Daily Archives: 2007/05/07

Das missões russas e chinesas a Phobos e das “anomalias” deste satélite de Marte

Segundo um acordo assinado recentemente em Moscovo, a Rússia vai lançar um minisatélite juntamente na sua missão “Phobos Explorer” em Outubro de 2009.
Este minisatélite chinês irá acoplado à sonda russa e será largada 11 meses depois da entrada em órbita marciana da “Phobos Explorer” de formar a sondar por sua conta o Planeta Vermelho. Enquanto o minisatélite chinês cumpre o seu trabalho, o “Phobos Explorer” (desenvolvido com a parceria do Instituto Politécnico de Hong Kong) aterra no satélite natural Phobos e regressa à Terra com amostras do seu solo.

A presença deste satélite chinês pode ser vital para o financiamento deste ambicioso programa russo e permitir assim a recuperação de solo de um satélite marciano, neste caso, do misterioso Phobos… Que alguns já sugeriram ser… artificial… As estruturas da sua superfície (capturadas nesta fotografia pela Mars Global Surveyor poderiam reflectir uma estrutura de construção. As perdas das sondas russas Phobos 1 e 2 que deveriam analisar o satélite com um espectroscópio laser e uma aterragem poderiam ter sido vítimas de um mecanismo de defesa… E de facto, as últimas imagens capturadas pela Phobos 2 mostram um… OVNI…

E este mistério poderia explicar esta estranha insistência russa num pequeno satélite de Marte, quando uma missão ao próprio Marte poderia ter muito mais impacto mediático e científico…

A Phobos 2 perdeu-se em 27 de Março de 1989 quando estava a cerca de 50 metros do solo do satélite e estava prestes a lançar os seus dois landers e segundo um artigo da “Nature” de 19 de Outubro de 1989, estaria a girar em círculos devido a um erro de computador (a tese oficial) ou a um impacto com um “objecto desconhecido”.

Alguns investigadores do fénomeno OVNI chamam a atenção para o facto de que Phobos expõem sempre a mesma face para Marte, o que o torna uma excelente plataforma de observação do Planeta Vermelho. Destacam também a uma imensa cratera, muito funda, que poderia ser o ponto de entrada para uma… Base subterrânea. A partir desta cratera saiem uma série de sulcos. Estas anomalias levam alguns a acreditar que Phobos é um asteróide que foi minado e colocado numa órbita “artificial” em torno de Marte por alguma antiga civilização, marciana ou alienígena. Um destes investigadores, Efrain Palermo trabalhou sobretudo numa anomalia de Phobos conhecida como “Monolito de Phobos”, uma estrutura geométrica no solo de Phobos que parece ser de forma piramidal e que poderia ser uma pista adicional para a artificialidade de Phobos.




Fontes:

http://physorg.com/news94297843.html

http://www.ufoindia.org/news_phobos_artificialstructures.htm

http://www.ufologie.net/htm/phobpers.htm

http://www.marsnews.com/news/20020920-phobos2images.html

http://palermoproject.com/Mars_Anomalies/PhobosAnomalies3.html

 

Conhecia a questão da “Anomalia” de Phobos?

1) Sim
2) Não

View Results

Make your own poll

Anúncios
Categories: OVNIs, Referendo da IVG, SpaceNewsPt | 3 comentários

O “Scotty” da Star Trek foi colocado em órbita… Ou pelo menos uma parte dele…

Um foguetão construído por uma empresa privada americana colocou no Espaço uma série de cargas, entre as quais a mais notável de todas… As cinzas do “Scotty” do Star Trek (James Doohan) e o astronauta das missões “Mercury” Gordon Cooper, entre as cinzas de outras 200 pessoas. O lançamento destas cinzas foi organizado pela “Celestis Incorporated“, uma empresa de Houston, EUA, uma empresa de que falaremos mais, num próximo Post…

O foguetão “SpaceLoft XL” alcançou a trajectória suborbital pretendida, transportando as cinzas destes dois notáveis e um conjunto de 44 experiências científicas de jovens estudantes de vários países, desde os EUA até à Holanda.

O foguetão mede apenas 6 metros de altura, tem único estágio e usa combustível sólido para alcançar uma altitude máxima de 225 Km com uma carga útil de 25 Kgs.

O primeiro lançamento do SpaceLoft XL correu mal, caindo no solo após apenas 90 segundos de vôo (sorte para o “Scotty” não ter tido tão inglório final…), mas as correcções aerodinâmicas corrigiram a causa do problema.

Hum… Onde é que pûs mesmo o rascunho do meu testamento?

Fonte: Space.com

Categories: SpaceNewsPt | 3 comentários

sQuid S2-46: Como se chamaria esta estrutura?

czzzt.gif

(esta imagem é mais realista)

aasdt.jpg

Categories: Quids S6, sQuids S2 | 11 comentários

Ilha de Mayda

A ilha de Mayda é geralmente colocada perto da Ilha Verde. À semelhança do escolho de “Green Rock” o seu nome mantêm-se ainda no de um outro escolho, situado perto do primeiro, cujo nome permanece “Maida”. Esta ilha é geralmente representada sob a forma de um crescente e a sua posição mais comum é a Oeste da parte inferior da Bretanha e aproximadamente a Sudoeste da Irlanda. O nome conhece diversas formas desde Maida, Mayd, Mayde, Asmaida e ainda Asmayda. Nos mapas do século XVI a ilha ainda é apresentada, embora esteja omissa dos mapas de Ruysh (de 1508), Coppo (de 1528) e Ribero (de 1529). A partir de meados deste século desaparece e, aparentemente, é substituída pela ilha de Man, associação que sempre parece ter existido.

A ILHA DE MAYDA TRANSFERE-SE PARA AS COSTAS AMERICANAS

O mapa Desceliers de 1546 mostra na latitude de 47 graus esta ilha, aliás, na mesma longitude de São Miguel. O mapa de Nicolao (de 1560) e Zaltieri (de 1566) transferem-na para as águas do Labrador, Nicolao chama-lhe “I man orbolunda”. Zaltieri mantêm o nome Mayda e coloca-a também claramente em águas americanas. O nome de Nicolao “orbolunda” é, para nós, um mistério, que merece uma investigação mais profunda, que não pudemos completar. Ramusio, em 1566, coloca a sua “Man” a Sul do Brasil, nas proximidades das costas irlandesas.

SOBREVIVÊNCIA DE MAYDA EM MAPAS TARDIOS

A ilha sobreviveu na cartografia até tempos relativamente recentes, o mapa de Nicolaas Vischer de 1670 mostra uma “L’as Maidas” na longitude da Madeira e na latitude da Bretanha, um mapa mundi do “Atlas Universel” de M. Robert (1757) possuí uma “I.Maida” na longitude da Madeira e na longitude da Gasconha. Também uma carta do Oceano Atlântico publicada em Nova Iorque em 1814 mostra ainda Mayda na longitude 20 graus Oeste e na latitude 46 graus Norte.

IDENTIFICAÇÃO DA LENDA COM ALGUNS FACTOS REAIS

A identificação com a mais ocidental das ilhas açorianas tem sido proposta por vários autores. Mas o Mapa Laurenziano de 1351 e o “Livro do Monge Espanhol”, escrito em meados do século XIV, mostra todas as ilhas do grupo açoriano, entre as quais a ilha do Corvo juntamente com Mayda. Também Man, ilha frequentemente associada a Mayda, é diversas vezes representada com o arquipélago açoriano completo.

Lembremo-nos que inicialmente se pensava que o Labrador era uma ilha, o que a transforma num forte candidato a identificação com Mayda, por outro lado, mais a Sul, as Bermudas apresentam igualmente boas hipotéses na identificação.

ORIGEM ARÁBICA DA DENOMINAÇÃO “MAYDA”

Logo após a conquista da Hispânia é possível que navegadores islâmicos se tenham feito ao Atlântico. Parecem ter dado nomes a algumas das ilhas dos Açores, pelo menos é isto o que se depreende da leitura do tratado de Edrisi e de outras obras muçulmanas.

A ilha “Asmaidas”, um nome de ressonância arábica, aparece num mapa do Novo Mundo da edição de um Ptolomeu de 1513. Mas não se deve associar necessariamente esse prefixo talvez arábico à origem arábica do nome da ilha. Mostra-se que esta associação pode ser abusiva quando no mesmo mapa nos aparece Gomera transformada em Agomera, Madeira em Amadera, e Brasil em Obrassil. Trata-se assim, muito possivelmente, de um artifício de escrita. De qualquer modo, embora a origem árabe do nome desta ilha fique por esclarecer, o nome Bentusla (ou Bentufla) aplicado a uma ilha em forma de crescente do mapa Bianco de 1448 pode ter efectivamente, segundo Babcock, uma origem arábe.

Categories: As Ilhas Míticas do Atlântico | Deixe um comentário

Quid S8-20: Que série de televisão é esta?

asassse.jpg

Dificuldade: 3

Categories: Quids S8, sQuids S2 | 5 comentários

Querem afundar com a Internet…

Desde começos de Março que está a decorrer um violento e sistemático ataque à mais básica e essencial estrutura de suporte da Internet: Os root servers de DNS da Internet… Com efeito, cada vez que navegamos na Internet com o Mozilla Firefox (recomendo!) ou com o menos seguro Internet Explorer 6/7 e escrevemos, por exemplo, MovV.org, enviamos um pedido de resolução deste nome pelo endereço TCP/IP que lhe está assignado e o computador começa por perguntar à cache local do PC qual é o IP, se não constar desta, pergunta à Cache do DNS server do nosso ISP (Netcabo, Cabovisão, Sapo, etc.) depois, se o MovV.org não constar desta, este DNS Server interroga o servidor responsável pelo domain “.org” que responde pelo “MovV” e acima deste, pode mesmo perguntar ao DNS server que está acima do “.org”, nomeadamente ao “.” que ainda que não seja escrito por nós nos Browers, de facto, está sempre lá… Isto nós escrevemos http://Movv.org e o Browser soma sempre um “.” ficando na forma http://MovV.org.“. Foram precisamente os servidores que respondem pelo “.” que foram e estão a ser atacados.

Se forem bem sucedidos e estes servidores ficarem indisponíveis, a maioria dos ISPs não serão imediatamente afectados devido ao mecanismo de Cache de que falei acima, mas ao fim de 2 ou 3 dias, a Cache vai expirar e começarão os problemas à escala global, com uma série disrupção no serviço de resolução de nomes à escala… Universal… (okokokokok “universal” é meio exagero, já que as amebas mutantes de Marte e os peixes de oito olhos de Ganimedes não serão afectados…)

Quem gere estes seis servidores do “.” é uma entidade não-lucrativa sediada nos EUA conhecida como ICANN e esta reconheceu oficialmente que três destes seis servidores DNS estão a ser atacados sistematicamente e permanente desde o começo de Março, um ataque que parece proveniente da China e da Coreia do Sul. Os ataques são de “força bruta”, procurando comprometer o funcionamento destas máquinas através de ataque de “Denial of Service” (DoS), dois destes servidores ficaram praticamente indisponíveis e o sistema só conseguiu resistir devido a uma tecnologia de balanceamento de carga usada nestes servidores (AnyCast), mas algo é certo… Alguém está a tentar afundar a própria estrutura da Internet e aparentemente trata-se de alguém que tem ramificações internacionais extensas por todo a Ásia.

Fonte: http://www.icann.org/announcements/factsheet-dns-attack-08mar07.pdf

Categories: Informática | 5 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade