Ainda sobre a situação no Darfur, a cumplicidade chinesa e a fuga das ONGs…

Apesar de começarem a surgir alguns sinais positivos da aparição de uma nova vontade por parte do genocida governo sudanês para resolver o conflito no Darfur, provavelmente “ordenada” pela China, seu expresso e público único apoiante internacional e que o tem isentado no Conselho de Segurança da ONU da maioria das acções que lhe poderiam anular os seus propósitos genocidas, o certo é que a situação no Darfur não dá sinais de melhoramentos, pelo menos, não localmente… As ONGs que prestam o grosso do apoio humanitário às suas populações estão a retirar em massa dos campos de refugiados, como resposta ao aumento de 150% dos ataques contra o seu pessoal, ao furto de mais de 50 veículos e ao rapto de perto de 130 cooperantes… Sem estas ONG, os 2/3 dos 6 milhões de habitantes do Darfur que dependem da ajuda alimentar internacional não poderão sobreviver e assim se cumprirão os projectos sudaneses e islamitas de genocídio e esvaziamento populacional desta região de forma a deixar as reservas de ouro, urânio, água (uma das maiores reservas de água subterrênea de todo o continente) e, sobretudo de petróleo para as mãos do governo e dos seus “aliados” chineses… Como efeito, estima-se que no Darfur existam reservas suficientes para fazer dobrar a produção sudanesa de crude (500 mil barris diários) e daí o apetite chinês, os seus fornecimentos de armas e munições e a multiplicação de poços de companhias chinesas que ocorre um pouco por todo aquele que é hoje o maior país africano.

Fonte: El Pais; 15 de Julho de 2007

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci, Política Internacional, Sociedade | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: