Clara Ferreira Alves e a “Multidão dos Barcos”


(http://jornalinside.com)

“O Terreiro do Paço era uma das grandes praças imperiais, e tudo o que vemos por ali são carros a passar e a multidão dos barcos para a outra margem, semáforos e buzinas.”

Clara Ferreira Alves

in Revista Única, Expresso de 22 de Dezembro de 2006.

Clara Ferreira Alves (também conhecida como “Clara Anti-Blogs Alves”, como se vê AQUI, pelas bandas do Kaos) escreveu estas linhas no Diário Digital:

“A blogosfera é um saco de gatos que mistura o óptimo com o rasca e acabou por tornar-se um prolongamento do magistério da opinião nos jornais. Num qualquer blogger existe e vegeta um colunista ambicioso ou desempregado ou um mero espírito ocioso e rancoroso. Dantes, a pior desta gente praticava o onanismo literário e escrevia maus versos para a gaveta, agora publicam-se as ejaculações. Mas, sem querer estar aqui a analisar a blogosfera e as suas implicações, nem a evidente vantagem dessa existência e da qualidade e liberdade que revela por vezes, destituindo do seu posto informativo os jornais e televisões aprisionados em formatos e vícios, o resíduo principal de tudo isto é que os jornais mudaram, e muito, e mudaram muito rapidamente. Parafraseando Pessoa na hora da morte, We know not what tomorrow will bring.

Aqui se observa o mesmo fenómeno e sentimento da douta Clara em relação à “a multidão dos barcos” que surge num segmento (do Terreiro do Paço) e noutro (da Blogoesfera) com um marcado sentido de asco e distanciamento em relação a essa turba andrajosa (mentalmente) que a repugna e com a qual mantêm – estou certo – o mínimo contacto possível.

No entendimento da douta, o maior problema do Terreiro do Paço é a a “multidão dos barcos” que enjeita esse belo espaço e ao qual transmite a fealdade que lhe (parece ser) característica… Eu cá, pessoalmente, já fiz parte dessa mesma multidão nos anos em que morava no Laranjeiro…E faço agora parte dessa outra turba que é a “dessa gente que pratica o onanismo literário”. E sofro muito com o sofrimento de Clara que é obrigada a partilhar este mundo com essa “gentinha”… Que bom que seria se o mundo só tivesse “gente VIP”, “filhos de alguém como a menina”, moradores em condomónios de luxo, comentadores de TV, colunistas de jornais, etc, etc, etc… Mas não!

Infelizmente também tem gente normal, como esta “multidão dos barcos”!

Categories: Blogging, Portugal, Sociedade Portuguesa | 23 comentários

Navegação de artigos

23 thoughts on “Clara Ferreira Alves e a “Multidão dos Barcos”

  1. Quem è essa gaja?

    Não está on-line pois não? Então não interessa.

  2. Eu cá gostava que ela fosse passear longe…

  3. Anónimo

    Essa tipa anda com o ego muito inflacionado…

  4. “Num qualquer blogger existe e vegeta um colunista ambicioso ou desempregado ou um mero espírito ocioso e rancoroso. Dantes, a pior desta gente praticava o onanismo literário e escrevia maus versos para a gaveta, agora publicam-se as ejaculações.” ????!?!!?!?!?!?
    Minha cara senhora, não sou nem ambiciono ser um colunista, não estou desempregado nem sou rancoroso, talvez tenha um espirito ocioso… Nunca escrevi maus versos para a gaveta, pois não tenho jeito para escrever. Publico o que me apetece pois sou livre de dizer o que me apetece. Quanto a ejaculações deverá estar a falar do grande masturbador intelectual que é o JPP. No entanto desconfio que está senhora é assim, precisamente por falta de ejaculações…
    Um Abraço.

  5. Essa Sra tem dias em que parece que o cérebro se liga oa intestino e saiem coisas como essa. Eu que sempre gostei de ver os cacilheiros e os usei em tempos regularmente estranho. Mas, que se pode esperar de uma ex-santanete?
    PS: Como te foste lembrar desse post antigo?
    abraço

  6. Pingback: Arrebenta - The Braganza Mothers : Longa Caminhada para a Noite

  7. João

    Não suporto betinhos/as com a mania que são alguém, querem falar. Mostrem obra. Lá por serem ricos não lhes dá o direito de criticar gente humilde ( e esperta, se não vejam as horas que passam em filas de trânsito dentro de um carro), que não tem dinheiro para se passearem limusina.

    Abraço

  8. não sei se a senhora é rica ou pobre…
    sei apenas que foi arrogante e que exibe frequentemente essa atitude enquanto figura mediática.
    e se é um “opinion maker”… devo lamentar, mas a minha “opinion” não forma, não senhor.

  9. Detesto mulheres mal feitas e snobs

    Esta de pescoço finiñho e esganiçado e mente fascista pensa que só ela ã passear pela arcadas do Terreiro do paço é que tornaria verdadeiramente imperial aquela praça.
    Como está , a Praça cheia de carros, buzinas, cheiro a catinga e suor desse povo mediocre e parvo que por andar atarefado 24h/dia , dorme mal e não consegue pensar nem perceber a tamanha prisão onde vive , essa mesma Praça torna-se num espaço imundo e um antro de miséria sem estética nenhuma para essa grandiosa figura da cultura nacional que vive à conta dos impostos que essa gente suada e a cheirar a catinga paga ao Estado e ainda por cima andam muito a pé e enchem as ruas desse cheiro imundo e muita vezes destróem os Porches dessa gente fina que passa as noites na 24 de Junlho e demadrugada chocam com essa gente que chega de barco a Lisboa para ir trabalhar e pagar os Impostos que permitem à fininha fazer a vida a cheirar a Chanell~.

    Um País tem que ser muito atrasado para dar guarída a figuras como esta Clara Alves .. Phonix …..
    Que merda de Povo estupido !

  10. infelizmente, concordo consigo… Cada país tem as “élites” culturais e políticas que merece, e nesse aspecto têmo-las muito tristes… Estes “umbiguistas” são, contudo, alimentados pela nossa indiferença – quando não – pelo nosso próprio consumo e pela incapacidade crónica que muitos de nós têm de formar opinião própria e diversa da destes “opinion makers” que opinam sobre tudo e todos, desconhecendo quase sempre aquilo sobre que versam a um dado momento.
    Por mim, essa declaração, mais uma outra de um outro individuo desse programa puseram fim à “adoração mediática” dessas figuras.
    Esperemos que mais oiçam com ouvidos de ver, declarações como estas e que pouco a pouco estes figurões dos media sejam remetidos à sua verdadeira insignificância redundante.

  11. Graxaim

    Esse tipo de gente não ´´privilégio´´ exclusivo de Portugal. Infelizmente, só existe o espezinhador porque há os que toleram ser esse tratamento. Essas pessoas desapareceriam da ´mídia´ se todos lhes negassem audiência. O Brasil sofre desse mal… talvez em maior escala…
    Saudações

  12. essa é a grande virtualidade da Internet e dos Blogs… Dar voz a quem nunca a teve (porque não nasceu em nenhuma “família mediática”) e a liberdade de expressão que a imprensa escrita, comprometida hoje como está com os grandes grupos económicos, já não pode dar.

  13. Asbestos

    CFA é talvez o extremo mais repugnante e presunçoso de uma classe de pseudo-intelectuais, que não seriam nada, repito NADA, se não fosse o seu fácil acesso aos média. Não me parece que seja fazedora de opiniões a não ser para alguma triste leitora distraída. Devia-se dedicar a tempo permanente a fazer entrevistas televisivas subservientes ao Dr. Mário Soares, que é para aí que aponta o seu talento.

  14. sem dúvida.
    é mesmo uma “criatura” dos seus amigos das televisões.
    ainda ontem assistimos a mais um panegírico à personagem, na rtp1, numa reportagem sobre “as mulheres, o sexo e a cidade”, onde ela se apresentava a escrever, a ler e dizendo “ser mais culta que a maioria dos homens”. como se conhecesse todos, um por um.

  15. MCP

    A Clara Ferreira Alves é uma intelectual honesta, ou seja não faz concessões.É uma jornalista como há poucas pela sua cultura e grande plasticidade ne escrita e oralidade.

  16. manuel fernandes

    Obrigado, Clara, pela lucidez do teu espírito e frontalidade das tuas palavras… chego a sentir que somos uma multidão de corruptos, golpistas, incompetentes e resignados… No meio desta possilga imunda, deteta-se o brilho de algumas mentes, muito, muito raras, que quase sucumbem diante desta enorme avalanche de mediocridades…
    coimbra.

  17. Pingback: Arrebenta - The Braganza Mothers : Jantares de Autor e Termodinâmica Clássica da Bloguística

  18. Paulo Correia

    BOA NOITE CLARA FERREIRA ALVES.
    Como sei que “gosta”, tanto como eu, dos assuntos relacionados com a igreja católica, aqui vai este último comentário “inteligentíssimo” do papa que, pela primeira vez na história, lembrou-se da NATUREZA (nunca vi a mesma mencionada na bíblia nem nos 10 “mandamentos”).
    “….somos contra a união de seres do mesmo sexo porque é biológicamente inaceitável – é anti-natura…” “Por acaso” enganou-se redondamente, como não poderia deixar de ser. Existe sim uma minoria de seres que tem relação homosexual na natureza e isso é conhecido e provado. Mas o grave não é isso. É usar a natureza mais uma vez para falsos testemunhos. Pergunto eu ao sr. Papa – Haverá algo de mais ANTI-NATURA do que, cito: proibir o sexo!? afirmar que o sexo serve apenas para reprodução (desculpa para libertar os crentes desse sacrifício sem PECAR)!? Um homem sobreviver a morte do seu próprio corpo ( Deus resuscitou)!? Uma mulher dar a luz sem ser “fecundada” (“virgem Maria)!? – Afinal, alguém pode me explicar o que o papa quiz dizer com as suas afirmações? kkkk – Clara Ferreira Alves , adoro ver-te no eixo do Mal. Cumprimentos.

  19. Nota do editor:
    Não sou a Clara Ferreira Alves.
    Sou um gajo.
    E por sinal nada Santanete, nem Soarista.
    Como a dita.

  20. Lusosailor

    Estou envergonhado alheiamente pela violência e esquizofrenia dos comentários que lí dirigidos a sua pessoa; gostei do texto e peço-lhe que se junte mais vezes aos seus amigos e continue a fazer os vossos comentários
    parabéns

  21. Duarte

    No fundo, entendo o que a Clara quer dizer. Percebo-a perfeitamente. O que penso, é que ela não soube usar a praça actual para expressar o que verdadeiramente a choca, nela. Pelo que conheço dos excelentes artigos que escreve para o “Expresso”, quase que juraria que não é ás pessoas que ela se refere, mas á forma como a praça se transformou. Até as pessoas, como eu, como ela, que andam nos ferris, pensarão o mesmo, não duvido. Penso que ela se refere ao mau urbanismo que, consequentemente, levou a praça a isso. E não será os ferris, com as pessoas, como eu e como ela. É a praça total. Baça, cinzenta, petrificada a cimento, com as pessoas como eu e como ela, pouco felizes, de lá para cá. E, ao seu estilo, literário e pessoal.

  22. Pingback: Jantares de Autor e Termodinâmica Clássica da Bloguística | Aventar

  23. Pingback: Jantares de Autor e Termodinâmica Clássica da Bloguística | Aventar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

PEDAÇOS DE SABER

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

%d bloggers like this: