Daily Archives: 2007/06/06

Amorim, a filha de Eduardo dos Santos e o Banco BIC

Segundo notícia do Jornal “Público”, Américo Amorim e uma das filhas do presidente angolano, Isabel dos Santos, vão abrir mais um banco em Portugal, o qual será presidido por… Mira Amaral. Trata-se do “Banco Internacional de Crédito de Angola”. Várias questões decorrem desta notícia… Desde logo, Mira Amaral, o mais conhecido e rico de todos os reformados de Portugal que numa conhecida história de uma reforma da CGD em levou 18 mil euros mensais por se “reformar” depois de apenas 1 ano e meio de trabalho… Alías, a esta pensão milionária de 18 mil euros (3231 euros) aos quais ainda soma ainda hoje mais 1800 euros de pensão como deputado e onde deixou muitas saudades pela sua inacção e sonolência constantes.

Agora eis que o “reformado milionário mais famoso de Portugal” retorna à superfície, num Banco, de novo, e acumulando mais um vencimento para a sua lista já extensa de prebendas e rendimentos… E chefiando um Banco com capital de Amorim, um dos maiores empresários portugueses que assim se esquiva de novo a fazer um investimento produtivo e desperdiça o seu Capital fundando mais um Banco, que é mesmo algo de que estávamos mesmo a precisar… Enfim. Amorim gasta o seu dinheiro onde quiser, embora lhe possamos sempre questionar o critério…

Agora sempre gostaria de saber de onde vem o Capital que a família Eduardo dos Santos, e nomeadamente a sua filha Isabel dos Santos… Sabe-se que controla um bom lote de acções da PT, mas que começou a forrar o mealheiro num contrato de uma empresa sua para a “limpeza e saneamento” de Luanda no valor anual de… 10 milhões de dólares. Sabendo-se que Luanda é uma das cidades mais limpas de África, vê-se que a eficiência foi um dos critérios de selecção da “Urbana 2000” de Isabel dos Santos… A filha de Eduardo dos Santos detém 25% do Banco Internacional de Crédito, juntamente com Américo Amorim, a empresa de telemóveis Unitel, uma empresa de móveis portuguesa, empresas ligadas à exploração de diamantes e à hotelaria, quer em Angola, quer em Portugal… De onde vem todo este Capital? Será que o facto de o seu pai, José Eduardo dos Santos, o presidente “vitalício” de Angola ser um dos homens mais ricos do mundo (e o seu povo, um dos mais pobres) tem algo a ver com a origem mais ou menos turva desta fortuna?

Fontes:
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1295227&idCanal=undefined
Público 03 de Abril de 2006

Anúncios
Categories: A Escrita Cónia, Política Internacional, Portugal, Sociedade, Sociedade Portuguesa, Wikipedia | 19 comentários

Quid S8-36: Qual é a “anomalia” desta fotografia?

at.jpg

Dificuldade: 3

Categories: Quids S8, sQuids S2 | 12 comentários

Messerschmitt Me 264


(http://xplanes.free.fr)

Função: Bombardeiro de Longo Alcance.
Dimensões: Comprimento, 20.90 metros; Envergadura, 43 metros; Altura 4.30 metros.
Propulsão: 4 motores a hélice Junkers Jumo 211-J. ou 4 BMW 801D ou ainda
4 BMW G 18.
Velocidade: 565 km/h.
Raio de Acção: 14.000 km (ou 45 horas de vôo).
Armamento: O Me 264V1 transportaria caças Me 328 e Fi 103 além de transportar 1.800 kg em bombas.

Este era um dos vários projectos existentes na Alemanha que visavam a construção de um bombardeiro de grande raio de acção capaz de chegar aos EUA. Destes projectos, o Me 264 V1 era o que tinha começado mais cedo – ainda em 1943, pouco antes do Ju 287 – e que por essa razão se encontrava mais avançado aquando do Dia V. O primeiro protótipo voaria pela primeira vez em Dezembro de 1944 e o segundo seria destruído por um bombardeamento. O Me 264 podia transportar 39.400 litros de combustível e 1.800 kg em bombas. Existiam planos para uma versão só com motores a reacção e para outra propulsionada a carvão (como o Lippisch P13a), mas que nunca ultrapassaram a fase de desenho. Outros planos previam o aumento da carga de bombas à custa do sacrificio do bombardeiro que cairia no mar sendo os tripulantes resgatados por um U-boat.

Categories: As "Armas Secretas" da Alemanha Nazi | Deixe um comentário

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade