Uma forma alternativa de usar o seu leitor de MP3: Audiolivros

Uma das minhas mais interessantes descobertas recentes em andanças cibernéticas foi ter deparado com a AudioBooksForFree.com um site que nos oferece uma forma alternativa de usarmos os nossos leitores de MP3: para ouvir livros… Ou melhor, audiolivros…

A redução dramática dos preços dos leitores de MP3 popularizou muito estes gadgets e hoje em dia é relativamente comum encontrar pessoas nas ruas e nos transportes públicos com os seus pequenos auriculares brancos, ouvindo música… Mas acedendo ao AudioBooksForFree.com ou a AudioBooks (entre muitos outros) deparamos com uma extensa lista de livros que podemos carregar gratuitamente da Internet e colocar nos nossos leitores de MP3.

De entre muitas centenas, destaco os seguintes:

Count of Monte Cristo (by Alexandre Dumas)

Anarchist (by Joseph Conrad)

Jungle Book (by Rudyard Kipling)

Taras Bulba (by Nikolai Gogol)

Charge of the Light Brigade (by Lord Tennyson)

todos em inglês, infelizmente… Mas completamente gratuitos!

E o “Alan Quatermain” de Rider Haggard (o mesmo autor das “Minas do Rei Salomão”) que actualmente vai preenchendo as minhas longas caminhadas diárias…

Anúncios
Categories: Alquimia, Informática, Livros | 12 comentários

Navegação de artigos

12 thoughts on “Uma forma alternativa de usar o seu leitor de MP3: Audiolivros

  1. Não há, mesmo em inglês técnico, nenhum manual de engenharia civil?…

  2. Excelente dica 🙂

  3. e a lista não acaba por aqui… para os mais abastados há até versões com livros actuais e best sellers actuais (estes links cobrem apenas obras com direitos autorais livres), nomeadamente este que parece ser o melhor dos pagos:
    http://www.audible.com/adbl/site/offers/browseAudio.jsp?BV_UseBVCookie=Yes
    onde está nomeadamente… O “Dune” do Frank Herbert!

  4. sá morais

    OK… Pode ser interessante, mas prefiro o velho suporte de celulose. Tu és uma pessoa que já tem cultura para dar e vender, mas imagina os jovens… Mais um facilitismo para uma juventude que pouco lê…
    Eu sei que é o futuro e tal e coisa… Mas… Alan Quartermain preferiria livros de verdade! 🙂

  5. Eu lembro-me de audiolivros ainda em cassete, era eu puto. A coisa a meu ver (vai voltar a) não vai pegar porque o narrador “polui” o texto com a sua entoação. O texto narrado perde a subjectividade que está entre as linhas. Se o tradutor já tem tantas dificuldades em manter o espirito do texto, imaginem o pobre narrador.
    Bom para livros univocos, limitador para os outros.

  6. Sá: é apenas uma forma alternativa de “ler”… Um novo media para a mesma mensagem… Que importa como se chega à Cultura, se se chega até ela? Sobretudo se estes novos media abrem portas para quem nunca as quis abrir?… Por mim, encaro muito positivamente este possibilidade… E vou levar para as férias as 20 mil léguas submarinas…
    JG: Sim, em cassete… Agora tudo mudou com a popularização dos MP3 (só a Apple já terá vendido uns bons 35 milhões de iPods…) Tenho ouvido romances e um ensaio (a Arte da Guerra), e tive sorte com os leitores… Mas sim, admito. Tudo depende da qualidade do leitor. Neste caso, o do livro do Hagard, era um leitor com um sotaque cockney perfeito, e no outro, alguém que um ligeiro mas nítido sotaque chinês.

  7. e um mercado em expansão. eu gravo alguns para a biblioteca nacional para os leitores invisuais. mas acho que agora ha muitas editoras nacionais a apostar nesse mercado

  8. infelizmente não é ainda nada gratuito (comos os links supra) em língua portuguesa… Audiolivros pagos sei que há muitos (até fui ao lançamento de um, do Sepulveda), mas para download gratuito é que ainda não encontrei nenhum…

  9. Maravilhosa experiência áudio-lendo “The Undercover Economist”

    Viagem de carro Lisboa – Monte Gordo, sozinho, sem graça nenhuma. Mas, por gentileza e empréstimo do meu colega de curso, estas três horas de auto-estrada tornaram-se muito proveitosas. Abri o álbum de CD’s, ilustrado com uma imagem de Dick Tracy no rótulo, Roy Lichtensteinesque, e deixei penetrar o disco a abertura do CD-player.

    Foi a minha primeira experiência com um audiobook em Inglês, o primeiro de 10 CD’s deste audiolivro, sobre teoria básica de Economia.

    Recomendo, apaixonado, áudio-ler este livro. Pois, a compreensão do conteúdo, para mim, tornou-se não só mais rápida, mas ao mesmo tempo, muito mais agradável.

    Assim, o caminho poderia demorar ainda mais tempo, e quando cheguei ao destino da viagem, tive a sensação que assisti à uma verdadeira aula de MBA, duma das melhores universidades do mundo, esperando com alegria a aula na viagem de regresso à Lisboa no dia seguinte.

  10. é verdade… eu, actualmente ando a pé uma boa hora todos os dias… sempre ouvindo ora podcasts (muitos!) ora o meu livro do Haggard…

  11. sulflair

    Clavis Prophetarum,vc quer audiobooks gratis?pois é,deu sorte de aqui eu passar…
    http://www.tudoadedo.com/category/ebooksaudiobooks
    http://www.esnips.com
    bom … que me lembro ate o momento sao estes mas tem +
    se nao me esquecer deste site trago mais novidades ,pois estou fscinado com os livros em audio,acabo de ouvir “o monge e o executivo “por duas vezes e ..olha a qualidade e o tempo que ganhei ,nao me faz arrepender de nada e sim me impulsiona neste maravilhoso mundo,ja que nao tenho tanto tempo assim para “ler”.

  12. Great to see that Audiobooks are popular overseas 🙂

    Contact me cscoggins@dmemedia.com and let me know what you think of the site!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: