Depois de 200 anos de serviços exemplares, os Gurkhas do Exército Britânico conseguem direitos idênticos aos dos seus companheiros britânicos


Soldado Gurkha em operações no Afeganistão (http://www.army.mod.uk)

Finalmente, depois de séculos de serviços prestados à Coroa Britânica e tantas vezes recompensados apenas com o sangue e as vidas derramadas, os soldados Gurkhas conseguiram obter do Governo de Sua Magestade pensões e direitos de Férias idênticos às dos restantes militares das forças britânicas.

O processo começou há dois anos, sob pressão de associações Gurkhas no Nepal, de onde são oriundos estes famosos e eficientes mercenários do Exército Britânico, o Ministério da Defesa do Reino Unido cedeu nas posições anteriores que defendiam que os Gurkhas que regressavam ao seu país natal deviam seguir os padrões de vida locais no que concerne ao níel das suas pensões. Mas o argumento começou a cair por terra porque a maioria dos soldados Gurkhas que se retiram ficam no Reino Unido e nunca mais regressam ao Nepal, tendo que sobreviver no Reino Unido com uma pensão que é… Seis vezes inferior à dos seus congéneres britânicos…

Infelizmente, a medida não vai englobar os 22 mil Gurkhas que já se retiraram do serviço activo e que vivem no Reino Unido, mas com pensões compatíveis apenas com o nível de vida no Nepal…

Existem actualmente 3400 soldados Gurkhas ao serviço do Exército Britânico reunidos na Brigada Gurkha actualmente cumprindo missões no Afeganistão e que resultam de uma das selecções mais exigentes de todo o mundo… Todos os anos 28.000 jovens nepaleses concorrem e apenas 200 são escolhidos através de um conjunto de provas físicas extremamente exigentes, mas que produzem um dos corpos militares mais eficientes do mundo com provas dadas na Guerra das Falklands e mais recentemente durante as operações de pacificação em Timor Leste, após a Independência.

Fontes:

BBC Online

Times Online

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci | 10 comentários

Navegação de artigos

10 thoughts on “Depois de 200 anos de serviços exemplares, os Gurkhas do Exército Britânico conseguem direitos idênticos aos dos seus companheiros britânicos

  1. Nada mais justo e uma medida que só peca por tardia.
    abraço

  2. e que revelava uma injustilça absurda e economicista que ignorava os excelentes serviços que os gurkhas têm prestado à coroa britânica… todos os 40 mil que já lhe prestaram serviço em todas as guerras travadas pelo RU…

  3. Golani

    vocês stressam com cada coisa …ehehe

    eles recebiam as pensões conforme o nível de vida do seu pais natal, para onde regressam no fim da comissão militar

    como diz o artigo este problema começou a colocar-se nos últimos anos porque muitos ficavam em Inglaterra, face a isto, a situação foi agora resolvida: “os soldados Gurkhas conseguiram obter do Governo de Sua Majestade pensões e direitos de Férias idênticos às dos restantes militares das forças britânicas”

    problem solved

    já agora uma critica construtiva, que tal gastares mais tempo a analisar a nossa realidade em vez de criticar a realidade dos outros (geralmente americanos e aliados ehehe)

    em Portugal deixamos para trás militares negros pós 25 Abril, muitos foram assassinados (como os Comandos Africanos na Guiné), temos vários cemitérios militares abandonados pelo “império” e muitos soldados desaparecidos (os para estão actualmente a tentar recuperar os corpos de 3 camaradas na Guiné)

  4. Golani

    uma outra questão, o que pensam do Etanol como alternativa energética

    o Chaves não gosta de Etanol…porque será ? eheheh

    ” Chávez critica plano de etanol de Lula e Bush
    Publicado em 12.03.2007, às 22h18

    O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, criticou hoje a produção de etanol em larga escala, afirmando que ela tem limitações “técnicas e éticas”. Semana passada, seu colega brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, assinou um memorando com o presidente americano, George W. Bush, para promover a produção de etanol e disseminá-la pela América Latina. Na Jamaica, a caminho ao Haiti Chávez pediu às nações latino-americanas para que utilizem suas terras produtivas para plantar alimentos, e não combustíveis.

    Chávez, que promove uma viagem pela América Latina e o Caribe para rivalizar com o giro de Bush pelo continente, manifestou dúvidas diante da viabilidade da produção de etanol em larga escala. O etanol competiria com o petróleo da Venezuela, que é um dos maiores produtores do mundo. “Saibam vocês que só a Venezuela produz três milhões, ou um pouco mais, de barris de petróleo diários. Para produzir três milhões de barris de etanol por dia, acho que teríamos de plantar milho e cana em todo o território existente no mundo, inclusive nas cidades”, disse Chávez.

    “Nós estaríamos usando as terras férteis que temos disponíveis, a água, que não é muita, tecnologia, maquinaria, fertilizantes, etc, para produzir alimentos, não para o povo, mas para os carros dos ricos”, afirmou. “Quero dizer à Colômbia, Brasil, Jamaica, e a todos os países irmãos, com muita humildade, que utilizemos nossas terras para produzir alimentos para o povo. Na América Latina e no Caribe, há cerca de 300 milhões de famintos” acrescentou.

    Chávez disse que falará, “o mais rápido possível”, com Lula sobre o assunto. Bush e Lula assinaram sexta-feira, em São Paulo durante a primeira escala da viagem do americano pela América Latina, um memorando de entendimento para incentivar o uso do etanol. As produções de etanol dos EUA e Brasil juntas representam 73% do total produzido no mundo.

    Fonte: Agência Estado”

  5. Golani:

    “vocês stressam com cada coisa …ehehe”
    mas quem está stressado?!… só mesmo os pobres dos gurkhas que vivem no Reino Unido com uma pensão seis vezes inferior à dos seus camaradas de armas…

    “eles recebiam as pensões conforme o nível de vida do seu pais natal, para onde regressam no fim da comissão militar”
    parece que não… que a maioria não regressava e que parecia poder não o fazer (como é justo) e sendo assim porque não eram aplicados a estas as pensões adequadas e não aquelas que só seriam justas se pagas no Nepal? E aliás, se eles cumpriam serviço no RU porque não recebiam logo pelos padrões deste? Não se pretendem com a Pensão recompensar uma vida de sacrificios e serviços em tudo idênticos (ou ainda superiores) aos dos seus camaradas ingleses e escoceses?

    “já agora uma critica construtiva, que tal gastares mais tempo a analisar a nossa realidade em vez de criticar a realidade dos outros (geralmente americanos e aliados ehehe)”
    Ora… também analiso a nossa realidade… Repara bem no nº de posts da categoria “Sociedade Portuguesa”… E olha que este assunto em particular só o encontrei mesmo em fontes britânicas, sinal de que o tema é mesmo relevante por lá, não somente naqueles “cascadores do Ocidente” um nº no qual eu não me encontro, como se pode depreender da leitura das minhas crónicas…

    “em Portugal deixamos para trás militares negros pós 25 Abril, muitos foram assassinados (como os Comandos Africanos na Guiné), temos vários cemitérios militares abandonados pelo “império” e muitos soldados desaparecidos (os para estão actualmente a tentar recuperar os corpos de 3 camaradas na Guiné)”
    Bem verdade. E igualmente escandaloso. Concordo.

  6. R.Afonso lobo

    Nada mais justo e merecido, soldados nepaleses os melhores do mundo em coragem e desempenho no front, sempre defenderam com lealdade os intereces da do Reino Unido finalmente comtemplados com direitos de igualdade com os soldados ingleses.

  7. bom saber que esses bravos soldados vão receber o reconhecimento devido pelos serviços que tem prestado a cora britânica mesmo que seja com 200(e malignos anos!!!) de atraso

    aqui vai o site onde ouvi falar deles pela primeira vez:
    http://tropaselite.t35.com/UK_GURKHAS.htm

  8. mas estava difícil, hem!

  9. Falando em Guine me veio a recordo da operação Mar Verde, tão injustamente ignorada nos países lusófonos, principalmente o meu!

    É meio estranho que o artigo da wikipeida em inglês seja maior que o em português, considerando que foi uma operação executada por portugueses.

    http://blogueforanada.blogspot.com/2006/05/guin-6374-dccxxxii-onde-que-vocs.html

    http://agualisa6.blogs.sapo.pt/35531.html

    http://bissauccac13.com.sapo.pt/BissauConackry.html

  10. A Mar Verde é bem conhecida, aqui, após ter sido silenciada pelo regime de Salazar, Fadrini.
    Não será do conhecimento público – apenas por ignorância popular – mas ultimamente têm havido várias reportagens que versam sobre este episódio menos conhecido da guerra do ultramar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: