O filme “O Código da Vinci”: Erros e Imprecisões (Parte 2): A Capela de Rosslyn

rosslyn chapel 

Estive em Rosslyn ainda antes de ter chegado a onda do livro de Dan Brown, depois de ter sido despertado para os mistério da capela por um tal de "LinPiao"… E tirei muitas fotografias do interior e do exterior da dita… Infelizmente, na altura não tinha máquina digital, razão pela qual não mostro aqui nenhuma dessas fotografias… Mas a minha memória (que tem mais de fotográfica do que qualquer outra coisa) alertou-me para algumas inconsistências:

1. No filme (e no livro também, acho eu) afirmam que a Capela foi construída pelos Templários… Ora esta foi construída quase um século depois da extinção da Ordem dos Templários… Por William St. Clair no século XV.

2. Quando estive em Rosslyn, a capela estava protegida por uma construção temporária que cobria inteiramente o edifício. A minha visita foi há dois anos (e foi tramado dar com ela!) e estas obras podem ter entretanto ter terminado… Mas será que não, e que as imagens que o filme mostra da capela foram digitalmente retocadas para não a mostrarem?

3. De qualquer modo, a acção do filme que decorre no interior da capela foi mesmo lá filmada… reconheci com efeito alguns dos motivos decorativos e a arquitectura geral do seu interior… Mas… Não era possível aos visitantes descer à cripta. A escada tinha o acesso barrado e no filme pode-se descer a escada livremente…

4. No filme, a capela e os arredores estão vazios… Ora quem já visitou a capela notou que esta está sempre cheias de turistas tirando fotografias (é permitido tirar fotografias do seu interior) e que este pulalam também em grandes números no exterior da capela… Aliás, tudo deve estar muito pior agora, com o explosão do Livro e com a estreia do filme… No filme, Landgon e Sophie andam sózinhos pela capela e cripta e não passam pela "livraria" da família St. Clair onde se vendem livros sobre a capela e reproduções dos capiteis (!) que podemos levar para casa.

5. Os portões da capela não são aqueles portões de grades de ferro que surgem no filme… O verdadeiro portão deixa passar apenas uma pessoa e é de madeira pintada a tinta verde. Aparentemente, não era "cinematográfico" o suficiente… Ou seja, a "verdade" não era suficiente "realista"…

6. As cenas do exterior da capela, com um pequeno tanque por onde Sophie tenta caminhar, e surgem muros de pedra, um arco destruído, etc. os quais não existem nos arredores da capela… Não sei onde foram filmados, mas lá, não estão. Tanto quanto me lembro!

7. Quando Langdon e Sophie descem a escada para a cripta, o filme mostra o lintel sobre essa escada e este tem um motivo vazio com apenas um "sino saimão" (ou Estrela de Salomão) inscrito. Ora lembro-me (e tenho uma fotografia) que mostra nesse lintel uma série de motivos vegetalistas, entre os quais um em que alguns julgam ver uma espiga de minho… O que seria uma "prova" da existência de navegações "templárias" para a América.

8. No filme, as imagens aéreas e as recolhidos no solo parecem mostrar uma capela situada no alto de um monte (o que é verdadeiro), mas no meio de uma floresta, num descampado… Ora a capela está de facto no fim de um beco, que faz parte da periferia da cidade de Roslyn. Talvez mostrar a capela no meio do mato fosse mais "cinematográfico"… O certo é que todas as tomadas de imagems evitam mostrar que a capela está de facto imersa no próprio nucleo urbano da vila.

Mais deve haver!… Eu é que não me lembro…

Categories: Mitos e Mistérios, O Código da Vinci | 24 comentários

Navegação de artigos

24 thoughts on “O filme “O Código da Vinci”: Erros e Imprecisões (Parte 2): A Capela de Rosslyn

  1. MuchAdo

    Antes de Brown havia: “Holy Blood Holy Grail.”

    Antes de Brown havis a Sr Lewis Perdue: “Da Vinci Legacy(1983)”

    A questao aberta de plagio esta aqui:http://www.davincilegacy.com/Infringement/expert-report.html

    Quanto a inexactidudes no “codigo” (sic) existem muitos (“a veritable cottage industry”)autores a reforcarem as contas bancarias. Mas o Salon ja tinha botado faladura em Dez de 2004:

    http://dir.salon.com/story/books/feature/2004/12/29/da_vinci_code/index.html

    Fundamentalmente:

    Casa de Stuart/ “Templarismo” escoces / FrancoMaconaria e restauracao da Monarquia Escocesa estao em Marcha ha muito tempo/ha seculos. Brown e’ um panfletario da Causa. Disinformation is the name of the Game.

    Nothing happens by chance….. e agora ou brevemente, estaremos na Age of Aquarius…

  2. LinPiao

    “Um dia,ou era noite?, na “Longa Marcha,” descobri que andamos todos a dar voltas numa fita de Mobius…” Assim comecava ou meu (genial) romance sobre uma morte no convento de Mafra, lugar onde (por detras da nona cancela) se escondia um seminarista com uma paixao louca pela semiologia do Grao Vasco no rotulo do Dao tinto…

    Mas, tarefas da vida, obrigaram-me a largar a Obra, e hoje espreito com raiva e melancolia o sucesso de um Dan Brown, um autor mediocre mas muito endinheirado, com e’ a Voz de SEu Dono, mas a mim nao me engana mesmo nada….

    Portanto, o meu proximo romance sera intitulado “A (re)Volta dos Tristes,” uma estoria em tons de Antonio Lobo sobre um grupo demissionarios maoistas portugueses que desembarcam em Goa e encontram Sao Tome (o gemeo) a frente de um estamine de bolos de bacalhau e evangelhos ocultos…

    “The TRuth is Out Here…”

  3. bem… consigo nunca sei quando fala a sério ou a brincar… mas olhe que a trama do enredo até tem “pernas para andar”… eu pelo menos gostaria de saber o desfecho e que mensagem estaria por detrás da obra de grão vasco…

  4. Mao

    Outro propangadista da “verdadeira” fe’: (Para quem desconhece)

    http://search.barnesandnoble.com/booksearch/results.asp?z=y&ath=Tim+Wallace%2DMurphy

    http://www.surfingtheapocalypse.com/grail.html

    palavras chave: Templars / Scotland / Stuart / Steward / Blood Line / Robert de Bruce / Sinclair / Oak Island / Newport Tower

    “If you tell a lie big enough and keep repeating it, people will eventually come to believe it. …” J Goebbels

  5. LinBiao

    Teaser:

    “Vasco Fernanades desceu o Quebra Costas sem dar por ele. Na esplanada um Morris Mini largava uma fumaca escura que escondia o portal da Se. Vasco desviou os olhos da calcada e fitou o Arco. “Pentecostes!” Pensou” “Que faria Locke numa situacao destas?”

  6. isso parece-me mais um “let´s look at da trailer” de certo lauro dérmio…

  7. LinXiao

    Mas ha mais!

    Spoiler:

    O Douro Transfronteirico e Trasmontano subia lentamente contra a corrente. A bordo os investigadores Huck e Patricius do Barroso saboreavam a paisagem e brindavam a sorte nuclear que aqui os trazia. “Este Floodgate de 10 anos bebe-se mas nao satifaz” disse Huck. Um solavanco inesperado volveu-o sobre o calcalhar de Aquiles… “Rui? May I call you Rui?”

    Na aldeia as velhas pedras graniticas envolviam o segredo dos Pereira que os perseguia desde aquele momento que em Acre o cavaleiro Gualdim caiu da sela. “In Mons Oliva Eguas Est…”

    FIM

  8. Ainda não vi o filme mas quando li o livro achei logo que iriam fazer um. Fala-se muito das inverdades nele contidas e pode-se facilmente detectar algumas. Mas, estamos a falar de uma obra de ficção e que nos conta uma outra teoria para explicar factos (históricos) que outros tinham explicado de forma diversa. Como não acredito em Deuses até poderia mais facilmente acreditar nesta versão mais humana. No entanto desconfio das duas por em ambas haver falta de “inocência” nos fins que desejam alcançar.
    Vou uma semana de férias, mas espero poder continuar a blogar por aqui.
    Um abraço

  9. bem… antes serem perseguidos pelo “segredo dos pereira” do que pelas “velhas pedras graníticas”. Hum. Embora fosse mais tipo hollywood…

  10. Enquanto o Dan(i)El se entretem a confabular do seu “(n)ovo” (eech!!!!) “The Solomon Key”
    http://www.nypress.com/17/28/books/KenMondschein.cfm

    “Chave de Salomao”: ver e.g.: “7. Quando Langdon e Sophie descem a escada para a cripta, o filme mostra o lintel sobre essa escada e este tem um motivo vazio com apenas um “sino saimão” (ou Estrela de Salomão) inscrito…in Quintus” sera mais Megan David, ou Escudo de David…

    Sera que Dan(i)El vai escrever um “thriller” sobre a Mossad? Isso, nunca…

    Dan, tribo de: “The Tribe of Dan inherited the pre-flood paganism [Baal worship] of the Canaanites [descendants of Ham and his son, Canaan] who occupied the northern area of Palestine at Mt. Hermon/Sion. Located at the 33rd degree, the ancient tribe of Dan influenced the basis of modern Freemasonry.”
    http://watch.pair.com/dan.html

    El:One of the names for God in the Hebrew is El, meaning The Almighty. The numeric value of this Hebrew word is 31. Thus this number is stamped with the theme of The Almighty God. It might also be worth noting that this value is arrived at by adding one to thirty. Thirty is three (divine perfection) times ten (ordinal perfection) and so represents a magnification or superabundance of divine perfection. Adding one to this value would indicate divine perfection plus more, divine perfection added to.
    http://www.vic.australis.com.au/hazz/number031.html

  11. OLÁ!…Como vais de saúde? Estive a ler os comments, e um deles fala da queda do Gualdim nas pedras, mas parece-me que fora do contesto…então ele não caiu do cavalo nas arribas da Nazaré?

  12. caiu? não foi salvo pela aparição? (que aliás, surge num vitral da capela da Qta da Regaleira?

  13. Todas essas “alterações” devem-se a necessidades cinematográficas… São os pózinhos de sal na história. Quanto ao primeiro ponto:”No filme (e no livro também, acho eu) afirmam que a Capela foi construída pelos Templários… Ora esta foi construída quase um século depois da extinção da Ordem dos Templários… Por William St. Clair no século XV.” Pois, essa é propositada. A ideia é deixar a ideia de que afinal essa “extinção” da Ordem não foi completa.
    Mas… e as colunas da catedral de Notre Dame? Fugiram a sete pés da conspiração…

  14. LinPiao

    O Gente!

    D. Fuas Roupinho esta ligado ao Sitio na Nazare. Nao caiu do cavalo nem da falesia.

    Cito: “Dom Fuas Roupinho foi um nobre português do (século XII).

    O nome deste cavaleiro está ligado ao processo de Reconquista cristã da península Ibérica, no século XII, sob o comando de D. Afonso Henriques. Em reconhecimento pelos serviços prestados, o soberano nomeou-o como alcaide-mor de Porto de Mós.

    O seu nome também se destaca por ser o primeiro comandante naval português conhecido, estando na origem da primeira vitória da Marinha Portuguesa, ao largo do cabo Espichel, contra uma esquadra Muçulmana.” http://pt.wikipedia.org/wiki/Fuas_Roupinho

    O Gualdim e’ o “outro.” Chissa! Ja estou a ver que tenho que continuar com o meu thriller “O Codigo Postal”… Stay tuned!

  15. exacto! passo a vida a confundir estes dois…

  16. Escreve o Sr. Sa Morais (Samurai???) que:

    “Pois, essa é propositada. A ideia é deixar a ideia de que afinal essa “extinção” da Ordem não foi completa.”

    Os proprios donos de Rosslyn e os seguidores da causa Stuart nao se fartam de espalhar aos ventos que (eles)os Sinclairs sao os “verdadeiros” herdeiros titulares de uma suposta Ordem Templaria refundada na Escocia com as benesses de um heroi nacional, o Robert de Bruce. Esse “templarismo” esta estreitamente ligado a francomaconaria, e a deturpacao tanto da verdadeira Historia da Ordem do Templo, como do “descobrimento” da America do Norte, como da propria historia escocesa. Enfim, um bem tramado enredo politico que ven de longe e que encontra expressao Global no propagandistico e plagiado “Codigo…”

    Non Nobis Domine Non Nobis Sed Nomini Tuo Da Gloriam

    ” The Sinclairs (derived from Saint-Claire) are known to be the hereditary grand masters of Scottish Masonry and the guardians of Rosslyn Chapel. They are also believed to be one of the Grail families of Merovingian descent. “

  17. Afonso: é sá morais, mas samurai também lá anda perto 🙂

    abraço!

  18. hum… deve ser código… o “Código Samurais” by LinPiao Brown.

  19. LinPiao

    Nao! Mas sim: O Codex dos Semaforos… Mas, veja la Rui (“May I call you ‘Rui’?”) a dica das nucleares na Raia passou-lhe a estibordo, nao?! (Ver LinPiao, Cap. III, par 2, naquela cena em que D. Roupao Fuinhas acaba de comandar um blindado directamente ate as portas do Mosteiro de Santa Cruz…)

    O nome Patrick Monteiro de Barros nada lhe diz???

  20. Anónimo

    para que importa o filme
    para que importa o livro
    alguem ja parou para pensar?
    a verdade esconde-se sempre por detra de parabolas o que todos procuramos
    é uma nova re-ligião (re-ligação) de fraternidade e verdade onde a velha prostituta não tenha lugar
    verdade?

  21. heitor

    o filme e quase que totalmente diferente do livro , ainda nao entendi o motivo de ser assim personagens, e alguns detalhes(MAIORIA)do livro foram distorcidos ou modificados pra sair no filme.

  22. heitor: bem… não deve ser nada fácil encaixar um livro que se lê (na melhor das hipóteses) numas 9 ou 12 horas num filme de 2h35m… Ou seja muito tem que ser sacrificado para que se faça um filme minimamente “visível”…

  23. Eduardo

    Você parece ter um nível de escrita razoável. Recomendo-lhe revisões antes de postar.
    Alguns erros de digitação (ex.: “pulalam”) e algumas inserções de vírgulas e parênteses (você muitas vezes continua o raciocínio do parênteses ou de trechos entre vírgulas) comprometem o texto. Erros normais de quem está raciocinando e escrevendo, mas que são sanados com uma breve revisão.
    De qualquer modo, parabéns pelas informações.

  24. Eduardo

    Poste as imagens assim mesmo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

%d bloggers like this: