Monthly Archives: Janeiro 2007

O artigo 21 do Código do Trabalho: “Confidencialidade de mensagens e de acesso a informação”

“Artigo 21º

Confidencialidade de mensagens e de acesso a informação

1 — O trabalhador goza do direito de reserva e confidencialidade relativamente ao conteúdo das mensagens de natureza pessoal e acesso a informação de carácter não profissional que envie, receba ou consulte, nomeadamente através do correio electrónico.

2 — O disposto no número anterior não prejudica o poder de o empregador estabelecer regras de utilização dos meios de comunicação na empresa, nomeadamente do correio electrónico.”

Este interessante artigo pode ser encontrado no Código do Trabalho actualmente em vigor… Conheciam este artigo? É claro que o dito não cobre a actividade de Browsing, mas estará esta implícita se fôr aqui acedido um sistema de Webmail como o Gmail ou o Webmail da IOL/Netcabo?

Conhecia este Artigo do Código do Trabalho?
1) Sim
2) Não
View Results
Anúncios
Categories: A Escrita Cónia, Informática, Sociedade Portuguesa | 2 comentários

sQuid S1-44: A que força pertencem estes soldados?

Categories: Delírios, sQuids S1 | 24 comentários

O Brasil: A Terceira Superpotência Mundial do Século XXI? (resposta a comentário do “Ultramar”)

A partir de alguns extractos do comentário do “Ultramar” vou passar a redigir um comentário mais alargado, que analisarei ponto a ponto e que pretende abordar a presente situação das forças armadas brasileiras na América do Sul.

Diz o “Ultramar”, respondendo a um comentário do “Anónimo”:

“Mas o Leopard no exército brasileiro é uma solução momentânea, provisória, baseada, principalmente, na situação dos exércitos vizinhos. Por que o Brasil vai comprar tanques que assustem os vizinhos e gerem uma corrida armamentista?”

Não vou responder pelo “Anónimo”, é claro! 😉 mas gostava de comentar esta interessante intervenção do “Ultramar”:

Actualmente, somente o Chile vai reforçar a curto prazo a sua arma blindada com a aquisição de 100 ou 300 (segundo outras fontes) MBTs Leopard 2A1, coadjuvados por 135 novos APC M-113 Lynx. Três centenas de Leopard 2A1 (um modelo superior ao brasileiro) é um exagero e provavelmente é uma informação falsa…

Esta é a informação presente na Wikipedia:

  • Brazil Brazil (128 Leopard 1A1 and 240 Leopard 1A5)
  • Chile Chile (202 Leopard 1V´s)

Juntamente com os novos F-16 e com as suas novas fragatas esta lista de balanço de forças arrisca-se a uma severa alteração alterado este ranking comparativo das potencias militares da América do Sul…

A Venezuela alinha actualmente 81 MBTs franceses AMX-30, 36 AMX-14, 80 Scorpion e ainda 75 M18 Hellcat e Argentina com 200 TAM, 100 SK-105 Kurassier e 50 AMX-13/105, pelo que se encontram quer em qualidade, quer em quantidade, bem atrás do Chile e do Brasil.

No mar, o Brasil prepara-se para comprar os novos cinco submarinos IKL209 e vai concluir a construção da corveta V-34 “Barroso”, mas os seus parceiros sul-americanos estão também aqui a recuperar o seu atraso… O Peru adquiriu duas fragatas italiana Lupo e deverá adquirir mais duas unidades semelhantes. O Chile opera agora dois dos mais modernos submarinos de ataque do mundo, os Scorpene e completou-os com 4 fragatas holandesas, que deverão ser reforçadas com 3 fragatas britânicas Type 23. A Venezuela ainda não decidiu se ficará com Scorpene ou se com os submarinos russos Amur. A vizinha Argentina apenas terminou a construção da corveta Meko 140 pelo que deverá perder “pontos” neste balanço de poder na América do Sul…

“Não falta ao Brasil, uma das maiores economias do mundo, condição de comprar os melhores equipamentos militares do mundo, ainda que não em grande quantidade. Qualquer português que conheça bem o Brasil, está ciente disso. Porém, isso geraria críticas, acusações, suspeitas, corrida armamentista na região…O Brasil sempre procurou mostrar-se com excepção dos governos militares) confiável e não assustador para seus vizinhos.”

O problema está em que nos últimos 20 anos, mas especialmente nos últimos 5, o Brasil deixou-se ultrapassar nesta onda armamentista que percorre a América do Sul, e especialmente o Chile e a Venezuela (esta última financiada pelos seus petrodólares). É certo que o Brasil não tem conflitos militares em potencia com nenhum dos seus vizinhos, mas a onda de “esquerda populista” que tomou a sua maioria e o tradicional alinhamento do Brasil com as políticas dos EUA poderá colocar-lhe problemas com as fronteiras com a Bolívia e com a Venezuela, a breve prazo… E o Brasil tem ainda que defender a sua extensa e deserta fronteira amazónica, precisando para isso de forças móveis, de selva e de um correcto posicionamento de meios aéreos.

“Agora é que, com o armamentismo de Hugo Chaves, o Brasil parece movimentar-se, de forma mais rápida, a melhorar a qualidade e a quantidade de seus armamentos, por segurança. Também se procurou no Brasil, sempre, gastar o máximo com o povo e o mínimo com armas, ao contrário de tantos outros países. Por isso é que o Brasil é um dos países que menos gastam com armas, em relação ao seu PIB. E 240 tanques Leopard 1A5 são suficientes, um número considerável para o sul da América, neste momento, principalmente se forem actualizados; mas apenas 37 tanques Leopard 2A6 é muito pouco para a Europa, Anónimo…”

É bem verdade… Tanto mais que as barreiras naturais (grandes rios e altíssimas montanhas) dificultam o uso do tanque pesado na América do Sul… e as grandes extensões da América também… Apesar disso 230 Leopard 1A5 são significativos, mesmo para o teatro europeu! A Espanha, por exemplo (nosso vizinho…) opera 90 AMX 30E, 244 M60 A3TTS, 108 Leopard 2A4, 219 Leopard 2A6 e 84 VRC-105B1, MBTs melhores, mas incluindo ainda muitos de classe semelhante aos vossos 1A5… Portugal vai substituir os seus 100 M-60 por 37 Leopard 2A5… Excelente MBT, mas em muito (demasiado) escasso número.

Conclusão:

O Brasil tem na América Latina uma posição ímpar. É uma das quatro potencias emergentes (BRIC: Brasil, Rússia, Índia e China), sendo destas a maior potencia agroindustrial, o que num mundo onde a escassez de alimentos e água será cada vez mais importante tenderá a ser uma potencia cada vez mais mundial e menos regional.

A força económica do Brasil não cessa de crescer, mas existem ainda enormes problemas sociais provocados pelas gigantescas desigualdades sociais e um número crescente de organizações criminosas cada vez mais poderosas. Se o Brasil conseguir resolver estes grandes problemas sociais que prejudicam seriamente o seu desenvolvimento e vencer uma timidez na arena internacional que o tornam num país muito menos activo diplomaticamente do que deveria ser, quer pelo seu peso demográfico, quer pelo seu crescente peso económico, estaremos perante a…

Terceira Superpotência do Século XXI?

(P.S.: A “Europa” não conta, porque não tem ainda, nem terá tão cedo, uma força militar unificada…)

Categories: DefenseNewsPt, Defesa Nacional | 136 comentários

Quid S6-16: Que submarino era este?


Dificuldade: 2

Categories: Quids S6 | 16 comentários

O Açúcar da “Papisa Joana”

Ando agora a ler a biografia romanceada da misteriosa e polémica “Papisa Joana” numa edição da Presença (ver AQUI). O texto surge recheado de alusões “feministas” sobre os escassos (nulos?) direitos humanos das mulheres na época, infelizmente perfeitamente correctas no contexto social da Alta Idade Média carolíngia, mas numa das primeiras páginas do livro dei com um erro de palmatória… (ver AQUI)

Joana, a futura papisa, ainda menina entra no salão do Bispo, que fundou a Escola onde irá estudar e encontra um fausto banquete a decorrer… E sobre a mesa vários doces… feitos de açúcar. A palavra açúcar fez logo tocar umas campaínhas cá dentro, porque não me pareceu que fosse conhecido na Europa do século VIII d.C. Os próprios árabes e egípcios aprenderam com os persas a produzir açúcar sólido, mas apenas no século X d.C. e a introdução do dito na Europa ocorreu apenas por volta do século XIII, mas somente no século XV é que haveria de conhecer uso corrente entre os europeus… Como num banquete “bispal”…

Enfim. Um erro. Compreensível, mas ainda assim um erro que mancha um livro que nos demais aspectos me parece absolutamente correcto e históricamente certeiro.

Enfim… Erro mais crasso, só mesmo aquele que alguém cometeu sobre os… crotalus

(ainda se lembram?)

Já leu o livro «A Papisa Joana»?
1) Sim
2) Não

View Results

Categories: Alquimia, Economia, História, Livros | 10 comentários

Quem quer ir ao Espaço? O concurso AMD-Microsoft e o vôo no Rocketplane XP

Numa manobra de promoção ao novo Sistema Operativo de Redmont, o Windows Vista, a Microsoft anunciou que iria financiar uma viagem ao Espaço a quem fosse capaz de desvendar um enigma que será incluído no jogo “Vanishing Point“.

A Microsoft vai oferecer uma viagem espacial a que vença o passatempo e resulta de uma parceria entra a AMD e a Microsoft e será cumprido no vôo espacial da empresa privada Rocketplane.

O veículo usado será o “Rocketplane XP” com quatro lugares, asa delta e cauda em V. O aparelho será propulsionado por duas turbinas a reacção convencionais e um motor foguete, permitindo-lhe acelerar até às 2386 milhas/hora e alcançar uma altitude suborbital de 100 Km. O veículo deverá então manter em ausência de peso entre 3 a 4 minutos.

Agora… Só falta decifrar as pistas que a Microsoft deixou online…

Fonte: RocketPlane

Era capaz de comprar um bilhete para um vôo subespacial?
1) Sim
2) Não

View Results

Categories: SpaceNewsPt | 4 comentários

sQuid S1-43: Como se chama este porta-aviões?

Categories: Delírios, sQuids S1 | 6 comentários

O “PAK FA”, o caça de Quinta Geração Russo (Su-47 e MiG 1.44)


Projecto Sukhoi Su-47: (http://www.deagel.com)


Projecto Mig 1.44 (http://www.deagel.com)

O projecto PAK FA é a tentativa russa de construir um caça de Quinta Geração que está a envolver as três maiores construtoras russas: Mikoyan, Yakovlev e Sukhoi. “PAK” significa “Perspektivnyi Aviatsionnyi Kompleks Frontovoi Aviatsyi“, ou seja “Futuro Complexo Aéreo para as Forças Aéreas Tácticas”.

O PAK FA deverá substituir os aparelhos MiG-29 e Su-27 ainda em serviço em grandes números na Força Aérea Russa e deverá ter o seu primeiro vôo em finais de 2007, entrando em serviço algures entre 2012 e 2015.

O projecto começou nos finais da década de 80, ainda durante a existência da União Soviética e ao desafio do Governo responderam as fábricas Sukhoi com o Su-47 e a Mikoyan com o Project 1.44. Só em 2002, é que, contudo houve alguma decisão, sendo a Sukhoi seleccionada para dirigir a concepção do aparelho, mas foi decidido que este deveria incluir tecnologia das duas propostas, fundindo-as numa única, ainda que sob a direcção da Sukhoi.

Sabe-se muito pouco do projecto PAK FA… Mas é quase certo que deverá incluir tecnologia furtiva, ser muito rápido, capaz de operar os mísseis ar-ar, ar-terra e ar-mar mais sofisticados, assim como incluir um radar AESA. A propulsão estará a cargo de um motor AL-41F ou de uma sua variante mais avançada.

Actualização: clique AQUI !

Fontes:

Wikipedia

http://www.deagel.com/Strike-and-Fighter-Aircraft/PAK-FA_a000333001.aspx

Qual deverá ser a selecção do Programa FX-2?
1) Rafale C
2) Typhoon
3) Gripen N
4) F-16C Block 60
5) F-18E/F
6) F-35 Lightning II
7) Sukhoi Su-35

View Results


Categories: Brasil, DefenseNewsPt | 76 comentários

Quid S6-15: Que avião é este?


Dificuldade: 4

Categories: Quids S6 | 7 comentários

A China coloca a sua Marinha de Guerra como a prioridade número um para os próximos anos


Destroyer Lança-Mísseis chinês “Shenzhen” (http://www.warshipsifr.com)

Segundo um documento oficial do Governo Chinês, a China enfrenta importantes desafios de segurança internacional, como a possibilidade da independência de Taiwan, o programa nuclear da Coreia do Norte e o reforço da aliança Japão-EUA como factores que deverão obrigar a China a aumentar o seu poder militar.

Desde 1990, o orçamento militar da China tem crescido 15% todos os anos, alimentando a modernização do maior exército do mundo, forte de 2,3 milhões de homens, que, apesar deste tremendo esforço financeiro, continua a ser um dos mais obsoletos do mundo.

O documento coloca como a grande prioridade a necessidade de aumentar a capacidade chinesa de travar guerras de Alta Tecnologia e de vencer um conflito naval. Precisamente as duas áreas onde o Exército de Pequim está em maior desvantagem actualmente.

Especial enfoque vai ser dado ao rearmamento naval, considerado até hoje como o parente pobre das forças armadas chinesas. E vai permitir à China projectar de uma forma mais eficiente e ampla a sua influência no mundo.

Neste sentido as recentes deslocações de forças navais chinesas para o Índico e o recente incidente com a intercepção de um Porta-aviões americano por um submarino chinês enquadram-se nestas novas ambições chinesas e mostram como é perigoso vender tecnologia e armamento de ponta para a China… Já que essas potencias que vendem este equipamento (a Rússia, sobretudo) cedo terão que enfrentar a influência marítima chinesa que ajudaram a erguer…

Fontes:

SinoDaily

NavyLeague

Concorda com a exportação de tecnologia militar para a China?
1) Sim
2) Não

View Results

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci | Deixe um comentário

Comentário ao Texto Integral do Acórdão do Tribunal de Tomar sobre o caso “Luís Gomes” (Processo de crime de sequestro agravado e de subtracção de menor)


(http://dn.sapo.pt)

O Portal Verbo Jurídico, disponibilizou o texto integral do acórdão proferido pelo Tribunal Colectivo do Círculo Judicial de Tomar (Tribunal de Torres Novas), sobre o processo de crime de sequestro agravado e de subtracção de menor, assim como uma resenha cronológica dos factos, cujo texto Integral do Acórdão pode ser carregado e lido AQUI.

Já que o dito acórdão foi colocado online para facilitar a sua livre leitura por parte dos cidadãos que Justiça representa , vamos proceder a isso mesmo: a uma leitura livre e desinteressada da sentença dos juízes de Torres Novas:

página 1

“Baltazar… constituiu-se assistente e deduziu pedido de indemnização por si e em representação da sua filha, Esmeralda Porto, para ressarcimento dos danos patrimoniais e não patrimoniais causados pela actuação dos arguidos.”

Ora aqui está, claramente exposto, a motivação de Baltazar para se alistar como Assistente neste processo contra Luís Gomes… A indemnização monetária. “Danos patrimoniais”? Quais? A gasolina que gastou em “viatura própria”? 30 mil euros?

página 2

“Esmeralda Porto nasceu no dia 12 de Fevereiro de 2002 (…) Em 28 de Maio de 2002, a referida Aidida Porto entregou a menor Esmeralda ao casal”

“Entregou” não é raptar… Ou seja, não houve “rapto” no sentido estrito do termo… Ninguém retirou contra sua vontade criança nenhuma a ninguém. O pai biológico, à data, não queria saber da menina, a mãe, reconhecendo não ter condições para a criar entregou-a ao casal Gomes.

página 4

“Tal sucedeu, nomeadamente, em Julho de 2004, junto às instalações militares onde o arguido Luís Gomes trabalha, no Entroncamento, altura em que o assistente Baltazar… solicitou arguido Luís lhe entregasse a menor Esmeralda.”

Em Julho de 2004? Quanto tempo medeou entre a entrega do Poder Paternal ao pai biológico e esta sua primeira diligência para procurar Luis Gomes? E como se pode alegar que este mudou várias vezes de residência e que por essa razão bloqueou a entrega da criança quando esteve sempre aparentemente contactável no seu local de trabalho? E se Baltazar tinha assim tanto interesse em localizar a criança, porque não se limitou a seguir Luis Gomes até casa quando este saía do seu local de trabalho?

“quando o assistente Baltazar tocava à campainha da porta onde estavam a residir o arguido e a esposa não obstante existir ruído e luz no interior da residência, ninguém abria a porta.”

E porque haveria de abrir? Baltazer deslocava-se aqui para retirar abruptamente a criança, sem qualquer tipo de transição, e estas primeiras deslocações fê-las ainda antes de receber o Poder Paternal. Sendo um estranho, nada obrigava a família Gomes a abrir a sua porta e a receber Baltazar. Nenhuma lei, nenhum mandato judicial os obrigava a fazê-lo e ao optarem por não conceder acesso a Baltazar estavam a agir dentro da sua própria liberdade, ao contrário do que parece sugerir o acórdão…

página 5

“Após terem sido contactados pelo Instituto de Reinserção Social, a fim de serem esclarecidos da entrega da menor Esmeralda ao assistente Baltazar…, o arguido Luís Gomes e Maria Adelina, em circunstância não concretamente apuradas, mudaram a sua residência para Torres Novas.”

É impossível não perceber aqui a indirecta: “em circunstância não concretamente apuradas”… Como se não fosse legal mudarem de residência… E se não fosse, certamente que o Tribunal que foi tão implacável para com o Casal Gomes, não deixaria de o ter punido neste concreto…

“O arguido e Maria Adelina não compareceram porquanto não foi possível notificá-los porque os mesmos tinham mudado novamente de residência, para o Entroncamento, e estariam no Alentejo, naquele dia.”

Mas se Luís Gomes esteve sempre a trabalhar no mesmo local, no Entroncamento, onde constava da escala (afixada) de serviço… Onde está então esta dificuldade no contacto? A menos que o Tribunal não tivesse tentado este contacto, e nesse caso, este é o único responsável por esta incapacidade.

página 7

“Com a intenção conseguida, de contra a vontade do assistente a quem a guarda e cuidados fora atribuída, lhe coarctaram a sua liberdade de movimentação.”

Certamente que essa não é a opinião da menor Esmeralda… Ela foi certamente de livre vontade com a única mãe que conhece, e não “coarctada”… Coarctade estaria se o casal Gomes tivesse aberto a porta a Baltazar, como este e o Tribunal queriam, e este tivesse coagido a dita menor a seguir, abruptamente, consigo.

página 8

“O que veio a suceder em Fevereiro de 2003, imediatamente após tomar conhecimento dos resultados daquele exame Hematológico, por termo de perfilhação (quando a menor tinha apenas 1 ano de vida).”

Só quando Esmeralda Porto tinha um ano de vida, é que Baltazar a perfilhou! E a juíza escreve o “apenas”, uma palavra colocada aqui com um claro sentido justificativo, não neutral e parcial. Com um ano de idade, todos os pedopsiquiatras concordam em reconhecer que os laços afectivos estão já estabelecidos, assim como a identificação mental que a criança faz do “pai” e da “mãe” e que qualquer retirada daqueles que ela considera como seus verdadeiros pais (a criança ignora tudo da Lei, Biologia e Genética…) é violenta e profundamente traumatizante…

“O Demandante desde logo(27.02.03) manifestou junto do Senhor Procurador Adjunto dos Serviços do Ministério Público da Sertã, o desejo de regular o exercício do poder paternal e mais ficar com a menor à sua guarda e cuidados”

Como assim? “Desde logo”? Desde logo, um ano depois? E este termo aqui não fazia mais sentido surgir no discurso do assistente ou do seu advogado do que numa sentença judicial, suportamente, neutra, fria e imparcial?

“Para o que imediatamente procurou a filha junto da mãe, que a tinha supostamente em seu poder, no entanto aquela com informações erróneas e equívocas, ocultou ao Demandante o paradeiro da menor, tendo aquele após sucessivas insistências junto do M. P. da Sertã, vindo a saber que a filha se encontrava a residir com os demandados em Torres Novas (12.06.2003)”

Onde está o “imediatamente”? (um termo mais uma vez muito parcial e favorável a Baltazar) se este contacto só teve lugar em 12 de Junho quando Baltazar recebeu o Poder Paternal em Fevereiro? Este desde Fevereiro a Junho a contactar “imediatamente” os demandados? E deixando-se iludir pela mãe biológica?

página 9

“ali se deslocando aos fins de semana, inúmeras vezes, reclamando a sua filha, conhecê-la e levá-la consigo para a sua residência.”

De novo o uso recorrente de termos muito parciais e tendenciosos para uma das partes… “inúmeras”… Inúmeras, segundo o dicionário significa vezes sem conta… Tipo infinito… Ou seja, Baltazar descolou-se “infinitas” vezes procurando a sua filha?

“No entanto, contactado o arguido e a esposa, primeiro telefonicamente e depois, pessoalmente, nunca estes permitiram que contactasse com a filha, não o recebendo, mantendo para tanto a Porta exterior fechada, conquanto para o fim vezes houve em que viu serem desligadas as Luzes, não reagindo ao toque da campainha.”

De novo, nada obrigava o Casal Gomes a abrir a porta a Baltazar! Nenhum mandato judicial, nenhuma autoridade acompanhava o dito Baltazar que os obrigassem a conceder-lhe acesso à sua residência! A referência deste facto no acórdão serve apenas os interesses da parte constituída pelo assistente, não o imparcial interesse em cumprir a Lei e a fazer-se Justiça.

“Continuando, a deslocar-se sucessivamente, várias vezes ao mês, de sua residência em Cernache de Bonjardim, Sertã, ora a Torres Novas, ora ao Entrocamento, aqui domicílio Profissional do Demandado, percorrendo milhares de Quilómetros em viatura própria, quer para ver a filha, quer para lhe fosse entregue.”

Ou seja, assim se admite que Baltazar tinha nas suas deslocações a intenção brutal de retirar de um momento para o outro Esmeralda dos braços da única mãe que conhecia, não concedendo nenhum período de transição, nenhuma moderação, não tendo em suma, qualquer preocupação pelos interesses emocionais, afectivos e psicológicos da menor, apenas considerando o seu próprio interesse nesta batalha legal em que se empenhou, aparentemente, e segundo este próprio acórdão, tendo em vista a indemnização que acabaria por ver concedida por este Tribunal de Torres Novas… E o “viatura própria” surge aqui para que efeitos? Qual é a relevância para este processo?

“Mas, não obstante a sentença proferida, que gerou no demandante uma enorme alegria, este confrontou-se após com o desmoronar do seu sonho com a recusa peremptória directamente comunicada pelo demandado Luís Gomes, em procederem à entrega da menor.”

Mas a Justiça e a Imparcialidade (a imagem popular da Justiça é uma figura cega) têm algo a ver com uma frase deste teor? Mais normal numa telenovela de pior catadura do que numa sentença judicial esta “enorme alegria” é útil, processualmente, em quê? E está provada em que medida? Ou o colectivo de Juízes de Torres Novas lê pensamentos? Poderá sempre escrever que o “demandante exprimiu uma enorme alegria”, mas afirmá-lo, assim, de forma tão cabal e absoluta? Isto serve em que medida os interesses da Justiça neste caso? E não denota – mais uma vez – uma perigosa parcialidade neste processo?

“a percorrer em viatura própria consecutivamente largas centenas de Quilómetros, mensal e em determinadas alturas, semanalmente“.

Espera aí! Então o demandante (o tal da “enorme alegria”) só uma vez por mês é que procurava a menor? E repare-se como os “milhares de quilómetros” de uma outra passagem sofrem aqui um downgrade para “centenas de quilómetros”, um valor mais razoável e realista do que o usado e empolado anteriormente…

página 10

“Por desespero solicitou aos demandados, quando os contactou pessoalmente, uma fotografia da filha, para que pudesse, ao menos, olhá-la diariamente, ao que estes não atenderam.”

De novo, o discurso usado no acórdão é fortemente tendencioso e favorável a uma das partes… E qual é a fonte deste “desejo”? O assistente? E qual é o crime cometido nesta recusa (admitindo a sua realidade)? E se não há crime então qual é a sua relevância para o processo?

“Adoptando estes uma atitude de desdém, de menosprezo pelos sentimentos alheios e expectativas do Demandante em relação à sua filha, dizendo-lhe directamente “nunca lhe entregariam a filha”, “que havia muitos pressupostos por definir”, e, afirmando processualmente “que ele nunca quis saber da filha”.

Ao tribunal compete julgar o arguido em função dos crimes de que vai acusado, não o de emitir sentenças morais ou moralizadoras sobre a sua conduta! Isso é algo que está entre este e a sua própria consciência e nada autoriza os juízes a exercerem este tipo de “vigilância” ética ou moral sobre alguém que não sejam… eles próprios. E sim, onde se falta à verdade quando se diz que “nunca quis saber da filha”, até esta ter (a juíza prefere o “ainda”…) um ano de idade? E “desdém”? Como pode a juíza redactora descrever assim o sentimento de alguém no processo? E se “desprezaram” os sentimentos de Baltazar isso não seria de somenos já que respeitaram os sentimentos de Esmeralda? Isso não é mais importante que os sentimentos vindicativos e indemnizatórios do pai biológico?
“(…) inseri-la no seu agregado familiar composto por si, a sua companheira já de há alguns anos e o filho menor desta, a quem trata por o meu pequenito“.

E daí? Onde esta a relevância para este processo desta forma de tratamento “meu pequenito”? De novo, a redactora do texto exprime neste passo uma perigosa (para a Justiça no processo) parcialidade e preferência pelos interesses de uma das partes… E que agregado é este, já que numa entrevista ao Diário de Notícias, a mãe de Baltazar reconhece que este vive ainda na sua casa, sem casa própria e que está ainda a tentar (com os irmãos) construir uma vivenda num terreno anexo? E se Baltazar mente neste passo (como parece indicar a entrevista da sua própria mãe) quem garante que não mente nas outras declarações em que fala de “enorme alegria”, “que não lhe abriram a porta”, “que andou milhares de quilómetros”, etc, tudo declarações que faz sem testemunhas, além da muito parcial “companheira” Ilda?

“Tem construído a sua vida familiar perspectivando englobar nela a sua filha Esmeralda, mudou de casa para recebê-la, mobilou e decorou um quarto só para ela”.

Segundo a dita entrevista, não mudou de casa coisa nenhuma… Isso ou a sua mãe mente (com que propósito?) ou seja, não “mudou de casa”, tenciona fazê-lo para a casa que estará a construir, mas ainda não o fez! E esse quarto, que surgiu em certa reportagem televisiva existe… na casa da mãe…

página 12

“Impedindo a menor de conhecer a sua verdadeira identidade, o seu verdadeiro nome, a sua realidade familiar, quer pelo lado do pai, quer pelo lado da mãe.”

Porque é que a “verdadeira” identidade há-de ser a biológica ou genética? Não é esse certamente o sentimento e pensamento da menor… Será “verdadeira” à luz da Lei (má) vigente, mas não é “verdadeira” para a parte cujo interesse o Tribunal devia cuidar em primeiro lugar: o interesse de Esmeralda.

“Privando-a de frequentar um infantário, com o propósito de obstar a que a menor seja entregue ao Progenitor, como era já exigível, face à idade que tem, de lhe ser propiciado o convívio com outras crianças, apreender regras de convivência social, adqurir conhecimento, facultar-lhe um são, harmonioso e sereno desenvolvimento e uma boa educação e formação”.

E eis que agora, o Tribunal surje imensamente preocupado com o desenvolvimento mental da criança… Ele mesmo que decretou o súbito “rapto legal” da menor, de forma imediata e abrupta, e ordenou às forças policiais que removessem a menor de 5 anos dos braços da única mãe que reconhece… E onde está o “são desenvolvimento” se lhe é retirado o súbito contacto com os únicos pais que sempre conheceu?

página 14

“Em finais de 2003, inícios de 2004 a SS de Santarém entendeu que a menor estava bem integrada na família do arguido tendo estabelecido laços de afectividade e vinculação sendo o arguido e esposa considerados idóneos para adopção.”

“Em 18 de Outubro de 2004, o Prof. Dr. Eduardo Sá era de parecer que retirar a menor do seio familiar do arguido e esposa — assume uma exposição grave da Esmeralda ao perigo que me cumpre assinalar.”

Sendo claríssima a Lei da Adopção referindo bastas vezes que o “interesse supremo do menor” deve ser considerado sempre como o mais relevante e aquele que deve sempre ser respeitado na sua aplicação, como se explica que o Tribunal nem sequer tenha sugerido uma solução de transição? (que o MP sugere agora, por pressão da Opinião Pública)

página 17

“(…) na procura ‘desesperada’ da sua filha, veio ao Entroncamento e Torres Novas vezes sem conta, sendo a sua vida, naquela altura dependente de tal facto, pois o assistente todos os dias pensa no assunto“.

Como sabe a juíza presidente do colectivo a substância do pensamento do assistente Baltazar? De novo surge aqui um discurso fortemente tendencioso e parcial, demasiado longe da frieza de pensamento e julgamento que seria de esperar encontrar neste foro… A menos que os juízes de Torres Novas sejam telepatas, o que devia estar aqui escrito era algo do género “o assistente afirma que pensa no assunto todos dias”… E que assunto será este? O da filha a quem não ligou durante um ano ou da indemnização que agora reclama com tanta vocação teatral?

página 20

“em Outubro de 2002 (confirmou tal data a testemunhal Ilda Leitão, companheira do assistente) o pai tinha feito os exames de paternidade, manifestando interesse em assumi-la caso fossem positivos”

Portanto a fonte desta data e desta afirmação é, nada mais nada menos… Que a Companheira de Baltazar… Uma fonte segura e imparcial, de certeza… E não há mais fontes para a data destes exames, além desta testemunha tão fiável? E se não há… Quem garante que foram mesmo feitos nesta data? Porque não existe no processo uma referência mais oficial, e menos fundada no depoimento de uma testemunha tão parcial?

“Tendo o pai perfilhado a menor em Fevereiro de 2003 e tendo procurado o arguido e a esposa passados poucos dias (declarações dos assistente e depoimento da testemunha Ilda Leitão) por que motivo recusaram o seu contacto com a menor? Não era do interesse desta conhecer o pai? Manter laços de afectividade com este quando tinha pouco mais que um ano de idade

Mas de outubro de 2003 a fevereiro de 2004 vão 4 meses! Se Baltazar tinha assim tanto interesse em ver a menor, o que andou a fazer durante quatro longos meses? E de novo, a única fonte é a dita Ilda e Baltazar, precisamente o assistente e a sua companheira?

página 21

“Foi o interesse da menor que esteve subjacente a toda esta actuação! Ou foi o seu desejo de terem para si a menor?”

E não é esse precisamente o interesse de Baltazar? Porque é este desejo censurável no casal Gomes e elogiado em Baltazar? Onde está a famosa e apregoada imparcialidade da Justiça?

“No que concerna ao pedido de indemnização civil, para além do já referido aquando da fundamentação da acusação, tais factos foram sobejamente comprovados quer pelo assitente quer pela sua companheira, testemunha Ilda Leitão, que o tem acompanhado nesta luta quase insane para que consiga ter junto de si a sua filha.”

De novo o discurso fortemente tendencioso e favorável a uma das partes… “luta quase insane”? Mas isto não significa que Baltazar está nesta verdadeira corrida de uma forma “insane” (ou pelo menos, “quase insane”) e logo incapaz de cumprir em boa medida as suas tarefas de pai? Isto é, como pode alguém “insane” ser um bom pai, ou pelo menos tão bom pai como aquele que sacrifica a sua própria liberdade em prol da estabilidade mental e emocional de Esmeralda?

página 22

Em maio de 2003 a paternidade do assistente, concluíraam (a Segurança Social) que o mesmo procedeu ao abandono da filha, “já que nunca procurou aquela instituição”.

Portanto, segundo a Segurança Social, Baltazar abandonou a sua filha… Até que percebeu que podia recolher uma indemnização no processo de recuperação da mesma… Coincidência?

página 23

“Comete o crime de sequestro “quem detiver, prender mantiver presa ou detida outra pessoa ou de qualquer forma a privar da liberdade”

Mas se Esmeralda não se sente “detida” ou “presa”, já que está com a única mãe que conhece não se sentira exactamente “privada de liberdade” se fôr arrancada de seus braços e empurrada – por força judicial e policial – para os braços de um estranho que nunca viu e que lhe dizem ser o seu “pai biológico”?

Com quem acha que Esmeralda devia ficar?
1) Com o pai biológico, Baltazar
2) Com os pais afectivos, o casal Gomes

View Results

Chamo ainda a atenção para a Petição Online em Libertem Luís Gomes e Mudem a Lei que pretende recolher assinaturas para forçar a Assembleia da República a mudar os artigos do Código Civil:

1974.º, 1978.º, 1979.º, 1980.º, 1983.º e 1992.º do Código Civil, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 47 344, de 25 de Novembro de 1966, alterado pelos Decretos-Lei n.ºs 67/75, de 19 de Fevereiro, 261/75, de 27 de Maio, 561/76, de 17 de Julho, 605/76, de 24 de Julho, 293/77, de 20 de Julho, 496/77, de 25 de Novembro, 200-C/80, de 24 de Junho, 236/80, de 18 de Julho, 328/81, de 4 de Dezembro, 262/83, de 16 de Junho, 225/84, de 6 de Julho, 190/85, de 24 de Junho, Lei n.º 46/85, de 20 de Setembro, Decretos-Lei n.ºs 381-B/85, de 28 de Setembro, 379/86, de 11 de Novembro, Lei n.º 24/89, de 1 de Agosto, Decretos-Lei n.ºs 321-B/90, de 15 de Outubro, 257/91, de 18 de Julho, 423/91, de 30 de Outubro, 185/93, de 22 de Maio, 227/94, de 8 de Setembro, 267/94, de 25 de Outubro, 163/95, de 13 de Julho, Lei n.º 84/95, de 31 de Agosto, Decretos-Lei n.ºs 329-A/95, de 12 de Dezembro, 14/96, de 6 de Março, 68/96, de 31 de Maio, 35/97, de 31 de Janeiro, 120/98, de 8 de Maio, Leis n.ºs 21/98, de 12 de Maio, 47/98, de 10 de Agosto, Decreto-Lei n.º 343/98, de 6 de Novembro, Decretos-Lei n.ºs 272/2001, de 13 de Outubro, 273/2001, de 13 de Outubro, 323/2001, de 17 de Dezembro, e 38/2003, de 8 de Março.

Categories: A Escrita Cónia, Sociedade Portuguesa | 9 comentários

sQuid S1-42: Que selo é este?

Categories: Delírios, sQuids S1 | 6 comentários

O Projecto XXJ: O caça chinês de Quarta Geração

Este projecto chinês foi revelado no Zhuhai Airshow de 2002. Visualmente, o aparelho assemelhava-se ao F-22 norte americano, e era conhecido do Ocidente pelo menos desde 1997, quando um relatório do “US Office of Naval Intelligence” apresentou o projecto do XXJ, um caça chinês de Quarta Geração que estaria em serviço até 2015.

O projecto está a ser desenvolvido pelos Instutos CAC/611 e CAC/601 como um caça de dois motores multi-role e com capacidades Stealth e manobrabilidade semelhantes às do F-22 Raptor.

O aparelho deverá ter uma baía interna de armamento para reduzir a marca de radar, e nas suas características gerais poderá ser superior ao EF-2000 e ao Rafale francês (já que será mais manobrável e Stealth), mas ainda assim claramente inferior ao F/A-22 americano. A confirmarem-se os escassos dados disponíveis este poderá ser o primeiro jacto fabricado exclusivamente na China com mais capacidade que a maioria dos aparelhos em uso no Ocidente e representará um verdadeiro salto de Gigante para um país como a China que sempre colocou a sua força aérea como um apêndice subfinanciado do Exército de Terra, sem comando próprio (o seu comandante-geral é um oficial do Exército), com poucas horas de treino e equipada com uma multidão de aviões ultrapassados.

O primeiro protótipo deste aparelho deverá voar até 2013.

Fonte:

http://www.geocities.com/spacetransport/aircraft-xxj.html

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci | 13 comentários

Quid S6-14: O que era isto?


Dificuldade: 3

Categories: Cinema, Quids S6 | 14 comentários

Do afundamento iminente do www.hollywood.tv

O domínio Internet .tv que já podem ter observado nos URLs de várias empresas ligadas à televisão, como o www.hollywood.tv, pertence a um pequeno país do Pacífico, conhecido como Tuvalu. A partir de 1998, Tuvalu começou a recolher direitos da venda do domínio internet “.tv” por 12 anos atribuído ao seu país pela InterNIC por 50 milhões de dólares.

E contudo, todas as empresas que usam este domainname .tv arriscam-se a ter um problema nos próximos 2/5 anos…

É que os 11 mil habitantes do arquipélago e do mais pequeno país independente do mundo estão na linha da frente no combate ao Aquecimento Global… É que uma das suas mais graves consequências, que é o aumento do nível médio do Mar ameaça tornar Tuvalu numa nação de refugiados. Segundo Paani Laupepa, um responsável do governo de Tuvalu: “Toda a nossa Cultura terá que ser transplantada.”

O ponto mais alto de Tuvalu é de apenas 4,6 metros, mas a maioria do seu território não ultrapassa um metro acima do nível do mar e todos os anos, as marés mais activas inundam a maioria do país e cobrem inclusivamente a única pista de aviação deste pequena nação do Pacífico. Se o nível do mar aumentar mais de 1 metro (e algumas estimativas falam de 5 metros na próxima década) este país inteiro desaparece e com ele…

O domínio .tv do http://www.hollywood.tv…

Um aspecto irónico desta questão é que em Tuvalu não existem estações de televisão, apenas um jornal quinzenal e algumas estações de rádio controladas pelo governo…

Fontes:

http://www.worldviewofglobalwarming.org/pages/rising-seas.html

Conhecia o significado do domínio .tv?
1) Sim
2) Não

View Results

Categories: CodeFarmPt, Ecologia, Informática | 6 comentários

Marrocos vai comprar 18 Rafale à França ou… não?

A empresa francesa Dassault vai vender a Marrocos 18 caças Rafale. Marrocos tornar-se -ía assim o primeiro cliente estrangeiro para este caça francês, um dos mais modernos caças da actualidade e colocando a Real Força Aérea Marroquina como a força aérea africana mais bem equipada do continente (em termos meramente qualitativos, já que o Egipto e a África do Sul têm melhores pilotos e equipamentos mais numerosos).

Esta venda é crucial para a Dassault, depois do falhanço das negocações com a Coreia do Sul, a Holanda, Arábia Saudita e Singapura.

A aquisição teria sido financiada pela Arábia Saudita e teve como principal motivação a recente aquisição de 60 aviões russos pela Argélia (ver AQUI), nomeadamente de 40 caças MiG-29SMT-2 e de 28 caças Sukhoi-30MK. O governo francês, por intermédio de François Lureau do Ministério Françês da Defesa, admitiu que a França deveria exportar perto de 80 Rafales para o Qatar e para a Líbia.

A aquisição destes Rafale coloca uma séria ameaça também para a Espanha, que mantem vários diferendos territoriais no norte de Marroco, em Ceuta e Mellila, mas também para Portugal, cujos 40 F-16/MLU começam a ser perigosamente ultrapassados por todos os vizinhos regionais, desde a Espanha (sempre foram), e passando pelo Marrocos (Rafale) e Argélia (MiG-29 e Su-30MK)…

Felizmente, o treino da FAP continua a produzir melhores pilotos e isso deve assegurar uma vantagem considerável num possível conflito aéreo com Marrocos ou com a Argélia.

É claro que a FAP não tem F-16 em Porto Santo… Perto destes dois países… Mas devia!

Fica a questão de saber como é que Marrocos vai conseguir pagar a cara manutenção destes aparelhos, já que quem os pagou foi a Arábia Saudita, precisamente porque os aparelhos são demasiado caros para o exaurido reino hachemita…

A notícia tem sido contudo desmentida em várias fontes:
http://www.lejournal-hebdo.com/article.php3?id_article=8481
http://www.aeronautique.ma/Dassault-dement-la-vente-d-avions-Rafale-au-Maroc_a140.html

Contradizendo estas outras fontes…
http://www.aeronautique.ma/Le-Maroc-pourrait-acheter-12-a-18-Rafale-de-Dassault_a135.html
http://www.algerie-dz.com/article5565.html
http://www.algerie-dz.com/article2193.html

Em que ficamos?

Acha que Marrocos pode ser uma ameaça militar para Portugal?
1) Sim
2) Não

View Results

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci | 13 comentários

O Ministério Público afirma que os Gomes “receberam a menina quando não existia paternidade estabelecida e predispuseram-se a integrá-la no seu lar e a criá-la como filha”

“Para o procurador do Ministério Público junto do Tribunal de Torres Novas, Dinis Cabral da Silva, o arguido e a sua mulher (que se encontra em parte incerta com a menor) receberam a menina quando “não existia paternidade estabelecida” e predispuseram-se “a integrá-la no seu lar e a criá-la como filha”. Essa situação criou “expectativas e um sentimento de pertença que não souberam gerir quando, alguns meses depois, foi determinada a paternidade sobre a menor e o pai biológico começou a reclamá-la”, considera o procurador.”

E assim cai a tese do “rapto da menor” defendida por alguns, onde se destaca a figura do antipapa da Blogoesfera que dá pelo nome de Pacheco Pereira. Afirma esta corrente que a situação de Esmeralda (a menina que faz em Fevereiro cinco anos) seria comparável à de uma criança de 3 meses que ser raptada por estranhos num supermercado e ser apenas recuperada pela polícia cinco anos volvidos. Nada de comparável! Em primeiro lugar, quando a menina foi entregue ao casal Gomes, o pai não a tinha ainda reconhecido, e logo, estava fora da equação, em segundo lugar, a mãe entregou-a voluntariamente (e não há provas de que a tenha “vendido”) e em terceiro lugar, a menor ainda não tinha consciência de quem eram os seus pais (dos quais aliás ainda só conhecia a mãe), logo não se sentiu “raptada” ou “levada contra sua vontade”. “Raptada” e “levada contra sua vontade” é o que vai sentir se a Judiciária der cumprimento à sua reputação de excelência e acabar por localizar e tirar dos braços da sua “mãe adoptiva” a menina…

Isto mesmo reconhece agora o Ministério Público quando afirma que “receberam a menina quando “não existia paternidade estabelecida” e predispuseram-se “a integrá-la no seu lar e a criá-la como filha.”

Fonte: http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1283530

Chamo a atenção para a Petição Online em Libertem Luís Gomes e Mudem a Lei que pretende recolher assinaturas para forçar a Assembleia da República a mudar os artigos do Código Civil:

1974.º, 1978.º, 1979.º, 1980.º, 1983.º e 1992.º do Código Civil, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 47 344, de 25 de Novembro de 1966, alterado pelos Decretos-Lei n.ºs 67/75, de 19 de Fevereiro, 261/75, de 27 de Maio, 561/76, de 17 de Julho, 605/76, de 24 de Julho, 293/77, de 20 de Julho, 496/77, de 25 de Novembro, 200-C/80, de 24 de Junho, 236/80, de 18 de Julho, 328/81, de 4 de Dezembro, 262/83, de 16 de Junho, 225/84, de 6 de Julho, 190/85, de 24 de Junho, Lei n.º 46/85, de 20 de Setembro, Decretos-Lei n.ºs 381-B/85, de 28 de Setembro, 379/86, de 11 de Novembro, Lei n.º 24/89, de 1 de Agosto, Decretos-Lei n.ºs 321-B/90, de 15 de Outubro, 257/91, de 18 de Julho, 423/91, de 30 de Outubro, 185/93, de 22 de Maio, 227/94, de 8 de Setembro, 267/94, de 25 de Outubro, 163/95, de 13 de Julho, Lei n.º 84/95, de 31 de Agosto, Decretos-Lei n.ºs 329-A/95, de 12 de Dezembro, 14/96, de 6 de Março, 68/96, de 31 de Maio, 35/97, de 31 de Janeiro, 120/98, de 8 de Maio, Leis n.ºs 21/98, de 12 de Maio, 47/98, de 10 de Agosto, Decreto-Lei n.º 343/98, de 6 de Novembro, Decretos-Lei n.ºs 272/2001, de 13 de Outubro, 273/2001, de 13 de Outubro, 323/2001, de 17 de Dezembro, e 38/2003, de 8 de Março.

Categories: A Escrita Cónia, Sociedade Portuguesa | 6 comentários

Os dois novos porta-aviões da Marinha Indiana: o NS Vikramaditya e o “Projecto 71” (IAC)

Os trabalhos de actualização que decorrem no novo porta-aviões da Marinha Indiana, o ex-russo INS Vikramaditya estão muito atrasados em relação ao calendarizado.

O porta-aviões da classe Kiev está a ser transformado no estaleiro russo de Sevmashpredpriyatiy em Severodvinsk no norte da Rússia, mas foram encontrados alguns problemas estruturais no navio que vão atrasar significativamente a sua entrega à União Indiana. As reparações deveriam estar concluídas até 2008, quando o único porta-aviões indiano, o INS Viraat será abatido à frota.

INS Viraat
(INS Viraat)

A Marinha Indiana, no entanto, alega que ela recebeu garantias do governo russo que a conversão e o comissionamento do navio estariam finalizados no prazo em 2008 quando o até então único porta-aviões indiano, o INS Viraat, estará pronto para a aposentadoria.

O novo porta-aviões, o INS Vikramaditya deveria entrar em serviço em 2009, depois de sofrer uma reforma completa.


(INS Vikramaditya, o ex-russo Gorshov)

O porta-aviões foi comprado pela Índia por cerca de 625 milhões de dólares e deverá ser equipado com 20 caças MiG-29K


(Projecto 71: IAC)

Prossegue entretanto a construção do porta-aviões indiano Projecto 71 (Indigenous Aircraft Carrier), já com um atraso de dois anos em relação ao calendarizado e deverá entrar em serviço apenas em 2014. O navio devrá ser equipado com 12 MiG-29K e um número não especificado de aviões Sea Harrier FRS Mk 51, para além de 10 helicópteros Kamov Ka-31.

Fonte: Indo-Asian News Service

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci | 5 comentários

Sobre o Reequipamento da Força Aérea Brasileira


EMB 314 Super Tucano: (http://www.jetfly.hu)

Num contexto de rearmamento e modernização na América do Sul, especialmente na Venezuela, na Colômbia e no Chile, o Brasil tem-se deixado ficar para uma posição secundária. A modernização das forças armadas brasileira esteve praticamente congelada, ou retrocedeu com a decisão de parar com o Programa F-X e só agora, e por pressão desse rearmamento exterior é que se tomam algumas decisões.

Entre estas destacamos os EMB 314 Super Tucano, seis helicópteros UH-60L Black Hawk (com noticíamos AQUI), 12 aviões espanhóis C-295, mísseis BVR Derby, 12 caças ex-franceses Mirage 2000C, e da actualização dos calas F-5 Tiger II e dos AMX A-1.

Mas estas aquisições e actualizações não deram ainda resposta ao verdadeiro problema da FAB que é a substituição dos obsoletos Mirage III BR… Especialmente agora que a Venezuela vai alinhar com os excelente Sukhoi Su-30 MKV e o Chile com os seus novos F-16C Block 50…

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci, Política Internacional, Sociedade | 46 comentários

A Praga Lisboeta dos Pombos e o perigo à Navegação Aérea

“A Câmara de Lisboa tem em curso, desde 2002, um programa para controlar os cerca de 26 a 27 mil pombos que actualmente existem na cidade.”

(…)

“Os custos das colisões com aves [de aviões comerciais] são elevadíssimos. Há casos de reactores substituídos por esse motivo.” (…) “O porta-voz do IAN explicíta que quem autriza a instalação de pombais junto ao aeroporto são as câmaras de Lisboa e Loures, limitando-se o INAC a dar um parecer. (…) Algumas aves de rapina já foram mortas a tiro por pessoas ligadas à columbofilia.”

Alexandra Reis in Público de 3 de Janeiro de 2007.

De novo, neste ponto e em tantos outros, as Autarquias que deviam ser o principal esteio da Boa Governação agem como refúgios de incompetência clamorosa… Como se podem justificar estas autorizações descabeçadas? E onde pára a Polícia Municipal quando estes energúmenos atiram sobre as aves de rapina que protegem os passageiros dos vôos da Portela? A multar e a mandar rebocar os nossos carros e a perseguir ciganas com sacos de plástico negro carregados de roupa Made In China?

Categories: A Escrita Cónia, Política Internacional, Política Nacional, Sociedade Portuguesa | 7 comentários

sQuid S1-41: Que planta transportava o HMS Bounty?


HMS Bounty: (http://www.bountyclub.org)

Categories: Delírios, sQuids S1 | 6 comentários

A Coreia do Sul vai lançar um foguetão orbital em 2008


(KSR III: “Korea Sounding Rocket-III”)

“A Coreia do Sul prepara-se para lançar o primeiro foguetão em 2008, tornando-se o nono país a dispor de tal tecnologia, noticiou a revista New Scients. O lançador Espacial Coreano deve pôr em órbita um satélite de 100 Kg, que servirá para fazer investigação sobrea a atmosfera. A Coreia do Sul começou a desenvolver este foguetão de dois andares depois de um acordo de cooperação tecnológica estabelecido com a Rússia em 2004. Assim, o primeiro andar baseia-se na tecnologia Angara russa, e o segundo é de origem coreana.”

Fonte: Público, de 3 de Janeiro de 2007.

Obviamente, o programa espacial coreano (do Sul) não tem objectivos meramente científicos… Servirá resultados políticos e até militares ao demonstrar ao seu vizinho do Norte a capacidade sul coreana para colocar uma carga explosiva ou até nuclear nesse país do Norte. Mais uma vez, a exemplo do que sucedeu na Índia e na China, a tecnologia sofreu um considerável desenvolvimento local, graças à participação de técnicos russos, que assim prosseguem alegremente uma estratégia que daqui a dez anos esfumará definitivamente qualquer vantagem que a Federação Russa ainda detenha neste campo, a troco de benefícios financeiros de curto prazo…

Tanto mais porque estes foguetes vão servir de concorrentes comerciais ao muito lucrativo mercado de lançamento de satélites…

Categories: SpaceNewsPt | 9 comentários

Quids S6-14: Como se chama esta actriz?

sssdddss.jpg
Dificuldade: 3

Categories: Cinema, Quids S6 | 30 comentários

“Os robôs exploradores de Marte, Spirit e Opportunity, acabam de receber o quarto upgrade de software”

“Os robôs exploradores de Marte, Spirit e Opportunity, acabam de receber o quarto upgrade de software, para continuarem a mandar para a Terra notícias do que encontram no Planeta Vermelho. Os robôs vão entrar no quarto ano de actividade em Marte. As actualizações incluem novas funções, como melhor reconhecimento de padrões e maiores capacidades de autonavegação.”

Fonte: Público de 3 de Janeiro de 2007.

Estes dois Rovers são um verdadeiro feito tecnológico e uma das mais brilhantes realizações de sempre da NASA. Os MER deviam funcionar apenas por 3 meses, mas agora, que entram no quarto ano de actividae, estão ultrapassadas mesmo as mais optimistas das expectativas.

Um dos grandes segredos desta sobrevivência vem da flexibilidade dos sistemas informáticos que regem os robôs. O cérebro informático dos MER é um processador RAD 6000 a 32 Bits, capaz de realizar 20 milhões de instruções por segundo. O sistema depende de um bloco de 128 Mb de RAM e de 256 Mb de memória auxiliar Flash.

Foi esta memória Flash que entre 21 e 23 de Janeiro do primeiro ano de funcionamento do Spirit colocou em risco toda a missão, quando se corrompeu. Felizmente, foi possível reformartar a dita a partir de Terra e o robô regressou à normalidade.

Categories: SpaceNewsPt | 2 comentários

O investimento da Pescanova em Mira e a Eutrofização


(http://www.ccdr-alg.pt)

“O investimento de 350 milhões de euros que os espanhóis da Pescanova irão fazer no concelho de Mira para a produção, em aquicultura, de sete mil toneladas de rodovalho pode vir a ser uma alavanca para todo o sector, consideram os industriais portugueses. Mas, para que isso seja possível, adiantam, têm de ser derrubados alguns constrangimentos, como a burocracia ambiental.” (…) “Uma aquicultura vai produzir azoto e fósforo, o que gera riscos de eutrofização, mas considero (afirma Vítor Carvalho, o responsável pelo projecto) que deveria haver uma entidade que fiscalizasse o balanço entre o que é negativo e positivo e tomasse a decisão.”

Fonte: Público de 3 de Janeiro de 2007.

Desenvolvimento à custa da Ecologia ou Desenvolvimento Sustentado? A eutrofização é um problema muito sério e ocorre sempre que uma produção agropecuária produz um excesso de nutrientes e este provoca um aumento explosivo do número de microorganismos e, consequentemente, um declínio brutal na qualidade da água.

É verdade que Portugal precisa desesperadamente de mais industria e emprego, mas será que precisamos de explorações agroindustriais desta escala que prejudicam seriamente o Ambiente? Não seria preferível construir uma série de explorações de aquicultura, de igual capacidade total, mas dispersas pelo território, de modo a facilitar a aborsão natural dos produtos orgânicos resultantes pelos solos, mas mantendo – no total – o mesmo nível de produção e emprego?

 

Conhecia o fenómeno da «Eutrofização»?
1) Sim
2) Não

View Results

Categories: CodeFarmPt, Ecologia, Economia, Websites | 5 comentários

“A Sonaecom propõe-se ainda manter um mínimo de 50,01% do capital da PT nos primeiros 4 anos subsequentes ao termo da oferta, e um mínimo de 33,34% entre o 5º e o 10º ano”


(WeHaveKaosInTheGarden)

“A Sonaecom propõe-se ainda manter um mínimo de 50,01% do capital da PT nos primeiros 4 anos subsequentes ao termo da oferta, e um mínimo de 33,34% entre o 5º e o 10º ano. Valores que garantem a manutenção do centro de decisão da PT em mãos portuguesas. (…) As garantias da Sonaecom estendem-se ainda à política de internacionalização, comprometendo-se Paulo Azevedo a ter como objectivo a detenção de mais de 8 milhões de clientes de rede móvel no exterior, aytravés de subsidiárias onde o futuro grupo detenha o controlo.”(…) “São dadas ainda garantias quanto à presença na Portugal Telecom nos PALOP, e, entre outros, à venda de activos em Portugal.”

Anabela Campos, in Público de 3 de Janeiro de 2007.

Esta promessa da Sonaecom de manter a PT em mãos portuguesas (enfim… em 50,01% de mãos portuguesas) é uma resposta directa a todos aqueles que desconfiam do papel da France Telecom nesta OPA e se Belmiro está aqui a agir como um testa-de-ferro desse gigante francês numa manobra de bastidores para se apossar de forma subreptícia da maior empresa de comunicações portuguesa… Quem conhece Belmiro de Azevedo, diz que não é do seu feitio, agir como uma marioneta de terceiros, mas se de permeio, realizar um significativo encaixe financeiro, que lhe permita balançar para outros – mais ambiciosos vôos – a tese torna a ganhar substância… Mas mesmo a promessa de Paulo Azevedo afirma que este controlo poderá (e se “poderá” é porque vai mesmo) descer no quinto ano…

Isso significa que a PT, a maior empresa portuguesa e a nossa única multinacional, vai mesmo deixar de ser portuguesa e passar para mãos francesas.

Querem esperar para ver?

Acha que Belmiro está a agir como um «testa de ferro» para a France Telecom»
1) Sim
2) Não

View Results

Categories: Economia, Websites | 15 comentários

sQuid S1-40: Quem escreveu esta frase?

“Entre mim mesmo e mim não sei que se levantou que tão meu imigo sou.”

Categories: Delírios, sQuids S1 | 6 comentários

Quid S6-13: Qual é a particulariedade desta barra de sabão?

soap.jpg
Dificuldade: 5

Categories: Cinema, Quids S6 | 36 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade