Daily Archives: 2007/06/01

Do Ermamento do Piódão e do Esvaziamento do Interior


(o “novo” mapa de Portugal, versão socrática in We Have Kaos in the Garden)

Certo dia, quando liguei a televisão, vi passar uma reportagem sobre a vida na aldeia do Piodão (Arganil), uma das mais belas aldeias portuguesas, situadas na Serra do Açor. A aldeia com 224 habitantes era alvo da reportagem da SIC devido à história do regresso à aldeia de um habitante das cidades que algures na década de oitenta regressara à aldeia para cumprir o trabalho de pastor. Hoje, o dito ex-urbano seria um funcionário das novas Brigadas Florestais, tendo desistido da vida de pastor, pela dureza e fraco rendimento da mesma. Mas este não é o tema central deste artigo…

O tema central é o estado vegetativo em que vive o Piódão e com ele, certamente, uma ampla maioria das aldeias do nosso Interior. A aldeia – que durante séculos foi economicamente solúvel e autonónomante viável – hoje em dia vegeta na mais total dependência do Estado central. Virtualmente todos os ordenados, todos os rendimentos locais dos seus 224 habitantes são provenientes directa ou indirectamente (em segundo grau) do Orçamento de Estado ou do Orçamento do Município de Arganil. Nenhuma ou quase nenhuma riqueza é gerada na aldeia, e consequentemente, nenhuma desta contribui para os rendimentos dos habitantes locais.

Ou seja, dos 224 habitantes, todos, sem excepção (segundo a reportagem) dependem de rendimentos vindos da Administração Central ou Local. Desde a maioria, que são reformados (pensão agrícola, e logo… mínima), aos bombeiros, aos sapadores florestais, ao presidente da junta de freguesia, posto de turismo, todos os empregos parecem resultar directamente do OGE… E mesmo o comércio, o único café da aldeia e a mercearia dependem também destes rendimentos.

O exemplo desta bela aldeia da Serra do Açor não é certamente único ou mesmo raro, neste nosso Portugal cada vez mais enfeudado aos ditames de Bruxelas que sonha em esvaziar o nosso Interior e em Tercializar a nossa Economia, reforçando o estéril sector financeiro (onde temos dos Bancos e Seguradoras mais eficientes e rentáveis do mundo) e destruindo cada vez o que resta do sector produtivo (industrial e agrícola) da nossa Economia. Hoje, em dia, já não é rentável, nem competitivo aos agricultores do Piódão produzir, tal é o dumping de produtos agrícolas do Oriente e – em menor grau – de Espanha. É esta situação que produz um crescente e cada vez mais absoluto ermamento do Interior que urge inverter. Em vez de encerramentos massivos de Tribunais, Hospitais, Urgências, Maternidades, Escolas e de um sem número de outros serviços é vital – pelo contrário – descentralizar, e atribuir aos municípios as competências que o Estado central parece pouco empenhado em cumprir, tornando Portugal numa entidade federal assente numa rede de municípios livres e cooperantes dependendo apenas da Capital nas suas competências de Política Externa e Defesa.

Anúncios
Categories: Agricultura, Economia, Movimento Internacional Lusófono, Política Nacional, Portugal, Sociedade Portuguesa | 28 comentários

Quid S8-33: Que filme é este?

s1.jpg

Dificuldade: 1

Categories: Quids S8, sQuids S2 | 5 comentários

Messerschmitt Me 262 B-1a

A variante de caça nocturno Me 262 B-1a seria construída a partir do A-1a, recebendo o radar SN-2 e um assento na ré para o operador do radar. Esta versão chegou a estar operacional nos últimos meses do conflito, mas em números insuficientes para ter qualquer reflexo real no decorrer do conflito.

O Kommando Welter, a primeira unidade de reconhecimento com estas aeronaves, pouco depois da sua entrada em serviço veria o nome mudado para 10ª Staffel da Nachjagdgeschwader 11. Nos finais de Janeiro de 1945, o primeiro bilugar Me 262B seria entregue no aeródromo de Staaken (nos arredores de Berlim). O radar que o equipava era o FuG 216 Neptun com os controles e visores no lugar da rectaguarda. Embora as antenas exteriores reduzissem a velocidade do aparelho para menos 60 km horários, o Me 262 continuava a ser muito mais rápido que o seu rival nocturno mais comum, o Mosquito britânico. O primeiro caça nocturno deste tipo entrou em operação em Fevereiro de 1945, mas as crescentes dificuldades de produção da Messerschmitt e as ainda mais graves questões de transportes fizeram com que a maioria das acções nocturnas fossem empreendidas por monolugares guiados apenas por projectores de luz, logo, sem radar. Apesar dessas limitações, as três dezenas de Mosquitos que os britânicos perderam sobre Berlim em 1945 foram abatidos precisamente por esses monolugares sem radar.

Categories: As "Armas Secretas" da Alemanha Nazi | Deixe um comentário

E continuam os abusos ligados à Praxe Académica

Já ha algum tempo, a imprensa registou mais uma de várias e recorrentes notícias sobre violências e humilhações diversas executadas durante as ditas “Praxes” universitárias. Desta feita num “julgamento de praxe, em Coimbra, uma das várias vítimas sofreu além da humilhação ritual – para grande gaúdio e contentamento dos praxantes – um corte no escroto e outro ficou ferido na cabeça.

Estes casos reiterados de violência estudantil, ou no termo anglo-saxão que agora se tornou habitual: “bullying” no tristíssimo e vergonhoso exemplo da Escola Secundária de Rio Tinto não estão a merecer das autoridades e das gestões escolares a atenção devida. Quando um grupo de energúmenos embriagado pelo seu nicho de Poder exerce – por via de violências físicas e verbais – o seu Poder contra aqueles que deviam acolher com simpatia e companheirismo e desfaz neles as suas frustações de Dux’s falhados, e frequentemente encalhados durante décadas nos corredores académicos, estamos a deixar que os fortes oprimam os fracos. A Lei, e as autoridades não deviam defender os pobres estudantes que acabam de entrar na Universidade e enfrentam estes gangs organizados de Dux’s e Cantadores de Batina? Porque não se acciona a polícia contra quem usa a violência para humilhar terceiros?

Porque é que as Universidades e as suas direcções não tomam medidas definitivas para parar esta violência e prepotência devidamente condimentada de abundantes doses de abuso de poder e de posição dominante?

Fontes:

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1294896&idCanal=undefined

http://sic.sapo.pt/online/noticias/vida/20070516-Caloiros+queixam-se+de+abuso+em+praxe.htm

Categories: A Escrita Cónia, Bird Watching, Educação, Sociedade Portuguesa | 15 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade