A Ilha de Buss

DESCOBRIMENTO DA ILHA DE BUSS

A descoberta desta ilha é-nos dada a conhecer por Best e foi publicada numa compilação de Hakluyt sobre a terceira viagem de Frobisher (datada de 1578). Nesta, um dos navios da expedição, o “Emmanuel” fez uma descoberta (note-se que “buss” é um tipo de pequena embarcação de pesca): “The Buss of Bridgewater, as she came homeward, to the southeastward of Frisland, discovered a great island in the latitude of 57 degrees and a half, which was never yet found before, and sailed three days along the coast, the land seeming to be fruitful, full of woods, and a champaign country.” (79)

Posteriormente surgiu o relato de uma testemunha ocular, “Thomas Wiars, a passenger in the Emmanuel, otherwise called the Busse of Bridgewater”, referido por Miller Christy (80). Esta testemunha afirma que largaram de Frisland (segundo Babcock, uma parte da Groenlândia) a 8 de Setembro e, a 12, chegaram a esta ilha, rodearam as suas costas por dois dias. Afirma que nela existia muito gelo, omitindo as referências paradisíacas do parágrafo anterior, o que reforça a credibilidade desta testemunha.

DESAPARIÇÃO DA ILHA DE BUSS

Os esforços para chegar a esta ilha, após o seu descobrimento, foram todos eles frustados. Começou-se então a sugerir hipóteses para explicar o seu súbito desaparecimento. Van Keulen, numa Carta de 1745 incluia a seguinte inscrição: “The submerged land of Buss is nowadays nothing but surf a quarter of a mile long with rough sea. Most likely it was originally the great island of Frisland”. A partir daqui a denominação “Sunken Land of Buss” ter-se-ia tornado corrente.

Categories: 9/11 Denial, As Ilhas Míticas do Atlântico | Deixe um comentário

Navegação de artigos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

<span>%d</span> bloggers like this: