Daily Archives: 2007/03/05

O Irão entra no Clube Espacial…

(http://www.globalsecurity.org)

O Irão lançou um foguetão, que segundo este país do Médio Oriente, alcançou o Espaço (provavelmente numa trajectória suborbital) e confirmou os seus planos de lançar cinco satélites até 2010. O foguetão foi construído no Irão, pelo Ministério da Ciência e Tecnologia em parceria com o Ministério da Defesa, o que indica que se tratou de um desenvolvimento de um míssil militar, provavelmente um Shahab-4, uma variante mais potente do Shahab-3.

O Irão, já possui em órbita um destes cinco satélites, lançado por um foguetão russo Cosmos, o Sina-1, em 2005.

A rede de satélites que o Irão pretende instalar terá uso civil, para servir comunicações telefónicas móveis e fixas no Irão.

Depois do programa nuclear civil (ou não…), das supostas (mas quase certas) ambições iranianas de se juntar ao restrito clube de países que possuiem a Arma Atómica, o Irão ambiciona agora tornar-se também uma potencia espacial, e graças à tecnologia importada da Coreia do Norte e às suas capacidades técnicas e industriais está efectivamente em posição de se tornar em tal… E uma vez consolidada esta primeira fase do seu programa espacial, cedo o Irão vai embarcar na mesma via propangandística de colocar em órbita um seu astronauta, à semelhança da China e da Índia…

Todos estes passos parecem enquadrar-se na profunda ambição iraniana de se tornar numa superpotencia global, financiada pelas verbas das exportações petrolíferas e pelo fervor shiita… Mas será possível alcançar tal patamar quando no seio da própria República Islâmica existem ainda tantas camadas da população vivendo no limiar da pobreza e em pleno século XVIII?…

Fonte: Space.com

Categories: SpaceNewsPt | 8 comentários

sQuid S2-3: Que avião é este?

dl5.jpg

Categories: Quids S6, sQuids S2 | 4 comentários

4. As Origens da Escrita Cónia; 4.6.1. A Escrita Fenícia

Dada a importância que a Escrita Fenícia parece deter para a boa compreensão da natureza da Escrita Cónia iremos de seguida dedicar algumas linhas aquela que foi a primeira escrita alfabética conhecida.

Os mais antigos textos que utilizam a escrita fenícia datam do primeiro milénio a.C. Já nessa altura se utilizavam vinte e dois símbolos consonantais, embora se discuta se se tratava de um verdadeiro alfabeto ou se, pelo contrário, se tratava de um silabário em que a presença da vogal era assumida junto de cada consoante, algo que justificaria a total ausência de representação de vogais puras neste sistema de escrita.

4.6.2. Outras Escritas Derivadas do Fenício

Como concluímos mais atrás, a Escrita Cónia resultou de um processo de adaptação a partir do alfabeto fenício, um processo que pode ter tido a mediação do Reino de Tartessos. É assim importante estudar também as outras escritas que conheceram processos idênticos. Falamos das escritas do chamado Ramo Colonial Fenício. Este agrupa três variedades:

4.6.2.1. A Escrita Cipro-Fenícia

Utilizada na Ilha de Chipre entre os séculos X a os II a.C. Trata-se de uma escrita linear, com um total de 45 símbolos geométricos. Todos os signos têm valores fonéticos de sílabas abertas (como ka, ne e ru) ou de vogais. Permanece por traduzir, embora David Diringer suponha que a população era de raça arménia e que podia ter algumas afinidades com a dos hititas.

4.6.2.2. A Escrita da Sardenha

A Escrita da Sardenha poderia ser a que mais impacto teria no nosso estudo. Com efeito, o sardo é uma língua que a maioria dos autores identificam como “mediterrânea”, como julgamos suceder com a cónia e também à semelhança desta utilizou como ponto de partida o alfabeto fenício. Os processos de adaptação fonética e de caracteres podiam portanto ser de grande importância. Infelizmente, existem apenas duas inscrições incompletas e uma completa, a chamada “Pedra de Nora”, todas datadas do começo do século IX a.C. Este diminuto conjunto não permite obter dados suficientes sobre esta escrita e faz com que seja de reduzida utilidade para o nosso estudo da escrita cónia.

4.6.2.3. A Escrita Cartaginesa

Ironicamente, foram os cartagineses e não os fenícios que mais contribuíram para a difusão do alfabeto fenício. Para além do cartaginês propriamente dito, que se dividia em monumental e cursivo, duas outras escritas resultaram directamente da sua influência. Falamos da Escrita Líbia (ou Numídica), usada pelos antepassados dos actuais berberes do norte de África e as escritas ibéricas, utilizadas no lado Oriental do Guadiana pelos Tartessos e povos relacionados. A Escrita Líbia desenvolveu-se transformando-se na Escrita Tamacheque que os tuaregues usam ainda hoje, enquanto que as escritas ibéricas – que analisámos mais acima – influenciaram certamente a fase final da Escrita Cónia numa medida em que a escassez das inscrições nos tornam difícil de avaliar, mas num âmbito que tentaremos determinar na segunda parte deste trabalho.

Categories: A Escrita Cónia, História | 2 comentários

Quid S7-4: Que asteróide é este?

ddddn.jpg
Dificuldade: 5

Categories: Filmes, Quids S7 | 6 comentários

Rodrigo

Um nosso companheiro de lides blogoesféricas teve um filho que veio ao mundo antes do tempo, o Rodrigo que nasceu a 3 de Fevereiro e que anda agora pelas alas de neonatologia crescendo o bastante para ir para casa…

Deixo aqui o convite para enviarem para rodrigo.sazinho@gmail.com uma mensagem de incentivo ao Sá Morais.

Categories: A Escrita Cónia, Sociedade Portuguesa | 6 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade