Uma Central Nuclear no Alabama foi desligada por causa de um… Hacker?

Em Agosto de 2006 ocorreu um acidente na central nuclear de Browns Ferry no Alabama que parece ter sido o resultado de… um hacker. Os reguladores do sector nuclear americano negaram prontamente a origem do Shutdown do terceiro reactor da central, mas a causa primeira do mesmo esteve naquilo que foi descrito como “tráfego excessivo” na rede ethernet da central, o qual levou à falha das bombas de circulação de água que arrefecem o reactor, um dos elementos mais vitais para manter um reactor fora do estado crítico de meltdown…

De facto, as causas do incidente nunca foram completamente identificadas, mas o certo é que a empresa gestora da Central Nuclear instalou novas Firewalls, o que indica que a causa do sucedido se deveu uma penetração da sua rede interna… O que a confirmar-se não aconteceria pela primeira vez, já que o primeiro caso conhecido aconteceu em 2003 quando um vírus desligou um computador que geria o sistema de monitorização da Central Nuclear de Davis-Besse, no Ohio.

Este incidente indica que as instalações nucleares dos EUA mesmo depois do 11 de Setembro e dos muitos biliões de dólares gastos em Segurança e no novo Departmento do “Homeland Security” existem ainda muitas e graves lacunas no sistema de segurança interna dos EUA… Imaginemos se alguém consegue fazer um reactor americano chegar ao mesmo estado do Reactor 4 de Chernobyl? E isto sem usar meios sofisticados como “bombas sujas”, aviões comerciais caindo sobre o reactor ou lançando um míssil Scud contrabandeado sobre o reactor, mas usando apenas um… pequeno laptop e muito engenho informático? Esta imensa fragilidade (patente, apesar dos múltiplos sistemas de segurança dos reactores) não é de per si um poderoso argumento contra aqueles que como Monteiro de Barros (ver AQUI ) defendem a construção de uma Central Nuclear em Portugal? Uma causa aliás prontamente adoptada pelo embrionário, mas muito ciberactivo, “movimento liberal português”…

Fonte: FoxNews

Categories: Informática | 8 comentários

Navegação de artigos

8 thoughts on “Uma Central Nuclear no Alabama foi desligada por causa de um… Hacker?

  1. É até o que nos está a fazer mais falta cá é isso….
    Sem comentários mesmo que tu disseste o que havia a dizer.
    jinhos

  2. Pedro Tavares

    Como é possível uma coisa destas?

    Julgo que o simples facto de existirem centrais nucleares ligadas ao exterior verdadeiramente patético.

    Se o objectivo é poder controlar a central remotamente (quantos grupos terroristas sonharão com isto?), porque não fazê-lo como fazem os próprios americanos para as suas armas nucleares, via canais dedicados de satélite? Sim eu sei fica caro, mas eu sempre ouvi dizer que o barato sai caro. E parece-me que seria uma solução muito mais segura.

    Que as centrais, como qualquer outro local de trabalho aliás, possam estar ligadas ao exterior é verdadeiramente pacifico, não se pode admitir é que estas ligações sirvam para por em causa o funcionamento dos reactores, e não me falem de firewall’s mesmo as que funcionam por hardware podem ser ultrapassadas (não por mim, obviamente).

    A solução passa por não existirem ligações físicas de rede entre sistemas vitais da central com as aplicações que acedam a redes exteriores.

    Quanto à noticia , isto é mesmo verdade??? Raios parta a ignorância….

  3. Pedro Tavares

    Clavis Prophetarum: No meu ultimo comentário o desabafo da ignorância não era obviamente para ti.

    Certo é que me irrita ver técnicos (supostamente peritos do melhor que existe) cometer erros que qualquer aluno que estude redes e sistemas está proibido de cometer – Sistemas sensíveis devem estar perfeitamente isolados, não há cá firewalls para niguem.

  4. Pedro Tavares

    E agora completamente fora do contexto, já viste isto?

    http://www.space.com/scienceastronomy/070605_mars_hole.html

  5. Pedro:
    “Como é possível uma coisa destas?”
    -> Como é sempre… Muita pressa, algum desleixo e outsourcing massivo…

    “Julgo que o simples facto de existirem centrais nucleares ligadas ao exterior verdadeiramente patético.”
    -> E é certo que estão! Se eles dizem que como resposta ao incidente “instalaram novas firewalls” é porque estão mesmo ligados ao exterior e que esse tal computador (não é redundante!!!) está ligado no mesmo segmento de rede!

    “Se o objectivo é poder controlar a central remotamente (quantos grupos terroristas sonharão com isto?)”
    -> Acho que não… O computador estava ligado na LAN interna e esta foi invadida (aparentemente num puro, bruto e cego ataque de DoS que pode ser barrado antes da fw por muitos packet filtering no mercado…)

    “porque não fazê-lo como fazem os próprios americanos para as suas armas nucleares, via canais dedicados de satélite? Sim eu sei fica caro, mas eu sempre ouvi dizer que o barato sai caro. E parece-me que seria uma solução muito mais segura.”
    -> O problema é que a gestão da central cabe à empresa privada que a construi e mantêm… Embora não tenha percebido bem que de tipo de “empresa privada” se trata: http://www.tva.gov/finance/opportun/index.htm
    “.gov” devia significar “governo americano”, mas a empresa parece privada ainda que inibida de, p.ex. emitir acções…

    “Quanto à noticia , isto é mesmo verdade??? Raios parta a ignorância…”
    -> O shutdown é absolutamente verídico, assim como as dúvidas… Não é certo é que a sobrecarga de dados tenha tido origem num hacker… mas na verdade… vai dar ao mesmo!

    “Clavis Prophetarum: No meu ultimo comentário o desabafo da ignorância não era obviamente para ti.”
    -> Eu sei!

    “Certo é que me irrita ver técnicos (supostamente peritos do melhor que existe) cometer erros que qualquer aluno que estude redes e sistemas está proibido de cometer – Sistemas sensíveis devem estar perfeitamente isolados, não há cá firewalls para niguem.”
    -> Pois… O problema é que cada vez há menos técnicos bem preparados, cá e lá… Os melhores (mais caros) são despedidos e substituídos por outsourcing mal preparado e sem formação… Os que restam estão sobrecarregados… E depois… temos isto.

  6. Pedro:

    Sobre o
    http://www.space.com/scienceastronomy/070605_mars_hole.html
    Não, não tinha ainda visto!

    Mas tem tudo a ver com isto:
    http://movv.org/2007/04/02/sobre-a-descoberta-de-grutas-em-marte/

    e é mais um local onde pode haver humidade… e logo…!

  7. Que irresponsabilidade…

  8. Eurico: Devem ter rolado cabeças, claro… Mas aposto que os verdadeiros culpados (os gestores) se safaram incólumes!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: