O “PAK FA”, o caça de Quinta Geração Russo (Su-47 e MiG 1.44)


Projecto Sukhoi Su-47: (http://www.deagel.com)


Projecto Mig 1.44 (http://www.deagel.com)

O projecto PAK FA é a tentativa russa de construir um caça de Quinta Geração que está a envolver as três maiores construtoras russas: Mikoyan, Yakovlev e Sukhoi. “PAK” significa “Perspektivnyi Aviatsionnyi Kompleks Frontovoi Aviatsyi“, ou seja “Futuro Complexo Aéreo para as Forças Aéreas Tácticas”.

O PAK FA deverá substituir os aparelhos MiG-29 e Su-27 ainda em serviço em grandes números na Força Aérea Russa e deverá ter o seu primeiro vôo em finais de 2007, entrando em serviço algures entre 2012 e 2015.

O projecto começou nos finais da década de 80, ainda durante a existência da União Soviética e ao desafio do Governo responderam as fábricas Sukhoi com o Su-47 e a Mikoyan com o Project 1.44. Só em 2002, é que, contudo houve alguma decisão, sendo a Sukhoi seleccionada para dirigir a concepção do aparelho, mas foi decidido que este deveria incluir tecnologia das duas propostas, fundindo-as numa única, ainda que sob a direcção da Sukhoi.

Sabe-se muito pouco do projecto PAK FA… Mas é quase certo que deverá incluir tecnologia furtiva, ser muito rápido, capaz de operar os mísseis ar-ar, ar-terra e ar-mar mais sofisticados, assim como incluir um radar AESA. A propulsão estará a cargo de um motor AL-41F ou de uma sua variante mais avançada.

Actualização: clique AQUI !

Fontes:

Wikipedia

http://www.deagel.com/Strike-and-Fighter-Aircraft/PAK-FA_a000333001.aspx

Qual deverá ser a selecção do Programa FX-2?
1) Rafale C
2) Typhoon
3) Gripen N
4) F-16C Block 60
5) F-18E/F
6) F-35 Lightning II
7) Sukhoi Su-35

View Results


Categories: Brasil, DefenseNewsPt | 76 comentários

Navegação de artigos

76 thoughts on “O “PAK FA”, o caça de Quinta Geração Russo (Su-47 e MiG 1.44)

  1. Nito

    Tendo em conta o que a Sukhoi, Mikoyan e Yakovlev mostraram nos últimos tempos,
    (Su-37 e o Berkut, Mig29M-Mig 1.44 e o Yak-141) tem de ser um avião rápido, versátil, furtivo “qb” vector-thrusting e mais barato que o F-22

    http://www.migavia.ru/eng/production/?tid=1

  2. e concorrencial no mercado contra os programas chineses idênticos… já que do lado Europeu nada de comparável está nas pranchas de desenho (incompreensivelmente…)

  3. “Futuro Complexo Aéreo para as Forças Aéreas Tácticas”
    Bem, até agora o futuro tem realmente sido… complexo para estas propostas… Vamos a ver o que emerge agora.

    O problema europeu começou à muito tempo… Quando por exemplo surge o “defence white paper” inglês de 1966 que deita no lixo excelentes projectos e ideia inovadoras como o TSR-2. Nesse momento, a europa e os incriveis construtores de Spitfires de duas decadas atrás, ficaram irremediávelmente para trás. E o que compraram mais tarde? Phantoms…
    No Canadá, a mesma triste história… Com o CF-105 Arrow. Imaginem se esses aparelhos tivessem tido vida operacional e sido ainda mais desenvolvidos…

    Abraço!

  4. Ultramar

    Rui, o PAK FA é o T-50, não? E o mesmo terá um pouco do berkut e do Mig 1.44, mas não será nem um nem outro, é isso? Então… achas que os russos farão o PAK FA e também o berkut? Sei que vc já disse que eles têm condições de fazer os dois, mas…achas que farão? Será muito bom se eles não deixarem o berkut “morrer”… Veja na foto acima (uma das melhores) como seu desenho é esplêndido, magnífico, excelente! Esse, sim, parece um caça do século XXI! Só deveria ser o protótipo todo negro ( como o Firefox!) e não ter aquele nariz branco… Já o Mig 1.44 parece avião chinês ou daquelas séries japonesas tipo “Ultraman”. Ou das séries de ficção norte-americanas dos anos 60 ou 70. Horrivel!

  5. acho que sim… é um projecto híbrido, assim definido para manter vivas as duas maiores fábricas aeronauticas russas: a Mig e a Sukhoi… A primeira em particular tem tido algumas dificuldades, pela falta de novos projectos, já que o seu MiG mais recente o 29 não tem vendido e o 31 foi sempre demasiado caro para os mercados de exportações… Em contraponto temos o sucesso estrondoso da Sukhoi com a sua excelente família Su-27 e descendentes… E a fealdade do MiG 1.44 deve corresponder às suas qualidades (comparativas com o Berkut) já que o PAK ainda que desenvolvido em conjunto pelas duas se baseará no… S-37…

  6. Ultramar

    Ahhhhh… Pensei que o Berkut fosse, no mínimo, o Su-37 com uma mudança no desenho das asas… Mas é inferior? Mas por qual motivo fazem um caça com um desenho revolucionário, porém inferior no restante? Esses russos…

  7. não creio que seja inferior! simplesmente não é nenhum derivado do Su-27 Flanker, como o Su-37, mas sim um avião completamente novo e um híbrido tecnológico entre o S-27 e o MiG 1.44 que resultou no… T-50!

  8. Ultramar

    Rui, eu tinha esquecido o comentário que fiz em “O Programa Brasileiro F-X vai ser reactivado?”(DefenseNewsPt, 26 de dezembro), em relação ao qual vc perguntou o link para ir à entrevista no jornal USA Today, onde um general norte-americano fala da superioridade dos caças russos sobre os dos EU. Coloquei o link lá, em novo comentário. Não sei se vc já visitou essa página…Podes me dizer?

  9. nope. sabes que aqui o wordpress desconfia de comentários que tenham mais do um URL e atira-os logo para “spam”. Lembro-me do comentário, pq o desbloqueie, mas como era antigo não o devo ter lido…

    vou ver agora!

  10. não encontro o comentário!
    podes repetir o que escreveste?

  11. Anónimo

    Rui, meu computador deu problema . Só agora, da rua, estou no Quintus: o endereço da notícia, em portugues, ´´e http://www.observatorio.ultimosegundo.ig.br/canal.asp?cod=284CDL008 e a entrevista do general norte-americano sobre a superioridade dos caças russos, no USAToday está em http://www.usatoday.com/news/washington/2004-06-23-us-skies_x.htm Diga-me se vc conseguiu, ok?

  12. ultramar

    Rui, meu computador deu problema . Só agora, da rua, estou no Quintus: o endereço da notícia, em portugues, ´´e http://www.observatorio.ultimosegundo.ig.br/canal.asp?cod=284CDL008 e a entrevista do general norte-americano sobre a superioridade dos caças russos, no USAToday está em http://www.usatoday.com/news/washington/2004-06-23-us-skies_x.htm Diga-me se vc conseguiu, ok?

  13. ultramar:
    o primeiro link está finado…
    mas o segundo texto, ainda que antigo (2004) é interessantíssimo! é certo que o F-15 está a ser substituído pelo F-22 e pelo JSF, mas será ainda por uns bons anos o principal caça dos EUA!… E se até os indianos que não têm grande fama como pilotos os conseguiram bater…

    e o que está subjacente é interessante: desde o F117 os EUA ficaram tão obcecados com a furtividade e a electrónica que desprezaram as qualidades mais tradicionais dos aviões e foram “apanhados” por todos, desde os Mirage, aos MiG, aos Su…

  14. Ultramar

    E essa foi engraçada: como eu não escrevi “ultramar” para enviar esse comentário, saiu , no primeiro envio, com o nome do Anónimo! 🙂

  15. Pingback: A Rússia convida a Índia a juntar-se ao programa “PAK-FA” (T-50) « Quintus

  16. elielson

    amigos alguem sabe me dizer se o F22 raptor, é atualmente omelhor caça de quinta geração?

  17. wallace

    amigo, ele é o unico caça de quinta geração…

  18. Golani

    DERA study

    Britain’s Defence Evaluation and Research Agency (now split into QinetiQ and DSTL) did an evaluation (simulation based on the available data) comparing the Typhoon with some other modern fighters in how well they performed against an expected adversary aircraft, the Sukhoi Su-35. Due to the lack of information gathered on the 5th generation combat aircraft and the Su-35 during the time of this study it is not meant to be considered official.

    The study used real pilots flying the JOUST system of networked simulators. Various western aircraft supposed data were put in simulated combat against the Su-35. The results were:

    Aircraft Odds vs. Su-35
    Lockheed Martin/Boeing F-22 Raptor 10.1:1
    Eurofighter Typhoon 4.5:1
    Sukhoi Su-35 ‘Flanker’ 1.0:1
    Dassault Rafale C 1.0:1
    McDonnell Douglas F-15C Eagle 0.8:1
    Boeing F/A-18E/F 0.4:1
    McDonnell Douglas F/A-18C 0.3:1
    General Dynamics F-16C 0.3:1

    These results mean, for example, that in simulated combat, 4.5 Su-35s were shot down for every Typhoon lost. Missiles such as the KS-172 may be intended for large targets and not fighters, but their impact on a long range BVR engagement needs to be factored in.

    The “F/A-18+” in the study was apparently not the current F/A-18E/F, but an improved version. All the western aircraft in the simulation were using the AMRAAM missile, except the Rafale which was using the MICA missile. This does not reflect the likely long-term air-to-air armament of Eurofighters (as well as Rafales), which will ultimately be equipped with the longer-range MBDA Meteor (while carrying the AMRAAM as an interim measure).

    Details of the simulation have not been released, making it harder to verify whether it gives an accurate evaluation (for instance, whether they had adequate knowledge of the Sukhoi and Raptor to realistically simulate their combat performance). Another problem with the study is the scenarios under which the combat took place are unclear; it is possible that they were deliberately or accidentally skewed to combat scenarios that favoured certain aircraft over others; For instance, long-range engagements favour planes with stealth, good radar and advanced missiles, whereas the Su-35’s alleged above-average manoeuverability may prove advantageous in short-range combat. Nor is it clear whether the Su-35 was modeled with thrust vector control (as the present MKIs, MKMs have).

    Additionally, the DERA simulation was made in the mid 90s with limited knowledge about the Radar Cross Section, the ECM and the radar performances of the actual aircraft: indeed, at that time, the 4th/5th generation fighters were all at the prototype stage.

  19. pra mim o f- 22 raptor é o melhor caça atualmente ..nem os russos supera a tecnologia e a furtividade desse caça !!!!! e ainda mais !!! já esta programado mais “5 cinco versão para o f-22 “” ele pode chegar até o block -50 com cinco niveis de armamento e aida com rota satélite !! ou seja vora sobre quaquer lugar do mundo sem seer notado !!!

  20. Assim parece ser, Robson… Se tivermos em conta apenas os aspectos “aeronáuticos” (manobrabilidade, sobretudo), o Su-35 é o melhor avião do mundo na sua classe. Mas isso não chega na guerra aérea moderna… A aviónica, a furtividade, a guerra electrónica, em todos estes domínios os EUA mantêm a liderança (mas a que preço financeiro…) e o F-22 é assim o melhor avião da sua classe (e o mais caro, também…). Aliás, os EUA recusam exportá-lo, mesmo aos seus mais fiéis aliados, como aconteceu recentemente com a Austrália.

  21. el gordo

    Vocês ainda não ouviram a historia que saiu por lapso num jornal ingles (não sei qual sinceramente) , historia q tinha sido comentada por um piloto de testes inglês e que dizia básicamente o seguinte : no ano passado prototipos do caça F-22 dos EUA testaram-se contra os Typhoon pilotados pelos ingleses e eis q antes que os F-22 dessem por isso foram “abatidos”.
    No artigo um comentador ia mais além na informação , os caças europeus são mais manobráveis (não sabia , pensava até o contrário) , têm menos perca de potência numa subida e um raio de viragem menor o que faz q num combate dog fight levem a melhor . Os pilotos dos F-22 confiaram na capacidade de furtividade mas parece que afian l não são tão furtivos assim …vistos do espaço ..eheh e como alguns paises até têm satélites pode ser um ponto a considerar …a revista saiu de circulação no própio dia .
    Enviaram-me o artigo via email …mas já o apaguei , pena.

    No entanto o que há aqui a sublinhar e se forem ao site do Typhoon a filosofia subjacente á criação deste figther é a de que a furtividade não é essencial numa aeronave deste tipo pois que num futuro próximo mecanismos de detecção destas aeronaves vão estar disponiveis em quantidade e a implementação da capacidade de furtividade é bastante cara.
    O Typhoon optou por um radar e aviónicos de empastelamento de comunicações ao ponto de um missil perder o contacto com o seu emissor e perder o alvo .Isto sim está no site do eurofighter ( mais coisa menos ocisa , o site está em muitas linguas menos portuga).

    Moral da história nem sempre o mais caro é o melhor …

    PS. A Servia não tem satélites , pelo menos militares mas a Russia tem , não acham curioso que o único f-117 abatido em combate tenha sido na ex-jugoslávia e o avião ter sido logo entregue ás forças Russas ?

  22. Já está na hora do governo brasileiro tomar vegonha na cara e liberar verbas para modernização de nossas heróicas forças armadas, que com isso vão perdendo para países mais pobres que nós como a Venezuela de Hugo Chaves que comprou novos caças russos Sukhoy, considerados os mais modernos e rápidos do mundo. Acorda Brasil, para não perder sua soberania.

  23. gerrero

    eu diria que pelo menos, 11 bilhoes de reais por ano sendo 6 para manter as forcas 99% em funcionamento e 5 bilhoes por ano para reaparelhamento num prazo de 6 anos,

    com essa verba poderiamos ter 14 fragatas modernas, 8 sub modernos, 1 porta avioes com 14 su-33

    70 caças na minha opinião rafales, modernizaçao dos 12 mirrages, modernizaçao de 43 amx. total 140
    Compra de 16 helicopteros de transporte e 14 de ataque.

    compra de 100 leopard 2a6 modernizaçao dos 240 recem comprados leopard 1a5 compra de mais 20 m-109

    compra de camilhoes antiaereos e obsuleros

    aquiziçao de 220 mil fuzis 5,56 IMBEL

    ai sim em……

  24. gerrero

    ops 220 mil FAL e PARAFAL 7,62 mm.

  25. Ora aí está um belo caderno de compras… Os meios navais parecem-me adequados (mas não serão talvez fragatas a mais? não seria mais equilibrado ter mais corvetas ou alguns destroyers ou cruzadores ligeiros e menos fragatas?) Dos leopard já discordo… a geografia do Brasil permitirá alguma vez o uso massivo de MBTs? Não seria melhor investir em blindados ligeiros, de rodas? Ainda que se deva manter um núcleo moderno de MBTs, claro.
    E o modelo Mirage2000/rafale é o adequado. Foi o seguido pela França (que manterá o duo por muito tempo ainda) e pelos EUA (F-22/F-35 e antes F-15/F-16).

  26. ed

    eu jah diria que investir em corvetas rapidas seria um dinheiro jogado no lixo pois a capacidade de ataque,defeza e menor que as fragatas sem contar na dificuldade de transitar em mar aberto e em oceano revolto, da mesma forma que a despesa para se manter uma fragata ou uma corveta em funcionamento e a mesma, jah os destoyers eu concordo alguns destroyers sempre sao importantes num quadro de batalha.

    no ambito terrestre 300 tanques jah sao bons leopards sao ate hoje um dos melhores tanques os 1a-5 sao ligeiros e se camuflam com facilidade e os 2a-6 sao otimos destruidores de inimigos uma combinaçao exelente claro que tambem sou a favor de se investir nos tanques leves sobre rodas afinal a avibras e exportadora dessa tecnologia e um cascavel/urutu 3 e um 4×4 seriam otimos sem falar no astros 2 que ao meu ver teria de ser visto com outros olhos pelo brasil afinal os misseis incluidos no pacote sao considerados os maiis modernos so perdendo para o tomahalk

    na defesa aerea sei que os AMX nao tem muita fama mas sao exelentes armas so que como tudo que e brasileiro e desprezado pelo povo receberam a fama de inuteis por mais que nao demosntrem isso e com a modernizaçao entao seram exelentes armas eu acho que 70 AMX e um investimento no pak-fa 50 com mais 70 unidades seria algo maravilhoso, levando em consideraçao que a india russia e china e o brasil pudessem investir juntos seria com certeza O MELHOR MAIS BARATO E MODERNO DO MUNDO

  27. gerrero

    concordo, a Russia com a capacidade que possui e contruir otimos caças, o brasil com a embraer que jah e conhecida iternacionalmente por oferecer ao comprador muitas vantagens, como intalaçao para reformas dentro do proprio pais que o adquerissem, sem contar pacostes de modernizaçao e treinamento sempre oferecidos pela india em suas negociações, com certeza seria o MELHOR MAIS MODERNO E BARATO DO MUNDO

  28. vinicius ribeiro

    Nao sei porque o Brasil ainda nao entrou no pak fa , aforma mais barata de ter caças excelentes e know how para construçao dos mesmos .Quanto a forças navais creio que o brasil deva investir em subs nucleares pequenos e ageis e em pelo menos tres porta avioes com ao menos 20 Su 33 cada para dar suporte as nossas recem descobertas petroliferas , alem lanchas rapidas para a amazonia.O exercito merece ter helicopiteros de transpote em grande quantidade,alem de uns 50 Ka 50 e 52; Alem dos tanques acima citados.Alguem sabe me dizer a quantas anda a licitaçao de helicopteros de grande porte da fab ?Ainda nao engoli os mirage 2000 velhos.Deixaremos o Chaves mandar na America abaixo da linha do Equador?FX2 ja! Alguem concorda?

  29. Vinicius:
    A prazo a entrada no PAk/FA seria a melhor aposta de futuro. Mas ainda não existem tais aparelhos… E no entretanto em que se vai basear a FAB? Em Mirage2000 em fim de linha? A solução do agora, deve contemplar uma opção para o futuro…
    Quanto à Marinha… A minha posição quanto aos submarinos nucleares é que calem o mesmo que um bom AIP, a uma fracção do preço…
    E aos porta-aviões… Três seriam demasiados… Bastariam dois modernos, construídos localmente ou sob licença e convencionais, já que para ter 3… provavelmente teriam que ser comprados em 2ª mão e acho que a MB merece bem melhor…
    FX2… E quanto a noticias? Já se sabem números e datas de entrega, mas ainda nada sobre o vencedor, certo?

  30. Vinicius Ribeiro

    Caro Clavis obrigado por responder ,mas queria saber tambem sobre os helicopteros ,estaria o programa cancelado ?A ultima noticia que tive foi que estariam na concorrencia o MIL MI26, o CH47 e o Merlim.

  31. Bem, por cá (Portugal) não transpira absolutamente nada em nenhum Media que eu tenha lido… As minhas fontes brasileiras habituais também não…
    Estará tudo então em “banho maria”?…
    Francamente, não sei…

  32. Li na “diagonal” alguns comentários, previsões, sugestões, etc., entusiasmadas, quanto às terríveis armas de destruição massiva, que estão em fábrica, em projecto e não sei que mais… e fico preocupado, não só pelas armas em si, mas por esta constatação: aqui fala-se de aviões de 5ª ou 6ª geração, parecem estar todos na posse de conhecimentos que a mim me escapam e nos quais não estou nada interessado, estarei interessado sim, em saber a quantas crianças se matava a fome por esse mundo fora, só com o custo de uma dessas armas terríveis? A quantas crianças se levava a saúde e a cultura, ainda por esse mundo?

  33. jnpnhr

    Brasil assina acordo para desenvolver caça multifuncional com a Rússia
    (Da Redação, 16 de Abril de 2008)

    Segundo informações divulgadas hoje pela Associated Press (AP), os governos do Brasil e da Rússia teriam assinado ontem um memorandum de entendimento visando o desenvolvimento conjunto de um caça supersônico multifuncional de 5ª geração, e também de veículos lançadores de satélites (foguetes). Falando para a imprensa, o ministro Roberto Mangabeira Unger (citado pela AP) disse que o acordo irá resultar na criação de uma aeronave de combate de 5ª geração, gerada com tecnologia sofisticada, incluindo materiais compostos, tecnologia “stealth” (aeronave de difícil detecção por radar) e eletrônica avançada (incluindo um radar multifuncional).
    O acordo teria sido assinado pelo próprio Unger (pelo Brasil), e pelo vice-secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Valentin Sobolev, e incluí a construção de foguetes capazes de levar ao espaço satélites de várias categorias. Hoje, o Brasil possui hoje lançadores (foguetes) de pequeno e médio portes, que são lançados da base em Alcântara, no Maranhão. Segundo Mangabeira, o acordo engloba ainda o campo da cibernética, o que ele considerou fundamental – “pois é um campo essencial para a defesa e para a evolução tecnológica de nossa indústria”. Neste sentido, todo o acordo foi definido tendo por questão básica a transferência de tecnologia, um ponto sempre muito destacado pelo Brasil.
    Já Sobolev fez questão de classificar o Brasil como “um país-chave na América Latina”. Segundo o vice-secretário russo, outra das idéias do acordo de cooperação assinado ontem será a opção para o Brasil de uma alternativa ao GPS (sistema de posicionamento global, baseado em satélites orbitais controlados pelos EUA). A Rússia possui hoje um sistema similar de posicionamento, o Glonass.
    O acordo de ontem havia sido “antecipado” por ASAS com exclusividade, há mais de quatro meses! Em 12 de dezembro de 2007, ASAS (através de seu site) havia revelado com ineditismo mundial que a Rússia fizera oferta ao Brasil para participação no Programa PAK-FA (a aeronave de combate multifuncional russa de 5ª geração); ao contrário do que a imprensa vinha divulgando, que uma nova proposta russa direcionada à Força Aérea Brasileira, visando um futuro jato de combate multifuncional (a chamada “Concorrência FX 2”) se basearia nos Sukhoi Su-30MK ou Su-35-1.
    No início deste ano, entretanto, depois da viagem do ministro da Defesa, Nelson Jobim, à França e à Rússia, a impressão geral é que os acordos brasileiros no campo militar iriam beneficiar majoritariamente os franceses, com a possível produção licenciada, no Brasil, dos submarinos de ataque Scorpéne (de propulsão nuclear), dos jatos multifuncionais Dassault Rafale, e de helicópteros de transporte tático médio-pesados da Eurocopter. Destes, entretanto, parece que até o momento, apenas o acordo referente aos submarinos concretizou-se. O acordo de ontem, entretanto, se for totalmente confirmado, muda completamente este cenário.

  34. jnpnhr:

    é uma grande noticia, que merecerá um artigo por aqui a muito breve trecho!

  35. saul

    ontem 16/04/2008, foi decidido qual sera o caça que ira equipar a força aerea, pode até demorar, mas sera o melhor; o brasil acaba de assinar com a RUSSIA, a participação no projeto PAC FA… BABEM

  36. saul:
    é a decisão correta!
    e os F-5 mais os mirage 2000-5 servirão perfeitamente até que cheguem os primeiros PAK-FA.

  37. O PAK-FA (T-50) da Rússia para o Brasil?????
    O fato é que no Brasil se fala muito e se faz pouco. Durante dez anos os sucessivos governos brasileiros (FHC e Lula) afirmaram que iriam adquirir caças de 4ª geração para equipar a FAB (Força Aérea Brasileira); e depois de muitas exigências, notícias na imprensa, lobes nos corredores de Brasília e pouca ação concreta com o programa FX; o país somente adquiriu caças de “geração 3.5” para a “defesa” de seu espaço aéreo.
    Compraram mais um punhado de velhos F-5E Tiger II da Arábia Saudita para modernizá-los no padrão F-5M (BR), com equipamentos israelenses (o que não é o ideal, mas é melhor do que nada); além de comprarem da França, de segunda-mão, 12 Dassault Mirage 2000B/C fabricados na década de 1980 (que não possuem sistemas de mísseis e radares sofisticados, mas são melhores do que os agonizantes MIrage III que já estavam em estado lastimável); estão modernizando os Embraer (Aermacchi) EMB A-1 AMX para um padrão A-1M (boa solução, com alguns sitemas similar aos F-5M, mas também insuficientes e inadequados para a superioridade aérea). Agora falam de modernizar também os A-4 (AF-1) Skyhank da Marinha para uma versão também similar ao A-1M AMX. Mas ninguém fala em substituir os velhos Embraer (Aermacchi) EMB AT-26 Xavante pelo AMX-T, pois seria caro.
    Na prática o país não percebeu ainda o que os políticos de Brasíla fazem. Falam do novo, do moderno e do sofisticado, mas a escolha, no final, recai no velho e ultrapassado. Foi a mesma coisa com os radares do SIVAM (Sistema de Vigilância da Amazônia) – um bom sistema para combater o narcotráfico mas comprovadamente insuficiente para o tráfico aéreo e mesmo para a defesa aérea. O Brasil não recebeu tecnologia moderna alguma transferida para a sua indústria aeroespacial, mas apenas comprou tecnologia já superada (superior ao que existia e existe atualmente na FAB, mas insuficiente para dar um salto tecnológico significativo).
    Os militares da FAB ficam quietos e até elogiam os “novos” aviões e sistemas, pois sabem que é melhor do que nada; mas na verdade, acho que gostariam de soltar um belo palavrão.
    Os caras lá em Brasília falam demais, criam falsas expectativas e na prática, fazem pouco. Acho que perceberam que assuntos estratégicos e de defesa, além da política externa (como aquele “papo furado” de colocar o Brasil no Conselho de Segurança da ONU), também geram dividendos políticos nas eleições. As provas estão nas falâcias que promovem e nas medidas “meia-boca” que tomam.
    Os sucessivos governos brasileiros nunca estiveram realmente dispostos a gastar o necessário para modernizar de fato a FAB. Nos governos Sarney e Collor falavam de um caça supersônico brasileiro chamado de CMX, mas apenas produziram uma maquete dele, e a Embraer acabou com um projeto que nem tinha começado. Falaram no governo FHC em uma nova versão do Mirage 2000 (chamada de Mirage BR), que teria sistemas de armas semelhantes ao Rafale; e vieram com Mirages 2000C recondicionados. Depois veio a conversa até agora, de um programa FX2 para caças de 4ª geração, com possibilidades para o SU-35 e o Rafale, mas possivelmente só comprarão mais alguns ALX SuperTucanos da Embraer para atuarem contra os “aerotraficantes” na Amazônia.
    E agora, em 2008, vieram com a história do PAK-FA russo-indiano e brasileiro também. Só acredito vendo!!!!
    E mesmo que o país participe do programa do PAK-FA (T-50) será um projeto de médio (na melhor das hipóteses) ou longo prazo. Reequipar a FAB é uma necessidade de curtíssimo prazo. Podemos dizer até que é algo para ontém.
    E como todos sabem, o Brasil não é mesmo o “país do futuro”, especialmente quando se fala em assuntos estratégicos e de defesa como a aviação militar. Falam no Rafale, no SU-35, já cogitaram até o F-35 e sonharam com a utopia de alguns F-22 para a FAB; mas o país está realmente, se voltando cada vez mais para o passado – aviões das décadas de 1950, 60, 70 e 80 “modernizados” para desempenhar funções de defesa no século XXI. Na forma como vai, a FAB será um belo museu aeronáutico.
    Agora é a vez de difundirem uma possível participação do Brasil no projeto do PAK-FA (T-50) russo de 5ª geração. É sério ou será só palvrório? Será o nosso FX3 de palavras? Será que teremos em breve ainda um FX4, um FX5 e assim vai!!!!
    Até agora, de novo, só papelada para os burocratas e politiquieros de Brasília brincarem com coisa séria. Quem sabe eles façam aviões de papel para equipar a FAB?
    Rescentemente, o 1º GAvCa (Grupo de Aviação Caça), única unidade aérea latino-americana que combateu os nazistas na Segunda Guerra Mundial, comemorou seus 65 anos de serviços prestados ao país. De presente, apenas ganhou promessas. Com certeza, se os políticos de Brasília pudessem, comprariam alguns exemplares bem surrados dos velhos P-47 Thunderbolt (iguais aqueles que a FAB utilizou na Segunda Guerra Mundial) para “modernizar” e reequipar o 1º GAvCa.
    É claro que o Brasil necessita de imediata modernização dos caças da FAB, adquirindo verdadeiramente caças de última geração. Não se trata de tornar o Brasil uma potência militar, mas permitir que a FAB ainda continue operacional e tecnologicamente servindo o país em suas funções mais elementares. Mas até agora, além do “Aerolula”, somente palavras, retórica e eloqüência.
    Quem sabe quando do centenário do 1º GAvCa, lá pelo ano de 2043, finalmente teremos novos caças modernos para a FAB. Quem sabe????

  38. gaitero

    Posso te responder seguramente, este cenário será cada vez melhor.

    O Brasil acabou de sair de um regime ditatorial. Havia um receio em manter as Forcas Armadas em boas condições, para se pudesse apagar este regime de ditadura, e impedir qualquer tentativa de se retomar à mesma.

    A questão é que o Brasil cresceu, e agora vivemos o “carnaval econômico”, temos amplas condições de criar o PAC das forças armadas, e é oque vai acontecer, este seu comentário, é de quem passou por um regime de ditadura, onde tudo se duvida, tudo se critica, tudo não pode (so faltava você dizer que os EUA não vao permitir)

    Quem viver verá, acretido tanto no PaK-Fa, quanto no C-390, tanto na contrução de novos subs e navios escolta, quanto nos novos blindados sobre rodas, tanto nos novos sistemas de defeza, quanto nos novos helicopteros de ataque.

  39. se os EUA não permitirem, haverá outros fornecedores… nem todos estão dispostos a pagar o preço do Chile e em comprarem F-16 especialmente “downgraded”…

  40. gaitero

    Os estados unidos não assustam mais ninguem.

    A Russia e uma parceira muito boa e teremos muito a ganhar, fabricam armas mortais por uma fracção do preço que os USA por exmplo, e com uma eficiência monstruosa.

  41. Os F-22 ainda assustam… atualmente, são os melhores aviões de combate do mundo e pelo menos até à aparição dos primeiros PAK-FA serão ainda tal coisa… sendo ainda assim certo que na altura sejam atualizados com nova aviónica e novos mísseis para lhes devolver essa vantagem…
    A Rússia faz armas extraordinárias e os seus engenheiros são de uma capacidade criativa inédita e única (o seu programa espacial é prova disso mesmo), e com uma grande relação eficiência-custo. São certamente o parceiro ideal para uma potencia média em ascensão como o Brasil… Para aprender e crescer… Já que os EUA só cedem tecnologia de forma muuuuito relutante e parcelar…

  42. são tantas suposições, tanto a DASSAULT quanto a SUKHOI, têm interesses no mercado brasileiro, por quê não aproveitar e unir o útil ao agradável, visto que as duas aeronaves pretendidas; RAFALE e SU 35BM, podem ser bons parceiros (HI LO HI), além da possibilidade de instalação de fábricas com parceria, transferência de tecnologia, bem como inclusão no futuro projeto STEALTH, acredito que seja possível a aquisição de metade a metade e só quem tem a ganhar é a soberania nacional, com possíbilidade de em um futuro não muito distante o Brasil desenvolver seus próprios projetos, inclusive transformados os modelos embraer ( R-99 A-B ) usados atualmente pelo SIVAN na varredura do território nacional, atualizando para bombardeiros ao estilo do modelo americano ( B-1 B LANCER). Lutemos para que o Brasil seja no futuro verdadeiramente um grande pais. BRASIL ACIMA DE TUDO, ABAIXO SÓ DE DEUS.

  43. como assim? adoptar os dois? Rafale e Su-30, mantendo simultaneamente a participação no PAK-FA?…
    Parece-me bem… mas não seria investimento a mais para uim país que – ao fim ao cabo – não tem inimigos declarados?

    Estou convicto que o Brasil deve entrar no PAk-FA: para ganhar know-how e manter uma FA credivel de acordo com as suas aspirações e o seu vigor económico, mas gastar assim tantos recursos (Su-30 e Rafale) quando ainda há tantas bolsas de pobreza… tenho que discordar.

    ainda que não discorde da escolha de um dois dois, para manter uma FA disuasora (e abater os vetustos F-5, AMX e Mirage2000 ao inventário) enquanto não chegam os PAk-FA. Talvez em regime de leasing.

  44. gaitero

    Com certeza teram de vir ao menos 24 caças, que ai seriam os 30mk.
    Pois até que cheguem as primeiras unidades la para 2014…. os mirrages não teram condição nenhuma de combate, veja o chile possui atualmente 34 F-16. 10 block 50 e 26 MLU, a venezuela 24 30mk. Estamos em muita desvantagem apenas com os 50 F-5M, e os 12 mirrages.

  45. e 2014 é uma data optimista… não há ainda nenhum protótipo a voar e algumas noticias davam conta de divergências de design entre a Índia e Rússia, parceiras neste programa…
    Mas sim, a desvantagem regional é já notória e tenderá a agravar-se sendo os Mirage usados e os aparelhos chilenos e venezuelanos novos em folha…

  46. gaitero

    Cara nova, fko bem legal ^^

    Bem dessa, não temos como apenas sentar e esperar o PaK-Fa, existe sim a procupação para pelo menos manter uma frota, de 24 caças, com capacidade de defeza contra qualquer ameaça latino americana. 24 SU-30MK ou SU-35 ja seria de bom tamanho até a chegada dos primeiros caças de 5 geração.

  47. Obrigado!
    Estava a apetecer-me “mudar as águas”, já há algum tempo…

    E bem… 2009 parece ser o ano:
    “The PAK FA is intended to replace the MiG-29 Fulcrum and Su-27 Flanker in the Russian Air Force; it is scheduled to have its first flight in 2009”
    en.wikipedia.org/wiki/Sukhoi_PAK_FA

    “The PAK FA is supposed to make first flight at the end of 2009 using two 117S series-built engines.”
    http://www.alide.com.br/wforum/viewtopic.php?f=3&p=21787

    ou não…
    “First flight of the PAK FA will be about 2012 according latest information. This seems to be reasoned by problems with the engines”
    http://www.defencetalk.com/forums/showthread.php?t=7048

    mas é claro que em 2003 já dizia que…
    “The first prototype of the PAK-FA is supposedly to take flight in the beginning of 2006, And in 2010 be ready for series production.”
    http://www.defencetalk.com/forums/showthread.php?t=3853

    pois sim!

    A menos que isto seja verdade!
    “MOSCOW, April 12 (RIA Novosti) – Russian air force commander-in-chief Aleksandr Zelin has announced the cancellation of the $20-billion PAK-FA program after 20 years of escalating costs, technological glitches and redesigns failed to produce a single prototype aircraft.

    The PAK-FA, once billed as Russia’s next-generation fighter, had consumed $13.9-billion. The estimated cost of each aircraft had soared to $87.2-million from an original target of $30-million.”

    ???

  48. estranho…
    porque na Novosti só encontro esta notícia:

    “MOSCOW, April 3 (RIA Novosti) – Russia plans to begin flight tests of a new fifth-generation fighter in 2009, the Russian industry and energy minister said on Thursday.

    “The development of a fifth-generation Advanced Tactical Frontline Fighter is being carried out under the Sukhoi PAK FA project,” Viktor Khristenko said in a report posted on the ministry’s website.

    “The flight tests of the aircraft are scheduled to begin in 2009,” he said.

    The new fighter aircraft, which will feature high maneuverability and stealth to ensure air superiority and precision in destroying ground and sea targets, will be built at the Komsomolsk-on-Amur aircraft-manufacturing plant in Russia’s Far East.

    Some experts believe the PAK FA fighter has been designed to be comparable to both the American F-22 Raptor and F-35 Lightning II.

    It will eventually replace the MiG-29 Fulcrum and Su-27 Flanker fighters in the Russian Air Force and will be exported to other countries. ”

    http://en.rian.ru/russia/20080403/102931062.html

    que confirma 2009…

  49. gaitero

    É esse pak-fa esta muito estranho, já era para alguem no Brasil ter se pronunciado, ou mais noticias, pudessem ser repassadas, mas nada, somente aquela, de que aviamos assinado o acordo, e fim nada mais.

  50. Fred

    Estranho é o fim do FX 2 e dpois o uma nota dizendo que não acabou?

  51. podes crer, fred, e esquisito… talve seja porque enquanto que os primeiros pak não chegam a partir de 2010 2016 em vez de se optar por atualizar os f5 e os amx se opte por abatelos ao inventario e comprar su35 vinte ou trinta para que ao lado dos mirage2000 se mantenha assim uma forca minima… economicamente sera discutivel, mas e uma opcao valida e algo razoavel…

  52. Fred

    Não sei Clavis, realmente confuso é o mínimo!

    O ministro diz uma coisa, a FAB diz outra, vai saber!

    é como estão falando no defesanet uma confusão só

    http://www.defesanet.com.br/editorial/leao.htm

  53. que confusão!
    e o Lula? não mete ordem neste desdisse, disse?…
    até parece o nosso Portugal… 😉

  54. Os F-16 do Chile e os Mirage 2000 do Brasil – Comparações Estratégicas e Geopolíticas.

    O Chile é o único país da América do Sul que considera as questões de defesa nacional como prioritárias.
    Passando por um momento de forte crescimento econômico e estabilidade política e econômica (em grande parte devido aos altos preços nos mercados internacionais de minerais que o Chile exporta, como o níquel e o cobre), o país hoje tem como sustentar uma força aérea relativamente modernizada com os F-16.
    Porém, esta preocupação estratégica não é um comportamento novo por parte das autoridades chilenas. Desde o século XIX o Chile procura manter forças armadas com um grau de modernização acima da média dos países da América do Sul.
    Tudo tem uma origem estratégica e geopolítica, pois o Chile, desde a famigerada Guerra do Pacífico (1879-1883) – quando derrotou a Bolívia e o Peru, anexando a rica em minérios e desértica região de Atacama (Antofogasta que pertencia aos bolivianos e Iquitos que pertencia ao Peru) – possui potencias inimigos reais próximos de suas fronteiras.
    A Bolívia nunca engoliu direito o fato de ter perdido sua saída para o mar; e mesmo os pobres índios quechuas sonham com um “corredor boliviano” que dê ao país sua saída para o Pacífico. Consta inclusive na Constituição Boliviana a pretensão de reincorporar o Atacama ao país; e o presidente Evo Morales não esconde de ninguém este desejo.
    A Bolívia é de fato um país miserável, com inúmeros problemas sociais e políticos, e que nem de perto poderia ameaçar militarmente qualquer um de seus vizinhos; mas com um governo populista na América do Sul não se brinca; e prevendo possíveis (apesar de remotos) conflitos em um futuro próximo com os bolivianos, o Chile preferiu não pagar para ver: procurou modernizar suas forças armadas com o que de melhor conseguisse disponível no mercado internacional. Não puderam encontrar melhor opção que os F-16, que mesmo sendo um equipamento já ultrapassado com relação aos modernos Refale, Gripen, SU-35 e F-22, ainda continuarão por muitos anos sendo caças perigosos.
    O Peru também ainda manifesta o sonho de um dia poder recuperar os territórios perdidos ao Chile em 1883. Neste ponto, a lógica foi para os F-16 yankees, que podem não ser nenhum caça de 5ª Geração, mas são superiores aos Migs 29 e Mirages peruanos.
    Outro ponto central da preocupação estratégica do Chile sempre foi voltado para possíveis ameaças de conflito com a Argentina. Apesar de “los hermanos portenhos” estarem com suas forças armadas quase sucateadas desde a derrota para a Grã-Bretanha, naquela aventura maluca das Malvinas/Falklands (1982); existe uma vontade política crescente na Argentina, de modernizar suas forças armadas, especialmente a FAA (Fuerza Aerea Argentina).
    A Argentina e o Chile possuem históricas rivalidades e tensões sobre pontos de suas fronteiras. A questão do Canal de Beagle nos anos 1970, foi apenas uma das inúmeras contendas entre os dois países. A Argentina portanto, foi apenas mais um ponto a ser considerado pelas autoridades chilenas quando optaram em modernizar sua força aérea.
    O Brasil por sua vez, demonstra exatamente um comportamento contrário ao chileno quando o assunto é modernização de suas forças armadas. Historicamente, o país somente investe pesadamente em equipamentos e treinamento militares quando a ameaça externa já é um fato consumado. Fois assim que o Brasil entrou em guerra com o Paraguai em 1864, ou seja, totalmente despreparado militarmente. O Brasil somente construiu um exército e uma marinha ao longo do conflito que terminou em 1870. Durante a Segunda Guerra Mundial, também foi possível observar o mesmo comportamento. O Brasil entrou em guerra contra a Alemanha em 1942, mas a guerra na Europa se arrastava desde 1939; e o país não fez nada preventivamente e de forma preparatória, antecipando uma possível e já prevista entrada do Brasil no conflito – que geopoliticamente era certo desde 1941, quando os japoneses preparavam-se para atacar os yankees no Havaí.
    A compra dos Mirage 2000 para equipar a FAB chega a ser uma medida caricata. Acreditar que estas aeronaves poderão defender o espaço aéreo brasileiro em um eventual (apesar de remoto, ainda sim possível) conflito na região amazônica, seja envolvendo a Venezuela “bolivarista” de Hugo Chavéz ou narcotraficantes das FARCs (ou mesmo o governo fascistóide da Colômbia, que já demonstrou não respeitar a soberania de seus vizinhos, como ficou comprovado em março de 2008, quando atacaram os guerrilheiros da FARC em território do Equador); ou no caso de algo pior, como um ataque ou ocupação estrangeira imperialista por parte dos EUA ou países europeus na Amazônia.
    Será que o Brasil irá esperar para ver?????
    Acredito que sim. Faz parte da tradição política brasileira acreditar que a diplomacia pode resolver tudo. Os políticos brasileiros não acreditam na máxima “a guerra é a continuação da política por outros meios”, contrariando o que os países sérios acreditame praticam.
    É claro que por aqui ninguém deseja uma guerra na América do Sul; mas se deve considerar que a Guerra do Pacífico, citada acima, teve início exatamente quando o governo boliviano quebrou seus contratos com as CIAs chilenas de mineração no Atacama. Quebrar contratos internacionais é uma constante nos países vizinhos do Brasil. A Bolívia de Evo Morales fez o mesmo com a estatal brasileira Petrobrás em 2006; e agora o Paraguai também quer forçar o Brasil a pagar mais caro pela energia de Itaipú (que aliás, foi totalmente construída com recursos financeiros e dívidas assumidas pelo povo brasileiro).
    Mesmo os vizinhos mais pobres e militarmente despreparados do Brasil (no caso a Bolívia e o Paraguai) já perceberam que podem brincar com a “onça que na verdade é um gatinho”. Para confirmar basta ler as manchetes dos jornais brasileiros. O Brasil é um gigante que dorme, sonhando com uma útopica América do Sul onde exercerá sua hegemonia geopolítica. Parece até a agonizante Rússia dos czares.
    Ao contrário da maioria dos países da América do Sul, o Brasil sempre respeitou os contratos internacionais que assinou; mesmo quando estes eram ou tornaram-se prejudiciais aos interesses do Brasil.
    Acho que a modernização das forças armadas brasileiras somente ocorrerá de forma efetiva quando de fato, o país já estiver em um conflito real.

  55. a necessidade é a mãe de todo o engenho…
    sendo o Brasil um dos países com fronteiras mais estáveis da América do Sul, e estando de facto, isento dos problemas listados de que padecem Bolívia, Chile, Argentina e Paraguai, compreende-se o relativo desinteresse de sucessivos governos quanto ao investimento na modernização das suas forças armadas.
    No cenário traçado, um ataque boliviano ao Chile, não está completamente afastado, sendo até provável como forma de afirmação interna de um regime maioritário, mas muito contestado, como sucedeu no passado com o regime dos generais argentinos contra a Inglaterra.
    Contudo, o Brasil tem que manter pelo menos a paridade em todos os 3 ramos com todos os seus vizinhos. E atualmente, na FA, essa paridade já está perdida para o Chile e para a Venezuela… E existe uma perigosa semi-paridade com a Argentina… Isso é que é intolerável e tem que ser corrigido rápidamente (com o PAK-FA ou Su-35/Rafale) ou com a reactivação do SP e construção/aquisição de mais fragatas.

  56. Paulo Aguiar

    Há que sensibilizar o atual Governo para a urgência do reaparelhamento brasileiro para as três Armas. A Aeronáutica e a Marinha, em especial, requerem investimentos e pesquisa vultosos na área militar, a despeito da oposição dos Estados Unidos. Ou fazemos ou deixamos que eles subrepticiamente o façam.

  57. Luís Fernando

    Meu caro Clávis, há novidades, nem tudo se aquietou como parece:

    1) Quanto à produção dos SuperCougar: http://www.defesanet.com.br/0806_rfbf/003_supercougar.htm

    2) Quanto à licitação dos Helicópteros de ataque: http://www.defesanet.com.br/md1/helos_1.htm

  58. Luís Fernando

    Quanto ao FX2, muito em breve, mas breve mesmo, teremos notícias animadoras, não desconsiderando o projeto do caça furtivo.

  59. “O projeto de produção de helicópteros militares no Brasil sairá do papel no próximo dia 30. A Helibras, sua controladora Eurocopter e o governo brasileiro lançam oficialmente o programa de fabricação, no país, do SuperCougar, helicóptero de uso militar de transporte e de ataque. As Forças Armadas brasileiras deverão adquirir pelo menos 50 unidades do modelo, que será produzido na fábrica da Helibras, localizada em Itajubá (MG). Os primeiros helicópteros deverão estar em operação no início de 2010.”
    http://www.defesanet.com.br/0806_rfbf/003_supercougar.htm

    excelente notícia!

    “Eram quatro modelos que foram apresentados para a licitação: o russo Mi-35M, o Eurocopter Tigre e dois da AgustaWestland o AW-109LUH e AW-129. Dois modelos foram selecionados para a fase final: o ítalo AgustaWestland AW-129 e o russo Rostvertol Mi-35M. Para o Mi-35M não há surpresas, mas o outsider AW129 cresceu e tem reais chances dar um gosto amargo à vodka e caviar russo.”
    http://www.defesanet.com.br/md1/helos_1.htm

    sendo que votaria pelo Mi-35M… Mais robusto, mais versátil… ainda que possa ser tecnicamente menos evoluído.

    Quanto ao FX2…
    ver para crer!
    lembram-se do FX1?

  60. Com os ianks recriando a 4 frota..precisamos , p/ ontem de caças de ataque e + subs , tipo borei, td p/ ontem ..ñ consigo acreditar nestes karas q ttratam desse assunto…estamos as portas de algo muito imprevisível. Q Deus nos ajude.

  61. a marinha dos EUA está a atravessar sérias dificuldades de modernização!
    quase todos os projetos de atualização estão sofrendo cortes…
    a este ritmo, daqui a vinte anos a US Navy será muito moderna, mas… terá tantos navios com a marinha francesa ou espanhola, ainda que melhores, cada um, e complementados pelos sempre essenciais super-porta-aviões atuais…

  62. eu temeria mais a China que já admitiu que a sua próxima prioridade seria estabelecer uma presença naval permanente no Índico…
    O que virá a seguir? o Atlântico Sul?

  63. Fred

    Será? Bem, eles tem uma bela frota já!

  64. basicamente uma frota russa…
    alguém se vai arrepender – nas próximas décadas – de lhes ter vendido tanta tecnologia de ponta…

  65. Se os ianks , sinos , nos esquecerem , ótimo ;só négocio, puro comercio .Pergunto : O projeto PAK Fa T-50 vem com aviões de “Pouso e decolagem vertical” ? Alguém aí sabe alguma coisa ? Os ianks tem tbm esse projeto .E os Russo/Indianos/BRASUCAS Temos ? É o tipo de aeronave p/ atuar dentro das matas da amazônia . É preocupante a situação do BRASIL , no tocante as nossas FAs. O perigo vem do norte.

  66. van lima

    durante muito tenpo os americanos passaran para o mundo atraves de seus filmes que eles sempre eram melhores e mocinhos, mas na verdade é ao contrario eles frios calculistas e crueis, não taõ nem ai pro resto do mundo o resto é resto,
    há também que os russos são os viloes do mundo não é verdade os russos são boas pessoas e cordiais. Quanto as armas sem duvida nem uma as russas sempre foram as melhores não só terrestre quanto aéreas, os americanos são que nem cachorros, que ladran ladran mas quando você da um bom chute no traseiro
    eles nunca mais se metem a besta com você. e viva arussia.

  67. não falo de todos os americanos, porque para o dizer em devida propriedade, teria que conhecer pessoalmente cada um deles…
    mas concordo que essa visão arrogante, auto-centrada e egoísta de Bush e dos EUA regidos por ele, foi aquela que passou para o mundo.
    e que todos pagamos ainda o seu preço.
    mas tenho que admitir que confio mais nos EUA, e no seu sistema de pesos-e-balanços do que nas autocracia russa ou chinesa.
    do mal…

  68. Max Payne

    O Caça do superioridade aérea até agora é o F-22 RAPTOR que pode abater qualquer aeronave no mundo o projeto dessa aeronave é caro e está desatualizado pois é um caça de anos de vida já,porém se o EUA ATUALIZAR O CAÇA F-22 E BAIXAR SEUS CUSTOS POR UNIDADE BOM AI VAI SER O FIM DE TODOS OS CAÇAS DO MUNDO

  69. gustavo

    Tomare que os EUA atualize os F.22 Raptor e façam melhoras extremas e q deixem ele mais uma vez o melhor caça do mundo

  70. duvido… o F-22 acabou… até que poderão de facto atualizar os aparelhos que estão ao serviço, durante uns 40-50 anos (como fazem ao B-52), mas novas plataformas, tipo F-22B, isso parece que acabou…
    demasiado caro e demasiado especializado, receio bem!

  71. ..isso ñ tem preço. Até tio Sam ñ aguentou o precinho do F 22, já vai tarde, vem aí o PAKFA T50 Rússo bem melhoe e bem + barato , por unidade; é talvez dos Chineseses..Quem viver verá.

  72. Vamos por partes: PAK / FA é um programa de engenharia aérea russo, desenvolvido conjuntamente com a India e com a supervisão da Sukhoi, uma fabricante de longos anos de caminhada no setor aéreo do Krenlim e o vetor, nada mais é que um caça Sukhoi reestilizado, denominado T-50 que, por ser invisível ao radar (stelth) é chamado de 5a geração. Resumindo: Não há nada novo nessa história.

    • Bem, sim, teoricamente o projeto foi desenvolvido “conjuntamente” com a HAL indiana, mas sejamos sinceros… Se o melhor aviao que a empresa indiana consegue fazer é o Tejas…

  73. CALOSARGUS, o unico caça que pousa e decola verticalmente é o Lokhead Martin F-35 Lightning II, americano.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: