílimo! É continuar a criar novas formas de estar e a ser-se coerente, rigoroso e compatível com essas mesmas novas formas e escolhas de estar. E sobretudo ser-se exemplar e «envergonhá-los» a mostrar que seus estares são errados, erradíssimos, e envergonhá-los sempre sempre o mais possível, é que não se deve de ter para além do que é necessário senão LUXO=LIXO, e porque a demasia de uns (o luxo) será sempre a escassez (a pobreza) dos outros… E aí sim, será possível fazer-se algo, nas Escolas, no Ensino, na Cultura…

  5. Golani

    algum de vocês já pensou em comprar um monte no Alentejo e viver como apregoa ?

    ou vc limitam-se a dizer aos outros como devem viver a sua vida ?

  6. Um de “nós” faz precisamente isso, o JG que está agora de férias.
    E “nós” (quem somos “nós”, mesmo?) não dizemos a ninguém o que fazer.
    Se quiseres podes tomar banho em gasolina, que tanto se me dá.
    Digo apenas que devemos Reduzir se queremos conseguir continuar a viver neste planeta, ou agora também alinhas ao lado dos ultra do Blasfémias que negam ainda a antropogenia do Aquecimento Global ou o Evolucionismo?

  7. Golani

    Um de “nós” faz precisamente isso, o JG que está agora de férias.

    óptimo, fixe para ele…é um tipo coerente com os seus ideais

    mas pq q é apenas o JG ? o resto vocês é mais do tipo “faz o que eu digo, não faças o que eu faço” ?

    penso que já escreveste uns post críticos sobre o Google e Al Gore por causa disso..

    o Blasfémias tem lá um dos mais doido da blogsfera lusitana: o João Miranda ….mais maluco do que ele só o Pedro Arroja … eheheh

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: