Daily Archives: 2006/06/05

A “revolta criminosa” de São Paulo: The Day After

Depois de mais de cinco dias de tumultos e de mais de 300 mortos (para se ter uma ideia da escala destes tumultos, saiba-se que no mesmo período morreram 75 pessoas em Bagdad), São Paulo regressa à "calma".

O Estado parece ter sido capaz de conter a revolta dos criminosos do Primeiro Comando da Capital (PCC) comandados por Marcola, a partir da sua cela de prisão, por telemóvel.

Mas parece, apenas… Para travar os tumultos que chegaram a paralisar aquela que é quarta maior cidade do mundo, o governo estadual teve que descer ao mesmo nível dos criminosos e negociar com eles, reconhecendo-lhes no acto, uma legitimidade que ainda ficará muito cara e que irá certamente levar a muitas outras "rebeliões de criminosos" no futuro…

O Estado foi forçado a aceitar, uma por uma, todas as exigências dos criminosos, desde a troca dos uniforme dos prisioneiros por uniformes cáqui (o amarelo dificultava as fugas da prisão…) até à instalação de dezenas de televisões de plasma nas celas, para verem os jogos do Mundial… O único ponto onde o Estado "venceu", foi naquele em que obrigou as operadores de telemóvel a desligarem as antenas que davam cobertura ao uso de telemóveis nas cadeias do Estado, reconhecendo assim a sua incapacidade em fazer impedir o uso destes aparelhos e a sua entrada nas suas prisões e prejudicando no acto, a vida de dezenas de milhares de cidadãos inocentes que residem nas suas imediações…

Ou seja… Tratou-se de uma derrota humilhante, em toda a linha, que apenas prenuncia a ocorrência de mais incidentes semelhantes no futuro… Aquele modelo de "Brasil" aproxima-se do fim… Esperemos que surja em seu lugar um outro "Brasil", um Brasil melhor, mais justo, mais moderno e… Mais seguro, que possibilite uma verdadeira recuperação para os mais 200 mil paulistas que estão detidos e que encontram no PCC a única saída para um caminho para onde um Estado demitido e repressivo os empurra. Não basta Deter, mais e melhor, importa reforma e criar oportunidades de regresso à vida, de forma a curtocircuitar os alicerces do PCC.

Categories: Política Internacional, Sociedade | 5 comentários

LOST S2E13 e S2E14: Pistas Falsas (?) e Hieroglifos no contador…

Como talvez tenham reparado, não escrevi nenhum Post sobre o anterior episódio de Lost. Fi-lo porque neste nada foi dito ou acrescentado quanto aos mistérios que rodeiam a Ilha. Somente, no final, no segmento em que Sayid ouve no walkie-talkie a música de Glen Miller se dá uma sugestão de que… A ilha se encontra num continuum espácio-temporal diferente… Reforçando aqueles que como o Sá Morais acreditam que a Ilha é uma espécie de Triângulo das Bermudas no Pacífico… Francamente, acho que são apenas os autores da série a atirem-nos com areia para os olhos… De vez em quando deixam lançar uma pistas para aqui e para acoli, empurrando os fãs da série para uma tese e depois para outra. Ora nos convencem de que se trata de um "Mundo dos Mortos", ora de uma anomalia espácio-temporal, ora… Enfim. Será que nem eles próprios sabem agora qual será o desfecho da série? Começo a acreditar nisso….

No episódio de ontem (15:15 de um domingo de Praia, belo horário de Prime Time…), também não houve muito a acrescentar…

a) o "Balonista" capturado por Rénee e torturado por Sayid é um "Outro". O tipo esteve com a mulher 4 meses e quando encontra alguém a primeira reacção foi fugir?… É certo que Rénee o tinha preso numa rede, mas não conhecia Sayid e este tinha acabado de o libertar. Quantas pessoas fugiriam daquele que os salvou? Só se fosse um 'Outro"… Não um sobrevivente traumatizado?… E porque não disse simplesmente a Sayid para ir ver os restos do balão? Isso provaria cabalmente a sua história.

B) O momento mais interessante do episódio ocorre quando Locke quase deixa a contagem chegar ao fim e aparecem então sinais por debaixo dos números do contador… Hieroglifos egípcios. Primeiro pensei que se tratassem de numerais. Mas não. Dos que pude apanhar (felizmente tinha gravado o episódio e fiz FF quase frame a frame) apenas um podia ser usado no contexto numérico, como parte da grafia extensa do número três… Logo, não são números. É uma frase. Não foi possível apanhar todos os hieroglifos, porque estes surgem demasiado rapidamente, mas nas 3 mais 2 posições surgiram:

Primeiro Trio:
S' (roupa, peça de roupa)
Alternando com
Comer, falar ou exprimir emoção (para o signo do homem sentado que leva a mão à boca)
? (não apanhei nenhum caracter)
"ja" (fonema, para o signo de uma chama)

A aparição de um fonema no último caracter, indica que se trata de um nome, especialmente se encararmos a caixa do contador como uma Cartela, a forma onde em hieroglífico se escrevem os antropónimos estaríamos perante um nome, algo como: "S + ? + Ja". Que palavra? De que língua?

Segundo Duo:
(Abutre)
Fonema "A"
Alternando com
Comer, falar ou exprimir emoção
(Homem que leva a mão à boca)
Caracter desconhecido (não encontrei este caracter nos meus livros…)

De novo, o primeiro signo sugere que se trata de um nome ou antropónimo, começado por "A"… O segundo signo surge frequentemente na forma verbal e não conheço o seu uso como fonema ou sílaba. Logo: "A" + (comer/falar/emoção) + ?

Infelizmente, a maioria dos meus livros de egiptologia ainda estão encaixotados (e assim ficarão por muito, muito tempo…) logo, não consegui apurar melhor a frase que aqui surge. Isto supondo que ela tem algum valor… E que não é mais "areia para os olhos"… Por um lado, é a primeira introdução de elementos egípcios, numa série onde onde elementos orientais dominavam (Dhama, Iching, etc.). Será uma alusão ao continente perdido de Mu? Onde a simbologia egípcia surge nalguns autores? Será uma alusão ao "Mundo dos Mortos"? Ao fim ao cabo, os hieroglifos só  eram usados em ocasiões sagradas e rituais… Nunca na vida comum (para isso servia o Demótico) Será um indício para aqueles que como eu defendem que a ilha é um "Mundo dos Mortos", um lugar de expiação dos Pecados/Karma, uma espécie de ponte entre Este e um Outro mundo?, dos quais os "Outros" são os Guardiões (de um Portal entre os dois mundos)?

Categories: Ciência e Tecnologia, LOST (Perdidos) | 9 comentários

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade