Daily Archives: 2007/05/15

O Grande Ciclo das Coisas… Segundo a cartilha neoliberal


(Imagem de Futuropolis de Fritz Lang in http://www.nodulo.org)

O modelo actual das Coisas, ou seja, o chamado “Liberalismo Económico” ou melhor dizendo, a sua interpretação neoconservadora que se vai impondo pelo mundo fora como “Pensamento Único” e como a “Globalização-que-ninguém-pode-ignorar-ou-combater” está a provocar uma série de fenómenos conexos que importa identificar…

É evidente que apesar de todas as promessas dos economistas do sistema, o Desemprego Estrutural se instalou em todo o Ocidente, dito “Desenvolvido”. E com ele, um excesso de oferta da mão-de-obra o que provoca inevitavelmente uma pressão sobre os Salários e, logo, uma redução massiva do seu peso nas economias nacionais do Ocidente e uma muito sensível redução no Consumo que está na raíz de uma estagnação económica que parece confortávelmente instalada nas nossas sociedades. A este Desemprego Estrutural, corresponde no Oriente, um aumento do Emprego e de alguma melhoria do nível de Vida, não sistemático e aquartelado em alguns escalões profissionais e em alguns gestores dos países cujas economias mais têm crescido no decurso do processo da Globalização (Índia e China, sobretudo). Nestes países, e outros idênticos, multiplicou-se o Trabalho Semiescravo, com uma explosão da jornada diária e com condições e salários muito inferiores aos padrões praticados no Ocidente, recorrendo frequentemente a diversas formas de coação, psicológica e física, como AQUI já abundantemente referimos.

Este movimento para Oriente, que desloca indústrias e fábricas inteiras do Ocidente para o Oriente, esvaziando o tecido industrial do Ocidente e deixando hordas imensas de desempregados e pobreza e transfere as mesmas fábricas para o Oriente produzindo aqui um regime laboral próximo da escravatura ocorre impulsionado pelo poder cada vez maior das multinacionais, cada vez menos numerosas e mais poderosas através de movimentos de fusões e aquisições que parecem antecipar um futuro em que toda a economia mundial será dominada por uma escassa meia dúzia de megacorporações globais.

Perante esta megacorporações globais, os poderes dos governos democraticamente eleitos são cada vez menores e isto explica o aumento radical do poder e da influência destas megacorporações no Poder Executivo e até (e sobretudo) na feitura das Leis, sendo especialmente agudo nas Organizações multinacionais como a União Europeia, a NAFTA e outras que os planeadores das megacorporações querem implementar em todas as regiões do mundo, em torno da criação de moedas regionais comuns e da supressão de todas as barreiras alfandegárias, na boa aplicação da cartilha neoliberal imposta pelo “Pensamento Único”.

Os governos democráticos estão tanto mais reféns destes interesses financeiros e globais porque a sua ascensão ao Poder depende cada vez de campanhas eleitorais cada vez mais dispendiosas e mediáticas que exigem um volume de patrocínios e apoios que já não pode vir das quotizações partidárias, mas somente das contribuição (nunca inocentes nem desinteressadas) dos grandes grupos económicos, que depois lhes cobram contrapartidas, na forma de favores, influência legislativa e adjudicação das chamadas “obras hidráulicas” ou de “regime” de que os absurdos elefânticos chamados Ota e TGV são excelentes exemplos.

Todo este circuito depende de um só elemento: Da existência de maiorias de eleitores insuficientemente informados e, logo, fácilmente manipuláveis em campanhas de marketing político que não correspondem frequentemente à acção dos governos eleitos e que estreitam cada vez mais o universo de votantes efectivos e desmotivam o ingresso na política de “cultivadores de ideiais” e não de “servidores de interesses” como Pina Moura ou tantos outros que ascendem e frutificam nos corredores do Poder.

Em suma, este é o grande ciclo das Coisas, segundo a cartilha Globalista e Neoliberal que nos querem impôr:

Desemprego no Ocidente ->

Semiescravatura no Oriente ->

Poder absoluto das Multinacionais ->

Partidos financiados pelas Multinacionais e grandes interesses económicos ->

Campanhas eleitorais muito dispendiosas ->

Eleitores ignorantes ->

Desemprego no Ocidente -> e volta tudo ao príncipio…

Categories: Economia, Movimento Internacional Lusófono, Política Internacional, Política Nacional, Sociedade, Sociedade Portuguesa | 17 comentários

Quid S8-26: Que super-herói é este?

ad.jpg

Dificuldade: 3

(Réplicas lentas!… Isto é, não sei quando poderei confirmar as vossas respostas…)

Categories: Quids S8, sQuids S2 | 7 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade