A “Contra-Informação” em torno da “Tese da Conspiração Interna do 11 de Setembro”

Recentemente sintonizei a SIC Notícias e apanhei o final do programa britânico “Panorama”. Ao que parece emitiam na altura um documentário britânico cujo tema era… Rebater as teorias que afirmam que o 11 de Setembro não foi aquilo que o governo americano diz ter sido.

Como sabem, tenho escrito alguns Posts sobre o tema e hei-de prosseguir, apesar de todas as críticas, mas quando vi aquela coisa que a SIC apresentou como “documentário”, ganhei uma vontade renovada de dar o meu contributo, ainda que minúsculo, para o esclarecimento da Verdade.

Infelizmente, só pude ver os últimos dez minutos da coisa, precisamente na fase das conclusões finais. Mas o que vi, pareceu-me saído dos manuais mais básicos de Contra Informação escritos e aplicados pelos Serviços Secretos americanos no Chile e, actualmente, na imprensa americana “pró-americana”… Logo na primeira cena que vi, apareciam os três rostos de críticos à versão oficial, juntos, a trés, no centro do écran, a falarem e a mexer a boca, mas sem som, rodeados de um tom negro. A intenção era óbvia: não importava o que eles diziam… E se mexiam a boca no vazio sonoro, era para diminuir a importância do que diziam e para lhes os descredibilizar, pelo ridículo… A acompanhar estas imagens estava a voz do “comentador” que dizia que as opiniões destes críticos eram “alegações absurdas”… Ou seja, os “jornalistas” que fizeram este ‘documentário” em lugar de apresentar ao tele-espectador os seus factos, ou no máximo, a sua versão dos mesmos, optaram por presenteá-lo com… Conclusões. Recorrendo ainda por cima a adjectivos fortes (“absurdas”) e em flagrante violação da Carta Deontológica da Profissão de Jornalista, que impõe a esta o dever da Imparcialidade.

Não satisfeitos, terminaram o “documentário” com uma entrevista à mãe inglesa de um dos mortos do 9/11… Óbviamente, a senhora misturou tudo e revelou estar muito ofendida (depois de lhe terem perguntado) com aqueles que não acreditavam na versão oficial dos factos. Como se a dor dessa mãe tivesse algo a ver com a falsificação grosseira que nos tentam vender! Recorrer e manipular a dor de uma mãe foi um dos momentos televisivos mais baixos de sempre e a SIC pactuou com o dito…

Algures… no mundo, um cheque de uma certa quantia foi entregue nas mãos de certo “documentarista” britânico… Duvidam?

Categories: 9/11 Conspiracy, 9/11 Denial, As "Armas Secretas" da Alemanha Nazi, MCSE: MOC2272 | 21 comentários

Navegação de artigos

21 thoughts on “A “Contra-Informação” em torno da “Tese da Conspiração Interna do 11 de Setembro”

  1. EstiveLa'Naquelamanhadeceuazul

    ”From a skeptical vantage-point, but also taking to heart the classic idea that those who benefit from a crime ought to at least be investigated, Griffin, an eminent philosopher and theologian, brings together an account of the national tragedy that is far more logical than the one we’ve been asked to believe. Gathering stories from the mainstream press, reports from other countries, the work of other researchers, and the contradictory words of members of the Bush administration themselves, Griffin presents a case that leaves very little doubt that the attacks of 9/11 need to be further investigated.

    The disturbing questions emerge from every part of the story, from every angle, until it is impossible not to seriously doubt the official story, and suspect its architects of enormous deception. Long a teacher of ethics and systematic theology, Griffin writes with compelling and passionate logic, urging readers to draw their own conclusions from the evidence outlined. The New Pearl Harbor rings with the conviction that it is possible, even today, to search for the truth; it is a stirring call that we demand a real investigation into what happened on 9/11.

    David Ray Griffin has been a professor of philosophy of religion and theology at the Claremont School of Theology in California for over 30 years. He is co-director of the Center for Process Studies there and the author or editor of over 20 books.”

    http://www.interlinkbooks.com/BooksN/New_Pearl_Harbor.html

  2. Buffalo Springfield

    For What It’s Worth
    Stephen Stills, 1966

    There’s something happening here
    What it is ain’t exactly clear
    There’s a man with a gun over there
    Telling me I got to beware

    I think it’s time we stop, children, what’s that sound
    Everybody look what’s going down

    There’s battle lines being drawn
    Nobody’s right if everybody’s wrong
    Young people speaking their minds
    Getting so much resistance from behind

    I think it’s time we stop, hey, what’s that sound
    Everybody look what’s going down

    What a field-day for the heat
    A thousand people in the street
    Singing songs and carrying signs
    Mostly say, hooray for our side

    It’s time we stop, hey, what’s that sound
    Everybody look what’s going down

    Paranoia strikes deep
    Into your life it will creep
    It starts when you’re always afraid
    You step out of line, the man come and take you away

    We better stop, hey, what’s that sound
    Everybody look what’s going down
    Stop, hey, what’s that sound
    Everybody look what’s going down
    Stop, now, what’s that sound
    Everybody look what’s going down
    Stop, children, what’s that sound
    Everybody look what’s going down

  3. Quanto mais vejo e leio do 9/11, mais dúvidas me surgem, no entanto e em relação ao motivo do teu post, assim como a RTP teve liberdade para apresentar o Loose Change, tem agora a SIC, no âmbito de canal concorrente direito a mostrar o seu Panorama e tentar rebater as teorias do Loose Change. Já não tem, é o direito de o fazer de forma incorrecta e grosseira conforme relatas.

    Não vi o programa e tenho pena. Será que eles explicaram o caso do avião que embateu no Pentágono?
    È que essa, anda-me a chocalhar os miolos e gostava de ter uma explicação minimamente credível, porque eu quero acreditar que foi um avião, mas cada vez tenho mais dúvidas.

    Um abraço.

  4. pires: ambos têm o direito de emitir o que quiserem. Essa decisão editorial compete apenas às redacçõ. Mas o tom torpe e manipulador do Panorama choca pela sua crueza e tendencionalismo e está bem de acordo com o pensamento de alguns ultrabuxistas que conhecemos… É esse tom que irrita e incomoda e que leva a pensar se a “reportagem” não terá sido feita por encomenda…

    momus: de início, quando ouvi os primeiros rumores (em 2002, apenas) fiquei céptico, e não me pareceram crediveis. Mas depois, à medida que lia mais e mais sobre o que se teria passado (ou não) no Pentágono, cresciam as dúvidas… Esse foi o ponto de partida para o questionamento da Verdade Oficial… É que se esse ponto colapsar (e é o mais frágil de todo o edifício erqguido em torno do 9/11) todo o resto cairá tb… Por isso é tão importante diminuir a credibilidade dos críticos e dos cépticos, usando a arma do “Patriotismo” que fez aliás já aprovar a lei menos democrática da história dos EUA, o “Patriot” Act…

  5. Viva Rui. Como sabes eu também acho que ficou muito por esclarecer na versão contida no relatório oficial do 11 de Setembro. Assim sendo e a quem interessar, o documentário Loose Change em Português já está disponivel na net. Basta aceder a http://www.11desetembro.net/
    Um Abraço

  6. não sabia, sabia… fica aqui a informação para quem precise dela… eu já tenho o dvd…

  7. OK

    ok people…é uma cover up

    questão que se coloca agora: quem, como e porquê ?

    enquanto não responderam a isto, andam a atirar barro à parede a ver se cola

    PS: qual é a musica no inicio do “loose chnage” ?

  8. OK

    ….

    BUSH: So, what’s the plan again?

    CHENEY: Well, we need to invade Iraq and Afghanistan. So what we’ve decided to do is crash a whole bunch of remote-controlled planes into Wall Street and the Pentagon, say they’re real hijacked commercial planes, and blame it on the towelheads; then we’ll just blow up the buildings ourselves to make sure they actually fall down.

    RUMSFELD: Right! And we’ll make sure that some of the hijackers are agents of Saddam Hussein! That way we’ll have no problem getting the public to buy the invasion.

    CHENEY: No, Dick, we won’t.

    RUMSFELD: We won’t?

    CHENEY: No, that’s too obvious. We’ll make the hijackers Al Qaeda and then just imply a connection to Iraq.

    RUMSFELD: But if we’re just making up the whole thing, why not just put Saddam’s fingerprints on the attack?

    CHENEY: (sighing) It just has to be this way, Dick. Ups the ante, as it were. This way, we’re not insulated if things go wrong in Iraq. Gives us incentive to get the invasion right the first time around.

    BUSH: I’m a total idiot who can barely read, so I’ll buy that. But I’ve got a question. Why do we need to crash planes into the Towers at all? Since everyone knows terrorists already tried to blow up that building complex from the ground up once, why don’t we just blow it up like we plan to anyway, and blame the bombs on the terrorists?

    RUMSFELD: Mr. President, you don’t understand. It’s much better to sneak into the buildings ourselves in the days before the attacks, plant the bombs and then make it look like it was exploding planes that brought the buildings down. That way, we involve more people in the plot, stand a much greater chance of being exposed and needlessly complicate everything!

    CHENEY: Of course, just toppling the Twin Towers will never be enough. No one would give us the war mandate we need if we just blow up the Towers. Clearly, we also need to shoot a missile at a small corner of the Pentagon to create a mightily underpublicized additional symbol of international terrorism — and then, obviously, we need to fake a plane crash in the middle of fucking nowhere in rural Pennsylvania.

    RUMSFELD: Yeah, it goes without saying that the level of public outrage will not be sufficient without that crash in the middle of fucking nowhere.

    CHENEY: And the Pentagon crash — we’ll have to do it in broad daylight and say it was a plane, even though it’ll really be a cruise missile.

    BUSH: Wait, why do we have to use a missile?

    CHENEY: Because it’s much easier to shoot a missile and say it was a plane. It’s not easy to steer a real passenger plane into the Pentagon. Planes are hard to come by.

    BUSH: But aren’t we using two planes for the Twin Towers?

    CHENEY: Mr. President, you’re missing the point. With the Pentagon, we use a missile, and say it was a plane.

    BUSH: Right, but I’m saying, why don’t we just use a plane and say it was a plane? We’ll be doing that with the Twin Towers, right?

    CHENEY: Right, but in this case, we use a missile. (Throws hands up in frustration) Don, can you help me out here?

    RUMSFELD: Mr. President, in Washington, we use a missile because it’s sneakier that way. Using an actual plane would be too obvious, even though we’ll be doing just that in New York.

    BUSH: Oh, OK.

    RUMSFELD: The other good thing about saying that it was a passenger jet is that that way, we have to invent a few hundred fictional victims and account for a nonexistent missing crew and plane. It’s always better when you leave more cover story to invent, more legwork to do and more possible holes to investigate. Doubt, legwork and possible exposure — you can’t pull off any good conspiracy without them.

    BUSH: You guys are brilliant! Because if there’s one thing about Americans — they won’t let a president go to war without a damn good reason. How could we ever get the media, the corporate world and our military to endorse an invasion of a secular Iraqi state unless we faked an attack against New York at the hands of a bunch of Saudi religious radicals? Why, they’d never buy it. Look at how hard it was to get us into Vietnam, Iraq the last time, Kosovo?

    CHENEY: Like pulling teeth!

    RUMSFELD: Well, I’m sold on the idea. Let’s call the Joint Chiefs, the FAA, the New York and Washington, D.C., fire departments, Rudy Giuliani, all three networks, the families of a thousand fictional airline victims, MI5, the FBI, FEMA, the NYPD, Larry Eagleburger, Osama bin Laden, Noam Chomsky and the fifty thousand other people we’ll need to pull this off. There isn’t a moment to lose!

    BUSH: Don’t forget to call all of those Wall Street hotshots who donated $100 million to our last campaign. They’ll be thrilled to know that we’ll be targeting them for execution as part of our thousand-tentacled modern-day bonehead Reichstag scheme! After all, if we’re going to make martyrs — why not make them out of our campaign paymasters? Shit, didn’t the Merrill Lynch guys say they needed a refurbishing in their New York offices?

    RUMSFELD: Oh, they’ll get a refurbishing, all right. Just in time for the “Big Wedding”!

    ALL THREE: (cackling) Mwah-hah-hah!

    ….

  9. Comentadores encomendádos de encomenda para comentar o que lhes dizia no papel, de tanto falar num 11 SET ficamos com a dúvida se alguma vez aconteceu, não dúvidando claro dos que faleceram na queda dos edificios , quanto mais tentam que o pessoal acredite no assunto mais ficamos divididos .

    Não direi que sim nem direi que não mas que existiu coisa existiu e programáda, qual o seu interesse no momento , qual a finalidade , porque teimam numa conclusão final a que se assistiu em directo, porque se assistiu a bombeiros em cruzamentos no momento do embate e não houve acção das autoridades , perguntas sem resposta, será???.

  10. Momus

    “The “new Pearl Harbor,” in the form of the terror attacks of Sept. 11, provided the necessary catalyst to put the global war plan into effect. Congress quickly allocated $40 billion to fund the “war on terrorism” shortly after 9-11. ”

    http://www.americanfreepress.net/12_24_02/America_Pearl_Harbored/america_pearl_harbored.html

    “Fanatical Warhawks Drafted Blueprint for Bloody U.S. World Domination Years Ago

    The cabal of war fanatics advising the White House secretly planned a “transformation” of defense policy years ago, calling for war against Iraq and huge increases in military spending. A “catalyzing event — like a new Pearl Harbor”—was seen as necessary to bring this about.”

    Gato (nao)escondidio com rabo de fora. The action plan is here:

    http://www.newamericancentury.org/RebuildingAmericasDefenses.pdf#search=%22Pearl%20Harbor%20site%3Anewamericancentury.org%22

    More background:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Project_for_the_New_American_Century

  11. OK

    frf

    não se percebe puto do teu post..os bombeiros tb estavam no esquema ? deve ter sido um bocado complicado explicar-lhes. ” Bem alguns de vocês têm que estar dentro das torres quando as deitar-mos abaixo para não levantar suspeitas” …ehehe

    Momus

    essas citações referem-se ao aumento na despesa na area tecnologica: as mudanças que as novas tecnologias induziram da sociedade e na economia devem tb ser introduzidas no sector militar

    Mas adiante, então segundo ti, o ataque foi para justificar um aumento nas despesas militares ? ou seja beneficiar o complexo industrial-militar ?

    Pergunta: Então pq não foi o 11 Set linkado ao Iraque desde o inicio ? (que é onde se está a gastar mais dinheiro….o Afeganistão mobiliza mt menos soldados e têm a ajuda da Nato)….a história do Iraque é que foi “trabalhada” para justificar uma intervenção…está se a revelar um desastre…e a mt provavelmente a razão pq os republicanos vão perder as próximas eleiçoes

    Avancemos para o COMO ?

    Como se faz uma operação destas ? quantas pessoas envolvidas ? quantas agências envolvidas? como se garante que não haja fugas de informação ?

    os serviços secresto do outros paises tb estão envolvidos ?
    UK, Canadá, Austrália, Itália, Espanha, Dinamarca, Alemanha….estão todos presentes no Afeganistão ….foram para a guerra por causa de uma conspiração ? os ss desses paises tb cairam na conspiração ?

  12. Já era de esperar o contra-ataque pró-americano às duvidas lançadas. O Pentagno tem mesmo equipas de gente que a unica coisa que faz é fazer contra informação. Até a nivel hambiental isso tem sido utilizado como forma de calar os cientistas que apontam para a desgraça ecológica que se aproxima. A Casa Branca sempre andou mais preocupada em vender a sua imagem do que em esclarecer a verdade dos factos
    abraço

  13. OK

    Kaus,

    os americanos agora tb são culpados do aquecimento global !?

    os tipos têm umas costas largas como o caraças …. vocês não acham que caiem um pouco no ridiculo em culpar os americanos por tudo que está mal no mundo ?…os tipos não são perfeitos, tb têm defeitos….mas arcarem sempre com as culpas de tudo é obra

    já agora se o 11 de Setembro foi obra do governo americano, quem levou a cabo os atentados de Bali na Indonésia, o 11 de Março em Madrid e os ataque ao metro em Londres ?

    tb foram os americanos ?

  14. 1. Os americanos são em boa parte responsáveis pelo Aquecimento Global, sim senhor. Os EUA de Bush, depois de com Gore serem pioneiros na defesa do Ambiente, rasgaram os tratados e alinharam com a China, o outro grande poluidor. Os EUA são o país mais poluidor do mundo, especialmente quando se comparam as suas emissões de CO2 com o peso relativo da sua população. A política dos EUA de Bush é precisamente de sacrificar o Ambiente em prol do Crescimento Económico.

    2. Os americanos são, foram e serão sempre o líder Moral do Ocidente. É precisamente quando alguém imbecilizado pelo alcóol e de cérebro diminuto, mas de grande carismo e simpatua humana como Bush toma o Poder, os Lobbies industriais que o apoiaram cobram a sua dívida, e transformam aquele que devia ser o líder Moral do mundo livre num títere de interesse de Multinacionais e de grupos radicais cristãos anti-científicos e criacionistas.

    3. A maioria das cidades americanas votaram contra Bush. Na anterior eleição só a manipulação dos votos da Florida, permitiu a eleição de Bush. A maioria dos americanos estão contra “esta América” e somente os mais incultos e fanatizados ainda alinham com a América de Bush.

    4. Bali, Madrid e Londres não foram atentados dos EUA… Nem das forças que nos EUA colaboraram nos atentados de 9/11… Mas tb não foram da Al Qaeda (que no essencial é apenas uma invenção conveniente dos serviços de informações americanos). Foram de grupos locais islâmicos, fanatizados, tão perigosos como os grupos ultracristãos que apoiam Bush e que fizeram eleger o Papa Ratzinger. Ainda não firmei tese sobre o 9/11. Admito apenas que existem demasiadas estranhezas em torno desta história, e sobretudo em torno da chamada “verdade oficial”, mas tb não acredito em tudo o que leio nos seguidores da Tese da Conspiração Interna… Continuo a ler, a pensar e a interpretar, e actualmente parecem-me certos dois factores: 1) Houve atentados islâmicos no mundo depois do 9/11, talvez motivados por este, 2) Houve um grypo poderoso e interno ao governo dos EUA que este envolvido no planeamento, organização e realização de pelo menos algumas partes dos ataques de 9/11. Se agiu sózinho ou em parceria com os seus antigos aliados anti-soviéticos do Afeganistão, é coisa que ainda não sei.

    Nesta questão do 9/11 o que importa verdadeiramente não é acreditar nisto ou naquilo, é saber sempre que os Governos só nos contam a Verdade quando isso serve os seus interesses, mas que isso nem sempre ocorre…

    Por isso… Vamos manter os olhos abertos e o espírito livre, e o resto… Será a nossa Razão a fazer.

  15. Para início de conversa, deixem-me que diga que sou bastante céptico relativamente às teorias conspirativas de 11/09.

    Não que tenha uma confiança cega nesta Administração americana – bem pelo contrário – mas estas teorias, a serem verdadeiras, fariam de Maquiavel um menino do coro.

    Por outro lado, apesar de todos os defeitos que possa ter, parece-me que os E.U. são um dos países em que os diferentes poderes mais exercem a fiscalização sobre os restantes, nomeadamente o chamado quarto poder, a comunicação social. Vide o caso Watergate.

    Acredito, porém, que face ao ataque/atentado inicial a Administração americana, nomeadamente através das suas cúpulas militares, aproveitassem o pretexto para executar planos geopolíticos que de outra forma não seriam possível levar por diante (o que não é bonito, nem apoio).

    Eu quero acreditar que isto estará mais próximo da verdade. Caso contrário… nem sei o que pensaria!!!

  16. Momusdon'tlivehereno'mo'

    “Be vewwy, vewwy quiet…I’m hunting wabbits! ”

    Elmer Fudd quotes http://forum.bcdb.com/forum/_C11/_F13/Elmer_Fudd_quotes_P8960/

    Memorable Quotes from
    The Great American Chase (1979)
    Wile E. Coyote: Allow me to introduce myself. My name is “Wile E. Coyote”… Genius. I am not selling anything nor am I working my way through college, so let’s get down to cases. You are a rabbit, and I am going to eat you for supper. Now don’t try to get away! I am more muscular, more cunning, faster, and larger than you are… and I’m a genius. Why you could hardly pass the entrance examinations to kindergarten. So, I’ll give you the customary 2 minutes to say your prayers.
    Bugs Bunny: I’m sorry, mac, but the lady of the house ain’t home and besides we mailed you people a check last week!

    http://www.imdb.com/title/tt0078915/quotes

  17. Sauridio

    Kual é a explicação para a queda da torre 7?

    Sauridio

  18. Joao manuel

    OK tu é ridiculo. Conservadorismo idiota. Só não esqueça que se não fosse a Europa dar a mão para Portugal, os Estados Unidos ja teriam nos engolido a muito tempo.
    E não descredibilize o poder porque voce o nao ve, pois o grande autor, só aparece nos créditos finais.

  19. Alberto

    Uma coisa é certa, o programa Panorama não tem qualidade nenhuma.
    Loose Change, foi feito com muito menos meios, e tem mais qualidade.
    Não se torna necessário provar que todo o Loose está certo. Basta umas partes, e isso é que tornou tudo complicado. hehe.
    Pior, é querer saber quem fez, pois só complica.

  20. Como ignorante da realidade dos factos apenas com documentários como o Loose Change posso afastar um pouco a cortina e espreitar um pouco a realidade sendo que através de um vidro embaciado que me mostra muito pouco. Penso apenas isto, basta um dos factos da história oficial não ser verdadeiro e deliberadamente ocultado para o 11/09 poder ser obra de qualquer outro que não o Sr Ben Laden… agora vendo a big picture e o historial do FBI, CIA e a misteriosa NSA posso muito bem culpá-los de tudo e mais alguma coisa, incluindo o 11/09.
    Uma coisa é certa os Media americanos não são exemplo e estão controlados pelo governo, por isso, não seram eles a divulgar a verdade têm que ser os próprios americanos a exigir do governo a veracidade dos factos e para isso têm que expulsar os republicanos da casa branca!
    O que se passou no pentágono, para mim, é a prova de que o que se passou naquele dia não tem nada a ver com a história oficial e se eles não mostram as imagens do avião, quando as imagens do avião em NY passaram na televisão milhões de vezes, é porque não querem e não por motivos de segurança nacional.
    Agora sendo mais duro acho que quem viu os Loose Change todos e continua sem acreditar no envolvimento dos serviços secretos americanos não passa de uma ovelha que gosta tanto de andar com o rebanho que só de pensar em deviar um passo do rumo geral fica aterrorisado… Mais, comprararam a propaganda de quando se fala de algum envolvimento dos serviços secretos americanos nalgum “serviço” temos que ridicularizar e chamar de “teoria da conspiração”! AI AI assim os poderosos vão ficando mais poderosos(impunes e ricos), que pena… FORÇA Humanidade mereces mais do que isto!

  21. mIa

    Zé Povinho:
    Méée´´eé´! Dois anos volvidos e deixei de pensar como V. EX.ª.
    Existe um culto cego em torno do Loose Change só semelhante ao que existe em torno da CNN. “SE eles dizem é porque é verdade”. Creio que a verdade está sempre no meio dos dois exageros assim, pessoalmente conclui (sem deixar de de ser pensante) que o governo americano sabia o que ía acontecer e provavelmente não podia impedir (ou teria de destruir os seus próprios aviões com gente lá dentro…o que provavelmente aconteceu com o tal avião que nunca se viu inteiro.). Fosse como fosse eles não podiam ser interceptados sem que os seus viajantes morressem. Pela óbvia razão que poderiam ser mortos pelos “piratas” (que não faço a a minima ideia de quem eram. Inimigos não lhes faltam) e por outras não tão óbvias razões que um dia, com sorte, se saberá. (para mim basta a primeira).Esta teoria explica inclusivé porquê reforçaram unicamente aquela parte do pentágno, porquê encontravam-se unicamente agentes da CIA nos voos, e porquê estava tão pouca gente no edificío (os quais certamente foram alertados por amigos). Creio que é um facto que as torres foram “dinamitezadas” mas não tal não pode por si ser directamente imputável ao governo americano. Acho que este não admitiu que assim foi porque teria de confessar a sua incompetência pois na verdade sempre pensou que a/s torre/s seria/m atacada/s com armas quimicas. Tanto assim é que no dia anterior agendou (ou levou a cabo- já não me lembro ao certo) uma simulação dessa situação (envolvento armas quimicas). Não acho que o culpado seja o Ben Laden. Imputação que se deverá porventura a um conveniente político. Mas não me parece que o Estado americano tivesse tanto a ganhar com essa simulação pois conseguiria os mesmos objectivos por outras vias, correndo menos riscos. SE fosse planeado pelas mentes perversas dos Senhores da guerra as justificações não seriam tão rascas e não apresentariam tantas falhas.
    Isto é o que pensa aqui a ovelha!
    PS: Mééééé!
    Mas tudo o resto é especulação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: