Descobrimento dos Açores, No Século XIV

O Descobrimento dos Açores, No Século XIV tem em conta a referência a ilhas na cartografia medieval, as quais se poderiam identificar com algumas ilhas do arquipélago açoriano:

-> Isto surge nomeadamente em mapas genoveses do século que, a partir de 1351, mostram ilhas que alguns têm associado aos Açores, ilhas que teriam sido descobertas em viagens que rumavam ao arquipélago canarimo e que teriam sio sujeitas à acção dos ventos do Atlântico ou de violentas tempestades que as desviaram da rota. O arquipélago teria sido encontrado casualmente no decurso de viagens utilizando técnicas de navegação pré-astronómicas.

-> Nunca se falou delas porque não havia um interesse imediato, o qual só surgiria a partir do século XV;

Esta é a tese defendida por Ferreira de Serpa.

Existem mapas genoveses, que a partir de 1351 mostram ilhas que têm sido vistas como os Açores, ilhas que teriam sido descobertas no decurso de viagens até às Canárias.

Anúncios
Categories: Economia, História, Os Descobrimentos Portugueses, Sexo Tântrico e Budismo | 1 Comentário

Navegação de artigos

One thought on “Descobrimento dos Açores, No Século XIV

  1. Lá estão os Italianos mais uma vez. A ser verdade tivessem reclamado as ilhas. essa gente não nos deixa ter nada de nosso. Que levem os santos, mas deixem as ilhas.
    abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: