Daily Archives: 2007/07/01

A Globalização e o Dogma neoliberal da “necessidade de redução dos salários e dos direitos laborais” no Ocidente

A consolidação do poder da UMP em França, na presidência da República e no Parlamento vem tornar aguda a questão de saber se os trabalhadores franceses têm direitos laborais “incompatíveis” com as exigências da Globalização e da sacrossanta “competividade internacional” das suas empresas… Um certo colunista do New York Times de nome “Thomas Friedman” advoga a tese segundo a qual os trabalhadores franceses (e europeus, no geral, por interposta pessoa) precisariam “baixar o seu nível de vida, devido à Globalização”.

Este famoso advogado das virtudes do Neoliberalismo e da Globalização (ver AQUI) escreveu profusamente sobre os conflitos entre Cultura, Tradição e Comunidade e a pressão da Globalização no seu livro “The Lexus and the Olive Tree”. Segundo Friedman: “Os franceses tentam preservar uma semana de 35 horas num mundo em que os engenheiros indianos estão prontos a fazer jornadas de 35 horas“.

Os defensores da Globalização tentam impôr a tese dogmática segundo a qual os progressos económicos nos países que mais têm crescido com a Globalização devem impôr uma redução da rede social ou do nível de vida nos países desenvolvidos, como “compensação” e de forma a tornar as suas economias mais competitivas frente a estas “economias emergentes”. Os programas sociais, assentes no modelo do “Estado Social” europeu devem ser drásticamente reduzidos de forma a que o Estado possa também ele reduzir os impostos sobre as empresas e os particulares fazendo com estas sejam assim mais competitivas frente às “economias emergentes”.

Mas a actual riqueza do Ocidente não assenta nos baixos salários, nos baixos impostos, nem na existência de um “Estado Mínimo” (por incompetência, como na China, ou por fraqueza do Poder Central, como na Índia), mas em elevados níveis de Produtividade e de Criatividade que estão directamente ligados a remunerações mais elevadas e a elevados padrões de Consumo… Reduzir a extensão da “rede social” europeia pode fazer cair os impostos a curto prazo, mas vai reduzir considerávelmente as massas de consumidores e reduzir a Moral e afectar assim directamente o desempenho das Economias afectadas… Reduzir as remunerações ou aumentar a duração das jornadas de trabalho, vai reduzir a Produtividade-Hora, os níveis de Consumo e os elevados padrões de motivação existentes nos países mais desenvolvidos, sem lograr nunca alcançar os mesmos níveis salárias e de condições laborais sub-humanos praticados no Oriente… Impossíveis porque lidamos no Ocidente com massas humanas mais bem preparadas, mais informadas e que se não vão tolerar as reduções drásticas de Direitos e de Condições de Trabalho que lhes querem impôr os Gurus da Globalização.

Anúncios
Categories: Economia, Política Internacional, Sociedade, Websites | 4 comentários

A China começa a mostrar alguma preocupação pelo Aquecimento Global… Mas pelas razões erradas?


(http://adbusters.org/the_magazine)

A China que é actualmente o segundo maior poluidor mundial, logo atrás dos EUA, mas que caminha avidamente para a primeira posição dessa triste tabela nos próximos três anos, anunciou recentemente um plano oficial para reduzir as suas próprias emissões de Gases com Efeito de Estufa.

Até agora, o ditatorial governo de Pequim tinha recusado ceder às pressões internacionais para reduzir o nível galopante desses gases com Efeito de Estufa, mas a grave situação ambiental em tantas partes da China, com padrões de poluição atmosférica únicos no mundo e a aptência chinesa para “exigir a transferência de tecnologias não-poluentes” para a China estão a fazer Pequim mudar de posição… Isto é, o maior motor chinês ainda não é a preocupação com o mundo onde vivemos, nós e os chineses, mas aproveitar o balanço para obter do Ocidente a transferência de tecnologia de ponta – energéticamente mais eficiente ou produtora de energia renovável – e assim consolidar o crescimento económico chinês graças aos produtos da Investigação e Desenvolvimento ocidentais e russos, um modelo que esteve na raíz directa dos actuais níveis de crescimento das Exportações chinesas…

Fonte: Le Expansion

Categories: Economia, Política Internacional, Sociedade, Websites | 10 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade