Daily Archives: 2006/04/01

O veículo espacial “Explorer” da Space Adventures e da Myasishchev

Explorer

 

A empresa americana Space Adventures já enviou dois americanos e um sul africano para a Estação Espacial Internacional (ISS) recorrendo a um veículo espacial russo Soyuz. Mas a colaboração entre a SA e a Rússia não vai ficar por aqui… Está actualmente em desenvolvimento um novo veículo espacial, de nome "Explorer" e que foi concebido pela empresa russa "Myasishchev Design Bureau", que esteve envolvida no projecto do vaivém russo Buran, reutilizando no "Explorer" alguns dos materiais então desenvolvidos.

 

O "Explorer" permitirá o transporte de até cinco pessoas a uma altitude de mais de 100 Km.

 

A Space Adventures finaliza entretanto um acordo com a Agência Espacial Russa de modo a que esta garanta a qualidade e controle o desenho do Explorer.

 

Cada bilhete no Explorer deverá custar cerca de 120 mil dólares, uma fracção do bilhete pago pelo primeiro turista espacial, Dennis Tito: 20 milhões de dólares e do valor com que a Agência Russa comercializa vôos circumlunares por 100 milhões de dólares.

 

Fonte: Space Adventures

Categories: SpaceNewsPt | Deixe um comentário

Sobre a “Modernização” das relações laborais

Algo de muito profundo está a acontecer nas relações entre empregadores e empregados. O explosivo número de desempregados, a avassaladora perca de influência dos Sindicatos, o fantástico aumento dos lucros das grandes empresas e a retracção do peso dos rendimentos do Trabalho nas economias traduziram-se pela criação de um aumento das obrigações dos assalariados frente aos empregadores.

Constantemente pressionados por ameaças veladas ou directas de deslocalização ou encerramento das empresas, os assalariados viram-se contra os seus pares menos produtivos, e transferem para eles as suas frustações produzidas pelo aumento da pressão sobre a sua produtividade e rendimento económico. Enquanto que antes da Globalização, o foco do conflito era o "Patrão", agora, o foco é o "colega improdutivo", a Concorrência, ou o Cliente externo ou interno.

Os crónicamente doentes, os que se aproximam da idade da reforma, as mulheres que engravidam, os pais que faltam para prestar assistência aos filhos, são todos encarados como fontes de ineficiência económica e como riscos para a manutenção do próprio emprego. A partir deste sentimento de desconfiança e repúdio, escoram-se sentimentos mais intensos que justificam "rescisões amigáveis", "despedimentos encapotados", "transferências geográficas com objectivos de levar a rescisões". Um sem número de mecanismos são criados pelas organizações para capitalizarem esses sentimentos e maximizarem os seus lucros… Ameaçados pelo Despedimento ou pela Deslocalização, os assalariados contentam-se com salários congelados ano, após ano, acreditando que mais vale um "salário congelado" que um "salário ausente" ou pago a algum trabalhador indiano ou romeno…

A conflitualidade do mundo do Trabalho é transferida para o exterior. Se a empresa atravessa dificuldades, tal sucede porque o Governo é demasiado voraz nos impostos que cobra, porque a concorrência é desleal, porque a concorrência se deslocalizou e agora tem custos de produção muito inferiores, porque a anterior gestão foi incompetente ou danosa… Nunca por erros ou responsabilidades da gestão actual, mas sempre por causa do "Outro". O empregador coloca-se assim a salvo da contestação interna que levou às conquistas laborais dos anos dourados do crescimento ocidental (1950-1980), e orienta-a para o exterior, desde o concorrente desleal ao cliente ingrato e até para o interior, para o trabalhador ineficiente ou incapaz.

A família, a doença, os filhos, o tempo de lazer, são considerados como obstáculos a um tipo de entidades obcecadas em maximizar os lucros e minimizar os custos, que considera doravante, o Trabalho como o Custo e o Lucro como um Dogma. Em prol dos interesses de accionistas abstractos e longíquos, toda a organização se reestrutura e invadem-se paulatinamente a vida privada dos assalariados, forçando-os a "períodos de prontidão", em que devem deslocar-se à empresa se esta o requerer, a equipamentos de comunicação que o tornam sempre disponível, como terminais Blackberry ou de Push Mail que envia para os telemóveis ou PDAs dos assalariados os emails internos da organização. Multiplicam-se os contactos telefónicos para telemóveis em períodos de férias ou de descanso dos assalariados, as famílias são sacrificadas, com horários de trabalho de 12 e 14 horas onde só se vêem os filhos para os deitar, a doença é considerada uma "vergonha" e os assalariados preferem trabalhar doentes a macular a sua folha de absentismo… Todas as antigas barreiras são quebradas, invadindo-se a Vida Privada com a Vida Laboral, com o "consentimento" do trabalhador.

O processo de Desumanização intensifica-se com o acentuar do individualismo nas relações laborais. O assalariado comunica e interage sobretudo com o seu superior que o avalia, premeia e pune. As relações transversais com sindicatos, pares e associações de trabalhadores evaporam-se e a "Cultura da Empresa" impõe-se através de sofisticados meios de "Comunicação Empresarial", como os Portais corporativos, o Correio Electrónico, os eventos da empresa, etc.

Todo o sistema se orienta para o sacrifício da vida de cada um em prol do aumento da rentabilidade das empresas. O Homem concreto é imolado no altar do Lucro e a Economia desumaniza-se e torna-se numa servente de entidades abstractas e teóricas como o "Valor Bolsista" o "Accionista" ou o "Fundo de Investimento".

O Homem torna-se servo da Economia.

Quando devia ser exactamente o contrário…
Fonte: Le Monde Diplomatique, Março 2006

Categories: Sociedade, Wikipedia | 5 comentários

Site no WordPress.com.

Eleitores de Portugal (Associação Cívica)

Associação dedicada à divulgação e promoção da participação eleitoral e política dos cidadãos

Vizinhos em Lisboa

A Vizinhos em Lisboa tem em vista a representação e defesa dos interesses dos moradores residentes nas áreas, freguesias, bairros do concelho de Lisboa nas áreas de planeamento, urbanismo, valorização do património edificado, mobilidade, equipamentos, bem-estar, educação, defesa do património, ambiente e qualidade de vida.

Vizinhos do Areeiro

Núcleo do Areeiro da associação Vizinhos em Lisboa: Movimento de Vizinhos de causas locais e cidadania activa

Vizinhos do Bairro de São Miguel

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos

TRAVÃO ao Alojamento Local

O Alojamento Local, o Uniplaces e a Gentrificação de Lisboa e Porto estão a destruir as cidades

Não aos Serviços de Valor Acrescentado nas Facturas de Comunicações !

Movimento informal de cidadãos contra os abusos dos SVA em facturas de operadores de comunicações

Vizinhos de Alvalade

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos de Alvalade

anExplica

aprender e aprendendo

Subscrição Pública

Plataforma independente de participação cívica

Rede Vida

Just another WordPress.com weblog

Vizinhos do Areeiro

Movimento informal, inorgânico e não-partidário (nem autárquico independente) de Vizinhos do Areeiro

MDP: Movimento pela Democratização dos Partidos Políticos

Movimento apartidário e transpartidário de reforma da democracia interna nos partidos políticos portugueses

Operadores Marítimo-Turísticos de Cascais

Actividade dos Operadores Marítimo Turísticos de Cascais

MaisLisboa

Núcleo MaisDemocracia.org na Área Metropolitana de Lisboa

THE UNIVERSAL LANGUAGE UNITES AND CREATES EQUALITY

A new world with universal laws to own and to govern all with a universal language, a common civilsation and e-democratic culture.

looking beyond borders

foreign policy and global economy

O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade