O acesso à Internet: O Brasil, Portugal e algumas estatísticas interessantes

Nesta tabela notamos desde logo que o português ocupa na Internet uma posição semelhante aquela que ocupa entre as línguas mais faladas no mundo (ver AQUI), a sétima, mas recolhendo apenas 40 milhões de utilizadores, muito menos do que os 180 milhões de lusófonos que se estima existirem no mundo… Aparentemente, um número esmagador destes não tem condições para aceder à Internet e assim se explica como é que a Coreia do Sul e a Itália, países cujas línguas nacionais têm uma representação demográfica relativamente fraca aparecem muito perto do português… Ou seja, a posição da lusofonia é aqui prejudicada pelo nível de subdesenvolvimento económico em que vegeta a maioria da África lusófona e pela existência de amplas camadas populacionais sem acesso ao “luxo” que ainda é a Internet no Brasil…

Neste contexto, o dito “pc de 100 dólares” concebido por Nicolas Negroponte do MIT (“Massachusetts Institut of Technology”) poderá ser uma alavanca decisiva para o desenvolvimento do Terceiro Mundo e, especificamente nos países lusófonos que mais atrasados estão no domínio da penetração do acesso à Internet às camadas menos abastadas da sua população. O projecto parte de uma parceria entre a AMD, a Google e a Redhat, entre outras e deverá entregar a milhões de crianças no mundo computadores portáteis com processadores AMD a 500 MHz, discos de 1 Gb, com placas WiFi e écran tácteis a cores e sendo o conjunto equipado por um interessante sistema de baterias alimentadas a manivela… Já existem perto de 2,5 milhões de unidades encomendadas, mas o número deverá chegar brevemente a 3 milhões estando a distribuição das primeiras unidades prestes a começar.

Top Ten Languages Used in the Web
( Number of Internet Users by Language )
Internet Usage in South America

Sendo que este mapa expõe que a esmagadora maioria da presença da lusofonia na Internet se deve ao Brasil… Dos 40 milhões de lusófonos, 32 são brasileiros! Portugal e os países africanos juntos, não reunem mais do que 8 milhões de cibernautas… Isto diz muito sobre a escala da grandeza continental e demográfica do nosso irmão brasileiro…

Internet Usage in Europe
Faroe Islands

49,760

33,000

66.3 %

0.0 %

1,000.0 %

France

61,350,009

30,837,595

50.3 %

9.8 %

262.8 %

Iceland

299,076

258,000

86.3 %

0.1 %

53.6 %

Italy

59,546,696

30,763,940

51.7 %

9.8 %

133.1 %

Macedonia

2,056,894

392,671

19.1 %

0.1 %

1,208.9 %

Man, Isle of

75,530

0.0 %

Monaco

33,443

18,000

53.8 %

0.0 %

157.1 %

Poland

38,109,499

11,400,000

29.9 %

3.6 %

307.1 %

Romania

21,154,226

4,940,000

23.4 %

1.6 %

517.5 %

San Marino

31,500

14,300

45.4 %

0.0 %

472.0 %

Sweden

9,107,795

6,890,000

75.6 %

2.2 %

70.2 %

Mas Portugal não está mal colocado! A nossa taxa de penetração é excelente, sendo de 73,8%, ou seja, bem acima de países como o Reino Unido e a Suíça, geralmente melhor colocados do que nós em todas as tabelas comparativas possíveis e imagináveis… Na verdade, em toda a Europa, apenas a Suécia e a Islândia (sempre os “malditos” escandinavos!) nos batem, sendo que a segunda ocupa também esta posição devido à pequenez relativa da sua população (de apenas 290 mil indivíduos muito esfriados).

TOP 20 COUNTRIES WITH HIGHEST NUMBER OF INTERNET USERS

Nesta lista, a força demográfica do Brasil faz valer-lhe uma muito honrosa oitava posição! Existem muitos países mais populosos que o Brasil, que estão completamente ausentes desta lista de vinte países e isto indica que o país não tem níveis de atraso tecnológico comparáveis com o de gigantes como a Índia (uma taxa de penetração de pouco mais de 3%!) ou a Indonésia (com 8%). É certo que a Argentina – eterna rival – parece melhor colocada com uns impressionantes 34% de penetração, mas o Brasil… Sózinho responde por quase 4% de todos os internautas do mundo, o que está muito acima do peso demográfico do país no cenário global!
Fonte:

http://www.internetworldstats.com/stats7.htm

Anúncios
Categories: Blogging, Brasil, Informática, Portugal | 29 comentários

Navegação de artigos

29 thoughts on “O acesso à Internet: O Brasil, Portugal e algumas estatísticas interessantes

  1. Golani

    02-07-2007 19:11:49
    Guiné Equatorial vai adotar língua portuguesa como oficial

    Lisboa, 02 Jul (Lusa) – A Guiné Equatorial está disponível para adotar o português como língua oficial para poder entrar na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), disse à Agência Lusa o secretário executivo da organização, Luís Fonseca.

    O responsável afirmou à Agência Lusa que a disponibilidade foi manifestada pelo executivo de Teodoro Obiang durante a visita de dois dias que fez à Guiné Equatorial no final da semana passada.

    A Guiné Equatorial, atualmente Observador Associado da CPLP, quer ainda apoio dos oito países membros (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste) para difundir o ensino da língua portuguesa no país, para formação profissional e acolhimento dos seus estudantes pelos países da comunidade lusófona.

    “Todos podem, de alguma maneira, disponibilizar ajuda, mas Portugal, Brasil, Angola estarão em melhores condições”, diz Fonseca, acrescentando que “praticamente todos os Estados estão em condições de aceitar” a solicitação da Guiné Equatorial.

    Dada a aproximação que já existe entre o país e a CPLP, Fonseca considera alcançável o necessário “consenso dos estados-membros” para o alargamento da comunidade a nove países, depois de cumprido o critério da língua portuguesa.

    As autoridades da Guiné Equatorial “deram-me entender que o país está na disposição de introduzir o português como língua oficial, assim que as condições estejam reunidas”, disse Fonseca.

    A Guiné Equatorial tem como língua corrente oficial o espanhol, e recentemente adotou o francês, idioma corrente nos estados vizinhos mas que quase não é falado no país.

    O assunto do apoio ao ensino do português e formação profissional no país será abordado na próxima reunião da CPLP, em 27 de julho, na qual está prevista a presença de um ministro da Guiné Equatorial.

    Cooperação

    O interesse da cooperação com a CPLP estende-se, para a Guiné Equatorial, também à Saúde, área em que pretende se aperfeiçoar a partir do contato com a experiência de países como Cabo Verde no combate a doenças tropicais.

    O país presidido por Teodoro Obiang pretende ainda ter apoio, principalmente de Cabo Verde, Portugal e Brasil, para desenvolver o turismo, como forma de diminuir a dependência em relação à produção petrolífera, atualmente sua principal fonte de receitas.

    “A Guiné Equatorial tem tido um crescimento espantoso, existem algumas importantes possibilidades de cooperação econômica, como nas relações comerciais, que já existem com São Tomé e Angola Brasil e Portugal podem desempenhar um papel importante neste aspecto”, disse à Agência Lusa o secretário executivo da CPLP.

    Fonseca aponta ainda o relativo “isolamento cultural” da antiga colônia espanhola em relação aos países vizinhos e as “razões históricas”, como razões para o desejo de aderir à CPLP.

    A Guiné Equatorial “foi descoberta por Portugal, que ali teve presença até ao século 18, e mesmo depois da saída mantiveram-se contatos; Portugal deixou uma boa impressão” no país, diz Fonseca.

    A Guiné Equatorial é atualmente o terceiro maior produtor de petróleo da África subsaariana e disputa com o vizinho Gabão um grupo de ilhas fronteiriças consideradas de grande potencial para a exploração de petróleo.

    O governo do país está nas mãos de Teodoro Obiang Nguema Mbasogo desde 1979, quando o governante deu um golpe de Estado. Seu governo é acusado de inúmeras violações de direitos humanos e a oposição constituiu um “governo no exílio”, que tem sede em Madrid, Espanha.

    http://www.agencialusa.com.br/index.php?iden=9074

  2. Hum… Pois um tanto ou quanto off-topic, mas merecendo um comentário: será deste tipo de regimes que estamos a precisar de contar como aliados?… Duvido muito… Nem destes nem da “nepotocracia” angolana…

  3. Há uma coisa interessante quanto aos portugueses na internet. E falo por mim. Sou wikipedista há uns anos e desisti de escrever na wikipedia lusófona, a falta de qualidade dos artigos e a quantidade de “trolls” (vede o artigo do D. Sebastião) que por lá há acabaram por me enxotar. Da mesma forma frequento muito em forums em inglês. E recuso-me terminantemente a jogar um jogo on-line que tenha muitos portugueses ou brasileiros. E como eu muitos portugueses acabaram por ir engrossar a participação Anglófona na net, como se precisasse de ser maior.

  4. eu pirei-me da wiki quando um comentador disse que os meus artigos eram plágios alegando que encontrara os mesmos textos num site de nome… ogrunho.wordpress.com… Se ele tivesse ao menos visto que eu era o mesmo autor!… Depois disso, saí para não voltar, mas continuo a recorrer muitíssimo à wiki, portuguesa e inglesa…

  5. Epá ,desculpem lá meter-me mas não concordo tanto assim. ter a França e a Alemanha À frente parece-me um mau resultado para a a lingua portuguesa. especialmente a Alemanha que à partia terá um “mercado” limitado em número.Acho também a desproporção entre o inglês e os outros é preocupante e demasiado elevada – mesmo actualmente.
    Já penso que seria de esperar que a diferença começasse a não ser tanta nesta altura do campeonato.
    E mesmo assim penso que os números portugueses são um pouco baixos, para um país da Europa.
    E como é isto medido? Por exemplo uma casa com 4 pessoas mas com Internet em Portugal contará 4 pessoas mas só uma acede, por hipótese. Penso que isto acontece mais em Portugal do que acontecerá em alguns países, por exemplo, os nórdicos, o que quer dizer que apesar da tal taxa de penetração de 78% logo atrás dos nórdicos,não sei até que ponto será tão “verdadeira” quanto a taxa de um país nórdico ou a França, para dar outro exemplo.
    E já nem falo do uso que a generalidade das pessoas faz da Internet. CÁ. Exemplo: muitos blogs, pouco conteúdo de jeito,etc. Maus serviços de acesso pelas empresas e conteúdos online maus ou inexistentes etc…
    Não é estar a dar manteiga ao dono deste site, mas provavelmente existe aqui mais informação sobre armamento militar do que em “sites oficiais”.
    Acham isto normal?
    Eu não…
    Acho “estranho” para não dizer mais…

  6. Golani

    “Acho também a desproporção entre o inglês e os outros é preocupante e demasiado elevada – mesmo actualmente.”

    pq q é preocupante ?

    o inglês é a nova língua franca …. existem mais pessoas a falar inglês como 2ª língua do q “nativos”

  7. Pedro: A nossa posição é muito notável, tendo em conta que os PALOPs lutam ainda com grandes dificuldades de Desenvolvimento e que o Brasil uma ampla camada da população ainda está infelizmente afastada da Internet… Assim, este presença (repito, notável) deve-se estritamente a Portugal e às grandes cidades brasileiras… O potencial de crescimento é imenso, tendo em conta a população brasileira e cedo (espero eu!…) Angola e Moçambique farão tamber pender ainda mais este número para o lado da Lusofonia…

    Golani: Porque a Internet não um “mundo virtual”, mas uma extensão deste mundo e porque mede bem o predomínio da cultura anglo-saxónica sobre as demais e o peso excessivo que estes modelos e padrões germânicos têm sobre as demais sociedades e civilizações… O Futuro do Mundo está na polifonia, na diversidade e na coexistência pacífica, não no engolir de toda as civilizações e sociedades numa imensa mole, amorfa e disforme, mas formatada de acordo com uma cultura única: a anglosaxónica. Isso seria Imperialismo e Colonialismo, puro e duro… De preferência, deveria haver na Internet a mesma diversidade que ainda vai havendo no mundo real, não esta desproporção linguistica… E sabemos como a Língua forma o substrato de uma Cultura…

  8. Golani

    “mas formatada de acordo com uma cultura única: a anglosaxónica. Isso seria Imperialismo e Colonialismo, puro e duro”

    o imperialismo, como o próprio nome indica, é imposto

    não é o q acontece, a Internet é livre….na realidade são as pessoas que procuram e consomem voluntariamente conteúdos em inglês seja na net, na TV, nos filmes, na música….

    vc próprios admitiram que por vezes preferem conteúdos em inglês ( primeiros posts)

    a Internet permite que milhões de países interajam e partilhem info. , tendo em conta que falam línguas diferentes as pessoas não se entendem ente si

    é imperativo existir uma língua comum , uma língua franca que permita a comunicação e troca de ideias …. essa língua é o inglês

    é um instrumento, não necessariamente cultura anglo-saxónica

    ex. em Portugal as empresas têm sites em inglês, os menus dos restaurante são em inglês, músicos cantam em inglês etc….

  9. 1. e este imperialismo cultural anglo-germânico não é imposto por uns Media docilizado e sistémitoco, pelo predomínio do inglês em aplicações e em sistemas operativos oriundos dos EUA e por uma Cultura de Massas que se quer Redutora, Simplificadora e Globalizada e que está a substituir a imensa riqueza cultural e o tremendo dinamismo que reside nas especificidades culturais de cada civilização? Não te chocam aquelas imagens de indios kauapo com calços da reebok e com t-shirts da Coca Cola e de crucifixo ao pescoço?

    2. não sou fanático! Leio muito em inglês, falo e escrevo quase todos os dias, por motivos profissionais e não tenho pudor nenhum em usar a Língua Franca que é Inglês, não tendo aqui absolutamente nenhum conflito moral… O Inglês bem que pode ser a língua franca do Mundo e da Internet (já o é, efectivamente), mas não deve substituir as línguas nacionais nem na Internet, nem no uso local… Complementar, sim. Substituir, não… É isto que quero sublinhar neste artigo: a primazia que deve ser dado às línguas nacionais, sobre as línguas francas, neste caso o inglês.

  10. Clavis: quanto à primeira parte do teu comentário. Sim, é verdade que se deve estritamente a Portugal e as grandes cidades brasileiras. Mas no geral e MESMO ASSIM , parece-me “pouco” estritamente falando da nossa posição. A produção de conteúdos e de conteúdos livres é muito baixa cá.
    Ti colocas a questão em termos de “notável” porque estás a juntar os palop´s que terão ainda e durante muitos anos( talvez com a excepção de angola) muito que andar em termos económicos para crescerem. Por isso é natural que apresentem, em face destas condições números baixos. O que me parece é que só Portugal considerado está abaixo, do que devia estar. Não me parece por exemplo, lógico que Portugal seja o 4º país do mundo em telemóveis por habitantes e a nível de Internet tenha em comparação números muito mais baixos( e de qualidade mais baixa). Repara ,há uns dias um vendedor da artelecom teve uma conversa comigo em que me dizia que cá em portugal existia da tecnologia mais moderna que existia, mas que se fosse preciso as pessoas não a usavam ou não a sabiam usar.
    Penso que à mesma escala na Internet portuguesa está-se um pouco assim.
    No entanto concordo que o potencial de crescimento é imenso, até talvez só comparável ao que acontecerá com a china.

    Quanto à segunda parte e relacionado também com a opinião do golani é preocupante o domínio inglês da Internet precisamente porque os americanos e os ingleses se servem activamente disso para impor padrões culturais e difundir ideias e informação que é apenas benéfica para eles e prejudicial para todos os outros.
    Acho por isso a opinião do Golani algo ingénua.A Internet parece livre no acesso, mas não é livre ao nível dos conteúdos. É verdade, contudo que inicialmente o inglês e a Internet eram uma ferramenta para tornar as coisas mais fáceis. Actualmente já não é assim.Basta ver o exemplo dos motores de busca, que sãotodos americanos e orientados para fornecer resultados de acordo com so gostos norte americanos -anglo saxónicos e eu disso não gosto. E o comentário das 10.56 do clavis diz isso mesmo: medias docilizados, sistematizados, que impõem a tal cultura simplificada e redutora que tenta substituir diversidade cultural e como já disse disso não gosto, seja qual for a cultura que tenta prevalecer.
    Cito ,para quem gosta de metal uma música do rammstein chamada “we are all living in américa” e respectivo vídeo que dizem(e mostram) tudo.

  11. Golani

    “Não te chocam aquelas imagens de indios kauapo com calços da reebok e com t-shirts da Coca Cola e de crucifixo ao pescoço?”

    eu fico chocado que tu fiques chocado com a decisão livre dos índios Kauapo em comprar o que bem lhe apetece

    como é q tu podes chamar de imperialismo ao desejo voluntário e livre das pessoas em irem ao Mcdonalds, beberem coca-cola, verem filmes de Hollywood, verem o CSI e Losts, comprarem NIKE´s !?

  12. Golani

    “os americanos e os ingleses se servem activamente disso para impor padrões culturais e difundir ideias e informação que é apenas benéfica para eles e prejudicial para todos os outros.”

    como assim se actualmente a maioria dos “falantes” de inglês não são americanos nem ingleses ?
    as pessoas q usam o inglês como 2ª língua é superior aos que têm o inglês como língua nativa

    a língua é um meio de comunicação ( tal como uma estrada)

    Acho por isso a opinião do Golani algo ingénua.

    desenvolve

    A Internet parece livre no acesso, mas não é livre ao nível dos conteúdos

    não é !?

    é tão livre que até levanta problemas, qq um pode escrever e publicar na net o q bem lhe dar na gana
    (ler o posts inicias em q se falou da wikipedia)

    Basta ver o exemplo dos motores de busca, que sãotodos americanos e orientados para fornecer resultados de acordo com so gostos norte americanos -anglo saxónicos e eu disso não gosto.

    tás enganado

    o mais popular deles, o google, tem versões distintas conforme a língua

    google.pt é diferente de google.com e tb tens google.com.br

    PS: e qualquer um pode construir um motor de busca Internet, os fundadores do Google começaram a trabalhar nele num dormitório da universidade há uns 10 anos …. não é monopólio dos americanos, não existem barreiras à entrada

    medias docilizados, sistematizados, que impõem a tal cultura simplificada e redutora que tenta substituir diversidade cultural e como já disse disso não gosto, seja qual for a cultura que tenta prevalecer.

    e tu és livre de ter a tua opinião e especificidade cultural. o q não és livre é de impor a tua visão e limitar a escolha daqueles que gostam da ” tal cultura simplificada e redutora”

  13. Golani: a tua resposta inicial ao meu comentário acerca do facto de os americanos e ingleses se servirem activamente disso para tirar vantagens em termos de informação e difusão de ideias, é uma ajuda.

    Argumentas dizendo que a maior parte dos falantes de inglês não são sequer ingleses ou americanos. Porque será? Precisamente porque através da difusão de informação e de difusão de padrões ingleses e americanos isso levou a que as pessoas aprendessem inglês. Porque a imposição de padrões culturais baseados na língua inglesa é de tal forma intensa que as pessoas deixam-se levar. Já para não falar nas especificas características de adequação da língua inglesa – favoráveis- a este meio de comunicação.
    E todo o sistema de Internet está assim construido.
    E a língua não é um meio de comunicação tal como a estrada – é mais poderoso e influente do que uma estrada – muito mais poderoso.Ao falares o inglês também começas a pensar em inglês, o que quer dizer que também começas a adquirir a lógica inglesa -americana, e isso é muito perigoso para países pequenos ou culturalmente fracos.

    E quanto aos conteúdos a Internet não é livre ,embora o pareça ser.
    Existem condicionamentos económicos, políticos, sociais. Todos podem entrar, mas só após 4,5,6 anos de regular uso, uma pessoa começa a saber o que escolher e evitar e o que não escolher ou não evitar. Isso faz toda a diferença para quem quer usar a rede para aprender.
    Entrar por entrar toda a gente faz. O problema é depois de lá estar e filtrar conteúdos e isso não é para todos. Nem toda a gente tem essa capacidade.Ou o tempo de uso.

    E quanto à questão de qualquer um poder publicar ou escrever o que lhe der na real gana isso não é inteiramente assim. Eu posso escrever o que quiser, mas se o motor de busca não me “mostrar” a terceiros,eu não existo.
    Portanto, onde está a liberdade disso?
    Liberdade, não é só dar acesso às coisas e todos poderem lá entrar. Lá dentro e depois de lá estar é que se vê quem é ou não é livre e se consegue ser visível ou não.

    Quanto a questão dos motores de busca: de facto tem versões para país. mas a lógica dos algoritmos matemáticos de fazer as buscas é a mesma para todos os países independentemente do país a que se destina.
    Ou seja o padrão que é dado a mostrar a cada país é em tudo idêntico. Isso não é liberdade. Isso é a frase do Henry Ford nos anos 20:” toda a gente pode comprar um carro de marca Ford, desde que seja preto de cor”.
    Nos motores de busca passa-se o mesmo. Por exemplo, recentemente, soube que o SAPO.PT usa o motor de busca do goggle. Ou seja, replica resultados tal qual o goggle.Portanto e logo à partida é o padrão e busca do goggle que é visto e não um outro qualquer.
    A ser lógico esse argumento, então,não faria sentido por exemplo, que se questionasse a China por fazer bloqueios aos resultados dos motores de busca e por classificar sites perfeitamente inofensivos, como por exemplo o flickr, como perigosos. Ah, e não falo de cor porque conheço uma pessoa portuguesa que está lá e apenas acede livremente ao goggle via embaixada da Bélgica em Pequim.
    Portanto dizer que existem ” resultados “para cada país livres e em línguas do país, é estar a legitimar a censura chinesa a conteúdos.
    Ou temos aqui padrões duplos?: os resultados são livres para o ocidente usando o mesmo método que se usa para classificar a china, mas ai por causa do facto dos chineses usarem um motor goggle de busca chinês de acordo com o padrão argumentativo que usaste, já são maus?
    O metodo e os algoritmos são os mesmos , a diferenciação de línguas em chinês e inglês ou outras é a mesma, logo aparentemente existe “liberdade”. Então se existe “liberdade” , isso legitima a que não se critique os chineses por colocarem filtros nos motores de busca.
    Logo legitima-se a que a censura seja aceite.
    Então como pode a liberdade ser livre e ao mesmo tempo permitir a censura?
    Portanto se calhar temos que voltar atrás e perceber que a Internet não é inteiramente livre; desde logo por permitir que um país imponha os eu peso ao goggle e filtre conteúdos.E o goggle aceite isso. E viva bem com isso.
    Se o goggle vive bem com isso, porque não poderá fazer outras sacanices noutros países de outras formas?.
    Isso é liberdade?

    Quanto a “qualquer poder” construir motores de busca é algo relativo essa opinião.
    Qualquer um que tenha conhecimentos técnicos elevados, uma equipa relativamente numerosa com conhecimentos técnicos elevados e 6 biliões de dólares para começar o empreendimento em questão.
    Condições acessíveis a qualquer um, ESSAS?
    Em Portugal há alguém que reuna essas condições?
    Já agora recordo que a pessoa mais valiosa de Portugal, o senhor azevedo tem umas pme´s a nivel mundial, que foram recentemente avaliadas em 3 biliões de euros.

    E quanto a ultima parte do comentário essa é “jargão neoliberal”; portanto não é válida como argumento.Temos, portanto , temos uma maioria de pessoas a desfrutar de algo e a impor esse algo a uma minoria de pessoas e é a maioria de pessoas que se queixa que está a ser oprimida?
    Não estarão por acaso os teus argumentos trocados?
    Normalmente são as minorias em numero ou influencia que historicamente tem tendência a sofrer opressão e não o contrário -as maiorias.
    Quando 20 pessoas atacam fisicamente uma pessoa é lógico assumir que não são as 20 pessoas as oprimidas mas sim a pessoa única. Precisamente pelo numero ser factor de diferenciação.

    Lamento muito,mas eu sei que ultimamente essa “técnica argumentativa” de pessoas que se queixam de andar a ser oprimidas, sem terem realmente qualquer razão para tal anda a ser vendida pela Internet portuguesa, mas isso é um tipo de argumentação que não resiste 5 segundos a uma análise minimamente séria e é um argumento para não ser levado a sério.

  14. Golani

    E quanto a ultima parte do comentário essa é “jargão neoliberal”; portanto não é válida como argumento.

    caramba… já cá faltava: “jargão neoliberal” !!

    quando não se gosta de uma argumento basta classificá-lo de “neoliberal” e passar por cima … ehehe

    pensa nisto: “neo-liberal” —> liberal —> liberdade

    liberdade de ler, ouvir, escrever, ver, comer o que quiseres

    a “cultura americana”, a língua inglesa é dominante pq é o resultado do somatório da escolha individual livre das pessoas
    a maioria das pessoas fala em inglês e consome cultura “americana” por livre escolha….não lhes é imposta !!!

    e tu, e os teus amigos, mesmo sendo uma minoria são livres de não falar, não ler em inglês nem consumirem cultura ” americana” …. ninguém vos impõe nada, ninguém vos obriga a nada

    é esta a essência liberal ! garantia das liberdades individuais !

    a “ditadura” da maioria chama-se democracia …. ehehe

  15. Golani

    pelos vistos, até correr é “imposição cultural anglo-saxónica”:

    Jogging de Sarkozy criticado à esquerda

    O presidente francês, Nicolas Sarkozy, enfrenta a oposição dos intelectuais franceses pelo seu… jogging matinal. Esta franja mais radical da esquerda condena a prática, considerando-a direitista e muito pouco francesa

    Alguns membros mais radicais da esquerda francesa – liderados pelo filósofo Alain Finkielkraut – estão em polvorosa com o jogging do presidente, noticia o The Guardian.

    Consideram que a corrida é direitista, com contornos filisteus e muito pouco francesa, lembrando Jimmy Carter e Bill Clinton, que ditaram as tendências para a saúde dos políticos. Afirmam ainda que há desportos mais indicados para um político europeu, que se mostra interessado no culto do físico em detrimento do espírito e demasiado «americanizado».

    Os seguidores de Finkielkraut descrevem a corrida é um desporto de ‘expressão individualista’ e herdeiro do culto nietzschiano do super-homem e da supremacia da vontade, obtido através de uma busca fetichista pelo corpo perfeito.

    «Porque começaram eles a correr desta forma», questiona o Le Monde, em jeito de pergunta retórica. «Esses homens políticos não sabem que lhes dá cabo dos joelhos e das vértebras? Porque não se livram dele e praticam desportos mais saudáveis, aconselhados pela Universidade? (…) Não, eles querem correr. Correr, correr. Atrás de quem, atrás de quê?»

  16. Golani:
    “”” “neo-liberal” —> liberal —> liberdade”””

    Ó golani, mas estás a brincar ? neoliberal? e depois fazes um esquema destes?
    Mas quem é que te vendeu essa treta?

    Então vamos lá brincar aos silogismos.
    Estados unidos: significado da palavra liberal Lá = a esquerdista radical- Que por sua vez; = esquerdismo radical; Que por sua vez; = marxismo Que por sua vez; = comunismo Que por sua vez; = estados unidos =E a conclusão é = comunismo.
    Os Estados Unidos são comunistas.

    E depois podemos todos fazer estes joguinhos ao contrário e detrás para a frente e chegar a conclusões mais mirabolantes .
    E depois essa outra brincadeira de ler e escrever e mais não sei quê?
    Mas quem é que te disse que alguém é inteiramente livre am lado algum de ler, comer e fazer as outras coisas todas?
    Isso é uma impossibilidade ontológica, digamos assim. Ninguém é inteiramente livre.em lado algum.

    E a maioria das pessoas escolhe língua inglesa por livre escolha?!?? Onde?
    Em portugal ?
    No cinema: 2/3 das salas pertencem a produtoras norte americanas, que obviamente vendem o produto delas- filmes americanos.
    Só existe 1/3 a dar outras porque um produtor português lá conseguiu defender-se, Senão nem isso.
    No resto dos sectores a mesma coisa.

    É essa a essência da liberdade individual: garantia da liberdades individuais?
    Mas tu não conheces o que é liberalismo pois não?

    Portanto, no âmbito da minha liberdade individual apetece-me rebentar com os miolos ao meu vizinho,. Se a polícia me vier prender está a violar as minhas garantia de liberdade individual? Ou não?
    Uma vez que sou “um individuo” – livre e mais não sei quê; exijo livremente. no ambito das minhas garantias de liberdade individual, rebentar com os miolos do meu vizinho, ou violar-lhe a filha. Já agora.
    Mas brincamos aos argumentos ou quê?

    E quanto a essa conversa da ditadura da maioria chamada democracia: mas qual democracia?
    O actual governo foi eleito com 20% de votos. 80% das pessoas ou votaram noutros partidos ou não votaram. Qual maioria?
    Quem foi parar ao governo derivou de uma minoria, como aliás sempre acontece em qualquer eleição,em qualquer país do mundo.

    E quanto ao comentário do sarkozy, o que é que tem a ver?

    Além disso vamos a ver se nos entendemos aqui em algumas coisas porque me parece que estás um pouco confuso.
    O sr finkelkraut citado nesse artigo copiado do the guardian já não é de esquerda e há muito tempo. tal como o senhor Alain Minc e o Senhor Bernard henry levy, só para dar mais dois exemplos.
    Dizer que o Finkelkraut é de esquerda é o mesmo que dizer que o Tony Blair é de esquerda.
    O Tony Blair uma vez ia na rua e viu vagamente ao longe algo que lhe parecia ser esquerda política, mas esse foi o único contacto remoto que alguma vez teve com a esquerda Para que conste.
    Quanto ao “the guardian tanto quanto sei , também não é um jornal de esquerda. Além disso é um jornal inglês e os ingleses quanto a objectividade relativamente a noticias de políticas francesa ou outra são zero.
    Portanto e tendo em conta o teor da noticia mais estranho é que apareçam expressões como “os seguidores de finkelkraut a falarem de nietschze quando o próprio finkelktraut gosta de Martin Heidegger que é uma referencia intelectual bem pior que o Nietzsche .
    Portanto essa pseudo noticia está ao nível do correio da manha.
    O guardian cita o le monde truncado que por sua vez cita o finkelkraut»» como esquerdista???

    Olha, Golani, não prestes muita atenção ás baboseiras dos jornais e às invenções de noticias.
    E já agora ve se passas menos tempo no blog Blasfémias ou no insurgente ou noutros do mesmo estilo, tipos a quem os paizinhos não deixaram ir para o PCP e agora julgam que são liberais e vai antes ler o Karl Popper e depois interpreta o que ele escreveu – que esse é que é um liberal à sério, ou o Montaigne ou o Descartes ou outros do mesmo tipo em vez de citares slogans vazios de significado acerca de liberal = a democracia =a liberdade = individual = igual a individuo e patacoadas semelhantes, que não passam clichés banais e que nada significam.
    Isso está ao mesmo nível do “o povo unido jamais será vencido” e outras parvoíces do mesmo género.

    Além disso faz-me o amável favor de não me confundires com tipos do PS, ou do bloco de esquerda ou do PCP, que é uma fauna com a qual nada tenho a ver.
    Sou só de esquerda e chega. Não de coisas que passam por ser de esquerda, não o sendo…

  17. Ludovicus Rex

    Boas Férias…

  18. Golani

    “Estados unidos: significado da palavra liberal Lá = a esquerdista radical”

    mas tás tolo ou quê !?
    é óbvio que estou a usar a terminologia europeia!…..como sempre fiz qd se discutiu estes temas no blog

    No cinema: 2/3 das salas pertencem a produtoras norte americanas, que obviamente vendem o produto delas- filmes americanos.

    talvez pq são os q vendem mais e as produtoras precisam das salas cheias para ganharem dinheiro (ao contrário de muitas produtoras q precisam de subsídios para fazer filmes de depois vendem 64 bilhetes)

    e desde quando é q precisas de ir ao cinema?
    não podes alugar dvd´s, comprar online, download P2P ?

    tens muita escolha: indianos (Bollywood faz 10x do Hollywood), Chineses, Espanhóis, Franceses, Alemães, Italianos etc….

    Portanto, no âmbito da minha liberdade individual apetece-me rebentar com os miolos ao meu vizinho,. Se a polícia me vier prender está a violar as minhas garantia de liberdade individual? Ou não?

    tu pensas antes de escrever ?

    a tua liberdade acaba onde começa a do teu vizinho

    E quanto a essa conversa da ditadura da maioria chamada democracia: mas qual democracia?
    O actual governo foi eleito com 20% de votos. 80% das pessoas ou votaram noutros partidos ou não votaram. Qual maioria?
    Quem foi parar ao governo derivou de uma minoria, como aliás sempre acontece em qualquer eleição,em qualquer país do mundo.

    “Democracy is the worst form of government, except for all those other forms that have been tried from time to time.”
    Winston Churchill

    ou tu tens opinião distinta ?

    Olha, Golani, não prestes muita atenção ás baboseiras dos jornais e às invenções de noticias.

    naa…eu antes prefiro blogs para ler gajos como tu … ehehe

  19. Golani

    off topic, mas algo que se discute frequentemente neste blog:

    Globalização e Brazil

    Presidente brasileiro avisa para riscos de inflexibilidade dos mais ricos
    Lula espera acordo nas negociações para a liberalização do comércio
    04.07.2007 – 19h02 Lusa

    O Presidente do Brasil, Lula da Silva, espera que as negociações para a liberalização do comércio mundial terminem com êxito e avisou que os governos dos países desenvolvidos vão arrepender-se mais tarde se não ajudarem agora as nações mais pobres.

    “Sou um homem esperançado. Nem sempre os acordos são fáceis e esta é a única hipótese que os países mais pobres vão ter”, disse Lula da Silva na sessão de encerramento da cimeira empresarial UE-Brasil, que decorreu esta tarde na FIL, em Lisboa.

    O Presidente brasileiro referiu-se ainda à inflexibilidade negocial dos países mais ricos, que se têm recusado a pôr fim aos subsídios agrícolas, considerados pelas nações em desenvolvimento como concorrência desleal.

    “Se comprador e vendedor saírem de um negócio com a convicção de que ambos receberam o que era justo, então o acordo é bom. Mas se uns tiverem de fazer mais cedências do que outros, então teremos dificuldade em fazer um acordo”, disse Lula da Silva.

    O chefe de Estado brasileiro acrescentou que não pretende deixar o poder sem que seja concluída a ronda de Doha, o ciclo de negociações iniciado em 2001 pela Organização Mundial para pôr fim às barreiras ao livre comércio, criando condições para o desenvolvimento das nações mais pobres. “Em determinados momentos temos de escolher com que cara queremos ficar para a História. E essa decisão é iminentemente política”, disse.

    http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1298521

  20. Senhore senhores, voltemos ao tópico em discussão. O “post” È sobre a penetração da lingua portuguesa na internet, não se o Golani fo alvo de uma lavagem cerebral bem sucedida.

    Mas antes deixem-me comentar o Lula. Eu estou a tentar gerir uma microempresa num ramo agricola que não recebe subsidios. Este ramo, a apicultura, está a ser demolido, pura e simplesmente. Se acontecesse o mesmo aos outros ramos da agricultura o paìs ardia de vez. E estou a falar literalmente.
    Os subsidios à pastorícia, lavoura e floresta são há já uma década direccionados para a manutenção ambiental. Não interessa a produção. Se eu plantar 10 hectares de montado, fazendo um investimento de trinta mil euros com uma manutenção de 300 por ano a partir do primeiro ano, sei que só a partir de 25 anos depois vou começar a ter um retorno de 4000 euros cada dez anos. Tem toda a lógica que a sociedade pague por esse serviço ambiental.
    Não me importo muito que o patrão Lula deixe que no pais dele vão queimando a floresta amazónica como se não houvesse amanhã, mas não venha queixar-se por cá na europa não fazerem o mesmo.

  21. Golani

    …..não se o Golani fo alvo de uma lavagem cerebral bem sucedida.

    mas agradeço a vossa preocupação pela minha saúde mental … ehehe

    Eu estou a tentar gerir uma microempresa num ramo agricola que não recebe subsidios. Este ramo, a apicultura, está a ser demolido, pura e simplesmente.

    se não recebes subsídios pq q criticas o Lula ?

    tu és um empresário, se estás a levar na cabeça pq q não mudas de actividade ?

    os meus primos são empresários agrícolas na zona do Minho e foram adaptando a sua actividade ás condições do mercado ao longos doa anos: já cultivaram milhos, gado para carne, gado para leite e agora só têm vinha

    recentemente investiram 50.000 euros em Kiwi, mas agora têm que aguardar uns 4 anos para a primeira colheita

    têm tb investido activamente na bolsa, apresenta tx de rentabilidade superiores

    e estão a pensar em recuperar em casa na quinta e entrar nos serviços: espaço para casamento e turismo rural

    Se acontecesse o mesmo aos outros ramos da agricultura o paìs ardia de vez. E estou a falar literalmente.
    Os subsidios à pastorícia, lavoura e floresta são há já uma década direccionados para a manutenção ambiental.Não interessa a produção.

    os subsídios agrícolas beneficiam os grandes, não os pequenos

    metade do Orçamento da UE vai para a PAC q por sua vez subsidia 7% dos europeus (com implicações terríveis sobres os agricultores dos países mais pobres – América latina, África ..)

    Portugal tem das maiores áreas florestais da Europa ( 35% creio)
    a floresta, por vezes chamada de petróleo verde, é um sector de actividade bastante rentável
    Empresas portuguesas estão entre os maiores players, a nível mundial, no sector da pasta, papel e cortiça …. cotadas na bolsa e tudo: Altri, Portucel, Corticeira Amorim, Sonae Indústria…

    esta indústria controla uns 10% da área florestal, onde os incêndios são raros…

    é assim q se preserva a floresta, tornando-a um activo valioso

    Se eu plantar 10 hectares de montado, fazendo um investimento de trinta mil euros com uma manutenção de 300 por ano a partir do primeiro ano, sei que só a partir de 25 anos depois vou começar a ter um retorno de 4000 euros cada dez anos. Tem toda a lógica que a sociedade pague por esse serviço ambiental.

    como tu próprio dizes ..é um investimento…a longo prazo
    e algo q sempre foi feito pelos antigos … qd nem sequer existiam subsídios para nada

    não faz sentido a sociedade andar pagar-te para tu ganhares dinheiro

    Não me importo muito que o patrão Lula ….

    o Lula agora já é patrão ? 🙂

    pensava q tinha sido operário toda a sua vida

  22. “os meus primos são empresários agrícolas na zona do Minho e foram adaptando a sua actividade ás condições do mercado ao longos doa anos: já cultivaram milhos, gado para carne, gado para leite e agora só têm vinha”
    “têm tb investido activamente na bolsa, apresenta tx de rentabilidade superiores”

    Exactamente o que eu pretendia dizer. Evolução em evolução vai-se abandonando os campos. Uma empresa de agropecuária que agora só produz uva, fez umas plantações de kiwi para arrecadar uns subsidiozitos e que está a pensar dedicar-se ao turismo. Infelizmente conheço poucas que não estejam no mesmo estado.

    Felizmente o dinheiro para mim pouco importa, porque mudar de actividade seria mudar de estilo de vida. È diferente de um fulano que trabalha atrás de uma secretária numa emporesa de seguros e muda de actividade ao ir para trás de uma secretária numa empresa de importações. Algo que as tuas estatísticas e recortes de jornais não dizem. Golani è o que vai acontecer quando os campos estiverem abandonados. Há uns anos que temos podido observar o efeito no ambiente que teve o fim da pastorícia nas matas portuguesas. Mas isso não interessa pois não. Porque havemos nós pagar para que um rebanho de cabras controle a vegetação que vai alimentar o incêndio e como bonus produza alimentos de qualidade se podemos comprar aparelhos de combate às chamas à Russia e carne e queijo à espanha? Portugal tem riqueza infinita não tem?

  23. Golani:
    “””mas tás tolo ou quê !?
    é óbvio que estou a usar a terminologia europeia!…..como sempre fiz qd se discutiu estes temas no blog”””

    Ninguém diria. De qualquer forma o meu ponto era o seguinte. Pode-se brincar com as palavras e dizer coisas básicas , slogans que significam uma coisa e significam o seu contrário. E esses slogans da liberdade individual são isso mesmo:slogans. São apelativos e parecem ser umas coisas muito giras e muito correctas, mas não passam de coisas vazias e destituidas de qualquer real significado.
    O que podemos reparar é que o americanos tiveram êxito a vender tretas conceptuais como essas- e que existem crentes acríticos que acreditam nelas.
    O problema é que não deixam de ser tretas à mesma.

    “””talvez pq são os q vendem mais e as produtoras precisam das salas cheias para ganharem dinheiro (ao contrário de muitas produtoras q precisam de subsídios para fazer filmes de depois vendem 64 bilhetes)”””

    Esta então é do mais básico que se pode argumentar. Será que ainda não reparaste que são as que vendem mais, precisamente porque tem o monopólio da distribuição? Como tem o monopólio da distribuição vedam a entrada à concorrência. Fazem aquilo que a PT faz nos telefones. As pessoas incomodam-se muito com o que a PT faz no telefones e não se incomodam coma distribuição de filmes? Se eu tiver o monopólio da distribuição ou quase eu tenho o poder de impor o gosto às pessoas Como tenho o poder de impor o gosto às pessoas, isso leva a que elas só comprem os meus produtos mesmo que os meus produtos sejam uma merda. Isso é o que faz a Microsoft.
    E não tem nada a ver com fazer lucros ou não fazer lucros. O Luc Besson cineasta françês – que tem rios de dinheiro para gastar – faz e financia filmes comerciais e vende tanto ou mais que os filmes americanos. Sabes quem produziu o banlieue 13, falado em francês?
    Essa patacoada dos subsídios nada mais é do que patacoada. Ou tu julgas que na América também não há subsídios? Acorda.

    E a parte dos dvd´s,p2p, alugar não se aplica ao conceito que está aqui em causa.
    Isso são sub produtos e sub conceitos desta lógica.

    “””a tua liberdade acaba onde começa a do teu vizinho”””

    Esta é outra relevante da tua confusão mental e dos teus slogans. Mas alguém acredita ainda nisto desta maneira?
    ó golani, e quem é que define os limites onde acaba a minha liberdade e começa a do meu vizinho? Sou eu? Es tu? É o sr jonh smith que vive no alaska?
    Ou é por sorteio ou cartas de tarot que isto se define? Ou chega-se aí a um sitio , diz-se esta frase, vazia e destituida de qualquer significado real – e está tudo resolvido?
    Ou ainda não percebeste que é para definir liberdades que existe lei?
    Olha não digas slogans.. o lugar de vendedo de slogans já foi ocupado pelo PCP há uns anos atrás e eles não largam o emprego.

    A seguir citas Churchill :e original e tudo, tirada da wikipedia.
    Churchill tinha toda a razão. Infelizmente actualmente estamos no mundo – em qualquer lugar do mundo – muito longe da qualidade da democracia parlamentar que existia em Inglaterra quando Churchill foi primeiro ministro.
    Ou tem alguma comparação o mundo actual com o mundo de há 60 anos?

    Quanto à questão de leres gajos como eu: até pode ser que aprendas alguma coisa. Mas um conselho te dou . Larga os slogans e as grandes frases cheias de pseudo significado. Isso já foi chão que deu uva.

  24. Caro JG: concordo em absoluto com o que diz.

    Discordo completamente com as teorias do Golani que são fruto de um enorme desconhecimento real do que é o interior do país.
    Quanto à conversa do senhor Lula ela é apenas algo de não credível e que demonstra que o Sr Lula é totalmente impreparado para ser presidente do Brasil. É um erro de casting e além disso é um ingénuo que acredita que pelo simples facto de deixarem de existir barreiras comerciais á agricultura isso beneficiará o Brasil, coisa que não é verdade. Mas enfim, deixem-no lá andar convencido disso, que ele está quase a ir embora e depois virá , em princípio , um presidente à sério para o Brasil e não um idiota.

    Caro JG: outra vez e linkando isto com o debate com o Golani o que lhe está a acontecer a si é o mesmo que está a acontecer à industria cinematográfica portuguesa, e a outros sectores, precisamente porque , foi criado um padrão – imposto de fora – de que as coisas deverão ser feitas de uma certa maneira.
    Maneira essa que desprotege completamente sectores inteiros de actividade industrial, ou agrícola ou outras. Sem que daí resulte qualquer lucro palpável ou óbvio para a generalidade da população portuguesa ou para o pais.
    Portanto do ponto de vista estratégico , temos que nos deixar de merdas e de parvoíces do tipo ” vamos mudar de actividade” porque se é um empresário e mais não sei quê porque isto- o que está em causa , é a criação de uma estratégia deliberada para rebentar com pequenos países como o nosso, e conversas acerca do “mercado” nada tem que ver com o que se está a passar.

    O golani então dá um exemplo que á da maior demagogia possível. argumenta em relaão ao caro JG que não faz sentido que o JG seja subsidiado para ter uma exploração agrícola. Pelo meio debita a demagogia das empresas que são grandes players a nível mundial ( em sectores de merda note-se). Quer dizer nos sonhos dos gestores dessas empresas elas são grandes players. Na realidade, o que percebemos é que Portugal é o ÚNICO país da europa ocidental que não tem uma multinacional. O resto é conversa patriótica da treta que nos é vendida na rádio e na televisão amiude.Voltando ao golani: diz que só existem 10% de incendios nessas areas porque as empresas são fantásticas eestonteantes e mais não sei quê.
    Esquece-se lamentavelmente de dizer que depois, quem vem pagar os custos altos da erosão dos solos feitos pela exploração intensiva que é feita por essas empresas, não são essas empresas, mas sim o contribuinte português que lhes sustenta a ineficácia e a degradação da qualidade dos solos noemadamente na questão da agua potavel. Ou isso já não são custos?
    Ou seja indirectamente, essas empresas são subsidiadas não pagando custos ambientais, mas o JG pequeno produtor já não deve ser subsidiado porque não se justifica o trabalho ambiental que faz.
    Ok. Já percebemos.
    Quanto à conversa dos subsídios europeus, o maior beneficiado deles chama-se Rainha de Inglaterra que é o maior proprietário europeu de terras e o que recebe mais subsídios.
    Quanto à conversa dos subsídios, desconheço que qualquer país que queira ser uma potencia não subsidie a sua agricultura.
    E para terminar: os “Livres EUA” subsidiam a sua própria agricultura de cereais.Entre outras coisas.
    Mas são os primeiros a querer o fim da PAC.
    É natural. Rebentar com um concorrente directo é um objectivo a ter-se mais ainda se se mantiver a subsidiação à agricultura norte americana, e não se mantiver a subsidiação à agricultura europeia. Pelo meio arranja-se um argumento: os coitadinhos dos paises de África e da Asia. Quase que ouço as pedras da calçada a chorarem de dor perante esta tão comovente demonstração de preocupação com so subsídios…

  25. Golani

    “Uma empresa de agropecuária que agora só produz uva, fez umas plantações de kiwi para arrecadar uns subsidiozitos e que está a pensar dedicar-se ao turismo. …..”

    naa….sem subsídios !

    Porque havemos nós pagar para que um rebanho de cabras controle a vegetação que vai alimentar o incêndio

    sai mais baratos que meter maquinas….os meus primos tinham uns garranos na quinta para limpar as matas

    é uma solução eficiente para um problema, mas não é uma fonte de rendimento

    e como bonus produza alimentos de qualidade

    e vendem? faz dinheiro?
    ou tb tem que ser subsidiado ?

    se podemos comprar aparelhos de combate às chamas à Russia e carne e queijo à espanha?

    se Espanha mete aqui carne e queijo mais barato há que se questionar como o conseguem fazer … os consumidores irão procurar o melhor preço…só uma minoria, classe média alta é q tem poder de compra para produtos biológicos, certificados, de alta qualidade

    relativamente aos helicópteros e aviões tem uma certa razão …. gasta-se demasiado dinheiro naquilo todos os anos

    os proprietários têm que ser responsabilizados pela limpeza das matas….mas tb é verdade que muitas área de floresta está abandonada, e os registos não estão actualizados, muitas terras não se sabe de quem são

    como referi onde não existem incêndios é na floresta gerida pelas papeleiras ….há q dar relevância económica à floresta, torná-lo um activo valioso

    outras soluções seriam colocar a pop. prisional a limpar as matas, maior intervenção dos militares …

    O que podemos reparar é que o americanos tiveram êxito a vender tretas conceptuais como essas

    o facto do liberalismo ter nascido na Europa deve ser completamente irrelevante para si

    Essa patacoada dos subsídios nada mais é do que patacoada. Ou tu julgas que na América também não há subsídios? Acorda.

    subsídios a filmes q depois vendem 64 bilhetes como em Portugal ? não

    E a parte dos dvd´s,p2p, alugar não se aplica ao conceito que está aqui em causa. Isso são sub produtos e sub conceitos desta lógica.

    não se aplica pq a tua lógica deixa de funcionar … ehehe
    a venda de bilhetes no cinema tem vindo a diminuir, o futuro da “indústria” são os DVD, conteúdos pela net etc…
    com plasmas, dvd´s alta definição e kit home cinema as pessoas cada vez mais vêm os filmes em casa

    ó golani, e quem é que define os limites onde acaba a minha liberdade e começa a do meu vizinho? Sou eu? Es tu?

    a constituição, o estado de direito

    estamos a falar de um regime liberal em que o Estado existe mas que se procura que a sua intervenção na vidas dos cidadão seja a menor possivel

    não em libertário ou anarco-capitalista

    A seguir citas Churchill :e original e tudo, tirada da wikipedia.

    naa…é uma das citações mais conhecidas do homem, é do meu conhecimento já hã muitos anos

    Discordo completamente com as teorias do Golani que são fruto de um enorme desconhecimento real do que é o interior do país.

    cresci ( e ajudei no trabalho) numa quinta até aos 10 anos, toda a família é proprietária de terras, se bem que apenas uns primos meus fazem da terra o seu sustento, um dos meus tios é engenheiro florestal reformado dos serviços florestais de vila real onde teve funções de chefia

    mas obviamente q não sei nada da realidade do interior do pais…tipos como tu é q sabem

    o que está em causa , é a criação de uma estratégia deliberada para rebentar com pequenos países como o nosso, e conversas acerca do “mercado” nada tem que ver com o que se está a passar.

    quem é q está por detrás dessa estratégia deliberada ? tou curioso

    “O golani então dá um exemplo que á da maior demagogia possível. argumenta em relaão ao caro JG que não faz sentido que o JG seja subsidiado para ter uma exploração agrícola. Pelo meio debita a demagogia das empresas que são grandes players a nível mundial ( em sectores de merda note-se). Quer dizer nos sonhos dos gestores dessas empresas elas são grandes players.”

    Altri e Portucel são players a nível europeu com empresas escandinavas
    a Sonae Industria e Amorim são lideres mundiais

    são das pouca empresas que fazem dinheiro com a floresta portuguesa, empregam trabalhadores, mas segundo vc são “sectores de merda”…ok

    Na realidade, o que percebemos é que Portugal é o ÚNICO país da europa ocidental que não tem uma multinacional

    variadíssimas empresas portuguesa estão fortemente internacionalizadas:
    EDP; PT, BCP, Cimpor, Jerónimo Martins, Semapa, Logoplaste, Iberomoldes etc…

    Ou isso já não são custos?
    Ou seja indirectamente, essas empresas são subsidiadas não pagando custos ambientais,

    as empresas têm q fazer estudos de impacto ambiental qd apresentam projectos…os possíveis impactos são ponderados….obviamente se calhar vc preferiria fechar as empresas e continuarmos todos a viver com uma agricultura de substância

    E para terminar: os “Livres EUA” subsidiam a sua própria agricultura de cereais.Entre outras coisas.

    e os Japoneses tb

    Pelo meio arranja-se um argumento: os coitadinhos dos paises de África e da Asia. Quase que ouço as pedras da calçada a chorarem de dor perante esta tão comovente demonstração de preocupação com so subsídios…

    curiosos que seja os próprios países subdesenvolvidos e ong´s a apresentarem este argumentos devido á concorrência desleal da produção subsidiada

    Mas já agora diga-me o que pensa:

    deve ser defensor da saída da UE, não ?

    e, em traços gerais, como procederia à organização politica e económica de Portugal ?

  26. Tem graça que a maior faixa de floresta queimada que já vi foi numa mata da Portucel.
    Mas pronto, se o homem sabe estatísticas e trabalhou até aos 10 anos numa quinta e tem um tio que trabalhou na maior multinacional madeireira…
    O que eu sei è que toda a informação empírica vai contra essas estatísticas que aparecem nos jornais.

    mas comento è para pedir que deixem de me tratar por senhor, eu sei que os agricultores são todos velhos porque não há jovem que se queira meter numa profissão sem futuro mas até há umas excepções de vez em quando.

  27. Golani

    sabe bem que os fogos nas áreas de florestas das celuloses não são tão frequentes ( o q não quer dizer q não aconteçam como é óbvio) e tem razão de ser pq a floresta constitui um activo fundamental para a empresa e eles investem forte todos os anos para preservar esse activo: as empresas juntaram-se e criaram a Afocelca, cujo missão e prevenir e combater os fogos, têm os seus próprios bombeiros e helis, foram as celuloses que foram pioneiras em contratar as brigadas chilenas ( q serviu de role model para o gips e os canarinhos etc..
    só este ano a Portucel vai investir 3,5 milhões de euros em prevenção e combate

    o busilis da questão é tornar a floresta/meio rural um activo valioso onde se possam desempenhar actividades económicas viáveis e sustentáveis
    ….ou discorda ?

    as celuloses fazem-no

    se bem me recordo vc já deu aqui o exemplo uma vez dos estrangeiros q se fixam no interior e conseguem desenvolver actividade económicas

    tb o caso de montesinho (q tb vi na sic) em que o arrendar das terras seria uma fonte significativa de receita para as pop.locais e q não vai para a frente pq uns tipos no parque lá colocado por uns burocratas em Lisboa acham que fica feio

  28. “””Mas já agora diga-me o que pensa:

    deve ser defensor da saída da UE, não ?

    e, em traços gerais, como procederia à organização politica e económica de Portugal ?”””

    ó golani, mas tu brincas ou quê?
    Primeiro mandaste as bocas a julgares que eu era do bloco de esquerda, agora mandas bocas a julgares que eu sou do PCP?

    Por enquanto não sou defensor da saida da CEE. No entanto a partir da pseudo aprovação do novo tratado passo a ser contra a CE.
    Isso é claro. O tratado é ruinoso sob todos os pontos de vista e não só ideológicos.

    E proceder à organização política de Portugal?
    Como uma democracia. Coisa que isto não é.
    Ou assinar acordos internacionais que oferecem ao nosso país a posição privilegiada de ser um país pobre, não produtor de nada, assente em serviços e turismo é que é bom?
    Porque é disso que se trata. É isso que está em causa.
    Mesmo que todo o dinheiro dos fundos comunitários até agora recebido tivesse sido bem aplicado, nós estaríamos na cauda da Europa à mesma.
    E isto tem que ser imputado a quem é responsável por isto. Ou agora não foi ninguém responsável?
    O que sei é que o tratado de adesão assinado em 1986 previa excepções que eram lógicas que fossem previstas na adesão de Portugal para proteger certas áreas estratégicas.
    E a partir de 1992 e Maastricht essas excepções foram retiradas. Agora vemos a merda em que isto está. É por acaso?

    Outra coisa: e para não me alongar muito. a internacionalização das empresas portuguesas só pode ser qualificada como sendo uma merda. Borram-se todos ao fazerem um investimento em qualquer lado. ONDE está uma multinacional portuguesa? Onde?
    Sonae industria? líder de que? estão no 2º ou 3º lugar nos aglomerados de madeiras e mais nada.Isso é uma indústria de ponta?
    Corticeira Amorim é líder de veda de rolhas , mas a industria dos vedantes está a sair da rolha e a migrar para o plástico. Isso é que é um líder?
    a Iberomoldes (curiosamente liderada por um socialista diga-se de passagem) tem escritórios de desenvolvimento tecnológico em R&D em 3 continentes e vende fora daqui mas não é uma multinacional, a Logoplaste está em 5 países, a PT nos teus argumentos é uma merda para certas coisas porque é do Estado mas para ser considerada internacionalizada já serve,quando é uma micro companhia de telefones- a única coisa verdadeiramente boa que tem é a rede movel do estado de sao Paulo, A edp , é uma empresa de merda,que está no Brasil onde perde dinheiro e em Espanha onde se borra toda com companhias espanholas mais pequenas que ela,, a Jerónimo Martins está na Polónia e pouco mais,a semapa tem a internacionalização atrasada e a cimpor está relativamente bem mas não é uma multinacional,apenas entra no ranking das 10 primeiras.
    Bom só se for o BCP , o banco da opus dei/igreja católica, mas isso conta?
    Qual é o grau real de influencia destes micro anões económicos?
    São todos tão bons e quando chegam a 5 países já falam em internacionalização?!

    Quanto à estratégia deliberada para rebentar com pequenos países: basta ver os acordos OMC e o recente tratado europeu- está lá tudo; só não vê quem não quer.

  29. Golani

    Primeiro mandaste as bocas a julgares que eu era do bloco de esquerda, agora mandas bocas a julgares que eu sou do PCP?

    ouça!
    eu não lhe chamei nada, não lhe mandei bocas nenhumas….não me interessa

    Mesmo que todo o dinheiro dos fundos comunitários até agora recebido tivesse sido bem aplicado, nós estaríamos na cauda da Europa à mesma.
    E isto tem que ser imputado a quem é responsável por isto. Ou agora não foi ninguém responsável?
    O que sei é que o tratado de adesão assinado em 1986 previa excepções que eram lógicas que fossem previstas na adesão de Portugal para proteger certas áreas estratégicas.
    E a partir de 1992 e Maastricht essas excepções foram retiradas. Agora vemos a merda em que isto está. É por acaso?

    quando entrámos para a “Europa” há uns 20 anos fazíamos parte do grupo de países mais pobres da união, os PIGS:

    Irlanda é actualmente um dos países mais ricos da mundo, não só da Europa

    Espanha não só está mais rica como se transformou num dos países mais poderosos da União a par dos pesos pesados

    Grécia tb evoluiu positivamente neste período, de uma forma mais modesta

    Portugal, não só não conseguiu acompanhar os seus parceiros como já foi ultrapassado por alguns países que em 90 ainda eram comunistas….todos mais pequenos que nós…..República Checa, Eslovénia, Malta, Chipre

    “PIB por habitante ficou a 75% da média europeia em 2006

    Em Portugal, o PIB per capita manteve-se entre 20 e 25% abaixo da média da União Europeia (UE) em 2006, segundo estimativa do Eurostat publicada esta quinta-feira.

    Segundo indica uma nota do gabinete europeu de estatística, os cálculos comparativos em função do critério PPS (sigla inglesa para Paridade do Poder de Compra), o Produto Interno Bruto (PIB) por habitante variou em mais de sete dos 27 Estados membros da UE.

    Mantendo o cenário de anos anteriores, o Luxemburgo manteve a primeira posição, com o poder de compra mais elevado, ou seja mais de duas vezes e meia (280% face à média estabelecida para a Europa), seguindo-se a Irlanda com 144%.

    Países como o Reino Unido, Suécia, Finlândia, Alemanha e França mantêm-se com rendimentos entre os 10% e 25% acima da média dos Vinte sete.

    O PIB per capita da Itália (104% face à média dos 27) corresponde à média da UE-25, enquanto a Espanha está ligeiramente por cima da média da UE alargada, com um rácio de 102%. A Grécia, Chipre e Eslovénia têm PIB por habitante entre cinco e 15% inferior à média europeia, enquanto Portugal mantém um rendimento equivalente a 75% do valor de referência.

    Atrás de Portugal estão países como a Estónia, Hungria, Eslováquia, Lituânia, Letónia e Polónia, cujos PIBs por habitante se situam entre 30 e 50% abaixo da média. No fim da lista, A Roménia e a Bulgária, com rendimentos 60% abaixo do valor de referência.”

    in http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?id_news=83063

    Irlanda, Portugal, Grécia e Espanha estavam num patamar semelhante há uns 20 anos, tiveram pela frente os mesmo desafios e dificuldades, e no entanto o seu desempenho foi francamente superior ao de Portugal

    o problema é “nosso”, não é da União Europeia, da Globalização, da liberalização…

    Portugal, já o disse aqui, é um estado corporativista, em os políticos se servem do politica para enriquecerem e actuam em conluio com os sindicatos da função pública, ordens profissionais e grupos económicos privados para ganharem eleições e manterem-se no poder

    por isso defendo reformas de índole liberal: menos despesa pública, menos impostos, menos intervenção na economia, menos regulamentação, menos burocracia e entraves……mais privatizações, mais mercado, maior liberdade para consumidores e empresas

    a sua ideia parece ser de voltar ao passado, do “orgulhosamente sós” do Salazar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: