As minhas notas sobre as alterações na aquisição e venda de Equipamento para as Forças Armadas

Luís Amado, o Ministro da Defesa anunciou a 1 de Junho uma série de medidas que alteraram as decisões de reequipamento tomadas pelo único ministro competente dos governos PP-PSD, Paulo Portas. Que fique aqui registado que me desagradam os tiques sabedores e autoritáriozinhos de Portas, mas seria cego se não reconhecesse no seu desempenho enquanto Ministro da Defesa a acção do único bom ministro dos dois governos PP-PSD…

Por isso, quando ouvi que Luís Amado (o ministro com que me cruzo frequentemente ao fim-de-semana com o seu Pólo e jornal debaixo do braço) ía alterar a última LPM fiquei preocupado… Lá iam os constrangimentos orçamentais atrasar ainda mais a modernização das nossas Forças Armadas… Pensei eu.

Em suma, Luís Amado fará as seguintes alterações:

1. O Hercules C130 não serão substituídos pelos C140J, pelo contrário serão modernizados e Portugal regressará ao projecto Airbus A400M: Nota positiva… O A400M irá aumentar o emprego nacional nas OGMA e garantirá uma importante transferência tecnológica para Portugal… Nota positiva.

2. Portugal vai vender 12 aviões F-16. Sendo estes 12, 1/3 do total da nossa força de F-16, fiquei danado. Mas depois soube que destes 12 aviões comprados por Guterres, só 4 é que chegaram a voar… Sendo assim… Para que precisamos de aviões que não conseguimos operar? É certo que ficamos com apenas duas esquadras de 12 aparelhos cada, mais 4 de reserva, o que é escasso para um país com o nosso território e a nossa ZEE… Faltam mais aviões do género… Sukhoi-35? Era bom, era… Nota neutra…

3. Portugal venderá também 10 helicópteros Puma desactivados, duas fragatas João Belo (ao Uruguai?) e os remanescentes helicópteros Allouette (incrivelmente, ainda temos alguns…). Vendendo este equipamento enquanto este ainda tem valor de mercado, o ministro poderá recolher ainda uma verba significativa em época de apertos orçamentais… E Portugal precisará deste equipamento, especialmente não havendo ainda equipamento de substituição? Nota neutra.

4. A verba reservada para a frota de Submarinos foi reforçada. Discordando da existência desta frota e sobretudo o desperdício de verbas tão escassas num tipo de meio que seria menos prioritário do que mais meios de vigilância aérea, patrulhas rápidos e mais corvetas, este reforço das verbas alocadas aos submarinos de 983 milhões para 1070 milhões recebe assim nota negativa.

5. Nota positiva já recebe o abandono da compra da vetustas fragatas americanas Perry (um dos erros de Portas) e a selecção das mais modernas e superiores fragatas holandesas Doorman (da mesma geração das excelentes Meko/Vasco da Gama).

6. Nota neutra recebe por fim a manutenção da intenção de compra de um navio polivalente logístico, a ser construído pelos Estaleiros de Viana do Castelo, a manutenção do programa de substituição das Chaimite e a redução do programa de substituição dos M60A3 por um MBT ainda a determinar (espero que sejam Leopard…).

Em suma… Não é tão mau como parece…

Anúncios
Categories: Budismo, Defesa Nacional | 8 comentários

Navegação de artigos

8 thoughts on “As minhas notas sobre as alterações na aquisição e venda de Equipamento para as Forças Armadas

  1. Paulo

    coitados dos GNRs..veja-se o seguinte blogger: http://www.aspigcentro.blogspot.com

    Pobres homens da GNR

  2. 1- A substituição do Hercules pelo Trojan seria sempre uma má opção. Tens toda a razão na questão do A400M!

    2 – Ficaste tu e fiquei eu!Eu sou mais apologista do Gripen. O sukhoi 35 também era um bom avião, mas a manutenção ia ser obra, julgo eu. E talvez mais uns S.211 ou AMX ou Eads Mako para treino avançado e ataque solo. Combate a fogos? ShinMaywa SS-2. Vigilância? Saab 340 AEW C.

    3- Será que algum museu ainda quererá esses Allouette? E que tal uns Tiger? Para transporte o melhor é mesmo o Blackhawk.

    4 – Nem sabia que já tinham abandonado a ideia das Perry. Concordo com o que dizes.

    5- Sbmarinos não! A prioridade são meios de superficie.

    6- Hoje em dia há um grande debate se o futuro está nas rodas ou nas lagartas… De qualquer das maneiras, as chaimite são sucata à anos. Preservem algumas por razões históricas e o resto vendido a peso a um sucateiro. Substituição? Bem talvez um veiculo de rodas ligeiro. Talvez um qualquer LAV. Quanto aos M60 do tempo do vietnam… Precisam também reforma. Qual o main Battle a escolher? Tu inclinas-te para o Leopard? Foi uma das escolhas da Espanha e é um bom veículo. De preferência o leopard 2 A6! Mas também temos o Merkava 3. Grande máquina! E aquele que é considerado o mais moderno tanque do mundo? O Stridsvagn 122? Outra boa escolha, se houvesse pilim…

  3. Sob armamento vocês estãoi a anos luz de mim. Sei pouco, mas de tudo isso o que mais estranhei foi a questão dos F16. Porque compramos tantos para depois nunca voarem e irem agora ser vendidos. Um gasto de dinheiro que parece não fazer sentido.
    um abraço

  4. Daniel

    Ola a todos para substituir as velhas chaimite vem os novos Pandur II autriacos, para os M 60 vem 37 Leopard 2 A6 sei que pencam em vender 12 f16 que pena para mim para o lugar desses avioes porque nao os novos eurofighter , creio que para transport aerio pesado o A 400 M é uma boa aposta e continuar a renovar a frota ja existente do Hercules C130, o que eu nao acho muito bem é a compra dos novos C295 a espanha em vez do C27 J , acho que é uma ma opcao, quanto a compra dos NH90 sao muito bem vindos pois fazem bastante falta a marinha é que precisa bem rapido nao so dos novos sbmarinos como de novas fragatas e corvetas pois a nossa ZEE e muio grade e alem disso o Governo pediu o alagarmento as Nacoes Unidas de 200 Milhas para 350 ao qual a resposta sera dada em 2009 e os 10 novos NPO nao chega pois a sua missão e de patrulha apenas com um canhão de 40 mm enfim mas mesmo assim nada mau prevece um futuro melhor para as nossas forcas armadas .

  5. Leorolim

    Parece que vêm mesmo os Leopard2 A6.
    Grande máquina e grande tecnologia. Resta saber se vão ser algum dia desencaixotados ou vão ficar como os F-16 🙂

  6. São boas notícias, sim… Esperemos que agora passemos a ver esses meios pesados em mais missõe de paz no exterior, dando cobertura às nossas forças no terreno, do que antes (onde eram apoiadas pelas vetustas Chaimite…)

  7. Sérgio

    Viva! vou tentar fazer um comentario breve aos tópicos apresentados.

    De um modo geral em relação á modernização das forças armadas continuo a acreditar num lema antigo… “poucos mas bons”. Não é má ideia adquirir material de primeira linha em quantidades adequadas.

    1- Ainda tenho algumas reservas em relação aos A400. Estamos a falar de uma marca fiável na área civil mas ainda com pouca experiencia a nível militar. As capacidades da aeronave da airbus prometem mas o grande problema é o custo. Tenho muita pena que o novo avião da embraer C390 ainda esteja em fase de projecto porque terá um custo de metade do A400, capacidades equivalentes ao C130 e, tal como o C-17, motores jacto. O C130 continua a ser um dos aviões de transporte mais fiáveis de sempre á excepção da ultima actualização que está a dar imensos prejuízos á Lockheed. C295… excelente opção para substituição dos aviocar.
    2- Caças… talvez para mim a questão mais complicada. Primeiro que tudo… caças russos… Não!!! São bons aviões quando tudo corre bem, coisa que, nos últimos tempos não tem acontecido com muita frequência. Relembro aqui que a qualidade de produtos e assistência a aeronaves russas tem sido posta em causa, por exemplo, a ameaça de devolução de 36 aeronaves por parte da Argélia devido a não cumprimento de questões contactuais e problemas de manutenção, e dos aviões que acabaram por ser vendidos a Venezuela , Su-30, recusados pela China por não estarem de acordo com as exigências chinesas. Neste momento penso haver apenas 3 opções em termos de qualidade para Portugal… o F-35, o eurofighter ou o irmão Rafale francês.
    3- Submarinos? São de facto um equipamento importante mas não prioritário. Concordo com a opinião de apostar numa frota de superfície. Com um país com metade do território com costa marítima, tenho pena que a marinha ainda tenha falta de capacidades de patrulha. Gostaria de ver ao serviço embarcações como as da classe La Fayette francesa ou as alemãs MEKO A-200SAN class. Tive a oportunidade de ver ancorado em alcantra o Uss Bataan, o que me levou a pensar porque razão porque razão ainda não tem um plataforma aeronáutica no mar. sinceramente prefiro algo do género ENFORCER LHD 17000 em comparação ao Navpol.
    4- Não era urgente mas já estava na hora. Os leopard 2 A6 vêem mesmo para Portugal e posso garantir que são dos melhores main battle thank existentes de momento, inclusive superiores em velocidade e poder do canhão aos M1A1 americanos . Excelente escolha.

  8. desculpem o tamanhão do texto mas entusiasmei-me : )

Deixe uma Resposta para Sérgio Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: