Daily Archives: 2006/08/16

RepórterGrunho: O SupraSumo da Decoração de Varandas

image_00106.jpg

Este belo exemplo de como (não) se deve decorar uma varanda está exposto num apartamento perto da estação da CP de Roma-Areeiro… Repare-se que o proprietário do último andar instalou um aparelho de ar condicionado, mas que tem um problema (comum na zona) que é o da actividade defecatória intensa da comunidade pombalina que reside na região… A sua “solução” foi a de tapar o bordo superior do aparelho de Ar Condicionado com sacos plásticos do Continente e pendurar 17 (dezassete) outros sacos de plástico na corda de modo a dissuadir a pombalhada de se demorar na sua varanda.

Não sei se é eficaz… Mas que dá um aspecto danado… Isso dá!

Anúncios
Categories: RepórterGrunho | 11 comentários

A “Primeira Geração” de caças a jacto (1/5)

Com tanta conversa sobre aviões de Quinta Geração, a questão sobre o que é um caça de quinta geração vem à superfície… Vamos assim iniciar uma série curta de Posts descrevendo sumariamente cada uma das gerações que a precederam. Óbviamente, vamos começar pela Primeira Geração…

A Primeira Geração de caças a jacto, desenvolvida nos meados dos anos 40, sobreviveu um período relativamente curto de tempo. Oposta a caças de hélice nos finais da Segunda Grande Guerra, a grande diferença em relação a estes consistia no uso de motores a reacção, com uns acrescidos 150 a 200 Km/h e tectos de vôo de 13 a 15 mil metros, em vez dos 10 a 11 mil metros dos seus opositores a hélice. Estas vantagens tornaram os primeiros aviões alemães a reacção oponente temíveis, embora a escassez de combustível e falta de fiabilidade dos seus motores fosse uma praga para estes primeiros aparelhos…

Por exemplo, os motores Jumo dos Me262 tinha uma vida útil de apenas vinte horas, findas as quais os motores tinham que ser substituídos e o avião exigia um manuseamento delicado… Se a potência do motor fosse aumentada muito depressa, as turbinas avariavam e o avião despenhava-se…

Esta geração incluiu dois dos aviões mais famosos de sempre: o Mig-15 russo e o F-86 Sabre (que equipou a nossa Força Aérea).

As altitudes para o “Dog Fighting” durante essa época não excediam as centenas de metros e estes aparelhos opuseram-se frequentemente sobre os céus da Coreia em combares muito semelhantes aos da Segunda Guerra. O Mig-19 e o F-100 Super Sabre, seriam os últimos membros desta geração, sendo mais rápidos que qualquer aparelho anterior, consistiam apenas numa evolução natural em relação ao Me262 e aos equivalentes aliados…

 Me262

 Mig-15

 F-86 Sabre

 F-100 Super Sabre

 Mig-19

 

Fonte: http://mosnews.com/feature/2006/06/22/fifthgenfighters.shtml

Categories: Ciência e Tecnologia, DefenseNewsPt, Defesa Nacional, O Código da Vinci | 6 comentários

Quatro hidroaviões Beriev Be-200 vão pagar a dívida da URSS a Portugal

Ainda antes de se começar a falar da vinda para Portugal dos Beriev Be-200, já aqui o “Quintus” tinha escrito o primeiro Post sobre a possível utilização deste extraordinário avião no combate ao flagelo dos Incêndios Florestais (ver aqui) e, mais recentemente, respondendo aos críticos que combatiam esta opção (ver aqui), por isso foi com bastante satisfação que li na TSF que “as autoridades portuguesas poderão contar em breve com quatro hidroaviões russos de combate a incêndios. Moscovo vai pagar a dívida da antiga União Soviética a Portugal com este equipamento aéreo, segundo o vice-ministro russo das Finanças, citado esta terça-feira, pela agência espanhola EFE.”

Portugal embarca assim claramente na estratégia correcta ao dotar-se de meios próprios de combate aos incêndios, que podem ser usados para o transporte de passageiros, militares e em operações de salvamento em qualquer parcela do território nacional ou no âmbito dos 1350 Km de raio de alcance do aparelho.

Os aviões foram adquiridos a custo zero, dado que a sua compra implicou apenas a amortização de 90% da dívida da ex-URSS a Portugal, num valor de 62,7 milhões de euros.

Sendo um avião extraordinário, o Beriev tem contudo algumas limitações no seu uso em Portugal, e sinal disso mesmo foi o acidente de começos de Julho que aqui refere e que segundo o “Verão Verde“:

“O acidente deveu-se a uma colisão com eucaliptos após um exercício de reabastecimento na Barragem da Aguieira, um dos escassos pontos identificados como possíveis locais de reabastecimento para o Beriev na altura em que este tentava ganhar altitude.Com o B 200 ainda com bastante combustível e reabastecido de água, não foi possível aos pilotos ganhar a altitude necessária, pelo que ainda houve um embate na copa das árvores, tendo ramos que entraram num dos motores causado um sobreaquecimento que obrigou a tripulação a desligá-lo.”

Ou seja, a necessidade de um extenso lençol de água limita os locais de onde o avião pode descolar e o nível de ondulação do Atlântico (que pode ultrapassar os 1,2 metros máximos impostos pelo fabricante) poderão também limitar o seu uso entre nós… Apesar disso, pela sua flexibilidade (não requer pistas), pela sua capacidade, pelo seu raio de alcance e até, pela sua polivalência (pode reforçar a escassa e sobreutilizada frota de transporte aéreo da FAP) a sua aquisição é uma excelente decisão deste governo e irá aumentar significativamente a capacidade de combate a incêndios neste país e inclusivamente na vizinha Espanha.

Fonte: TSF

Categories: Defesa Nacional, Política Internacional, Política Nacional | 16 comentários

Quids S2-33: Como se chamava este projecto?

3333.jpg

Dificuldade: 2

Categories: Genealogia, Quids S2 | 7 comentários

A Ucrânia vai trocar os seus treinadores L-39 por novos Yak-130 russos

A Ucrânia prepara-se para adquirir os aviões russos de treino avançado Yak-130. Esteve assim em negociações com a empresa russa Rosoboronexport e com o OKB Yakolev durante o passado més de Abril e espera concluir a aquisição de 75 a 120 aparelhos do tipo que tomarão o lugar da actual frota obsoleta de aparelhos checos L-39.

Fonte: Combat Aircraft, Setembro de 2006, Reino Unido.

Categories: DefenseNewsPt, O Código da Vinci | 10 comentários

A Rússia colocou em órbita um satélite através de um míssil balístico convertido lançado a partir de um submarino nuclear

A Rússia colocou em órbita um satélite através de um míssil balístico convertido lançado a partir de um submarino nuclear em submersão, declarou a Marinha Russa.

“A Esquadra do Norte, na Sexta-Feira pelas 10:50 PM prosseguiu com o lançamento de um satélite científico Kompas-2 a partir do Mar de Barents com um lançador Shtil“, declarou um porta-voz da Marinha Russa.

O lançamento foi realizado do submarino nuclear russo K-84 Yekaterinburg comandado pelo Capitão Sergei Rachug depois de dois dias de tentativas frustadas por causa das condições atmosféricas.

O K-84 Yekaterinburg pertence à Classe Delta-IV e navega desde 1986 sendo conjuntamente com seis outros navios da mesma classe o elemento principal da forças estratégicas russas.

O Kompas-2 irá estudar a actividade atmosférica, assim como fenómenos vulcânicos e sismícos no nosso planeta.

Assim fica demonstrada a capacidade de transformação para fins pacíficos do extenso arsenal militar russo e se disponibiliza comercialmente um novo meio de lançamento de satélites, assim como a tradicional capacidade inventiva russa…

Fonte: http://mosnews.com/news/2006/05/28/sublaunch.shtml

Categories: Ciência e Tecnologia, DefenseNewsPt, Defesa Nacional, O Código da Vinci, SpaceNewsPt | 3 comentários

Quids Extra: Como se chama este veículo?

city-5.jpgimage001-webmd2.jpgcity-1.jpg

ffff08.jpg06.jpgstanstation-websm.jpg

Dificuldade: 6

E a pedido de algumas famílias, eis uma série de Quids “ExtraHard” para os amadores das dificuldades… Tentaremos colocar questões mais difíceis que os Quid “de Série”, como consequência, estes terão pontuações de 2, 4 e 6 pontos…

Categories: Genealogia, Quids S2 | 13 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade